AGLOMERADO

0
2783
DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

AGLOMERADO

Sendo provavelmente o mais comum dos produtos derivados de madeira, o aglomerado de partículas é muito versátil no que diz respeito às suas potenciais aplicações.

Adequado para uma utilização generalizada em mobiliário e na construção. Os diversos tipos de aglomerado disponíveis garantem um comportamento equilibrado, tanto em condições secas como quando existe risco de umidade ou eventuais exigências de resistência ao fogo.

Usado basicamente pela indústria moveleira, o aglomerado tornou-se uma das matérias primas mais importantes, dadas suas características de estabilidade e resistência.

O aglomerado de partículas de madeira ou, como é vulgarmente conhecido, o aglomerado de madeira, é constituído por partículas de pinus , ligadas entre si por resinas sintéticas de uréia-formaldeido. Sob a ação da pressão e da temperatura, a rezina polimeriza, garantindo a coesão do conjunto.

O aglomerado de madeira pode depois, ser pintado, ou revestido com vários materiais, conforme descritos a seguir:

papéis impregnados com rezinas melamínicas;

papéis envernizáveis;

papéis “finish-foil”;

lâmina de madeira natural;

termolaminados decorativos;

PVC;

papel de parede, etc.

Processo Produtivo

As chapas de madeira aglomerada são produzidas com partículas de madeira selecionadas de pinus e/ou eucalipto, e não com fibras como nos casos das chapas de fibra e MDF. Dessa forma, tais chapas não são homogêneas, apresentando três camadas, uma interna e duas externas. As chapas de madeira aglomerada têm espessura que varia entre 6 e 38 mm.

O fluxo de produção das chapas de madeira aglomerada pode ser descrito como segue:

1. Inserção das toras de pinos e/ou eucalipto em um tambor decantador;
2. As toras passam em seguida por um Chipper, que as transforma em partículas de madeira;
3. Tais partículas são armazenadas em silos, passando em seguida por um secador e peneiras classificadoras, que separam as partículas que formarão as camadas interna e externa do painel;
4. As partículas passam pela formadora, de onde saem três camadas, duas externas com partículas menores e uma interna com partículas maiores;
5. As camadas seguem para a prensa, de onde saem como chapas consolidadas após um processo a base de pressão e temperatura;
6. Finalmente, as chapas passam por uma serra, são lixadas de forma a sofrerem um acabamento superficial, classificadas e vão para a expedição; para a laminação em baixa pressão ou revestimento Finish Foil.

De forma resumida, o processo produtivo das chapas de madeira aglomerada é realizado por meio de um processo seco, a partir de partículas de eucalipto e/ou pinus e inclui a aplicação de resinas.

Fonte: Tafisa Brasil SA, Duratex e Sonae Indústria

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here