DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

CURSO COMO FAZER MONOGRAFIA – PARTE 1: O TEMA

Você dever ter chegado ao nosso site ao digitar no site de busca o seguinte:

“Como é feita a metodologia de um projeto de TCC?”
“Normas da abnt 2011”
“Capa da folha de rosto, texto e citação”
“ABNT 2011”
“Trabalho academico nas normas da abnt 2011”
“Exemplo normas da abnt 2011”
“Normas ABNT Projeto de pesquisa”
“Relatório de pesquisa”
“Monografia de conclusão de curso”
“Dissertação”
“Normas ABNT Tese”
“Normas ABNT Artigo”
“Normas ABNT Resenha”
“Abstract ou Resumo”

Não importa, aqui você terá tudo que precisar para montar a sua monografia, projeto de TCC, ou Trabalho de Conclusão de Curso.

Agradeço primeiramente a Sra. Érika Taucci Magalhães, Advogada, São Paulo, que gentilmente disponibilizou em seu blog pessoal esse material.
“Doutora, saiba que para nós estudantes, é gratificante saber que existem pessoas dispostas a ajudar o próximo. Obrigado!”

Segue o Curso:

Parece algo difícil e complicado, e quando se pesquisa no “Oráculo” Google a quantidade de sites que vendem os trabalhos prontos faz parecer que é um bicho de sete cabeças, e a julgar pelos valores cobrados é de se imaginar que deve dar um trabalho imenso.

Bom, cara pálida, tenho novidades para você! Fazer monografia é fácil, apenas requer uma boa dose de atenção na questão da formatação. No que se refere ao conteúdo a tão temida monografia é apenas mais um trabalho de faculdade.

Não perca seu tempo fazendo downloads de trabalhos prontos, ou criando Frankeinstein’s (trabalhos criados a partir do recorte/cole de diversos sites), ou ainda comprando um trabalho pronto (pois ele vem dos mesmos downloads).

Basta seu professor digitar um pequeno trecho do ‘seu’ trabalho no pai Google, que ele logo saberá de onde ‘sua’ idéia brilhante veio. Nada pior do que isso! Como você se justifica? Vai dizer que Theotônio Negrão roubou sua idéia?

Mais vale um trabalho simples mas com idéias suas, do que um trabalho completíssimo que te renderá um belo ‘zero’.

As dicas que dou aqui servem praticamente para as monografias/TCC de qualquer curso, mas em termos de exemplo citarei somente os da área jurídica.

Etapa I: A escolha do tema.

Na verdade, a etapa I é a mais importante de todas. Se pensarmos na monografia/TCC como um bolo, o tema será o ‘recheio’ que irá ocupar o espaço entre a capa e a contra capa.

Também é a parte mais difícil, pois as falhas cometidas aqui são as que mais influem na nota final.

1. Como escolher um bom tema?

Isso depende de vários fatores, mas especialmente da sua disposição em realizar seu projeto e da sua familiaridade com o assunto.

Normalmente escolhemos temas voltados para a área que mais gostamos de estudar, ou com que temos mais relacionamento. Por exemplo: Assédio moral. Para aqueles que gostam de Direito do Trabalho o tema será voltado para sua ocorrência em relações entre patrão/empregado; para quem gosta de Direito Administrativo o foco será a caracterização da sua ocorrência na relação superior/subordinado no âmbito da Administração; já para quem gosta de Direito Penal o objetivo será a caracterização do constrangimento ilegal e eventualmente as possibilidades de indenização no âmbito civil.

Isso conduz ao próximo passo:

2. A limitação do objeto.

Absolutamente importante. Observando o exemplo acima sobre ‘assédio moral’ vemos que um mesmo tema pode inserir-se em diversas áreas do conhecimento jurídico, de forma que é bom especificar uma delas com alguns propósitos:

a) Limitar o alcance do trabalho;

b) Limitar o assunto;

c) Evitar uma avalanche de questões dos professores da banca, sobre áreas que você não domina.

Faça isso mesmo que o tema escolhido não tenha muitas áreas de abrangência, como por exemplo, o ‘Tribunal do Júri’. É um tema pertinente somente à área do Direito Penal, com algumas nuances do Direito Constitucional. Entretanto, o assunto do Tribunal do Júri é extremamente vasto, passando por:

a) Princípios constitucionais;

b) Modelo brasileiro;

c) Crimes de sua competência e conexos;

d) Por que o latrocínio não é julgado pelo Júri se envolve um crime contra a vida;

e) Qual o dever dos jurados;

f) Como é feita a escolha dos jurados;

g) Os procedimentos da sessão;

h) A função do Juiz;

i) As fases que compõe o procedimento do Júri (processuais e administrativas)

j) Nulidades que afetam o julgamento

k) Recursos cabíveis das decisões dos jurados (protesto por novo Júri).

Viram quanta coisa em um único assunto? E ainda tem muito mais. Por isso é sempre conveniente limitar o alcance de seu trabalho, como por exemplo: “Os jurados no Tribunal do Júri”.

3. Pesquisa do tema.

Pode-se utilizar livros, TCC/Monografias anteriores, sites especializados, enfim, todo tipo de material de pesquisa é bem vindo, desde que você cite nas referências a fonte. Recomendo, para aqueles que ainda estão na faculdade que não escolham temas muito difíceis, com pouca doutrina/jurisprudência, pois a falta de um conhecimento mais avançado resulta em um trabalho cheio de lacunas e, de certa forma, isso dá ao professor uma sensação de desleixo, de falta de interesse do aluno.

Então, evitem em trabalhos de graduação desenvolver trabalhos do tipo “A união homoafetiva e a conveniência do julgamento pelas Varas de Família”, ou “A regulamentação das taxas de juros e as instituições financeiras”. Façam coisas mais simples, deixem esses temas muito específicos para a pós graduação.

Uma última observação muito importante sobre a pesquisa é que deve-se sempre anotar com a maior riqueza de detalhes possível (nome, edição, página, data), os livros, site, revistas etc. que pesquisamos, especialmente se deles foi extraída alguma citação ou posicionamento para fins de identificação posterior. Não há nada pior do que escrever algo no trabalho e, na hora de informar a fonte, não saber de onde veio e ter de excluir essa parte.

4. Organização do tema.

Organizar o trabalho é imprescindível para o desenvolvimento do mesmo. Tente colocar, ao máximo possível, as informações em ordem cronológica ou ordem crescente de importância. Isso deve ser feito para que a pessoa que lê consiga entender o raciocínio que você desenvolveu. Informações ‘atropeladas’ tornam o trabalho confuso e isso impede uma conclusão decente.

Nos trabalhos em geral é sempre de bom alvitre apresentar os antecedentes históricos como forma de familiarizar o seu leitor com a evolução do objeto estudado através da história, e posicioná-lo na atualidade. No caso dos trabalhos jurídicos também indico a importância de se apresentar os aspectos constitucionais do tema, posto que a Constituição é o tronco da árvore jurídica, e sua importância não deve ser desprezada. Gaste, nem que seja uma folha, com um capítulo destinado a esse tópico.

Feitas essas considerações, nos próximos posts passaremos a falar de: elementos pré textuais, textuais e pós textuais, além formatação.

VEJA TAMBÉM EM TRABALHOS ESCOLARES
Contribua e ajude o site a se manter sempre online. Divulgue para seus amigos. Obrigado

TRABALHOS ACADÊMICOS: NORMAS DA ABNT – 2011

MODELO NORMAS DA ABNT 2011

NBR 14724 NORMAS ABNT NOVAS REGRAS

CURSO COMO FAZER MONOGRAFIA PARTE 2 – ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

CURSO COMO FAZER MONOGRAFIA PARTE 3: DOUTRINA E METODOLOGIA

CURSO COMO FAZER MONOGRAFIA PARTE 4: ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

CURSO COMO FAZER MONOGRAFIA PARTE 5: ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

CURSO COMO FAZER MONOGRAFIA PARTE 6: CITAÇÕES E RODAPÉ

CURSO COMO FAZER MONOGRAFIA PARTE 7: EXPRESSÃO, ABREVIATURA

CURSO COMO FAZER MONOGRAFIA PARTE 8: ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

CURSO COMO FAZER MONOGRAFIA PARTE 9: ENCADERNAÇÃO E CDROOM

COMPARTILHAR
Artigo anteriorJOSEF STALIN
Próximo artigoCURSO COMO FAZER MONOGRAFIA PARTE 2 – ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS
Marcelo é um profissional de Informática interessado em Internet, Programação PHP, Banco de Dados SQL Server e MySQL, Bootstrap, Wordpress. Nos tempos livres escreve nos sites trabalhosescolares.net sobre biografias, trabalhos escolares, provas para concursos e trabalhos escolares em geral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here