DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

Durkheim tem uma visão muito conservadora da sociedade, foi responsável pela visão da sociologia como ciência, considerando métodos rigorosos para amenizar os problemas sociais.

Tais problemas teriam significado totalmente moral, isto é, os problemas sociais estavam vinculados na moralidade existente em cada individuo, onde a tentativa de destruir tal moral acabaria revelando o surgimento de diversos conflitos.

Sua teoria tem caráter estabilizador, resgatando a moral do individuo perante a sociedade, com isso estaria estabilizando as relações sociais que origina os problemas econômicos e também sociais. Visto com isso, por se ter caráter estabilizador, estaria restabelecendo a ordem na sociedade, colocando um determinado fim nos conflitos e dando um “bem estar” aos integrantes da sociedade.

Na sociedade jamais poderia existir se quer algum conflito ou algo que pudesse favorecer a existência dos tais problemas relacionados com a sociedade, deveria haver uma relação entre membros da sociedade totalmente harmônica.

Na teoria de Durkheim, o capitalismo é uma forma de amenizar o caos nas sociedades. Os diversos trabalhos que eram realizados resultariam em certo tipo de estimulo com a solidariedade.

O capitalismo estaria fazendo um processo crescente de especialização do trabalho, as pessoas seriam “obrigadas” a se especializar em determinado trabalho, podendo assim conseguir uma grande remuneração qualificada e um bom convívio trabalhista. Dessa forma seria mais dificultosa a existência de conflitos, conseqüentemente a sociedade teria um bom desempenho nas relações sociais.

Em sua teoria caberia aos indivíduos essa especialização, é justamente nesse contexto que entra a escola dentro do aspecto capitalista. Tanto escola, como os educadores, até mesmo os profissionalizantes, teriam a responsabilidade de formar e capacitar esses indivíduos para o mercado de trabalho, atribuindo valores morais ao profissional.

A sociedade, para o autor seria totalmente voltada aos fatos sociais, e com isso haveria a existência de problemas sociais e suas conseqüências.

Porém, vale lembrar que esses fatos sociais têm suas descrições diferenciadas, isto é, alega que existe fato social coercitivo, fato social externo e fato social generalizado.

Fatos sociais coercitivo são os que impõem força ao individuo, não se tratando de força física, e sim para a parte mais psícoemocional e psicológica do ser humano, isso tudo perante a sociedade.

Fatos sociais externos, estabelecidos fora o individuam não pendente em momento algum do sujeito para que ele possa ser efetivado.

E fatos generalizados seriam os fatos sociais que exerce influência na grande maioria dos indivíduos, que afeta as instituições sociais podendo chegar a afetar até mesmo a sociedade.

Porém Durkheim no seu estudo relata que o individuo em momento algum é estudado exclusivamente, separado da sociedade.

Então, não haveria fato social no individuo sozinho, excluído.

Como Durkheim analisa a sociedade como biologia, quando ocorre o surgimento de anomalias, problemas sociais, o único remédio para combater essas anomalias é o valor moral, ético.

Essas anomalias só existem quando não há o cumprimento de certas regras, leis, na convivência social.

Portanto os indivíduos estão dentro da moralidade desenvolvendo certos tipos de problemas sociais e esses problemas estão totalmente vinculados a essa moralidade.

A educação de Durkheim visa completamente essa busca de moralidade, o desenvolvimento de métodos que essa ética sempre estaria em vigor. Na sua leitura cabe ao educador representar a sociedade e tem o direito legitimo de suscitar aqueles estudos físicos intelectuais e morais, requeridos pela vida social.

A função da escola dentro da teoria de Durkheim é a reorganização da sociedade e na transmissão de valores morais, e também a escola teria papel auxiliar na transmissão de uma língua, conhecimentos específicos e/ou profissionalizantes.

Porem, a teoria do autor estudado visa também uma função escolar de forma uniformizada e diferenciada, que estaria ressaltando por um lado à integração do individuo e por outro lado, a divisão do trabalho.

Por se tratar de um francês totalmente positivista, a sua leitura engloba totalmente uma harmonia que de certa maneira seria transmitida através da educação transformadora.

Hoje esses métodos de aprendizagem elaborados por ele, são momentaneamente usados, pois nós educadores temos que conservar a moral, autonomia do aluno, e manter uma relação social agradável e sadia.

Deve se passar para os educandos à ordem, o respeito, o cumprimento das regras que são estabelecidas, exemplificar fatos sociais, fazer com que saibam viver em sociedade.

Só que Durkheim em seu contexto, analisa hipóteses e atribui a sua teoria uma “não existência de possibilidades de transformações”, porem pode se avaliar que, a educação feita que maneira coerente pode ser sim transformada ou mesmo amenizada no contexto social.

REFERÊNCIAS

GOMES, Candido Alberto. A educação em novas perspectivas sociológicas. Editora EPU 2005. São Paulo. 4 edição. (a contribuição de Durkheim. p. 16,17).

UNOPAR, Universidade Norte do Paraná. Curso superior de pedagogia. Módulo 1 Editora CDI 2007. Londrina. (a sociologia de Émile Durkheim, 1858-1917. p. 53-59).

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPSICOLOGIA SOCIAL NA AMERICA LATINA
Próximo artigoMODELO DE PROVA DE ADMINISTRAÇÃO DE UNIDADES DE INFORMAÇÃO I
Marcelo é um profissional de Informática interessado em Internet, Programação PHP, Banco de Dados SQL Server e MySQL, Bootstrap, Wordpress. Nos tempos livres escreve nos sites trabalhosescolares.net sobre biografias, trabalhos escolares, provas para concursos e trabalhos escolares em geral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here