DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

Para Karl Mannheim, sociólogo alemão de origem húngara, os contatos e os processos sociais que aproximam ou afastam os indivíduos provocam o surgimento de formas diversas de agrupamentos sociais, de acordo com o estágio integração social.

Procurando trabalho sobre Movimentos Sociais? Clique aqui!
As formas são: os grupos sociais e os agregados sociais.

Nos grupos sociais existem normas, hábitos e costumes próprios, divisão de funções e posições sociais definidas.

Grupo Social

Forma básica da associação humana: agregado social que tem uma entidade e vida própria, e se considera como um todo, com as suas tradições morais e materiais.
A reunião de duas ou mais pessoas, associadas pela interação, e, por isso, capazes de ação conjunta, visando atingir um objetivo comum.
Principais grupos sociais nos quais o homem participa ao longo de sua vida:

Grupo familial – família;
Grupo vicinal – vizinhança;
Grupo educativo – escola;
Grupo religioso – Igreja;
Grupo de lazer – clube, associação;
Grupo profissional – empresa;
Grupo político – Estado, partidos políticos.

Principais características de um grupo social:

Pluralidade de indivíduos – há sempre mais de um indivíduo no grupo;
Interação social ou relações recíprocas – dentro do grupo, os indivíduos comunicam-se uns com os outros;
Organização – Em todo grupo, para funcionar bem, é necessário uma certa ordem interna;
Objetividade e exterioridade – Os grupos sociais são superiores e exteriores ao indivíduo, para ficar mais claro podemos exemplificar da seguinte forma: quando uma pessoa entra no grupo, ele já existe, e quando ela sai, ele continua a existir;
Conteúdo intencional ou objetivo comum – O grupo surge em torno de certos princípios ou valores, para atingir um objetivo de todo o grupo. Podemos dizer que um grupo geralmente se divide quando ocorre um conflito de valores;
Consciência grupal ou sentimento de “nós” – são maneiras de pensar, sentir e agir próprias do grupo. Existe um sentimento mais ou menos forte de compartilhar uma série de ideais, pensamentos, modos de agir. A exemplo temos a reação de um torcedor quando o seu time vence, ele costuma falar: “Nós ganhamos!”;
Continuidade – É necessário que elas tenham uma certa passageira, não sejam interações passageiras que não formam grupos sociais organizados como veremos mais à frente. Porém existem grupos de duração efêmera, que aparecem e desaparecem com facilidade, exemplificando temos o mutirão.
Classificação dos grupos sociais com base na classificação dos contatos sociais:

Grupos primários – são aqueles em que predominam os contatos primários, ou seja, contatos mais pessoais e diretos. A exemplo podemos citar a família, os vizinhos, etc.;
Grupos secundários – são os grupos sociais mais complexos, a exemplo Igreja, Estado, em que predominam os contatos secundários. Realizam-se de maneira pessoal e direta porém sem intimidade, ou de maneira indireta, utilizando-se de meios de comunicação;
Grupos intermediários – são aqueles em que se alternam e se complementam as duas formas de contatos sociais.
Um exemplo é o que vemos na nossa própria faculdade.

Agregado social

É a reunião de pessoas frouxamente aglomeradas mas que mantêm entre si um mínimo de comunicação e de relações sociais.

Multidão

Principais características da multidão:

falta de organização – apesar de poder ter um líder, a multidão não possui um conjunto próprio de normas, e seus membros não ocupam posições definidas no agregado;
anonimato – os componentes da multidão são anônimos, pois, ao se integrarem à multidão, seu nome, sua profissão, sua posição social, etc. não são levados em consideração, não tem a mínima importância;
objetivos comuns – assim como um grupo social, a multidão se reúne em torno de interesses, emoções e atos que tem o mesmo sentido;
indiferenciação – não há espaço para as diferenças individuais se manifestarem, o que torna iguais os membros da multidão. Esta é uma visão Sociológica, porém podemos constatar que em algumas multidões a exemplo do carnaval as diferenças aparecem a partir da segmentação entre foliões do bloco, cordeiros e pipocas.
proximidade física – os componentes da multidão ficam próximos uns dos outros, mantendo contato direto e temporário.

Público

Agrupamento de pessoas que seguem os mesmos estímulos.
É espontâneo, amorfo, não se baseia no contato físico, mas na comunicação recebida através dos diversos meios de comunicação.
As instituições de autoridade não têm penetração:
o público é, portanto, mais ou menos autônomo em suas ações.
Massa

Em suma, a “massa” é formada por indivíduos que recebem, de maneira mais ou menos passiva, opiniões formadas, que são veiculadas pelos meios de comunicação de massa. Consiste num agrupamento relativamente grande de pessoas, separadas e desconhecidas umas das outras.
As autoridades controlam e fiscalizam os canais por meio dos quais a opinião se transforma em ação.
Os agentes institucionais têm maior penetração; a massa, portanto, não tem autonomia, sendo reduzida a formação da opinião independente através da discussão.

Mecanismos de sustentação dos grupos sociais:

Liderança

Ação exercida por um líder, aquele que dirige o grupo, desempenha o papel de integrador entre seus membros, e consegue transmitir-lhes idéias e valores.

Tipos de liderança:

Liderança institucional – deriva da autoridade que uma pessoa tem em virtude da posição social ou cargo que ocupa. Temos como exemplo: um gerente de uma fábrica, o pai de família, etc.;
Liderança pessoal – é aquela que se origina das qualidades pessoais do líder (inteligência, prestígio social e moral, poder de comunicação, atitudes, encanto pessoal). É entre os líderes pessoais que geralmente surgem os líderes carismáticos. Como exemplo podemos lembrar de: Antônio Conselheiro, Padre Cícero, Mao Tse-tung, Evita Perón, etc..

Normas e Sanções sociais

Toda sociedade e todo grupo social têm uma série de regras de conduta, que orientam e controlam o comportamento das pessoas. Essas regras de ação são chamadas normas sociais.

A toda norma social corresponde uma sanção social.

A sanção social é uma recompensa ou uma punição que o grupo ou a sociedade atribuem ao indivíduo, em função de seu comportamento social.

A sanção social pode ser:

Aprovativa – quando vem sob a forma de aceitação (aplausos, honras, promoções). Quando a pessoa corresponde à expectativa da sociedade, esta a gratifica e recompensa;

Reprovativa – corresponde a uma punição imposta ao indivíduo que desobedece a alguma norma social. Podemos citar como sanção reprovativa o insulto, a zombaria e a vaia, até a perda de bens, a prisão e a pena de morte;

Valores Sociais

A sociedade delimita o que é bom e o que é ruim, o que é bonito e o que é feio, o que certo e o que é errado. Ou seja, na vida em sociedade, as idéias, opiniões, fatos, objetos, não são avaliados isoladamente, mas dentro de um contexto social que lhes atribui um significado, um valor e uma qualidade determinados.

Os valores sociais variam no espaço e no tempo, em função de cada época, cada geração, cada sociedade.

Símbolos

É algo cujo valor ou significado é atribuído pelas pessoas que o utilizam. Qualquer coisa pode se tornar um símbolo.

Os símbolos são convenções. Ou seja, cada sociedade ou grupo social pode utilizar-se de formas diferentes para exprimir o mesmo significado. A linguagem é um conjunto de símbolos. Basta lembrar que palavras diferentes em diferentes línguas representam o mesmo significado. A linguagem é a mais importante forma de expressão simbólica. Pois ela possibilita a organização social humana.

Podemos dizer que todo comportamento humano é simbólico e todo comportamento simbólico é humano. Sem os símbolos não haveria cultura.

Sistema de status e papéis

A posição ocupada pelo indivíduo no grupo social denomina-se status social.

O status social implica direitos, deveres, prestígio e até privilégios, conforme o valor social conferido a cada posição. Logo, os diretores de uma grande empresa terão certas regalias, deveres e responsabilidades que as pessoas com posição inferior na empresa não terão.

Numa sociedade, o indivíduo ocupa tantos “status” quantos são os grupos sociais a que pertence. Ou seja, uma pessoa que é chefe de família, ocupa o cargo de gerente de vendas de uma empresa e é sócio de um clube. Terá um status no grupo familial, um status ocupacional e um status no grupo de recreação.

O status pode ser classificado em:

Status atribuído – é o que não é escolhido voluntariamente pelo indivíduo e não depende de suas ações ou qualidades. Por exemplo, o status de “irmão caçula”. Os principais fatores atribuidores de status são: idade, sexo, raça, laços de parentesco, classe social, etc.;
Status adquirido – é obtido em função das qualidades pessoais do indivíduo, de sua capacidade e habilidade. É o status que uma pessoa obtém ao longo de sua vida decorrente de suas vitórias conseguidas pelas suas habilidades pessoais.
Nas sociedades modernas predomina o status adquirido. O status atribuído era quase exclusivo da Europa durante a Idade Média e da Índia tradicional.

Geralmente, as pessoas lutam por um status mais elevado do que aquele que já possuem. Daí a insistência com que se procura um “melhor lugar ao sol”.

O papel social

Papéis sociais são os comportamentos que o grupo social espera de qualquer pessoa que ocupe determinado status social. Corresponde mais precisamente às tarefas, às obrigações inerentes ao status.

Status e papel são coisas inseparáveis e só os distinguimos para fins de estudo. Não há status que não corresponda a um papel social e
vice-versa.

A sociedade possui meios para punir os indivíduos que não cumprem seu papel.

Estrutura e organização social

Estrutura social é esse conjunto ordenado de partes encadeadas que formam um todo. De outro modo, é a totalidade do status existente num determinado grupo social ou numa sociedade.

O conjunto de todas as ações que são realizadas quando os membros de um grupo desempenham seus papéis sociais compõem a organização social.

Enquanto a estrutura social dá idéia de algo estático, que simplesmente existe, a organização social dá idéia de uma coisa dinâmica, que acontece.

A estrutura social se refere a um grupo de partes, enquanto a organização social se refere às relações que se estabelecem entre essas partes.

Quanto mais complexa a sociedade, maior e mais complexa sua estrutura e sua organização social.

Tanto a estrutura quanto a organização passam com freqüência por um processo de mudança social.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorA REFORMA PROTESTANTE
Próximo artigoTRABALHO INFANTIL

Marcelo é um profissional de Informática interessado em Internet, Programação PHP, Banco de Dados SQL Server e MySQL, Bootstrap, Wordpress. Nos tempos livres escreve nos sites trabalhosescolares.net sobre biografias, trabalhos escolares, provas para concursos e trabalhos escolares em geral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here