Criação de Avestruz

1864

INTRODUÇÃO

Um negócio que nos últimos 05 anos vem crescendo de forma intensa em nosso país. Muitos criadores de gados estão migrando para essa nova atividade em busca de maiores vantagens. O Avestruz é considerado o gado do futuro.

Mas afinal, esse bicho vai “pegar”? Qual o investimento necessário para iniciar urna criação? Em quanto tempo ocorrerá o retomo do capital investido? O que esperar desse mercado? São indagações que muitas pessoas possuem e que serão esclarecidas no decorrer dos capítulos desde projeto.

CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA

Atividade Principal

Criação e Comercialização de Avestruzes.

OBJETIVOS

Geral:

– Ser reconhecido como um dos melhores criadores de avestruzes (cria e recria) na região centro oeste.

Específico

– Incentivar o investimentos aos novos criadores, buscando alcançar um número suficiente de animais para o início dos abates;

– Criar animais de alta qualidade, com ótima aceitação no mercado;

– Aprimorar as técnicas de criação do avestruz;

– Otimização dos custos, visando um retomo ainda maior do investimento realizado;

– Manter a ética e o respeito para com os clientes.

JUSTIFICATIVA

Oportunidade do Negócio

Este existe uma expectativa positiva de mercado para a criação e comercialização dos produtos de avestruz no Brasil. Entretanto o Brasil não dispõe de número suficiente de aves para iniciar o abate e processamento dos seus produtos. E preciso formar um plantel de aves de qualidade e organizar essa produção para garantir a estabilidade no fornecimento ao mercado consumidor.

1 – MATERIAIS E MÉTODOS

1.1 Aproveitamento

O avestruz é mais que uma ave, tudo nele praticamente se aproveita:

– Carne: Sua carne vermelha é valorizada por ser rica em proteínas e nutrientes, e ter as menores taxas de colesterol e gordura, mesmo quando comparadas às carnes brancas. (anexo 1).

– Couro: Está entre os mais caros do mundo ficando atrás apenas do couro de Jacaré, possui um nível de aceitação altíssimo, sendo utilizado para produtos que atendem os consumidores de alto poder aquisitivo, porém devido à nossa desenvolvida industria de produtos de couro, com respeitabilidade mundial, associada à mão de obra barata, há uma expectativa de barateamento do produto final, abrindo novos segmentos de consumo.

– Plumas: São apreciadas pela beleza e por sua qualidade antiestática. Atualmente o Brasil é o maior importador de plumas do mundo, aproximadamente 40 toneladas por ano.

Dentro de (5 a 8 anos) os produtos oriundos do avestruz encontrarão seu melhor estágio de comercialização, e mesmo assim suas vantagens competitivas nos mercados mencionados anteriormente serão enormes.

1.2 Conceito do Negócio

Consumir carne de avestruz ainda é privilégio para uma camada muito pequena da população. O preço do quilo pode variar de R$ 50,00 a R$ 70,00 dependendo da região. Com o crescimento do mercado estima-se uma considerável redução no preço, o que facilitará o acesso à classe média.

Atualmente há urna preocupação cada vez maior com a manutenção da saúde e qualidade de vida do ser humano. As pessoas estão cada vez mais conscientes da necessidade de consumir produtos nutritivos, saudáveis e com baixo teor calórico. Sendo assim a carne de avestruz aparece como uma ótima opção, pois reine todas as características para atender uma alimentação mais saudável.

– Público alvo: Abatedouros. Há uma expectativa que nos próximos três anos sejam criados três abatedouros no país.

Atualmente o público alvo que reúne condições financeiras de consumir carne de avestruz são pessoas com faixa de renda superior a R$ 5.000,00.

– Forma de atender os abatedouros: Fornecer o animal em pé.

1.3 Mercado Potencial

O mercado de avestruz tem crescido em velocidade invejável em todo o país. Nos últimos quatro anos houve um crescimento de 400%, e para esta década é previsto manter uma taxa de crescimento em torno de 1 00% a 1 50% por ano. Na estimativa da (ACAB) Associação de Criadores de Avestruz do Brasil, os resultados apontam para um potencial de demanda interna com aproximadamente 11,5 toneladas/ano e movimentando cerca de US$ 100 milhões, apenas no mercado de carne, assim que iniciarem os abates.

Atualmente a África do Sul é o berço mundial da criação comercial de avestruzes. O Brasil porém, é considerado um dos países de maior potencial para o Agribusiness do Avestruz, por motivos elencados as seguir:

– O clima brasileiro, principalmente na região Centro-Oeste, assemelha-se muito com o do habitat natural do avestruz, desta forma os animais não enfrentam dificuldades de adaptação.

– Por suas dimensões continentais, tem grande potencial de espaço para a implantação de projetos voltado à estrutiocultura.

– O Brasil com uma população de mais de 150 milhões de habitantes e tinia economia cm fase de estabilização, é um mercado potencial muito grande para a estrutiocultura e seus produtos.

A estimativa da (ACAB) Associação de Criadores de Avestruz do Brasil-é que existam em média 18 mil aves no País, para iniciar os abates seriam necessários 300 mil avestruzes. A maior concentração de animais está no Sudeste, onde iniciou a criação, mas o Centro-Oeste começa a ser considerado o Eldorado do produto. A mudança é constatada nos números de vendas da Aravestruz (um dos maiores criadores do país). O Centro-Oeste representa atualmente 1 5% dos compradores, essa perspectiva se deve ao fato da região não ter problemas de pastagem destruídas por geadas, nem umidade, que propicia contaminação de ovos. Conforme anexo 2, é possível verificar a distribuição do rebanho no Brasil.

Em recente pesquisa realizada pela Empresa Aravestruz, nos diz que se o avestruz atender à 0,3% do consumo per capta no Brasil, teremos que produzir 36.000.000 kg de carne, sendo que um avestruz limpo oferece cerca de 35 kg de carne, precisaremos de um abate diário de 1.028.571 aves, esses números demonstram que a criação de avestruz será uma excelente opção de negócio a médio e longo prazo.

De acordo com o anexo 3 é possível uma melhor visualização sobre a estimativa de consumo de carne de avestruz para os próximos anos.

1.4 Produtos e suas Características

O melhor animal para criação comercial é o da raça African Blacks (pescoço preto), somente essa raça possui essa característica. Quanto aos demais, chamados Red Necks (pescoço vermelho), Blue Necks (pescoço azul) e Crosses (mestiços), nenhuma tem aptidão comercial. Já os African Blacks, que há mais de cem anos vêm sendo trabalhados e selecionados por criadores sul- africanos, são animais muito mais dóceis e adaptados ao manejo humano, entre mais outras vantagens, como estas:

– Maior produção de ovos, e conseqüentemente, de filhotes;

– Maior precocidade;

– Menor possibilidade de acidentes com animais e funcionários;

– Maior produção de penas de alta qualidade (a pena das outras não tem valor comercial);

– Menor ocorrência de brigas por território entre os machos, que utilizam seu tempo em acasalamento, gerando maior produtividade,

– Maior facilidade de manejo, já que não se assustam facilmente;

– Menor consumo de alimentos, pois gastam menos energia, por serem animais calmos;

– Couro de qualidade superior (hoje as industrias só estão aceitando couro desta raça).

O preço de um filhote de avestruz custa em torno de U$$ 800 enquanto um adulto pode ser adquirido por até U$$ 5.000.

Um bom filhote de avestruz pode ser identificado pelo seu olhar altivo e inquisitivo pescoço ereto e cabeça erguida, pernas e (ledos alinhado, boa cobertura de penas, altura entre 1,10 metros a 1,30 metros. Filhotes nascido até 3 meses merecem cuidado especial devido a sua fragilidade. Aos 12 meses de vida os filhotes já tem porte de adulto.

No anexo 4 podemos notar os diferenciais competitivos do avestruz em relação ao boi.

1.5 CURIOSIDADES SOBRE O AVESTRUZ

– Tempo médio de vida: 70 anos, contando 40 anos de vida reprodutiva;

– Uma pastagem capaz de abrigar três a quatro cabeças de gado, é suficiente para criar até 400 avestruzes;

– A Carne de avestruz no mercado mundial é comercializada a US$ 20 o quilo;

– Custo médio de manutenção por animal / dia : R$ 0,60

– Gestação / Incubação: 42 dias;

– Espaço para criação: 2.000 m2 para 25 cabeças;

– Idade ideal para o abate: 12 a 13 meses;

– Altura do animal adulto: de 2,0 m á 2,5 m;

– Peso: de 100 a 150 kg;

– Temperatura do corpo: 38 – 39 C;

– Animal corredor: Atinge até 60 km/h.

2 – QUADRO DA EMPRESA

A sociedade será composta por duas pessoas que exercerão as funções de gerência e administração da empresa. Será contrato apenas um funcionário devidamente preparado e treinado para o manejo, alimentação, acompanhamento dos animais, etc.

3. CONCLUSÃO

A criação de avestruzes, é realmente, um grande negócio, muito rentável e que, após algum tempo, é muito fácil de levar à frente. Mas é importante que seja iniciado com cautela, contando com o auxilio de quem já esta há mais tempo no ramo e evitando aqueles que só querem lucro a qualquer custo. A estrutiocultura não pode ser encarada como modismo, pois é urna atividade séria e de grande potencial que exige um trabalho profissional. Para os interessados, o primeira passo é buscar informações sobre a atividade, visitar criadores, pesquisar, ler sobre o assunto (livro e revistas especializadas), participar de cursos sobre o tema e planejar cada passo do processo, da formação do criadouro à comercialização dos subprodutos do avestruz, para que seu investimento seja acertado e possa contribuir para a ascensão da atividade no Brasil.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA