História do Cinema e Comparação de Gêneros

0
1472
DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

Autoria: Ana Cristina

História do Cinema e Comparação de Gêneros

Citação 1

E agora, escolha uma sala de cinema boa com preço justo. Sugiro que escolha uma poltrona no meio e se ajeite, haá!.. Não se esqueça de comprar: as pipocas, refrigerantes, etc. lembramos para desligar telemoveis, peges, etc. Em caso de emergência, este cinema esta equipado com duas saídas de emergência a direita e 2 extintores. Depois de verificar tudo, e hora de fazer silencio, pois o filme: “Cinema 1”, vai começar agora. Tenha um bom filme.

UM POUCO DA CRIAÇÃO DO CINEMA

Paris( Franca), 8 de outubro de 1895, parecia ser mais um dia normal, como tantos outros, mas na altura do numero 14 do ” Boulevard des Capucines”, um simples cartaz fixado na entrada do “Grand Café”, despertava a atenção de algumas pessoas que estavam passando na rua. Mas por que um simples cartaz, despertou essa curiosidade? Acontece, que aquilo não era um simples cartaz, naquele momento as pessoas estavam presenciando, um marco histórico.

” Cinematographe Lumiere”, essa era a palavra que estava escrita no cartaz, com letras grandes e coloridas. Era essa palavra que chamava a atenção das pessoas. Afinal era um novo vocabulário. Um curioso perguntou, para outra pessoa:

– O que esta acontecendo aqui?

– Dizem que vai haver, uma exibição de imagens em movimento!- Respondeu a outra pessoa.

– Imagens em movimento? Como é possível?

– Não faço a menor idéia. Olhe o guardião do café, ele esta nos chamando para entrar, vamos lá?

– Vamos. Quero ver, que historia é essa!

As duas pessoas, junto com outras entraram, no “Grand Café”. Um clima de surpresa atiçava as pessoas. O guardião do café os guiou até um grande salão, que se encontrava no subsolo. Nesse salão, havia aproximadamente 33 cadeira enfileiradas, diante de uma pequena tela de projeção, e ao fundo se encontrava a primeira câmera de cinema.

Com as luzes ainda acesas, as pessoas vão se acomodando nas cadeiras. Algum tempo depois, as luzes da sala se apagam. O publico emocionado, prende a respiração, um barulho de engrenagens que começa a funcionar, vem da câmera de cinema. Uma nuvem de luzes branca se espalham pelo local, em direção a tela de projeção.

Do nada começam a brotar na tela, uma imagem de uma locomotiva a vapor em movimento, que corre em direção a platéia. A platéia fica com os olhos pregados na tela, não conseguindo acreditar direito, no que estava acontecendo.

Essa platéia, estava presenciando, os primeiros passos do cinema.

Os filmes dos irmãos Lumiere, eram curtos e mostravam o cotidiano da cidade,e não havia enredo. Simplesmente eles filmavam, o que de mais natural acontecia.

UMA BREVE DO CINEMA NO BRASIL.

Em 1896, apenas sete meses depois da histórica exibição dos filmes dos irmãos Lumière em Paris, realiza-se no Rio de Janeiro a primeira sessão de cinema no país. Um ano depois, Paschoal Segreto e José Roberto Cunha Salles inauguram, na rua do Ouvidor, uma sala permanente.

Em 1898, Afonso Segreto roda o primeiro filme brasileiro: algumas cenas da Baía de Guanabara. Em seguida, são realizados pequenos filmes sobre o cotidiano carioca e filmagens de pontos importantes da cidade, como o Largo do Machado e a Igreja da Candelária, no estilo dos documentários franceses do início do século. Outras exibições e aparelhos de vários tipos, como os animatógraphos, cineógrafos e vitascópios, surgiram em outras cidades, além do Rio, como São Paulo, Salvador, Fortaleza.

Durante os primeiros dez anos, o cinema brasileiro enfrentou grandes problemas para realizar a exibição de fitas estrangeiras e a fabricação artesanal de filmes, devido à precariedade no fornecimento de energia elétrica no Rio de Janeiro. A partir de 1907, com a inauguração da usina hidrelétrica de Ribeirão das Lages, o mercado cinematográfico floresceu. Cerca de uma dezena de salas de exibição foram abertas no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Citação 2

GÊNEROS DO CINEMA

DOCUMENTÁRIO

O objetivo do filme documental é ser o reflexo mais ou menos fiel da vida real. Seus pioneiros foram os irmãos Lumière, com suas tomadas da vida cotidiana, e Charles Pathé, com noticiários.

O filme não-ficcional inclui o documentário propriamente dito, o filme factual, o de viagens, o educativo, de treinamento ou didático; os cinejornais ou noticiários em desuso desde o aparecimento dos telejornais e, para alguns, os desenhos animados.

Este foi o primeiro gênero do cinema.

ÉPICOS E AVENTURAS

O filme épico e de aventuras, revela um mundo heróico de conflitos e combates, de grandes cenários, nos quais predomina a ação. Os pioneiros do filme épico foram os italianos, no cinema mudo, que louvaram o passado de seu país, e os soviéticos lhe deram um impulso épico com temas revolucionários.

FILMES DE GUERRA

Em tom patriótico ou crítico, os filmes de guerra apelam à violência como espetáculo. As duas guerras mundiais inspiraram muitas produções, das quais são importantes The Big Parade (1925; O grande desfile). A guerra do Vietnam também inspirou bons filmes nos E.U.A.

FILMES DE TERROR

A fantasia e o medo, despertos por personagens monstruosos ou sobrenaturais, como fantasmas, bruxas, demônios e vampiros, são os sentimentos que apelam os filmes de terror. Foi o modelo perfeito que se tornou um clássico dos filmes feitos em Hollywood na década de 1930. O gênero se tornou mais descritivo e violento e alcançou o auge com séries seguidas de monstros ressuscitados dos cemitérios.

FICÇÃO CIENTÍFICA

As viagens interplanetárias, as experiências nucleares e as especulações sobre mundos futuros são os temas da ficção científica, gênero próximo ao terror e ao bélico. O maior nome no gênero é o americano Steven Spielberg (E.T., Contatos Imediatos em Terceiro Grau).

FILMES MUSICAIS

Chama-se musical o filme em que as seqüências cantadas ou dançadas predominam. Nasceu com o cinema sonoro e se firmou nos Estados Unidos, com imitações em vários países, segundo o modelo dos espetáculos da Broadway.

FILMES COMÉDIA

Baseia-se a comédia no enredo e nas situações bem-humoradas e visa, sobretudo ao riso. A mímica, que predominou no filme silencioso, cedeu lugar às piadas de duplo sentido que depois consagraram os Irmãos Marx, Stan Laurel e Oliver Hardy (“O Gordo e o Magro).

FILMES POLÍTICOS

A temática política explícita tem sido tratada com freqüência pelo cinema contemporâneo. Foram muitos os especialistas nesse tipo de abordagem, tanto no documentário quanto na dramatização de episódios autênticos. Nas primeiras décadas da história do cinema, seus principais cultores foram os soviéticos, especialmente Eisenstein, autor de O encouraçado Potemkim e Strachka.

FILMES POLICIAIS E DE GANGSTERISMO

Os argumentos tradicionais do gênero policial envolvem crimes e criminosos, policiais e detetives particulares, gângsteres e ladrões. O tema preferido tem sido o do submundo onde campeia a miséria econômica e moral. O diretor mais célebre desse tipo de filmes foi Alfred Hitchcock, que usou o suspense para criar atmosferas de tensão e medo.

MELODRAMA

Centrado nas paixões humanas, o melodrama realça o trágico e o dramático e desenvolve conflitos individuais. Nele sobressaíram W. F. Murnau, com Sunrise (1926).

FILMES DE PROPRAGANDA

Os filmes de propaganda divulgam idéias sociais e políticas em defesa de determinada ideologia. Os primeiros a usá-los foram os soviéticos.

FILMES DE ANIMAÇÃO

Os precursores do desenho animado foram os franceses Émile Reynaud e Émile Cohl. O maior impulso veio de Walt Disney e seus seguidores nos Estados Unidos.

GÊNERO: COMÉDIA.

Imagine o cinema só com o Gordo, sem o seu companheiro Magro!

O cinema seria a mesma Coisa?

Segundo o dicionário Aurélio, a palavra comédia pode significar:

Obra ou representação teatral em que predominam a sátira e a graça.
A arte do teatro; teatro drama.
Fato ridículo
Fingimento, dissimulação, simulação.
A comedia tornou-se um gênero clássico graças a contribuição de atores magistrais, e alcançou altíssimos níveis poéticos e interpretativos.

Esse gênero de filme é o preferido de muitas pessoas, pois você há um maior entretenimento.

Umas das subdivisões, para o gênero Comédia, são: Comédia Requintada e a Comédia Besteirol.

Comédia Requintada: É todo o filme, que usa a comédia para fazer criticas sócias, econômicas e comportamentos da sociedade. Esse tipo de comédia, abre a cabeça de muitos seres humanos, e tem a preocupação de passar uma mensagem muito importante. Exemplos de filmes: Tempos modernos, Auto da comparecida, etc

Comédia Besteirol: É todo o filme, que só tem a intenção de nos entreter, sem se preocupar com: o cotidiano, com o mundo, etc. Estes filmes, alienam bastante as pessoas. A mensagem que estes filmes passam é: ” fique tranqüilo. Continue sentado na poltrona comendo pipoca, afinal pra que filosofar sobre o mundo? Pois tudo é bonitinho e uma gracinha”.

FILMES DE COMÉDIA REQUINTADA.

Aqui, iremos analisar separadamente dois filmes( 1 Nacional e 1 Internacional) de Comédia Requintada, depois vamos fazer uma comparação entre eles.

” Tempos modernos”( 1936-CHARLES CHAPLIN) )

Na sala do 2º ano do ensino médio, de um determinado colégio de São Paulo. Eram 11h da manha. e estava acontecendo a aula de História. O Prof: João, passou para os alunos o seguinte dever: cada aluno , tinha que escolher um filme de comédia requintada, e analisá-lo. Antonio, que era um aluno esperto, foi logo escolhendo o filme: ” Tempos Modernos” de Charles Chaplin.

O sinal da saída tocou, Antonio logo arrumou a sua mochila, e estava louco para começar a fazer o trabalho. Entretanto, depois já em casa, se lembrou que nada sabia daquele filme, ele soube desse filme, através de um amigo. Desesperado, Antonio começa a procurar informações, sobre este filme. Mas a única coisa que achou, foi um pequeno texto que falava sobre Charles Chaplin:

Citação 3

Indignado com a pouca informação, Antonio resolve sair a rua para pesquisar. Guarda consigo o pequeno texto num lugar fácil de achar. E pega o seu gravador, e finalmente sai para a rua. O tempo está aberto e bonito, porém não esta nada bonito para Antonio que não sabe para onde vai.

Logo, se lembra de um professor de história, que dava aulas em um cursinho, e mora perto dali. Antonio começa a caminhar, em direção à casa do professor. E já tem uma pergunta pronta.

Alguns minutos depois, já se encontra, na porta da casa do professor. Uma casa praticamente térrea, construída toda em madeira e com um pequeno jardim . Antonio, com a mão tremula, consegue tocar a campainha, o sim da campainha ecoou por toda a casa. durante os segundos seguintes houve um silencio no interior da casa, quando se ouve passos vindo em direção a porta. Antonio é atendido gentilmente pelo Professor Jorge. Depois de Antonio ter explicado a razão pela qual, ele se encontra ali. O Professor Gentilmente aceitou em ajuda-lo, tanto que o convidou para entrar, e tomar um delicioso café com biscoitos.

Algum tempo depois, já dentro da casa do professor. Antonio estava sentado confortavelmente numa poltrona da sala de estar, o Professor havia ido até a cozinha. Pouco tempo depois, o Professor aparece na sala trazendo uma bandeja de cafés com biscoitos, logo que pos a bandeja numa mesinha pequena, ele se sentou numa outra poltrona, perto de Antonio.

– Qual é a primeira pergunta, que você tem para me fazer meu jovem?- O Professor perguntou, enquanto pegava a xícara de café, e tomava um gole.

– Bem…, Tempos Modernos, é considerado uma obra-prima na historia do cinema. Eu gostaria de saber qual a critica, que esse filme faz?- Perguntou apressado

– Uma pergunta interessante meu jovem. O filme usa o humor, para criticar a indústria capitalista que esmaga a personalidade das pessoas, tornando-as assim um boneco de fácil manipulação, que só vive em função da alta burguesia e das máquinas industriais. As técnicas industriais, criticadas nesse filme são: o Taylorismo e o Fordismo.- Respondeu calmamente, no momento em que comia um biscoto.

– Em que se baseiam o Taylorismo e o Fordismo ?

– Deixa eu ver como, eu vou te responder……. essa não é a minha área específica….. mas tentarei te ajudar !

Taylorismo é o estudo de tempos e movimentos dos operários e das máquinas na linha de produção, esse estudo visava aumentar a eficiência do trabalho.

Fordismo, É o seguinte: Essa é a técnica da produção em série, aonde cada operário deve ser altamente especializado, cabendo-lhe uma única e especifica tarefa.

– E como são mostradas essas criticas?

-Olha se prepare, vou falar bastante. Charles Charplim, usa a mímica, para passar a mensagem, Praticamente ele não fala nada, em: ” Tempos Modernos”. No início do filme, é exibido uma boiada e, logo após, os empregados entrando na fábrica, e isso demonstra a massificação do homem no advento da era industrial. A massificação também é mostrada através dos movimentos repetitivos da linha de montagem, a ponto de adquirir “tiques” nervosos pelos movimentos. A linha de montagem, cada vez mais veloz, faz Carlitos ser tragado pelas engrenagens. Carlitos acaba ficando louco, achando que tem que apertar, tudo o que se parece com parafuso.Carlitos perde o emprego, e é internado, por provocar um caos na fábrica.

-Curado da crise de nervos e desempregado, ele deixa o hospital para começar nova vida. Por acaso, quando esta caminhando na rua, uma bandeira sinalizadora cai de um caminhão. Na tentativa de devolvê-la, vê-se envolvido em uma passeata de empregados em greve. Estando à frente com a bandeira, sem saber do que vinha atrás, é preso como líder. E ele estava totalmente alheio. Esta também é uma crítica de como as pessoas são envolvidas em acontecimentos, sem sequer darem conta disto. É preso como comunista, uma vítima inocente, e vai para cumprir pena na prisão. Chaplin vale-se também do personagem para expressar a perseguição de que era alvo, sem razão.

-Na Cadeia, acaba recebendo uma cela especial, cheia de regalias. E ouve a notícia, por rádio, de que seria solto o preso número 7, Era ele. Mas não queria ser retirado da cadeia.

-Era feliz lá. Não obstante, sai levando consigo uma carta de recomendação, que virá a ser útil em várias ocasiões.

-As fábricas reabrem, ele é mister consertar os equipamentos, então é contratado. Na cena em que o colega fica preso nas engrenagens, e que a sineta indica a hora do almoço, há a crítica ao empregado comum que, não importa o que tenha que ser feito, por mais urgente que seja é sagrado o intervalo de sua alimentação. Há também uma crítica às greves. Nem bem os empregados voltam ao emprego, há greves deflagradas. Aliás, tema que se reveste da maior atualidade. Já antes da volta à fábrica, conheceu a moça por quem iria se apaixonar e tentar a felicidade. Um relacionamento cheio de fantasias, que retrata o mecanismo utilizado pelos sonhadores para enfrentar as adversidades da vida com alegria. O fundo musical, “Sorri”, empresta uma beleza enternecedora às cenas que compartilham.

-Em tese as críticas à industrialização, às trapalhadas policiais, a massificação do homem, em “Tempos Modernos” Chaplin nos deixa a fé de que a felicidade é possível, seja vivendo a realidade, seja vivendo o imaginário. Então é isso.

Antonio, não tem mais nenhuma pergunta, agradece o professor e vai para casa. Em casa faz o texto sobre o filme, se lembrando no que o professor falou.

No dia seguinte na escola, Antonio apresenta o trabalho para o Professor João. Que fica maravilhado com o trabalho, e lhe da um dez. Antonio fica contente, pois além da nota que ganhou, ganhou também conhecimentos sobre o mundo em que vivemos.

Auto da compadecida- (Guel Arraes).

O filme, de Guel Arraes, adaptado da obra de Ariano Suassuna, foi o primeiro longa metragem produzido pela Rede Globo.

O Auto da Compadecida se ambienta no vilarejo de Taperoá, no sertão da Paraíba, onde dois nordestinos chamados: João Grilo e Chicó, andam pelas ruas anunciando um o filme. A sessão é um sucesso, eles conseguem alguns trocados, mas a luta pela sobrevivência continua. Em busca de um novo emprego, João Grilo e Chicó acabam arrumando serviço na padaria e, dão a volta na sovinice do padeiro. O emprego apresenta ainda outros desafios.

Dora a mulher do patrão, trata muito melhor a sua cachorrinha do os dois empregados. Além disso, é a maior namoradeira de Taperoá. Um casal formado por um sovina e uma mulher infiel são um prato cheio para as artimanhas da dupla faminta.

Quando a cachorrinha de Dora morre, João Grilo tenta cair nas boas graças da patroa, e promete um enterro abençoado pelo Padre. Para convencê-lo a realizar a cerimônia, com a missa em latim, João Grilo inventa um testamento da cachorra, engana o padre e o bispo e ainda cria um confronto entre o manda-chuva da cidade, o major Antonio Moraes e a Igreja. Novos desafios vão surgindo, provocando mais confusões armadas pela esperteza de João Grilo, sempre em parceria com Chicó.

A chegada da bela Rosinha filha de Antonio Moraes, desperta a paixão de Chicó, e ciúmes do cabo Setenta, Os planos da dupla, que envolvem o casamento entre Chicó e Rosinha e a posse de uma porca de barro recheada de dinheiro, são interrompidos pela chegada do cangaceiro Severino que mata o padeiro e sua mulher, e também o padre e o bispo.

Todos os mortos reencontram-se no Juízo Final, onde serão julgados no Tribunal das Almas por um Jesus negro e também pelo diabo. O destino de cada um deles – o céu ou o inferno – será decidido pela aparição de Nossa Senhora, a Compadecida.

O filme retrata de forma humorística, o problema do sertanejo, que corre atrás da sobrevivência. A imaginação do povo, também é retratada de forma cômica. Também mostra como surgem os cangaceiros.

O Auto da Compadecida, é uma das grandes comédias já feitas no cinema.

FILMES DE COMEDIA BESTEIROL.

Aqui iremos, apresentar dois filmes de Comédia Besteirol ( 1 Nacional e 1 Internacional). Depois iremos fazer uma comparação entre eles. Iremos apresentar, uma pequena sinopse do filme, e a analise dos mesmos

AMERICAN PIE- A PRIMEIRA VEZ É INESQUECIVEL.

Um deles é American Pie, conhecido internacionalmente e que já teve duas continuações. O filme gira em torno de quatro amigos que resolvem fazer de tudo para perder a virgindade antes que o baile de formatura aconteça: enquanto um deles decide entrar para um coral a fim de bancar o ‘sentimental’ com as garotas que ainda não conhecem sua fama, outro se empenha em provar para a namorada que é digno de ir para a cama com ela.

Já o terceiro amigo arruma uma maneira de espalhar para todo o colégio o boato de que é ‘extremamente bem-dotado’, enquanto o quarto rapaz… bem… resolve descobrir a sensação do sexo através do auxílio de uma apetitosa… torta de maçã.

Por mais boba ou besta que essa história possa parecer, ela é algo por que todos nós passamos na vida fazendo com que nos enxerguemos nos personagens que se metem nas maiores enrascadas, levando o público à loucura.

Os NoRmAiS

O filme conta a historia de: Vani e Rui que estão prestes a se casar. Ela com Sérgio em uma cerimônia às 18h e ele com Marta às 20h. Os dois casamentos estão marcados na mesma igreja. É na sacristia que Rui e Vani se encontram e conversam pela primeira vez.

Como Vani esqueceu o arroz para comemorar o enlace, ela pede emprestado a Rui. Mas Martha, a noiva de Rui, se recusa a ceder o arroz. Vani fica furiosa. Depois do casamento, uma coincidência: os casais são vizinhos! Ao chegar no novo apartamento, Vani descobre que foi traída por Sérgio numa despedida de solteiro. Revoltada, ela vai para a rua, disposta a tudo. E dá de cara com Rui e Martha.

A noiva traída pede ajuda aos recém-casados. Primeiro, para telefonar. E depois para várias outras coisas. E, no meio da confusão que se segue, é Rui que fica sabendo quem é era a verdadeira Martha. Algumas horas depois, Rui e Vani voltam à igreja e, diante do padre, pedem a anulação dos casamentos. O padre se recusa. E eles buscam soluções que são absolutamente românticas, mas nada normais.

O filme, usa a comédia para, mostrar os problemas amoroso e de sexo, que os adultos normalmente tem.

AMRICAN PIE X OS NORMAIS

O gênero comédia nos últimos anos vem tomando um rumo extremamente comercial que aposta em apresentar situações extremamente embaraçosas e inusitadas fazendo com que os protagonistas levem a platéia à gargalhada inevitável.

Geralmente essas situações são baseadas em acontecimentos do cotidiano das pessoas, fazendo com que nos identifiquemos com o que vemos na tela. É comum você comentar ou escutar alguém comentando “Nossa, isso já aconteceu comigo antes…” quando você está assistindo a esse tipo de comédia. Essa interação entre público e personagem é o ponto mais forte desse crescente tipo comercial de comédia moderna que vem sido denominada como Besteirol afinal grande parte das situações acima mencionadas apelam de uma forma sutil para cenas um pouco picantes, personalidades extremamente caricaturadas, e o exagero elevado ao quadrado. Tudo isso é considerado um monte de besteiras para alguns mas esse conjunto de besteiras atrai um público extraordinário afinal não é necessário formação cultural alguma para aproveitar as piadas do filme.

Mais um trabalho, está se encerrando. Muitas coisas nós compreendemos neste trabalho sobre o cinema, mas algumas reflexões, surgiram na nossa mente. Convido você para refletir, sobre estas perguntas:

Citação 4

2) Os filmes do cinema e teve nos estimulam a refletir criticamente sobre o mundo? Ou essa não e função do cinema?

3) Os filmes levam a aceitação passiva da realidade, ou são apenas uma saudável forma de lazer?

CITAÇÕES

CITAÇÃO 1: Schmidt, Mario- Nova Historia critica moderna e contemporânea 2 Grau- 1996-Ed. Nova geração( Pág: 230)- São Paulo.

CITAÇÃO 2: O Estado de São Paulo, Jornal- Revista Semanal da lição de casa- 1999- Ed. Klick( Volume 30, Pág: 24)- São Paulo.

CITAÇÃO 3: O Estado de São Paulo, Jornal- Revista Semanal da lição de casa- 1999- Ed. Klick( Volume 30, Pág: 24)- São Paulo.

CITAÇÃO 4: Schmidt, Mario- Nova Historia critica 8 Serie-1999- Ed. Nova Geração( Pág: 35)- São Paulo.

CITAÇÃO 5: Schmidt, Mario- Nova Historia critica 8 Serie-1999- Ed. Nova Geração( Pág: 171)- São Paulo.

CRÉDITOS DAS IMAGENS

As imagens desse trabalho, foram copiadas:

Banco de imagens dos sites:

www.uol.com.br, www.altavista.com.br, www.bigbusca.com.br, www.sapo.pt.

Livros:

– Schmidt, Mario- Nova Historia critica 8 Serie-1999- Ed. Nova Geração-São Paulo.

– Barbosa Souza, Jesus- Literatura, Produção de textos e gramática- 2000- Ed. Saraiva- São Paulo.

Outros:

– Clip-Art do Microsolft Word.

BIBLIOGRAFIA

O Estado de São Paulo, Jornal- Revista Semanal da lição de casa- 1999- Ed. Klick- São Paulo.

Livro LTDA, Circulo do- Enciclopédia Ilustrada de Pesquisa Conhecer 2000-1994- Ed. Nova Cultural( Volume 13- Artes)- São Paulo.

Roberto Moraes, Paulo- Geografia geral e do Brasil 2 Edição- 2003- Ed. Harbra- São Paulo.

Duarte, Marcelo- O guia dos curiosos- 1996- Ed. Cia. das letras- São Paulo.

São Paulo, Jornal Folha de- Nova Enciclopédia Ilustrada Folha- 1996- Volume 1 – São Paulo.

Grande Enciclopédia Larousse Cultural- 1998- Ed. Nova Cultural- São Paulo.

SITE: http://www.webcine.com.br/historia1.htm

SITE: http://www.adorocinemabrasileiro.com.br/filmes/normais/normais.asp

SITE: http://adorocinemabrasileiro.com.br/filmes/auto-da-compadecida/auto-da-compadecida.asp

SITE: http://www.spacovideo.com.br/loca2/conteudo/detalhecritica.cfm?cod=24967&chave=1113.

Novo dicionário básico da língua portuguesa Folha/Aurélio- 1995- Ed. Nova Fronteira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here