CARACTERÍSTICAS DO MERCADO FUTURO DE TAXAS DE JUROS NA BMF&F

2844

Características do Mercado Futuro de Taxas de Juros na BMF&F

Definição de Mercado Futuro

É um acordo entre duas partes, que obriga uma a vender e outra, a comprar a quantidade e o tipo estipulados de determinada commodity, pelo preço acordado, com liquidação do compromisso em data futura.

Necessariamente, um contrato futuro é padronizado e baseia-se em mercado físico organizado. Uma das características mais marcantes do mercado futuro é a existência do ajuste diário, preço que, ao final de um dia de negociações, será referência para os acertos financeiros das posições de compra e de venda mantidas em aberto em nome de determinado cliente, conforme apresentem lucro ou prejuízo.

Introdução ao Mercado Futuro de Taxas de Juros

O custo do dinheiro constitui parâmetro fundamental para tomada decisão – investir, desinvestir, consumir ou poupar. Além de sua importância econômica, a taxa de juros é altamente sensível a diversos fatores presentes na conjuntura econômica e especialmente as características financeiras da transação em foco ( natureza da operação, nível de risco, prazo contratado, etc.).

A introdução no pais dos mercados futuros de taxas de juros foi feita baseada em ativos financeiros, tanto em títulos públicos federais, como as Letras do Tesouro Nacional (LTN), dentre outros.

Foi criado pela Bolsa Brasileira de Futuros em 1985 ( ganhando mercado, em abril/86, os referenciados nos títulos públicos, e em junho/86, os referenciados nos CDBs), e abriu à comunidade financeira um extenso leque de oportunidade de negócios. A idéia era de que tais mercados proporcionassem condições para que os participantes pudessem efetivamente transferir algum ou todo o risco de manter uma posição no mercado físico dos ativos em questão.

Mas o mercado futuro de juros que realmente veio “decolar” foi o de DI-1 dia criado pela Bolsa de Mercadoria e Futuros (BMF&F SP), em junho/9. Até hoje ele é o mais forte, em termos de volume financeiro, negociado diariamente na BM&F.

Em sintese, as taxas de juros refletem não só a interação entre oferta e demanda ( sendo sensíveis, portanto, a qualquer fator que afete uma ou outra), como também espelham quem oferta e de que forma, quem demanda e para quê. Daí sua extrema volatilidade, o grande risco embutido em tais movimentos e o fabuloso potencial de proteção e ganho apresentado por sua negociação nos mercados futuros.

Mecanismos de Funcionamento

A grande “genialidade” do contrato futuro de DI-1 dia é que prescinde de uma ativo referencial. Não existe, no vencimento, a entrega física de um titulo publico ou privado. Simplesmente compra-se ou vendem-se os juros. Assim, tais contratos servem às mais complexas operações financeiras, proporcionando varias estratégias, arbitragens e proteção a portifolios (hedge).

Arbitragem – É a compra em um mercado e a venda em outro, na tentativa de se aproveitar à existência de diferenças de preços entre eles. Ocorre, portanto, quando há distorções de preços entre os mercados. Arbitrar é fazer uma operação de arbitragem.
Hedge – Estratégia de proteção financeira para administrar o risco de preço. Hedger é aquele que assume, na Bolsa, uma posição contrária àquela possuída no mercado disponível.
É uma das formas de utilização dos mercados derivativos (as outras são arbitragem e especulação). No caso, fazer um hedge consiste em tomar uma posição inversa à mantida no mercado a vista, garantindo um patamar de preço de modo que se houver perda no mercado físico ela será compensada pelo ganho no mercado derivativo.

Contratos

Os contratos em síntese tem um formato padrão, eles representam um acordo, relativo a cada uma das mercadorias ou ativos financeiros, que estabelece as condições para sua negociação nos diversos mercados oferecidos pela Bolsa (futuro, opções, termo e spot). Para a negociação em mercados de liquidação futura é imprescindível que haja padronização de produtos, de modo que todas as características ou especificações da commodity sejam previamente conhecidas.

Os contratos futuros são referenciados nas respectivas taxas médias calculadas pela CETIP – Central de Custodia e Liquidação Financeira de Títulos. As cotações é o mecanismo por meio do qual as posições mantidas em aberto pelos clientes, nos mercados futuros, são acertadas financeiramente todos os dias, segundo o preço de ajuste do dia, conforme apresentem ganho ou perda em relação ao preço de ajuste do dia anterior. O preço de ajuste é calculado pela média ponderada dos últimos negócios ocorridos ou por um call de fechamento.

Cotações de Contatos Futuros

Todo mercado tem forma específica de cotação. No caso do Ibovespa, a cotação é em pontos; no caso do álcool anidro, em reais por metro cúbico, e assim por diante. No caso dos Depósitos Interfinanceiros, a cotação é feita em preço unitário, ou PU. Convertido por meio de fórmula matemática, o PU é expresso em taxas – anuais, mensais, o que for convencionado. Representa o valor presente de R$100.000, possibilitando a descoberta da taxa de juro no período coberto pelo contrato.

O ajuste de cotação é diário e o mecanismo por meio do qual as posições mantidas em aberto pelos clientes, nos mercados futuros, são acertadas financeiramente todos os dias, segundo o preço de ajuste do dia, conforme apresentem ganho ou perda em relação ao preço de ajuste do dia anterior. O preço de ajuste é calculado pela média ponderada dos últimos negócios ocorridos ou por um call de fechamento.

Atualmente, o preço de ajuste é determinado pela média ponderada ( por volume ) das cotações dos negócios realizados nos últimos 15 minutos da Segunda sessão do pregão ( 15h00/16h00), ou por um preço arbitrado pela BM&F. Ele possui duas casas decimais, ou seja, a dos centavos.

Liquidação de Contatos Futuros

Os contratos de liquidação futura, de maneira geral, se encerram por entrega (liquidação física) ou por pagamento/recebimento de diferença de preços (liquidação financeira). Atualmente, os mercados agrícolas mantêm possibilidade de liquidação física. Nos demais, a liquidação é feita financeiramente. Os contratos podem ser negociados até o último dia de negociação – estipulado pela bolsa

Liquidação é o processo de encerramento de posições assumidas em determinado mercado. Dependendo da modalidade de negociação (futuro, opções, termo etc), ela pode acontecer a qualquer momento até o último dia marcado para negociação. A liquidação pode ser física, onde ocorre efetivamente a entrega do bem no qual o contrato estava referenciado, ou financeira, feita por diferença de preços.

Quem ganha e quem perde

“O valor de ajuste diário se positivo, será creditado ao comprador e debitado ao vendedor. Caso o valor seja negativo, será debitado ao comprador e creditado ao vendedor.” Não tem sentido, nos mercados futuros, calcular a taxa de rentabilidade da operação, no sentido tradicional, pois há desembolso inicial de capital. E qualquer numero ( os retornos, na forma dos ajustes positivos ) dividido por zero dá infinito. Assim, na falta o valor presente ( PV ) da formula da matemática financeira – FV = PV(1+i)n.

Margem de garantia

Depósito em dinheiro, carta de fiança ou títulos públicos e privados e outros ativos aceitos pela Bolsa, exigido pela Bolsa para garantir a operação, cobrindo o risco de oscilação de preço de dois ajustes diários e que é devolvido ao cliente quando a operação é liquidada.

A margem, se feita em títulos, dá ao titular sua remuneração normal ( a margem é apenas uma caução )

Se feita em carta de fiança ( a maioria do mercado financeiro opera nesta modalidade ), tem seu custo muito pequeno ( em torno de 6% a.a. linear )

E, se feita em dinheiro, é remunerada pela BM&F em percentual em torno de 80% da taxa DI-over (CETIP) referencial.

Quem for operar nos mercados futuros tem de ter condições de pagar as margens de suas operações, pois é a proteção do sistema.

Bibliografia

Bessada, Octavio, O mercado de Derivativos Financeiros. R.J.: Capitulo 3: Record ed. 2000.

Neto, Assaf, Mercado de Capitais. S.P.: Atlas.

www.bmf.com.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA