Efeitos fisiológicos do tocar
Depois de se estudar as pesquisas sobre as respostas humanas e animais ao tocar, fica-se impressionado pela freqüência das ostensivas vantagens em termos de saúde, estado de atenção e responsabilidade exibidas pelos filhotes que foram carregados no colo, em comparação com os que não foram, ou que apenas receberam um mínimo de atenção tátil.

A contundente evidencia que a pele tem a função imunológica vem sendo cada vez mais confirmada por numerosos pesquisadores independentes.

A estimulação tátil tem efeitos profundos sobre o organismo, tanto fisiológicos quanto comportamentais, e isto só se tornou conhecido recentemente.

Uma depressão semelhante na resposta dos linfócitos foi observada num par de macacos, que haviam sido criados juntos, quando, na décima – sétima semana foram separados durante onze dias e depois reunidos; nesse momento, sua resposta de linfócitos voltou ao normal.

Os investigadores concluíram que alguma sutil interação mãe filhote era o fator responsável pela inversão de efeitos negativos presentes em filhotes pré-desmamados, maternalmente privados; suas suspeitas eram que as experiências táteis poderiam ser fatores de primeira ordem nesses efeitos.

Os filhotes privados, experimentalmente não tratados de nenhuma dessas maneiras, foram mantidos num recipiente isolado da mesma incubadora, e não manipulados absolutamente, exceto no começo e no final dos experimentos.

No primeiro experimento, foram comparados os níveis de atividade cerebral, cardíaca e hepática da ODC, após cinco manipulações experimentais diferentes: os filhotes do grupo controle deixados com a mãe por duas horas; os filhotes maternalmente privados por duas horas; e os maternalmente privados eu receberam toques pesados, toques leves e beliscão no rabo.

A atividade hepática da ODC em filhotes tocados também foi significativamente elevada, acima da dos filhotes maternalmente privados e não estimulados, embora a atividade realmente não tivesse voltado ao nível dos filhotes controle da mesma ninhada.

Os dados desses e outros experimentos aportam as evidencias experimentais que já se suspeitava existirem a muito tempo, a saber, que existem diferenças bioquímica significativas entre os seres humanos que se beneficiaram de uma estimulação tátil adequada e os que não se beneficiaram; essa confirmação provavelmente mostrasse-a capaz de aplicação para qualquer período da vida.

Num outro caso típico, uma gêmea fraterna, que tinha severo retardo em seu crescimento desde o seu sétimo ano de vida, começou a se recuperar após entrar numa escola.

Seus rítmos de crescimento físico, psicológico e social foram invertidos a um ponto tal que, com treze anos, ela estava aproximadamente igual ao outro irmão gêmeo em todos os sentidos. É muito claro em cada uma dessas pesquisas que um componente principal da produção de todos esses efeitos negativos sobre a criança era a falta de contato com a mãe.

Pele e sexo

A verdadeira linguagem do sexo é fundamentalmente não verbal.

O ditado francês, segundo o qual a relação sexual é a harmonia de duas almas e o contato de duas epidermes, enfatiza com elegância uma verdade essencial: o maciço envolvimento da pele na reunião sexual.

Varias funções são atendidas por esses dispositivos anatômicos.

Os lábios e os genitais externos são especialmente bem-dotados de terminações nervosas sensoriais ramificadas côncavas e em forma de disco, que entram cada uma delas em contato com uma única célula epitelial aumentada.

Para ambos os sexos, os estímulos com maior poder de incitamento sexual imediato são de natureza tátil.

A estimulação recíproca das pontas dos dedos de duas pessoas sexualmente interessadas uma na outra pode ser instigante do ponto de vista sexual.

Da mesma forma como a pessoa aprende a identificar-se com seu papel sexual, ela também aprende ou não as respostas comportamentais que se apresentam em resultado do condicionamento que se iniciou originalmente através da pele.

O fato de a mãe segurar o filho no colo e aconchega-lo tem um papel muito eficiente e importante no subsequente desenvolvimento sexual da criança.

Contatou-se que, para a maior parte das mulheres, o contato corporal é agradável, mas não indispensável.

A necessidade de contato corporal, como as necessidades orais, pode tornar-se mais intensa durante períodos de estresse.

Conforme expressou uma dessas mulheres, ao descrever seu desejo de ser abraçada, é como uma espécie de dor.

A maioria dessas mulheres associava seu desejo de ter um a abraço à sexualidade adulta, a algo inequivocamente não tivesse a menor indicação de homossexualidade.

O que se observa no intenso anseio dessas mulheres por serem abraçadas e aconchegadas é uma resposta a uma necessidade que foi em grande extensão não resolvida durante os primeiros anos de vida.

Descobriu-se que um desejo forte de ser abraçada ou aconchegada correlacionava-se a uma propensão geral para abertura nas manifestações emocionais.

O desejo nesse casos pode ser então bloqueado ou mesmo negado antes que alcance a consciência.

Os autores concluíram que sua pesquisa demonstra que fatores culturais, bem como os de ordem psicológica, exercem uma influencia profunda sobre o desejo de serem abraçadas.

É significativo que praticamente exista a nível universal uma identificação entre tato e sexo.

Embora a necessidade de ser abraçado possa ser sentida como algo bastante distinto da relação sexual, não obstante é quase sempre um dos principais elementos da necessidade de sexo e, em muitos casos.

Ao ser delicadamente tocada, acariciada, carregada no colo, aconchegada, confortada, e ao receber as verbalizações carinhosas típicas para bebes, a criança aprende a tocar delicadamente, a acariciar, a aconchegar, a confortar e a emitir as mesmas verbalizações e amar os outros.

Seria tolo pretendermos possuir a esse respeito mais conhecimento do que os efetivamente dispomos, pois, embora milhares de monografias, livros e artigos tenham sido escrito a respeito de praticamente todos os aspectos do sexo, o papel das primeiras experiências cutâneas presentes na situação do atendimento prestado pela mãe tem sido amplamente negligenciado.

Diante da continuação do desenvolvimento, a necessidade do tato.

O fato dos machos terem genitais externos proeminentes, pênis escroto e gônadas, torna a manipulação do mesmo pela mãe, pelo próprio bebe, e pelos outros, muito mais convidativa e fácil do que ocorre com as fêmeas.

No mundo ocidental em particular, números incontáveis de pessoas foram criadas segundo a crença de que prazeres sensuais são errados.

No primeiros seis meses de vida, a criança esta aprendendo confiança e desconfiança; as mudanças na seqüência de carregar meninos e meninas no colo pode influir na aprendizagem da confiança desconfiança de um modo tal que interfira e modele os papeis sexuais.

A queixa tantas vezes repetida pelas mulheres sobre o desajeitamento, a rudeza e a incompetência dos homens em suas abordagens sexuais e na própria relação sexual, a respeito da falta de habilidade dos homens durante a fase preparatória e sua incapacidade para compreender o significado da mesma, quase que seguramente reflete de modo substancial a falta de experiências táteis que esses homens devem ter padecido durante a infância.

O paralelo entre as macacas adultas que não tinham tido mãe e os desastres sofridos pelos adultos que maltratam crianças quando eles mesmos passavam pela infância é uma coisa apavorante.

Bater em crianças, seja qual for a intenção, como forma de disciplina ou por outros motivos, torna a pele um órgão de dor ao invés do órgão do prazer.

Velhos sujos dando beliscões no traseiro de mulheres constitui um exemplo de perversão sexual que a sociedade claramente entendeu e considera não de todo destituído de graça.

Pode-se postular como praticamente certo que aconteceu no inicio da vida dessas pessoas uma falta de atendimento materno adequado e principalmente de uma adequada comunicação por meio da pele.

Esses fenômenos, no entanto, não são absolutamente nenhum sentido de evidencia patológicas de perturbações sexuais.

Este estado de alarme é compreensivo numa sociedade que tanto confundiu amor, sexo, afeto e toque.

As zonas eróticas, porém, devem ser evitadas; incluem lábios, mamilos, genitais externos e nádegas.

A estimulação tátil é muito mais significativa para as mulheres que para os homens.

O contato corporal para uma mulher é um ato de grande intimidade e uma concessão de longo alcance.

A carga dupla de criar gêmeos parece permitir menos tempo e energia disponíveis a cada criança em particular, do que resultam efeitos significativos sobre os gêmeos.

A “gemelaridade” afeta as duas crianças adversamente, pois não há nenhum espaçamento entre o nascimento dos filhos.

Bibliografia:

Livro: Tocar significado humano de pele
Autor: Ashey Montagu

COMPARTILHAR
Artigo anteriorHISTORIA DA EDUCAÇÃO
Próximo artigoCONCEITO DE MEMORIA

Marcelo é um profissional de Informática interessado em Internet, Programação PHP, Banco de Dados SQL Server e MySQL, Bootstrap, Wordpress. Nos tempos livres escreve nos sites trabalhosescolares.net sobre biografias, trabalhos escolares, provas para concursos e trabalhos escolares em geral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here