O QUE É BRIEFING?

0
2830
DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

O QUE É BRIEFING?

Introdução

O Marketing nunca foi tão importante nas organizações como hoje. Do conhecimento desta ciência, que não deixa de ser uma arte, saem as grandes idéias e inovações, e principalmente o que é fundamental para qualquer segmento de mercado: A propaganda, que como diz o ditado, é a alma de um negócio.

Uma boa propaganda cria marcas, imagens, gera liderança no mercado, e conseqüentemente, torna uma empresa num grande sucesso. E com a tecnologia que existe atualmente, a propaganda pode ser cada vez mais explorada. Hoje a mídia detém uma influencia expressiva sobre as opiniões das pessoas, que são os consumidores em potencial. E a propaganda agarra este gancho para também expandir seu produto ou serviço no mercado e seduzir o consumidor.

Uma das tarefas mais importantes que o responsável pelo marketing deve realizar é a ótima preparação da peça inicial de uma campanha publicitária, o chamado Briefing, o qual estaremos discorrendo com mais profundidade nas próximas páginas, e ainda apresentar um exemplo real de um. O “produto” a ser explorado será a Festa do Sairé.

O que é o Briefing?

Em inglês, Briefing significa Resumo. É um documento contendo a descrição da situação da marca ou empresa, seus problemas, oportunidades, objetivos e recursos para atingi-los. Base do processo de planejamento. Quando fala-se em Brifar quer dizer o ato de passar o briefing para outra parte envolvida.

O processo de Briefing acontece quando uma informação vai de um ponto para outro – ou seja, de uma pessoa para outra, de uma empresa para outra – e seu propósito pode ser estabelecido como uma forma de organizar a passagem da informação certa – das pessoas certas para outras pessoas certas -, na hora certa, da maneira certa e pelo custo certo.

Um bom briefing deve ser tão curto quanto possível, mas tão longo quanto necessário, ou seja, ele deve conter todas as informações relevantes e nenhuma que não seja. Um briefing muito grande, por exemplo, é ruim não só por ser extenso, mas principalmente porque não é seletivo, e sem seleção todo processo se torna dispersivo. Já um briefing excessivamente reduzido é incompleto, e abre espaço para a imaginação das pessoas que trabalharão na tarefa. A imaginação é fundamental, é claro, mas para resolver o problema e não para se ficar imaginando como ele de fato seria.

No caso de um briefing muito sistematizado, ou dogmático, é que ele parte de tantas imposições, regras e preconceitos que estrangula a criatividade das pessoas e traz o desanimo ao processo. É muito bonito como tese acadêmica, mas na prática é ineficaz.

Um briefing raramente acontece pura e simplesmente. Ele tem de ser adequadamente organizado. E o executivo de propaganda é a pessoa-chave neste processo. Na verdade, o briefing é inseparável do planejamento de propaganda. No momento em que começa a investigação do problema, também começa o processo de planejamento (também chamado contra-briefing). O briefing é um processo contínuo e cumulativo através de todos os estágios deste planejamento.

A questão de quem deve brifar quem depende de algumas variáveis. Para começar, o briefing deve ser um diálogo contínuo entre o anunciante e a agencia, e cada parte deve claramente entender e aceitar suas responsabilidades em relação a outra. Basicamente, as áreas de marketing devem ser responsáveis por tornar as informações acessíveis e a área de propaganda, junto com a agencia, por obter as informações necessárias.

Para se fazer um briefing existe uma série de informações necessárias para realizá-lo com excelência. Todos estes pontos serão demonstrados a seguir, através de um exemplo real: um briefing sobre a Festa do Sairé. Mas além do briefing completo, um resumo deve ser preparado tanto para servir de introdução como para informar a superiores e subordinados sobre o que (e por que) está sendo feito.

Briefing: Festa do Sairé

• Fato principal: A Festa do Sairé é uma Manifestação Folclórica profano-religiosa do povoado de Alter-do-Chão (Santarém/PA) que atualmente acontece em Setembro. O Sairé 2010 ocorreu de 10 à 12 do mês de setembro.

• Histórico da marca: A Festa do “Sairé” é uma das maiores e a mais antiga manifestação da cultura popular da Amazônia. O “Sairé” resiste há mais de 300 anos a ação do tempo, mantendo o seu simbolismo e a sua essência. Sua origem remonta ao período da colonização, quando os padres jesuítas, na sua missão evangelizadora pela bacia do rio Amazonas, envolviam música e dança na catequese dos indígenas. Essa é a hipótese mais provável, já que os índios, antes da catequização, não conheciam a religião cristã, os textos bíblicos e nem o mistério da Santíssima Trindade. Com as mudanças ocorridas ao longo desses 300 anos, o “Sairé” foi ganhando novos contornos. Atualmente é festejado no mês de setembro num período fixo de cinco dias (de Quinta à Segunda-feira) e consiste em um ritual religioso que se repete durante o dia, culminando com a cerimônia da noite – ladainhas e rezas – seguida da parte profana da festa representada pelos shows artísticos, onde são apresentadas músicas e danças típicas, e pelo confronto dos botos Tucuxi e Cor de Rosa. Vale ressaltar que a partir de 1997 as apresentações artísticas e dos botos, que antes aconteciam na praça da vila de Alter do Chão, passaram a ser realizadas na “Praça do Sairé” (Sairódromo), construída pela administração do Governo do Mutirão especialmente para este fim. E neste ano, o nome que antigamente era como “ç” passa a ser com “s” – Çairé / Sairé.

• Público alvo principal / secundário: Principais – Turistas (pois geralmente vem para prestigiar o evento folclórico) e população simpatizante da cultura que prega o Sairé; Secundários – população das redondezas (pois geralmente vão para prestigiar as atrações de fora e por lazer, não pela cultura em si). O valor do ingresso não estava acessível a maioria da população, que vem de Santarém, pois custava R$ 10,00 cada noite. Isso foi um impasse para que o povo não fosse assistir ao folclore, e sim somente as noites de festa com atrações de fora.

• Objetivos: Manter as tradições conquistadas há séculos, inovando a cada ano, para atrair turistas e pessoas simpatizantes deste folclore, além de proporcionar cultura e lazer à todos os que vão prestigiar o evento, sendo estes de perto ou não.

• O problema a ser resolvido: Estrutura. Hoje esta festa tem grandes repercussões, pois todos têm acesso a este evento através da tecnologia. Porém, para suportar a demanda que vem crescendo a cada ano, é necessário ampliar as estruturas do local. Por exemplo: não há banheiros suficientes e bem-feitos, o sistema de som estava com imperfeições e as paredes que fecham o Sairódromo e as arquibancadas não são as mais indicadas para tanta gente.

• Diferenciais: Repercussão nacional. É uma festa cultural que é a marca da nossa região. A disputa dos Botos. A atração vinda de fora sempre é um diferencial, e é a parte do evento mais esperada pela maioria.

• Promessa principal: Realizar um evento folclórico com excelência, proporcionando à população momentos de lazer e cultura regional.
• Justificativa de promessas: O objetivo do evento é manter as raízes culturais de um povo, portanto a promessa só poderia ser a realização deste evento cultural. Outros anexos são somente um plus que não necessariamente fazem parte da essência deste evento.

• Concorrentes diretos/indiretos: A festa folclórica do Sairé concorre diretamente com outras festas que podem estar ocorrendo nas regiões próximas (ex. Feira Agropecuária de Itaituba). Indiretamente concorre com eventos folclóricos semelhantes, mas que acontecem em datas distintas (ex. BoiBumbá Parintins, etc), já que muitos turistas escolhem para onde vão durante o ano, e geralmente a escolha é por apenas um lugar.

• Imagem e conceito (posicionamento): O Sairé, como já foi falado, conquistou grande repercussões, através da tecnologia e por ser uma região muito adorada pelos turistas de todos os lugares. A festa é vista como um evento sério e cultural, e seu crescimento contínuo tem feito dele uma grande marca de Santarém, por ter Alter-do-Chão como seu território.

• Material a ser feito (de Criação): O Sairé, por ser um grandioso evento, precisa de uma boa estrutura. Segurança (Polícia Militar e de Transito); Praça de alimentação variada, com mesas e cadeiras; Banheiro público; Sairódromo em perfeitas condições de segurança para suportar a todos; Material de Publicidade para divulgação do evento nas proximidades e até em outros locais; Disponibilidade de rota de ônibus a toda hora para o local; Contratação e preparação das atrações (botos e artistas);

• Limitações: O Sairé conta com o apoio de vários patrocinadores, inclusive a Prefeitura Municipal. Seu orçamento deve contemplar tudo o que precisa para ocorrer, dentro dos valores arrecadados com patrocínios e estimativa de vendas de ingressos.

• Indicadores de Mídia: O Sairé 2010 contou com a presença de 100.000 pessoas, sendo que 30.000 eram turistas. O índice de acidentes de transito não foi alarmante, mas o envolvimento de motos foi expressivo. E a segurança do local do evento teve êxito, não havendo situações mais graves que comprometessem muito a paz do público. A disputa dos botos foi transmitida pela TV A crítica, filiada do SBT.

• Falar do plano total de Comunicação (comunicação Mix): O evento teve uma ótima divulgação, através de outdoors, rádio, televisão, camisetas, folhetos, adesivos automotivos. Todos estes recursos foram utilizados em grande quantidade e boa qualidade, mostrando tudo o que acontece no Sairé.

Resumo:

O Sairé é uma festa folclórica do povoado de Alter-do-Chão que já se tornou uma marca de Santarém. Sua divulgação tornou este evento reconhecido nacionalmente, pois promove a cultura de um povo.

Hoje, o Sairé enfrenta problemas relacionados a estrutura do local, mas o brilhantismo da tradição e o entretenimento das atrações dos botos e do Brasil fazem com que esta festa seja um ponto de encontro de toda população santarena, atraindo até mesmo turistas e povos de cidades vizinhas.

Este ano, este evento reuniu 100 mil pessoas, devido ao sucesso que fez nos anos anteriores e também a grande divulgação realizada antes da festa, com apoio de diversos patrocinadores.

O Sairé vem crescendo ano a ano, ainda tem muito o que melhorar, mas com certeza nunca deixará de ser um grande evento do Oeste do Pará.

Conclusão (Considerações Finais):

O briefing é uma peça fundamental para a elaboração de uma proposta de pesquisa de mercado. É um elemento chave para o planejamento de todas as etapas da pesquisa de acordo com as necessidades do cliente.

Fazer o briefing de um evento como o Sairé não é fácil, pois exige um certo conhecimento da história, muita pesquisa e estatísticas reais.

Além do que, o Sairé, apesar de ser um evento reconhecido como cultural, tem na verdade atraído a maioria do público pela parte divertida. Hoje, infelizmente muita coisa roda em volta de fatores políticos e econômicos, e talvez os conceitos do Sairé estejam sendo deturpados para seduzir um grande público, a fim de angariar fundos para seus bolsos, ou conquistar credibilidade frente ao povo. E se esquecem do seu verdadeiro significado.

Porém, levantar um briefing sobre isto pode trazer de volta as verdadeiras essências, e fazer com que o Sairé seja amado pelo que ele é, não apenas pelos anexos que ele traz.

Bibliografia:

o SAMPAIO, Rafael, Propaganda de A a Z: como usar a propaganda para construir marcas e empresas de sucesso, 2ª edição, Rio de Janeiro, Editora Campus, 1999.
o Site: www.portaldapropaganda.com.br
o Site de busca: www.google.com.br. Busca = “Sairé”; “modelo+de+briefing”.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAMBIENTE E CONCEITO DE MARKETING
Próximo artigoDOPING NOS ESPORTES
Marcelo é um profissional de Informática interessado em Internet, Programação PHP, Banco de Dados SQL Server e MySQL, Bootstrap, Wordpress. Nos tempos livres escreve nos sites trabalhosescolares.net sobre biografias, trabalhos escolares, provas para concursos e trabalhos escolares em geral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here