DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

APRENDER A APRENDER

Centro Universitário Leonardo da Vinci-UNIASSELVI
Curso/Matemática (MAD.0561) – História da Educação.
Porto Alegre, janeiro/2008

RESUMO
No foco da educação não se abandona os conteúdos, mas deles se utiliza para o indivíduo desenvolva habilidades de novo cidadão; neste foco, aprender a aprender é o grande objetivo a ser alcançado; e o indivíduo passará a ser agente da própria aprendizagem.

Palavras-chaves: Conhecimento – aprender – indivíduo – ensinante

1 – INTRODUÇÃO

No momento em que vivemos numa globalização de informações diárias, em processo acelerado de mudanças; a educação tradicional é resultado de sociedades estáticas, nos quais a transmissão dos conhecimentos e tradições produzidas pelas gerações passadas era suficiente para assegurara formação de novas gerações; a nova educação moderna deve levar em conta a dinâmica a qual vivemos, em que o conhecimento de hoje pode ser superado em pouco tempo às vezes em alguns meses; é necessário que o indivíduo aprenda a aprender seus conhecimentos.

2- Aprender a Aprender

O fato de o aprendizado ocorrer quase que interruptamente, nada impede que o indivíduo possa interferir neste processo para tirar um aproveitamento melhor e mais vantajoso para si. A experiência é com certeza a melhor prova de que o aprendizado ocorre conforme vivência de cada indivíduo. Segundo Ilza Martins e Maximiliano (1989, p.13) ¨Aprender, certamente, mas antes de tudo VIVER e APRENDER PELA VIDA E NA VIDA. ¨

Informação demais exige que aprenda a selecionar dados importantes e joga fora o supérfluo. Para isso, na era da informação, é ver, ouvir e expressar, procurando fazer conexões de um campo de interesse nutrindo o necessário e importante.

A explosão da informação os avanços na tecnologia de transmissão e de armazenamento afeta tanto no fluxo quanto pela produção de informação

Aprender sozinho contribuiria para o aumento da autonomia do indivíduo. Para isto seria necessário que a educação escolar deva desenvolver no indivíduo capacidade e iniciativa de buscar por si mesmo novos conhecimentos, a liberdade de pensamento e de expressão. O fato que a pedagogia do ¨ Aprender a aprender ¨ no qual aprender sozinho exige autonomia intelectual e moral num nível mais elevado, resultante da transmissão de conhecimento por alguém. O indivíduo elabora seu método de descoberta, construção de conhecimento, do que o indivíduo aprender os conhecimentos que já foi descobertos e elaborados por outra pessoa. O problema da educação é direcionar o adolescente para um método que lhe permita construí-las por conta própria suas soluções e não para resultados prontos.

Aquilo que o indivíduo aprende por si mesmo é superior, em termos educativos, aquilo que ele aprende através da transmissão por outras pessoas.
“A educação não simplesmente um processo de influência do passado sobre o presente.
Deve ser um processo que possibilite ao educando se auto-educar, despertar a consciência
e responsabilidade ante valores essenciais à vida. Um objetivo da educação é possibilitar
que os jovens desenvolvam o próprio processo, que eles mesmos se realizem através da
ação e do esforço pessoal para buscar e transformar os valores culturais do passado,
adaptando-os à realidade.” (Ilza Martins e Maximiliano, 1989, p.16)

Toda ação didática deve estar relacionada com processo educativo e os objetivos proposto da entidade. Ação da escola como espaço a sociedade do conhecimento e da informação (mídia, rádio, sindicato, empresas, ONGs, família e internet) procurando uma relação interativa com parcerias para o crescimento educativo.

O ensinar não pode ser uma ação causal tem que estabelecer uma relação entre o indivíduo e o conhecimento no contexto da escola. O conhecimento, aprender a aprender, é dinâmico, mutável e negociada, constituíndo-se em resultados das expreriências dos indivíduos em sua interação com o mundo físico e social.

O ensinante deve ter consciência de que ensinar também é aprender, e o conhecimento é a construção resultante da preparação, capacitação e processo permanente de atualização que envolve necessariamente estudar, e reaprender aquilo que já se aprendeu.

CONCLUSÃO

Conclui neste texto, tenho consciência das limitações para o desempenho como ensinante de passar este método de aprender a aprender; isso se faz em conjunto com escola e demais segmentos da sociedade. Pessoalmente procuro desempenhar meu trabalho dentro deste contexto em que sempre se tem algo para aprender e reaprender. Sou da opinião que o mestre é aquele que deixa o indivíduo pensar.

BIBLIOGRAFIA

DUARTE, Newton. As Pedagogias do “Aprender a Aprender”. Disponível em: MORETTO, Pedro Vasco. Construtivismo. 2º Ed. Rio de Janeiro. DP&A, 2000.
SANT’ANA, Ilza Martins e Menegollo, Mximiliano. Didática:Aprender a Ensinar. São Paulo. Edição Loyola.1989.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAMPLIANDO CONHECIMENTO DO ESTATUTO DA CRIANÇA E ADOLESCENTE
Próximo artigoFILOSOFOS BRASILEIROS
Marcelo é um profissional de Informática interessado em Internet, Programação PHP, Banco de Dados SQL Server e MySQL, Bootstrap, Wordpress. Nos tempos livres escreve nos sites trabalhosescolares.net sobre biografias, trabalhos escolares, provas para concursos e trabalhos escolares em geral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here