EDUCAÇÃO E SAÚDE: A INTERDISCIPLINARIDADE COMO DESAFIO

0
2248
DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

ESCOLA NORMAL SUPERIOR
CURSO LICENCIATURA EM PEDAGOGIA
EDUCAÇÃO E SAÚDE: A INTERDISCIPLINARIDADE COMO DESAFIO.
Greice Batista de Farias
Manaus
2009

Introdução

O projeto “Educação e Saúde: a interdisciplinaridade como desafio”, visa despertar o senso crítico de toda comunidade escolar escolhida, esta que possui uma clientela de classe média e particular.
O projeto preocupa-se ainda com a família dos alunos, e através de modificações no hábito das crianças atingir a família mesmo que indiretamente, pois as crianças muitas vezes servem de exemplo em suas casas e em todos ambientes que possuem uma certa relação.
Este projeto terá como público alvo o primeiro ciclo do Ensino Fundamental de uma escola particular, situada à cidade de Manaus, tendo duração de dois meses.
O trabalho da escola e de todo corpo docente é mostrar e exemplificar conceitos para se ter boas condições de vida, baseando-se em hábitos de higiene, a importância da boa alimentação e do saneamento básico, estes exemplificados através de conceitos básicos, distinguindo os benefícios e malefícios quando não os temos.
Em contexto escolar, Educar para a Saúde consiste em fornecer conhecimentos específicos e significativos com a realidade de vida de cada criança e jovem de forma a despertar atitudes e valores que os ajudem a fazer opções e a tomar decisões adequadas à sua saúde e ao tal bem-estar físico, social e mental. A ausência de informação incapacita e/ou dificulta a tomada de decisão. Daí, a importância da abordagem da Educação para a Saúde em meio escolar.
Justificativa
Este projeto é de grande relevância, visto que o tema Educação e Saúde é fundamental para ser trabalhado com crianças e alunos de escolas sejam públicas ou particulares, devido estas estarem em pleno desenvolvimento físico e mental.

Objetivo Geral:

Despertar o interesse dos alunos por conceitos básicos acerca da educação e saúde, aplicados em seus cotidianos.

Objetivos Específicos:

– Identificar práticas para se ter uma boa higiene pessoal e coletiva.
– Analisar de maneira crítica as desvantagens de se ter uma má alimentação.
– Mostrar a importância do saneamento básico em áreas habitadas.

Referencial teórico

Uma boa alimentação desempenha papel decisivo ao processo de maturação biológica porque passam as crianças em seu ciclo de desenvolvimento, em especial pela formação dos hábitos alimentares. Estudos mostram que a correta formação dos hábitos alimentares na infância favorece a saúde permitindo o crescimento e o desenvolvimento normal e prevenindo uma série de doenças crônico degenerativas na idade adulta (GANDRA, 2000).
É válido o conhecimento a respeito das várias concepções de saúde que permeiam o ambiente escolar, advindas dos conceitos elaborados pelos educadores e profissionais que trabalham na escola, como mecanismo de compreensão das ações ali desenvolvidas.
A Educação em Saúde é um campo multifacetado que possibilita a convergência de diversas concepções de áreas da Educação e da Saúde, envolvendo diferentes concepções de mundo e de homem, com distintas posições político-filosóficas, porém com aspecto de imagem unificadora, uma teia de tecituras diversas, com componentes diferentes de cada área, mas que não conseguem ser separadas porque seus objetivos convergem.
Diversos autores com variados enfoques embasam a importância em despertar o interesse dos alunos acerca da saúde, seja no âmbito físico ou mental.
Os primeiros passos na direção de programas de educação em saúde no país, foram dados por Carlos Sá e Cesar Leal Ferreira, que em 1924 criaram no Município de São Gonçalo, no Estado do Rio de Janeiro, o primeiro Pelotão de Saúde em uma escola estadual. No ano seguinte Antonio Carneiro Leão, Diretor de Instrução Pública, mandou adotar o mesmo modelo nas escolas primárias do antigo Distrito Federal. (LEVY, 2009)
O termo saúde está relacionado à qualidade de vida, vinculando-se aos direitos humanos (trabalho, moradia, educação, etc…), sendo a escola o espaço onde se constituirá os cidadãos desses direitos, pela realização de práticas sociais críticas e criativas, construtoras de conhecimentos, relações e ações que fortaleçam a participação das pessoas na busca de vidas mais saudáveis.
A definição de saúde implicações legais, sociais e econômicas dos estados de saúde e doença; sem dúvida, a definição mais difundida é a encontrada no preâmbulo da Constituição da Organização Mundial da Saúde: Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença. (WIKIPEDIA, 2009)
Dessa forma pode-se dizer que a educação e a saúde devem promover, por um lado, o senso de identidade individual, a dignidade e a responsabilidade e, por outro, a solidariedade e a responsabilidade comunitária. Estes que são desejos e expectativas da população por uma vida melhor.
Acredita-se que desenvolvendo a compreensão humana em seu grau máximo, de forma a envolver suas potencialidades e capacidades, alcança-se os objetivos de uma Educação em Saúde que tem como meta o desenvolver de um juízo crítico nos indivíduos e a capacidade de intervir sobre suas vidas e o ambiente, criando condições propícias à saúde.
As concepções que relacionam saúde à regras de higiene e de alimentação, possuem enfoque individualista, enquanto que as ligadas à qualidade de vida, ao cuidado com o meio ambiente visam o encontro de uma perspectiva em prol de cuidados que podem ser adotados em favor do coletivo.
É tendo como norte a conceituação de Educação em Saúde, nem como ciência nem como arte, mas como disciplina de ação e neste espaço, entre as esperanças da população e as políticas de saúde (LEVY, 2009) que se cria a necessidade de se implantar um espaço que se abordem tais questões e esse espaço é a própria escola.

Procedimentos Metodológicos:

O projeto com duração de três meses (setembro e outubro de 2009) destinasse a uma escola particular, tendo como publico alvo crianças da 1ª, 2ª e 3ª série do ensino fundamental, situada na cidade de Manaus/Am, contando ainda com a participação de todas as disciplinas curriculares das séries citadas. As disciplinas envolvidas são as seguintes: Português, Matemática, Ciências Naturais, História, Geografia e Artes. Buscamos através deste projeto uma abordagem interdisciplinar, com aplicabilidade em sub-temas, propondo metodologias didáticas a serem trabalhadas por cada disciplinas das série consecutivas, que seguem em anexo.
O mês de setembro de 2009 foi destinado à realização de sondagem com a finalidade de se verificar toda a estrutura local: comunidade, localização, estrutura física, recursos pedagógicos e didáticos. Os demais meses se destinarão à exposição do projeto, bem como ao ministrar de conteúdos temáticos em sala de aula com aplicação de gincana avaliativa na última semana do mês de novembro.
No mês de outubro haverá uma exposição acerca do projeto para a direção da escola e seus pedagogos, posteriormente após expostas às idéias centrais e discutida a viabilização do mesmo pela direção, será feita uma reunião com todos os professores, mostrando-lhes a proposta e como os mesmos podem contribuir em seu processo de aplicação, visto que a interdisciplinaridade será trabalhada a partir do tema transversal Educação e Saúde, buscando a participação de todos os docentes de todas as disciplinas oferecidas no primeiro ciclo do Ensino Fundamental.
Os conceitos básicos serão trabalhados em aulas expositivas durante todo o mês de novembro, com a utilização de materiais didáticos como: o livro didático e de apoio; confecção de cartazes; desenhos (formas de expressar os conceitos trabalhados); músicas; textos; pesquisa no ambiente escolar e no quarteirão onde se encontra a escola; relatos do cotidiano dos alunos em relação aos hábitos de suas famílias e atividades formuladas pelos professores. Ao final da ultima semana do mês de novembro será aplicada uma gincana para analise do conhecimento adquirido pelos alunos em parceria com professores e a coordenação pedagógica da escola, bem como a confecção de relatório final de conclusão do projeto.

Resultados Esperados:

Ao final do último mês esperando-se ter abordado todos os sub-temas (higiene pessoal, alimentação, saneamento básico), será feita uma gincana com perguntas e respostas, bem como dinâmicas buscando avaliar se os alunos compreenderam a importância de se ter uma boa higiene pessoal, uma alimentação adequada e variada, e condições básicas de saneamento, requisitos básicos para se ter saúde e uma vida com o mínimo de qualidade.
Como o sistema educacional baseia-se em valores numéricos para classificar os alunos, paralelamente os professores podem escolher por fazer trabalhos ou testes. A gincana pode ajudar na aquisição de pontos para todos que participarem e a pontuação deve ser decidida entre todos os professores que atuam nessas turmas do primeiro ciclo.
Os termos educação e saúde aplicadas de forma integrada e interdisciplinar possibilita a disseminação de informações sobre prevenção e promoção à saúde para os diferentes grupos sociais, sendo uma proposta significativa e relevante para à saúde pública por enfatizar-los no desenvolvimento de ações nas escolas e associações.
Os resultados esperados ao término deste projeto visam despertar nos alunos o valor de se ter uma boa alimentação e higiene pessoal, em conjunto com as ações sociais de saneamento básico na redução de doenças e melhores condições de vida, reforçando a importância de ações de educação em saúde vinculadas continuamente a programas desenvolvidos a fim de promover a saúde e a qualidade de vida da população, assim como prevenir seqüelas irreversíveis provocadas pelo não conhecimento de termos ou conceitos básicos sobre a temática, visando também à motivação reflexiva e discursiva da comunidade escolar sobre o significado de saúde e qualidade de vida, sobre as causas e possíveis soluções para os problemas existentes na escola e na comunidade.

Considerações Finais

Através da reflexão sobre as práticas e o ensino de saúde na escola, especificamente no ensino fundamental, buscamos, a partir de análises empíricas e teóricas, apontar possíveis formas de se trabalhar de forma interdisciplinar os vários conceitos mediados a saúde na escolar, como fruto de conscientização e melhoramento dos hábitos cotidianos de alunos, familiares e professores na busca de melhores condições de vida.
Um projeto de Educação em Saúde para ser viabilizado a uma determinada escola deve atender um significado social e humano, tendo que está vinculado e integrado ao projeto político-pedagógico da mesma, levando-se em consideração a saúde como um meio, entre outros, de desenvolvimento do indivíduo como um todo, um recurso que irá contribuir com o sucesso escolar e a integração social.

Anexos:

Sugestões para se trabalhar os temas por disciplina:

Sub-tema 1: Higiene Pessoal.
Duração: 1 semana.
Disciplinas Estratégias
Português
Textos, musicas ou poesias que abordem esta questão.
Matemática
Através da rotina de cada aluno, numerar, somar, por exemplo: quantidade de banhos, lavagens de mãos.
Ciências Naturais
Cuidado com o corpo, praticar na escola hábitos simples, aprendendo a forma correta de lavar-se as mãos, cortes de unhas, escovação dos dentes.
Ciências Sociais
Analisar de forma critica as desvantagens de se estar ao lado de pessoas que não possuem uma boa higiene pessoal e as conseqüências que podem surgir
para o individuo.
Artes
Confecção de caratazes com as figuras de jornais ou revistas, ou mesmo desenhos que exemplifiquem hábitos simples de higiene corporal, para ficarem expostos na escola.

Sub-tema 2: Alimentação
Duração: 1 semana.
Disciplinas Estratégias
Português
Buscar textos simples acerca do tema, se possível buscar musicas, poesias, uma historia clássica que pode ser trabalhada e a historia de João e o pé de feijão, visando mostrar as condições precárias que o mesmo e a sua família viviam
Matemática
Pode-se trabalhar cores e quantidades visando como é importante variar na alimentação.
Ciências Naturais
É possível trabalhar as importâncias nutritivas de cada tipo de alimento, como tipos de carnes, vegetais, frutas , cereais e minerais.
Ciências Sociais
Despertar um olhar diferenciado acerca da fome, comparando as regiões do Brasil, e o Brasil com outros paises.
Artes
Com grãos (feijão, arroz, soja, milho), confeccionar cartazes que podem ser expostos.

Sub-tema 3: Saneamento básico
Duração: 1 semana.
Disciplinas Estratégias
Português
Textos, musicas e poesias se houverem.
Matemática
Pode-se fazer um levantamento acerca da coleta coletiva, verificar a quantidade de lixeiras, bebedouros, banheiros e através de problemas matemáticos, levar os alunos a refletirem quanto as quantidades necessárias, se a escola esta ou não suprindo essas necessidades.
Ciências Naturais
Através de questionários fechados pode-se fazer levantamento da vivencia familiar dos alunos para posteriormente trabalhar-se os conceitos acerca do saneamento básico.
Ciências Sociais
Pode-se fazer um passeio em torno da própria escola (quarteirão) para verificar as condições em que se encontram as redondezas pelas quais passamos todos os dias e não nos importamos mais com o lixo jogado no chão etc.
Artes
Pode-se fazer uma simples peça teatral e apresentar para outra serie similar ou que esteja participando do mesmo projeto.
Obs: estas são sugestões que podem ser utilizadas, melhoradas, ou mesmo modificadas, ficando a cargo do professor, de acordo com a sua didática e suas conveniência.

Referências

GANDRA, Y.R. Assistência alimentar por médio de centros de educação e alimentação do pré-escolar. Bol. Ofic. sanit. panamer., 74:302-14, 200
LEVY, Sylvain Nahum. Educação em saúde. Disponível em: Acesso em: 13 set.2009
SOANE, A.F. CONCEPÇÕES DE SAÚDE E COTIDIANO ESCOLAR – O VIÉS DO SABER E DA PRÁTICA. Disponível em: < http://www.anped.org.br/reunioes/27/gt06/t063.pdf> Acesso em: 20 set.2009
Saúde. Disponível em: Acesso em: 13 set.2009

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here