SQL – Apostila 2

0
761
DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

Autoria: Bernardo Gomes

FINALIDADE DO CAPITULO:

No final deste capitulo você será capaz de criar scripts permitindo que o usuário entre com valores diversos.

A finalidade dos exemplos abaixo é demostrar como permitir que o usuário entre com os valores que possibilitem a execução de um comando SQL, isso tudo em tempo de execução.
Verifique o uso do “&” que permite que o usuário entre com dados. No exemplo abaixo temos um pedido de entrada de um numero, por isso é que o &numero_do_dept não está entre aspas. Podemos notar também que aparece o old valor e o new valor, isso é devido ao cmdo set verify on, se quisermos que não apareça, devemos usar o set verify off.

Vamos ao Exemplo:

SQL> set verify on
SQL> select id,last_name,salary
2 from s_emp
3 where dept_id=&numero_do_dept;
Enter value for numero_do_dept: 31
old 3: where dept_id=&numero_do_dept
new 3: where dept_id=31

ID LAST_NAME SALARY




3 Nagayama 1400
11 Magee 1400

Agora não aparecerá o new e old valor porque estamos usando o SET VERIFY OFF.

SQL> set verify off
SQL> select id,last_name,salary
2 from s_emp
3 where dept_id=&numero_do_dept;
Enter value for numero_do_dept: 31

ID LAST_NAME SALARY




3 Nagayama 1400
11 Magee 1400

Vimos anteriormente como que temos que proceder para que o usuário entre com valores numéricos, para que seja realizada
uma pesquisa, agora vamos possibilitar que o usuário ente com valores do tipo caracter, a principal diferença é o uso das aspas, mas temos que ter atenção para o formato na hora de digitarmos, porque tem que ser o mesmo do conteúdo que está na tabela, com maiúsculas e minúsculas.

Vamos ao Exemplo:

SQL> select id,last_name,salary
2 from s_emp
3 where title =’&job_title’; {possibilitando que o
usuário entre com o nome do title}
Enter value for job_title: Stock Clerk

ID LAST_NAME SALARY




16 Maduro 1400
17 Smith 940
18 Nozaki 1200
19 Patel 795
20 Newman 750
21 Markarian 850
22 Chang 800
23 Patel 795
24 Dancs 860
25 Schwartz 1100

10 rows selected.

Nos exemplos anteriores o usuário entrou com a condição de pesquisa quer seja numérica ou caracter, cada qual com suas características, agora vamos ver como que possibilitamos ao usuário entrar com o nome da coluna e com a própria condição de pesquisa que será estabelecida na cláusula WHERE. Neste caso temos um exemplo onde é requerida a entrada de um dado numérico.

Vamos ao exemplo:

SQL> select id,&nome_coluna
2 from s_emp
3 where &condição;
Enter value for nome_coluna: LAST_NAME
Enter value for condição: SALARY > 100

ID LAST_NAME



1 Velasquez
2 Ngao
3 Nagayama
4 Quick-To-See
5 Ropeburn
6 Urguhart
7 Menchu
8 Biri
Temos um outro exemplo em que o usuário entra com o valor da coluna e da condição da WHERE.

SQL> select id,&nome_coluna
2 from s_ord
3 where &condição;
Enter value for nome_coluna: date_ordered
Enter value for condição: total>30000

ID DATE_ORDE



100 31-AUG-92
104 03-SEP-92
107 07-SEP-92
108 07-SEP-92
109 08-SEP-92
97 28-AUG-92

6 rows selected.

CONSTRUINDO SCRIPTS USANDO OPÇÕES PARA O USUÁRIO ENTRE COM DADOS E TAMBÉM PARA SÓ MOSTRAR NA TELA O PROMPT.

No exemplo abaixo estamos usando os seguintes comandos que na da mais é do que a soma de tudo aquilo que vimos neste capitulo mas também algo mais:
O cmdo SET ECHO OFF serve para em tempo de execução não se exiba os comandos do SQL e SET ECHO ON serve para retornar a forma anterior.
O cmdo ACCEPT serve para que preparemos um PROMPT para receber um valor.
Neste exemplo também temos a criação de uma variável chamada V_NAME que recebe valores.
Estamos preparando o ambiente para receber valores que serão armazenados dentro de uma variável, para após isto, serem feitas comparações dentro da cláusula WHERE.
Estamos usando duas tabelas S_DEPT e S_REGION, o AND é uma função onde complementa a cláusula WHERE, e o UPPER no DPT.NAME está passando o conteúdo do nome do dept para maiúsculo para que seja efetuada a comparação com um nome que será digitado pelo usuário, que por sua vez recebe um UPPER que o transforma em maiúsculo. Essa alternativa é feita
porque não sabemos qual é o formato do dado na tabela.

Vamos ao exemplo:

SET ECHO OFF
ACCEPT V_NAME PROMPT ‘DÊ O NOME DO DEPARTAMENTO:’
SELECT DPT.NAME, REG.ID, REG.NAME ” NOME DA REGIÃO”
FROM S_DEPT DPT, S_REGION REG {veja a criação de apelidos}
WHERE DPT.REGION_ID = REG.ID {veja o join}
AND UPPER(DPT.NAME) LIKE UPPER(‘%&V_NAME%’) {valor digitado }
/
SET ECHO ON

Como estamos gerando um SCRIPT, os comandos devem ficar armazenados dentro de um arquivo que possua a extensão SQL e preparado da forma descrita acima quando estivermos no SQL e desejarmos executar o nosso SCRIPT temos que seguir o procedimento descrito abaixo, usando “@” e o nome do arquivo, ou ” START” e o nome do arquivo.

Vamos ao exemplo:

SET ECHO ON
SQL> @TEST.SQL
SQL> SET ECHO OFF
DÊ O NOME DO DEPARTAMENTO:sales
old 4: AND UPPER(DPT.NAME) LIKE UPPER(‘%&V_NAME%’)
new 4: AND UPPER(DPT.NAME) LIKE UPPER(‘%sales%’)

NAME ID NOME DA REGIÃO




Sales 1 North America
Sales 2 South America
Sales 3 África / Middle East
Sales 4 Ásia
Sales 5 Europe

Podemos notar que por ocasião da execução o exemplo anterior mostrou o OLD e o NEW valores da variável, para não mostrar temos que usar o SET VERIFY OFF veja abaixo:

Vamos ao exemplo:

SET VERIFY OFF
SET ECHO OFF
ACCEPT V_NAME PROMPT ‘DÊ O NOME DO DEPARTAMENTO:’
SELECT DPT.NAME, REG.ID, REG.NAME ” NOME DA REGIÃO”
FROM S_DEPT DPT, S_REGION REG
WHERE DPT.REGION_ID = REG.ID
AND UPPER(DPT.NAME) LIKE UPPER(‘%&V_NAME%’)
/
SET ECHO ON

Executando o SCRIPT:

SQL> START TEST.SQL
SQL> SET VERIFY OFF
SQL> SET ECHO OFF
DÊ O NOME DO DEPARTAMENTO:SALES

NAME ID NOME DA REGIÃO




Sales 1 North America
Sales 2 South America
Sales 3 Africa / Middle East
Sales 4 Ásia
Sales 5 Europe

Input truncated to 11 characters

OUTRO EXEMPLO DE GERAÇÃO DE SCRIPT:

Mais uma vez vamos usar alguns comandos já vistos em exemplos anteriores, mas também alguns comandos novos e precisamos
Mostrar a descrição de tais comandos:
O comando SET ECHO OFF tem a finalidade de não deixar aparecer os cmdos feitos para a execução.
O cmdo VERIFY OFF tem a finalidade de não mostrar os valores recebidos pelas as variáveis que no exemplo em questão são MENOR_DT e MAIOR_DT.
O ACCEPT é usado para criar variáveis e o PROMPT para receber valores para as variáveis.
Criadas as variáveis, observe a sintaxe e o “-” entre a definição do formato de data o uso de DATE, o FORMAT e a especificação ‘MM/DD/YY’.
Estamos usando também o COLUMN FORMAT A30 para formatar o tamanho da coluna EMPREGADO e logo depois estamos concatenando as colunas FIRST_NAME e LAST_NAME.
Estamos também usando o BETWEEN para pesquisarmos valores que estão entre uma data e outra.
Observe o uso do TO_DATE antes da colocação da variável com o “&” para receber valores que o usuário digita, e observe também a forma que foi colocado o formato da data ‘MM/DD/YY’ e o uso do AND que faz parte da WHERE.
O UNDEFINE serve para que as variáveis percam os valores após a execução.

Vamos ao Exemplo:

SET ECHO OFF
SET VERIFY OFF

ACCEPT MENOR_DT DATE FORMAT ‘MM/DD/YY’ –
PROMPT ‘ENTRE MENOR DATA (MM/DD/AA) :’
ACCEPT MAIOR_DT DATE FORMAT ‘MM/DD/YY’ –
PROMPT ‘ENTRE MAIOR DATA (MM/DD/AA) :’
COLUMN EMPREGADO FORMAT A30
SELECT USERID,FIRST_NAME||’ ‘||LAST_NAME “EMPREGADO”,
START_DATE FROM S_EMP
WHERE START_DATE BETWEEN TO_DATE(‘&MENOR_DT’,’MM/DD/YY’)
AND TO_DATE(‘&MAIOR_DT’,’MM/DD/YY’)

/
UNDEFINE MENOR_DT
UNDEFINE MAIOR_DT
COLUMN EMPREGADO CLEAR
SET ECHO ON
SET VERIFY ON

OUTRO EXEMPLO DE SCRIPT:

Estamos montando um script com a finalidade de receber um valor que pesquise registros, no caso estamos querendo pesquisar o ID e o NOME de um CUSTOMER e para isso recebendo um dos nomes do CUSTOMER, por isso estamos usando o LIKE e “%&NOME%” estamos transformando a coluna NAME da tabela a ser pesquisada em maiúsculo para que qualquer nome que seja digitado em maiúsculo seja pesquisado.
Está sendo criado a variável NOME pelo ACCEPT e o PROMPT possibilita a recepção de um valor, observe a sintaxe “-” após a variável NOME.

Vamos ao exemplo:

SET ECHO OFF
SET VERIFY OFF
ACCEPT NOME –
PROMPT ‘ ENTRE COM O NOME DESEJADO :’
SELECT ID, NAME FROM S_CUSTOMER
WHERE UPPER(NAME) LIKE ‘%&NOME%’
/
SET ECHO ON
SET VERIFY ON

FINAL DE CAPITULO

FINALIDADE DO CAPITULO:
O COMANDO ALTER TABLE E SUAS VARIAÇÕES:

Adicionado uma coluna em uma tabela:

No exemplo a seguir estamos usando o cmdo ALTER TABLE para adicionar uma coluna em uma tabela, a coluna adicionada a tabela sempre será a última, importante saber que não podemos deletar uma coluna de uma tabela mas somente adicionar, se precisarmos dropar uma coluna a solução é dropar a tabela e recriá – la sem a coluna.
Vamos ao exemplo:

SQL> ALTER TABLE S_REGION
ADD (comments VARCHAR(255));

Table altered.

O COMD MODIFY:

No exemplo abaixo estamos modificando uma coluna usando o comando modify, no caso estamos aumentando o tamanho da coluna title para 50, é permitido aumentar o tamanho da coluna mas diminuir não é permitido.

SQL> ALTER TABLE s_emp
2 MODIFY (title VARCHAR(50));

Table altered.

ADCIONANDO UMA CONSTRAINT:

Para adicionarmos uma constraint temos que usar O ALTER TABLE
criar um nome para nossa constraint no caso’s_emp_maneger_id_fk’, escrevendo de onde ela é colocando a referência com o id de s_emp.

Vamos ao exemplo:

SQL>
ALTER TABLE s_emp
ADD CONSTRAINT s_emp_manager_id_fk
FOREIGN KEY (MANAGER_ID)
REFERENCES s_emp(id)

DROPANDO UMA CONSTRAINT:
Este exemplo mostra como dropar uma CONSTRAINT, Neste caso o nome da constraint é s_emp_maneger_id_fk, verifique a forma como foi escrito o exemplo abaixo:

SQL> ALTER TABLE S_EMP
2 DROP CONSTRAINT s_emp_manager_id_fk;

Table altered.

DROPANDO REGISTROS EMCACATA:
Para dropar uma chave primaria em cascata ou seja, deletá – la de forma que seja deletada em todas as tabelas com quem tenha relação, temos prosseguir da seguinte forma:

Vamos ao exemplo:

SQL> ALTER TABLE s_dept
2 DROP primary key cascade; {observe o cmdo cascade}

Table altered.

Desabilitando CONSTRAINTS de uma tabela:

Verifique o cmdo CACADE sendo usado no ALTER TABLE, a finalidade de seu uso é permitir que todos os objetos que fazem referência ao campo ID de S_EMP aceitem a desabilitação da constraint.

Vamos ao exemplo:

SQL> ALTER TABLE s_emp
2 DISABLE CONSTRAINT s_emp_id_pk CASCADE;

Table altered.

Habilitando uma constraint:

Para habilitarmos uma constraint não precisamos usar o cmdo cascade, porque é criada de forma automática
a UK ou FK.

Vamos ao exemplo
SQL> ALTER TABLE s_emp
2 ENABLE CONSTRAINT s_emp_id_pk;

Table altered.

FINAL DE CAPITULO

FINALIDADE DO CAPITULO:

O COMANDO SELECT TO_CHAR:

O exemplo abaixo temos um select que está selecionando id,date_ordered da tabela s_ord onde o sales_rep_id é igual a 11, podemos notar que a date_ordered(data) é igual ao formato de data padrão do oracle, ou seja, mês por extenso abreviado e o ano com os dois últimos números do ano.

Vamos ao exemplo:

SQL> SELECT ID,DATE_ORDERED
2 FROM S_ORD
3 WHERE
4 SALES_REP_ID = 11;

ID DATE_ORDE



100 31-AUG-92
105 04-SEP-92
109 08-SEP-92
110 09-SEP-92
111 09-SEP-92

No exemplo abaixo estamos com o comando ” to_char ” mudando
o formato da data para o modelo que nós estamos querendo mostrar em tela, ou seja, estamos mudando o formato padrão do oracle para um novo formato correspondente ao que queremos, no caso ‘mm/yy’ que corresponde ao mês e o ano.

Vamos ao exemplo:

SQL> SELECT ID,TO_CHAR(DATE_ORDERED,’MM/YY’) ORDERED
2 FROM S_ORD
3 WHERE SALES_REP_ID = 11;

ID ORDERED



100 08/92
105 09/92
109 09/92
110 09/92
111 09/92

Agora vamos converter a data colocando o dia por extenso ou seja usando, “day”(extenso), para o dia e colocando o mês por extenso usando, “month” para mês e colocando o ano por extenso usando o “yyyy” para ano.

Vamos ao Exemplo:

SELECT ID,TO_CHAR(DATE_ORDERED,’DAY/MONTH/YYYY’) ORDERED
FROM S_ORD
WHERE SALES_REP_ID = 11

ID ORDERED


100 MONDAY /AUGUST /1992
105 FRIDAY /SEPTEMBER/1992
109 TUESDAY /SEPTEMBER/1992
110 WEDNESDAY/SEPTEMBER/1992
111 WEDNESDAY/SEPTEMBER/1992

Agora estamos colocando o nome da ano escrito por extenso usando a FUNÇÃO “YEAR”.

SELECT ID,TO_CHAR(DATE_ORDERED,’DAY/MONTH/YEAR’) ORDERED
FROM S_ORD
WHERE SALES_REP_ID = 11;

ID ORDERED
—-


100 MONDAY /AUGUST /NINETEEN NINETY-TWO
105 FRIDAY /SEPTEMBER/NINETEEN NINETY-TWO
109 TUESDAY /SEPTEMBER/NINETEEN NINETY-TWO
110 WEDNESDAY/SEPTEMBER/NINETEEN NINETY-TWO
111 WEDNESDAY/SEPTEMBER/NINETEEN NINETY-TWO

Agora estamos usando o cmdo ” dy ” para mudar o dia da semana, passando da escrita por extenso para abreviado em três dígitos, observe o exemplo.

Vamos ao exemplo:

SQL> SELECT ID,TO_CHAR(DATE_ORDERED,’DY/MONTH/YEAR’) ORDERED
2 FROM S_ORD
3 WHERE SALES_REP_ID = 11;

ID ORDERED



100 MON/AUGUST /NINETEEN NINETY-TWO
105 FRI/SEPTEMBER/NINETEEN NINETY-TWO
109 TUE/SEPTEMBER/NINETEEN NINETY-TWO
110 WED/SEPTEMBER/NINETEEN NINETY-TWO
111 WED/SEPTEMBER/NINETEEN NINETY-TWO

O exemplo abaixo demostra como colocar o dia em formato numérico “FMDD” e o mês e o ano por extenso.

Select LAST_NAME, TO_CHAR(START_DATE,’FMDD “OF” MONTH YYYY’) HIREDATE
FROM S_EMP
WHERE START_DATE LIKE ‘%91’

LAST_NAME


HIREDATE


Nagayama
17 OF JUNE 1991

Urguhart
18 OF JANUARY 1991

Havel
27 OF FEBRUARY 1991

Sedeghi
18 OF FEBRUARY 1991

Dumas
09 OF OCTOBER 1991

Nozaki
09 OF FEBRUARY 1991

Patel

LAST_NAME


HIREDATE


06 OF AUGUST 1991

Newman
21 OF JULY 1991

Markarian
26 OF MAY 1991

Dancs
17 OF MARCH 1991

Schwartz
09 OF MAY 1991

No exemplo abaixo estamos usando a função to_char novamente, agora para formatarmos um numero e concatenarmos uma coluna numérica com um comentário caracter.

Vamos ao Exemplo:

SQL>
SELECT ‘O PEDIDO ‘ ||TO_CHAR(ID)||’
TEM UM TOTAL DE: ‘||TO_CHAR(TOTAL,’FM$9,999,999’)
FROM S_ORD
WHERE DATE_SHIPPED =’21-SEP-92′
/

‘OPEDIDO’||TO_CHAR(ID)||’TEMUMTOTALDE:’||TO_CHAR(TOTAL,’FM$9,999,999’)


O PEDIDO 107
TEM UM TOTAL DE: $142,171

O PEDIDO 110
TEM UM TOTAL DE: $1,539

O PEDIDO 111
TEM UM TOTAL DE: $2,770

FINAL DE CAPÍTULO.

Finalidade do Capitulo:
Demostrar o uso do Comando TO_DATE.

Verifique que no exemplo abaixo estamos querendo fazer uma pesquisa usando um campo data onde escrevemos a data, o mês e o ano e o cmdo to_date transforma o que digitamos em data para a pesquisa, só que deve ser obedecida uma seqüência lógica nas posições por isso o exemplo abaixo está incorreto.

Vamos ao exemplo:

SQL> SELECT DATE_ORDERED
2 FROM S_ORD
3 WHERE DATE_ORDERED =
4 TO_DATE(’31 1992, AUGUST’,’DD MONTH, YYYY’);
ERROR:
ORA-01843: not a valid month

Vamos tentar corrigir o exemplo acima. A função do cmdo to_date é converter valores digitados, numéricos e caracters
para data, a ordem da data procurada no exemplo abaixo tem que ser a mesma do formato de data colocado da seguinte forma:

SQL> SELECT DATE_ORDERED
2 FROM S_ORD
3 WHERE DATE_ORDERED =
4 TO_DATE(’31 1992, AUGUST’,’DD, YYY MONTH’);

DATE_ORDE


31-AUG-92
31-AUG-92
31-AUG-92
31-AUG-92
31-AUG-92

FINAL DE CAPÍTULO
Finalidade do Capítulo:
Demostrar o uso dos comandos COMMIT,ROLLBACK E SAVE POINT.

Os cmdos COMMIT , ROLLBACK e SAVE POINT são usados para controle de execução, de confirmação e de retorno.Veja abaixo que estamos alterando o valor de SALARY na tabela S_EMP usando o UPDATE e SET, após alterá-los nós criamos um SAVEPOINT, que serve simplesmente para o controle de ponto, para se quisermos dar um ROLLBACK nas alterações feitas até então, termos condições de limitar o espaço atingindo pelo ROLLBACK.

Vamos ao Exemplo de Update:

SQL> EDIT
Wrote file afiedt.buf
1 UPDATE S_EMP
2 SET SALARY = SALARY * 1.1
3* WHERE TITLE =’Stock Clerk’
SQL> /

10 rows updated.

Agora vamos criar um SAVEPOINT.

Vamos ao Exemplo:

SQL> savepoint update_ponto;

Savepoint created.

Agora usando o cmdo INSERT INTO estamos inserindo registros
na tabela s_region.

SQL> insert into s_region (id,name)
2 values (8,’central’);

1 row created.

Estamos selecionando os registros de s_region para confirmamos a inserção ou seja, se realmente foi incluído registros nesta tabela.

SQL> select * from
2 s_region
3 where id = 8;

ID NAME



8 central

Agora após confirmarmos a inclusão dos registros, nós decidirmos que não queremos que seja incluído registros na referida tabela s_region e para voltarmos a nossa ação temos então que dar um ROLLBACK, para desfazer o INSERT, só que somente até o ponto da inserção, ou seja até o SAVE POINT, que foi criado anteriormente ou seja tudo que está antes do SAVE POINT continua com suas alterações preservadas, é bom observar que para o SAVE POINT foi criado um nome no caso UPDATE_PONTO, isso serve para que possamos referenciar de forma correta até que ponto queremos cancelar nossas ações ou seja até que ponto não queremos que sejam salvas nossas ações.

Vamos ao exemplo:

SQL> ROLLBACK TO UPDATE_PONTO;

Rollback complete.

Agora vamos dar novamente um select para confirmarmos se o nosso ROLLBACK realmente fez efeito, observe que as alterações feitas anteriormente não foram concretizadas.

SQL> select * from
2 s_region
3 where id = 8;

no rows selected

O CMDO ROLLBACK serve para que seja desfeitas as alterações que foram efetuadas em uma tabela.

Vamos ao exemplo:

SQL> delete from test;
25,000 rows deleted

para cancelar o DELETE na tabela test.

SQL> ROLLBACK;
Rollback complete.

O uso do COMMIT:

O CMDO COMMIT é o contrário do ROLLBACK ou seja serve para confirmar as alterações que por ventura sejam feitas. Uma vez dado um COMMIT não podemos retornar mais atrás.

SQL> delete from test;
25,000 rows deleted

Vamos confirmar o DELETE com o COMMIT.

SQL> COMMIT;
Commit complete.

FINAL DE CAPÍTULO
Finalidade do Capítulo é demostrar como criar comentários
a respeito de tabelas.

O comentários criado a respeito de tabelas e colunas são armazenados no dicionário de dados em:
ALL_COL_COMMENTS
USER_COL_COMMENTS
ALL_TAB_COMMENTS
USER_TAB_COMMENTS

Criando comentários para uma tabela:

SQL> COMMENT ON TABLE s_emp is ‘ informação sobre funcionário’;

Comment created.

Como criar comentários para uma coluna:

SQL> COMMENT ON COLUMN s_emp.last_name IS ‘ ultimo’;

Comment created.COMMENT ON COLUMN s_emp.last_name IS ‘ último’

Como verificar os comentários existentes dentro de uma tabela ou coluna:

Primeiramente vamos verificar os comentários relativos as colunas pertencentes a uma tabela all_col_comments, para depois realizarmos um select em seu conteúdo pesquisando pelo nome da tabela ou coluna para sabermos qual é o comentário específico a respeito.

SQL> desc all_col_comments
Name Null? Type



—-
OWNER NOT NULL VARCHAR2(30)
TABLE_NAME NOT NULL VARCHAR2(30)
COLUMN_NAME NOT NULL VARCHAR2(30)
COMMENTS VARCHAR2(2000)

Vamos realizando um SELECT ALL_COL_COMMENTS para vermos quais os comentários relativos a todas as colunas da tabela s_emp que são armazenados em COMMENTS :

SQL> select COMMENTS
2 from all_col_comments
3 where TABLE_NAME = ‘S_EMP’;

COMMENTS


ultimo

COMMENTS



Agora queremos saber o comentário a respeito da tabela s_emp veja abaixo:

SQL> SELECT COMMENTS
2 FROM ALL_TAB_COMMENTS
3 WHERE TABLE_NAME =’S_EMP’;

COMMENTS



informação sobre funcionário

FIM DE CAPÍTULO
Finalidade do Capítulo Tratar de Assuntos Relativos a Constraints.

Vamos ver como verificar as constraints de uma tabela
O seus tipos e nomes ou seja se é not null, se é foreing key,unique key ou primary key.

SQL> SELECT CONSTRAINT_NAME, CONSTRAINT_TYPE, SEARCH_CONDITION,
2 R_CONSTRAINT_NAME
3 FROM USER_CONSTRAINTS
4 WHERE TABLE_NAME = ‘S_DEPT’;

CONSTRAINT_NAME C



SEARCH_CONDITION


R_CONSTRAINT_NAME


S_DEPT_ID_NN C
ID IS NOT NULL

S_DEPT_NAME_NN C
NAME IS NOT NULL

S_DEPT_ID_PK P

S_DEPT_NAME_REGION_ID_UK U

S_DEPT_REGION_ID_FK R



S_REGION_ID_PK

Para vermos o nome das colunas envolvidas com constraints e seus respectivos nomes naturais temos que fazer um select na tabela user_cons_columns conforme o exemplo a seguir:

SQL> SELECT CONSTRAINT_NAME, COLUMN_NAME
2 FROM USER_CONS_COLUMNS
3 WHERE TABLE_NAME = ‘S_DEPT’;

CONSTRAINT_NAME COLUMN_NAME



S_DEPT_ID_NN ID
S_DEPT_ID_PK ID
S_DEPT_NAME_NN NAME
S_DEPT_NAME_REGION_ID_UK NAME
S_DEPT_NAME_REGION_ID_UK REGION_ID
S_DEPT_REGION_ID_FK REGION_ID

6 rows selected.

FINAL DE CAPÍTULO
Finalidade do Capítulo é o Uso do Create, Drop Table.

O comando DROP é usado para deletar a tabela ou seja, apagá-la fisicamente.
O comando CREATE é usado na criação de tabelas e o INSERT na inserção de dados em tabelas.

Vamos ao exemplo de como DROPAR uma tabela, VIEW ou SEQUENCE:

DROP TABLE EMP;
DROP TABLE DEPT;
DROP TABLE BONUS;
DROP TABLE SALGRADE;
DROP TABLE DUMMY;
DROP TABLE ITEM;
DROP TABLE PRICE;
DROP TABLE PRODUCT;
DROP TABLE ORD;
DROP TABLE CUSTOMER;
DROP VIEW SALES;
DROP SEQUENCE ORDID;
DROP SEQUENCE CUSTID;
DROP SEQUENCE PRODID;

Vamos ao exemplo de como criar uma tabela, observe os detalhes em relação aos parênteses, nome das colunas ,data type e constraints.

CREATE TABLE DEPT (
DEPTNO NUMBER(2) NOT NULL,
DNAME CHAR(14),
LOC CHAR(13),
CONSTRAINT DEPT_PRIMARY_KEY PRIMARY KEY (DEPTNO));

Após criarmos a tabela vamos inserir dados a mesma, em um comando INSERT

INSERT INTO DEPT VALUES (10,’ACCOUNTING’,’NEW YORK’);
INSERT INTO DEPT VALUES (20,’RESEARCH’,’DALLAS’);
INSERT INTO DEPT VALUES (30,’SALES’,’CHICAGO’);
INSERT INTO DEPT VALUES (40,’OPERATIONS’,’BOSTON’);

CREATE TABLE EMP
( EMPNO NUMBER(4) NOT NULL,
ENAME CHAR(10),
JOB CHAR(9),
MGR NUMBER(4) CONSTRAINT EMP_SELF_KEY REFERENCES EMP (EMPNO),
HIREDATE DATE,
SAL NUMBER(7,2),
COMM NUMBER(7,2),
DEPTNO NUMBER(2) NOT NULL,
CONSTRAINT EMP_FOREIGN_KEY FOREIGN KEY (DEPTNO) REFERENCES DEPT (DEPTNO),
CONSTRAINT EMP_PRIMARY_KEY PRIMARY KEY (EMPNO));

Inserindo Registros na Tabela Criada Usando o cmdo INSERT.

INSERT INTO EMP VALUES (7839,’KING’,’PRESIDENT’,NULL,’17-NOV-81′,5000,NULL,10);
INSERT INTO EMP VALUES (7698,’BLAKE’,’MANAGER’,7839,’1-MAY-81′,2850,NULL,30);
INSERT INTO EMP VALUES (7782,’CLARK’,’MANAGER’,7839,’9-JUN-81′,2450,NULL,10);
INSERT INTO EMP VALUES (7566,’JONES’,’MANAGER’,7839,’2-APR-81′,2975,NULL,20);
INSERT INTO EMP VALUES (7654,’MARTIN’,’SALESMAN’,7698,’28-SEP-81′,1250,1400,30);
INSERT INTO EMP VALUES (7499,’ALLEN’,’SALESMAN’,7698,’20-FEB-81′,1600,300,30);
INSERT INTO EMP VALUES (7844,’TURNER’,’SALESMAN’,7698,’8-SEP-81′,1500,0,30);
INSERT INTO EMP VALUES (7900,’JAMES’,’CLERK’,7698,’3-DEC-81′,950,NULL,30);
INSERT INTO EMP VALUES (7521,’WARD’,’SALESMAN’,7698,’22-FEB-81′,1250,500,30);
INSERT INTO EMP VALUES (7902,’FORD’,’ANALYST’,7566,’3-DEC-81′,3000,NULL,20);
INSERT INTO EMP VALUES (7369,’SMITH’,’CLERK’,7902,’17-DEC-80′,800,NULL,20);
INSERT INTO EMP VALUES (7788,’SCOTT’,’ANALYST’,7566,’09-DEC-82′,3000,NULL,20);
INSERT INTO EMP VALUES (7876,’ADAMS’,’CLERK’,7788,’12-JAN-83′,1100,NULL,20);
INSERT INTO EMP VALUES (7934,’MILLER’,’CLERK’,7782,’23-JAN-82′,1300,NULL,10);

Outro Exemplo de Como Criar uma Tabela:

CREATE TABLE BONUS (
ENAME CHAR(10),
JOB CHAR(9),
SAL NUMBER,
COMM NUMBER);

CREATE TABLE SALGRADE (
GRADE NUMBER,
LOSAL NUMBER,
HISAL NUMBER);

Inserindo Valores na Nova Tabela.

INSERT INTO SALGRADE VALUES (1,700,1200);
INSERT INTO SALGRADE VALUES (2,1201,1400);
INSERT INTO SALGRADE VALUES (3,1401,2000);
INSERT INTO SALGRADE VALUES (4,2001,3000);
INSERT INTO SALGRADE VALUES (5,3001,9999);

Para criarmos uma tabela temos antes que mais nada ter permissão para isto ou seja “GRANT”, que nos é concedido através do DBA, depois não podemos nos esquecer de criar as CONSTRAINTS que são as PK os campos NOT NULL as FK. O observe a sintaxe da criação de tabela, a definição do tipo e tamanho das colunas ( Data Type), a referencia a chave estrangeira e a criação, as colunas de formato DATE usa-se o padrão SYSDATE que corresponde a data do sistema.

Vamos ao Exemplo:

CREATE TABLE S_TEST
(ID NUMBER(7)
CONSTRAINT S_TEST_ID_PK PRIMARY KEY,
NAME VARCHAR2(25)
CONSTRAINT S_TEST_NAME_NN NOT NULL,
REGION_ID NUMBER(7)
CONSTRAINT S_TEST_REGION_ID_FK REFERENCES
S_REGION(ID),
START_DATE DATE DEFAULT SYSDATE)
/

No próximo exemplo vamos criar uma tabela em função de uma outra onde se traz somente as constrains NOT NULL, o tipo e tamanho das colunas são também automaticamente trazidos, assim também como o conteúdo dos mesmos. Verifique o exemplo abaixo como isto é feito e veja o formato de S_EMP e o novo formato do que chamamos de EMP_41, veja também que ele somente traz os registros referentes ao dept 41. Observe a sintaxe “AS” e a sub query dentro do Create table.

SQL> Create table emp_41
2 AS
3 SELECT ID,LAST_NAME,USERID,START_DATE,
4 SALARY,TITLE
5 FROM S_EMP
6 WHERE DEPT_ID = 41;

Table created.

O formato da tabela criada, é o mesmo da s_emp veja:

SQL> DESC EMP_41
Name Null? Type



—-
ID NOT NULL NUMBER(7)
LAST_NAME NOT NULL VARCHAR2(25)
USERID NOT NULL VARCHAR2(8)
START_DATE DATE
SALARY NUMBER(11,2)
TITLE VARCHAR2(25)

SQL> desc s_emp
Name Null? Type



—-
ID NOT NULL NUMBER(7)
LAST_NAME NOT NULL VARCHAR2(25)
FIRST_NAME VARCHAR2(25)
USERID NOT NULL VARCHAR2(8)
START_DATE DATE
COMMENTS VARCHAR2(255)
MANAGER_ID NUMBER(7)
TITLE VARCHAR2(25)
DEPT_ID NUMBER(7)
SALARY NUMBER(11,2)
COMMISSION_PCT NUMBER(4,2)

Veja os dados da nova tabela.

SQL> select id,last_name
2 from EMP_41;

ID LAST_NAME



2 Ngao
6 Urguhart
16 Maduro
17 Smith

Observe que os dados abaixo são os mesmos da tabela criada que foram justamente criada a partir do departamento 41.

SQL> select id,last_name
2 from s_emp
3 where dept_id = 41;

ID LAST_NAME



2 Ngao
6 Urguhart
16 Maduro
17 Smith

Como descobrir quais são as tabelas que estão a nossa disposição:

select object_name from user_Objects
where object_type = ‘TABLE’;

FIM DE CAPÍTULO
Finalidade do Capítulo:
Demostrar o uso do comando DELETE:

O Cmdo DELETE serve para delatarmos registros em uma tabela, usamos o DELETE from e o nome da tabela.Neste exemplo abaixo estamos querendo deletar todos
os registros da tabela s_emp que tenham como start_date
o dia 01.01.1996, para isso temos que usar na clausula WHERE o TO_DATE colocando o valor do que nós estamos querendo e seu correspondente dia, mês e ano conforme o formato, no caso não deletou nenhum registro porque não existia nenhum que satisfazia as condições.

Vamos ao exemplo:

SQL> EDIT
Wrote file afiedt.buf
1 DELETE FROM s_emp
2 WHERE START_DATE >
3* TO_DATE (‘01.01.1996′,’DD.MM.YYYY’)
SQL> /

0 rows deleted

Agora estamos tentando deletar um registro que existe, como o registro existente é uma FK que logicamente existe uma outra tabela não se aceita a deleção, veja a mensagem de erro de violação de constraint.

SQL> DELETE FROM s_emp
2 WHERE START_DATE > TO_DATE (‘01.01.1991′,’dd.mm.yyyy’);
DELETE FROM s_emp
*
ERROR at line 1:
ORA-02292: integrity constraint (GUIMA.S_WAREHOUSE_MANAGER_ID_FK)
violated – child record found

Para deletar todos os registros de uma tabela procede-se da seguinte forma:

SQL> DELETE FROM test;

25,000 rows deleted.

Para confirmarmos a deleção usamos o comando select na table deletada.

SELECT * FROM
2 test;

no rows selected;

FIM DE CAPÍTULO
Finalidade do Capítulo é Mostrar com Trabalhar com o Dicionário de Dados.

O dicionário de dados serve dentre outras coisas para possibilitar a visualização de quais objetos que estão disponíveis para manipulação, por exemplo: se temos acesso a tabelas, views ou etc.
No exemplo abaixo estamos fazendo um select na tabela user_objects usando o comando ‘distinct’ com a finalidade de vermos quais os objetos a serem manipulados.

Vamos ao exemplo:

SQL> SELECT DISTINCT OBJECT_TYPE
2 FROM USER_OBJECTS;

OBJECT_TYPE


INDEX
SEQUENCE
TABLE
/

Para vermos quais são as tabelas ou outros objetos que estão a nossa disposição, ou seja aqueles que temos permissão para manipulá – los temos que fazer um select no dicionário de dados, incluindo neste o object_name na tabela user_objects usando o tipo desejado ‘table’ ou ‘view’ e etc.

SELECT OBJECT_NAME
FROM USER_OBJECTS
WHERE OBJECT_TYPE = ‘TABLE’
/
OBJECT_NAME


FUNCIONÁRIO
SEÇÃO
S_CUSTOMER
S_DEPT
S_EMP
S_IMAGE
S_INVENTORY
S_ITEM
S_LONGTEXT
S_ORD
S_PRODUCT
S_REGION
S_TITLE
S_WAREHOUSE

14 rows selected.

Ainda usando o dicionário de dados podemos verificar quais são as constraints de uma tabela, é bom lembrar que estamos fazendo uma consulta na tabela USER_CONSTRAITS que assim como a USER_OBJECTS pertence ao dicionário de dados.

SQL> select constraint_name,constraint_type,search_condition,
r_constraint_name
2 from user_constraints
3 where table_name = ‘S_EMP’;

CONSTRAINT C SEARCH_CONDITION R_CONSTRAINT_NAME




S_EMP_ID_N C ID IS NOT NULL
N

S_EMP_LAST C LAST_NAME IS NOT N
_NAME_NN ULL

S_EMP_USER C USERID IS NOT NULL
ID_NN

S_EMP_ID_P P
K

S_EMP_USER U
ID_UK

S_EMP_COMM C commission_pct IN
ISSION_PCT (10, 12.5, 15, 17.
_CK 5, 20)

S_EMP_MANA R S_EMP_ID_PK
GER_ID_FK

CONSTRAINT C SEARCH_CONDITION R_CONSTRAINT_NAME





S_EMP_DEPT R S_DEPT_ID_PK
_ID_FK

S_EMP_TITL R S_TITLE_TITLE_PK
E_FK

9 rows selected.

Tentando refinar ainda mais o exemplo acima vamos verificar quais são as constraints referentes as colunas de uma determinada tabela que no caso é a s_emp.

Vamos ao Exemplo:

SQL>
SELECT CONSTRAINT_NAME,COLUMN_NAME
FROM USER_CONS_COLUMNS
WHERE TABLE_NAME =’S_EMP’

CONSTRAINT_NAME COLUMN_NAME



S_EMP_COMMISSION_PCT_CK COMMISSION_PCT
S_EMP_DEPT_ID_FK DEPT_ID
S_EMP_ID_NN ID
S_EMP_ID_PK ID
S_EMP_LAST_NAME_NN LAST_NAME
S_EMP_MANAGER_ID_FK MANAGER_ID
S_EMP_TITLE_FK TITLE
S_EMP_USERID_NN USERID
S_EMP_USERID_UK USERID

9 rows selected.

FIM DE CAPÍTULO

Finalidade deste capítulo é apresentar o uso de funções de grupo do cmdo group by, funções de grupo MAX,MIN,SUM,AVG e
ainda o uso do HAVING:
Dica importante: geralmente o que está dentro do comando select deve estar no group by.

Neste exemplo estamos vendo o uso da função AVG que tem a finalidade de trazer a média de uma determinada soma. Estamos também usando a função MAX e MIN que tem como função trazer o máximo e o mínimo valor. Também temos a função SUM que faz a soma de valores de colunas, todas essas funções são funções de grupo. Ainda no exemplo abaixo temos o uso da função UPPER que transforma o conteúdo a ser pesquisado e a função LIKE que faz a pesquisa somente nos registros que começarem por ‘sales’.

SQL> select avg(SALARY),MAX(SALARY),MIN(SALARY),
2 SUM(SALARY)
3 FROM S_EMP
4 WHERE UPPER(TITLE) LIKE ‘SALES%’;

AVG(SALARY) MAX(SALARY) MIN(SALARY) SUM(SALARY)





1476 1525 1400 7380

Neste exemplo abaixo, temos o menor nome e o maior nome dentro da ordem alfabética, demostrando que não somente os valores numéricos que são manipuláveis com as funções MIN e MAX, é bom salientar que as datas também são passíveis de manipulação.

Vamos ao exemplo:

SQL> select MIN(LAST_NAME),MAX(LAST_NAME)
2 FROM S_EMP;

MIN(LAST_NAME) MAX(LAST_NAME)



Biri Velasquez

No exemplo abaixo estamos tentando selecionar o ID de departamento igual a 41 trazendo seu numero de repetições, mas não dá certo pois a função COUNT é de grupo e não estamos usando o GROUP BY.

Vamos ao exemplo:

SQL> select dept_id, count(*) “number”
2 from s_emp
3 where dept_id = 41;
select dept_id, count(*) “number”
*
ERROR at line 1:
ORA-00937: not a single-group group function

Fazendo o select abaixo temos quantas vezes o dept 41 se repete.

SQL> select dept_id
2 from s_emp
3 where dept_id = 41;

DEPT_ID


41
41
41
41

Agora usando a função de grupo COUNT(*) que no caso esta contando a quantidade de registros onde o dept_id é igual a 41 ou seja quantas vezes ele se repete, teremos o grupamento feito. O que está no select deve estar no group by.

Vamos ao exemplo:

SQL> select dept_id, count(*) “number”
2 from s_emp
3 where dept_id = 41
4 group by dept_id;

DEPT_ID number



41 4

Agora estamos contando quantos registros temos para cada CREDIT_RATING da tabela s_customer.

SQL> select credit_rating,count(*) “# custo”
2 from s_customer
3 group by credit_rating;

CREDIT_RA # custo



EXCELLENT 9
GOOD 3
POOR 3

No próximo exemplo é bom destacar o uso do NOT LIKE onde determina que não seja trazido registros parecidos com uma uma certa condição. Veja também o uso da função de grupo SUM que trás a soma dos salários.

SQL> select title, sum(salary) soma_total
2 from s_emp
3 where title not like ‘VP%’
4 group by title
5 order by
6 sum(salary);

TITLE SOMA_TOTAL



President 2500
Warehouse Manager 6157
Sales Representative 7380
Stock Clerk 9490

Um outro exemplo do uso de ORDER BY, onde estamos grupando por Title.

SQL> select title,max(salary)
2 from s_emp
3 group by title;

TITLE MAX(SALARY)



President 2500
Sales Representative 1525
Stock Clerk 1400
VP, Administration 1550
VP, Finance 1450
VP, Operations 1450
VP, Sales 1400
Warehouse Manager 1307

8 rows selected.

Nossa intenção no select abaixo é fazermos a média dos salários dos campos da coluna SALARY da tabela s_emp, e trazer a tela somente a média que der acima de 2000.
Não dá certo porque não usamos a clausula where dentro do group by mas sim a função HAVING, isso quando queremos trazer dados a tela obedecendo uma certa condição.

SQL> SELECT DEPT_ID,AVG(SALARY)
2 FROM S_EMP
3 WHERE AVG(SALARY) > 2000
4 GROUP BY DEPT_ID;
WHERE AVG(SALARY) > 2000
*
ERROR at line 3:
ORA-00934: group function is not allowed here

Veja a maneira correta de se fazer o exercício anterior onde usamos a função HAVING que se dá da seguinte forma , sempre após o group by.

SQL> SELECT DEPT_ID,AVG(SALARY)
2 FROM S_EMP
3 GROUP BY DEPT_ID
4 HAVING AVG(SALARY) > 2000;

DEPT_ID AVG(SALARY)



50 2025S

No exemplo abaixo estamos selecionando, contando e separando em grupos os departamentos isso pelo dept_id e depois o title, perceba a seqüência do grupo.

SQL> select dept_id,title, count(*)
2 from s_emp
3 group by dept_id,title;

DEPT_ID TITLE COUNT(*)




10 VP, Finance 1
31 Sales Representative 1
31 VP, Sales 1
32 Sales Representative 1
33 Sales Representative 1
34 Sales Representative 1
34 Stock Clerk 1
35 Sales Representative 1
41 Stock Clerk 2
41 VP, Operations 1
41 Warehouse Manager 1
42 Stock Clerk 2
42 Warehouse Manager 1
43 Stock Clerk 2
43 Warehouse Manager 1
44 Stock Clerk 1
44 Warehouse Manager 1
45 Stock Clerk 2
45 Warehouse Manager 1
50 President 1
50 VP, Administration 1

21 rows selected.

Agora estamos grupando primeiro pelo title e depois pelo dept_id, veja a diferença.

SQL> select title,dept_id, count(*)
2 from s_emp
3 group by title,dept_id;

TITLE DEPT_ID COUNT(*)




President 50 1
Sales Representative 31 1
Sales Representative 32 1
Sales Representative 33 1
Sales Representative 34 1
Sales Representative 35 1
Stock Clerk 34 1
Stock Clerk 41 2
Stock Clerk 42 2
Stock Clerk 43 2
Stock Clerk 44 1
Stock Clerk 45 2
VP, Administration 50 1
VP, Finance 10 1
VP, Operations 41 1
VP, Sales 31 1
Warehouse Manager 41 1
Warehouse Manager 42 1
Warehouse Manager 43 1
Warehouse Manager 44 1
Warehouse Manager 45 1

Observe o uso do HAVING em substituição a clausula WHERE, além de outros SELECTS.

Quando quisermos trazer um registro que inicie por uma letra qualquer temos podemos usamos o cmdo LIKE procedendo da seguinte forma:

SQL> select last_name, title
1 from s_emp
2 where last_name like ‘V%’

LAST_NAME TITLE



Velasquez President

No exemplo abaixo estamos fazendo a seleção de todos os cargos de funcionários existentes assim como contando seus componentes COUNT e ainda trazendo as suas respectivas medias salariais usando a função AVG, multiplicadas por 12.

SQL> SELECT TITLE, 12 * AVG(SALARY) ” Salário Anual”,
2 count(*) ” numero de funcionários”
3 from s_emp
4 group by title;

TITLE Salário Anual numero de funcionários
President $30,000.00 1
Sales Representative $17,712.00 5
Stock Clerk $11,388.00 10
VP, Administration $18,600.00 1
VP, Finance $17,400.00 1
VP, Operations $17,400.00 1
VP, Sales $16,800.00 1
Warehouse Manager $14,776.80 5

8 rows selected.

Um pouco diferente do exemplo anterior o abaixo está primeiramente formatando a coluna Salário Anual para receber valores após ter sido feito um select em TITLE. Estamos multiplicando por 12 a soma da média dos salários feita pela função AVG, e então usamos a função COUNT para contar o numero de funcionários de s_emp grupados por title e que tenha no máximo 2 funcionários, olhando para o exemplo anterior podemos entender melhor e também destacar que o HAVING está fazendo a função de um WHERE dentro do GROUP BY.

Vamos ao Exemplo:

SQL> column ” Salário Anual” FORMAT $99,999.99
SQL> SELECT TITLE, 12 * AVG(SALARY) ” Salário Anual”,
2 count(*) ” numero de funcionários”
3 from s_emp
4 group by title
5 having count(*) > 2;

TITLE Salário Anual numero de funcionários




Sales Representative $17,712.00 5
Stock Clerk $11,388.00 10
Warehouse Manager $14,776.80 5

Mais um exemplo do uso do HAVING:

SQL> select title,sum(salary) soma
2 from s_emp
3 where title not like’VP%’
4 group by title
5 having sum(salary) > 5000
6 order by sum(salary);

TITLE SOMA



Warehouse Manager 6157
Sales Representative 7380
Stock Clerk 9490

FIM DE CAPÍTULO

Finalidade do capítulo é demostrar como criar GRANTS.

Para criar um novo usuário (isto é executado pelo DBA) devemos proceder da seguinte forma, “NOVO” é o nome do usuário e IDENTIFIED BY “tiger” é sua senha.

SQL> CREATE USER NOVO
2 IDENTIFIED BY TIGER;

User created.

Agora após termos criado um novo usuário vamos dar-lhe os seus GRANTS ou seja as permissões devidas como,delete,update e etc, veja como se processa isto e veja também a sintaxe:

SQL> GRANT create table, create sequence, create view
2 to NOVO;

Grant succeeded.

Criando uma ROLE de privilégios para ser usada para vários usuários, uma role é o conjunto de privilégios que guardamos armazenados com a finalidade de proporcionar uma facilitação de manuseio na hora de se conceder privilégios, evitando a digitação de todos os privilégios, passando a ter que digitar somente o nome da role. No exemplo, o nome da ROLE é “manager” e por enquanto não existe nenhum privilégio dentro dela.

SQL> CREATE ROLE manager;

Role created.

Agora estamos definindo os privilégios para a ROLE “manager”, que são: criar tabela e view. Observe como se processa isto:

SQL> GRANT create table, create view TO manager;

Grant succeeded.

Agora que nossa ROLE já tem os privilégios definidos, no exemplo abaixo vou passá-la para algum usuário. No caso o usuário “NOVO” está recebendo os GRANTS da ROLE MANAGER, que são somente criar tabela e view:

SQL> GRANT MANAGER TO NOVO;

Grant succeeded

Como mudar a senha de um usuário: no caso estamos mudando do user novo que tinha como “senha” ou seja IDENTIFIED igual a TIGER passando a ser LION.

SQL> ALTER USER NOVO IDENTIFIED BY LION;

User altered.

Agora estamos dando um novo GRANT para o USER “NOVO” referente a tabela s_emp, neste caso o GRANT é só de consulta.

SQL> GRANT select
2 ON s_emp
3 TO novo;

Grant succeeded.

O exemplo abaixo mostra como adicionar um novo GRANT a uma ROLE, relacionado com colunas específicas de uma tabela no caso s_dept e atribuindo a permissão de update para o usuário “NOVO” e para a ROLE “manager”.

SQL> GRANT update(name,region_id)
2 ON s_dept
3 TO novo,manager;

Grant succeeded.

Este exemplo mostra como dar GRANT para um USER em uma tabela e este usuário ter permissão de passar este mesmo GRANT para outros usuários.

SQL> GRANT select
2 ON s_emp
3 TO scott
4 WITH GRANT OPTION;

Grant succeeded.

Agora estou tornando publico de todos o SELECT a tabela S_DEPT referente ao usuário GUIMA, ou seja todos podem dar select a tabela s_dept do usuário GUIMA.

SQL> GRANT SELECT
2 ON GUIMA.S_DEPT
3 TO PUBLIC;

Grant succeeded.

Para sabermos quais privilégios nós possuímos podemos acessar no DICIONÁRIO DE DADOS nas seguintes tabelas:

ROLE_SYS_PRIVS
ROLE_TAB_PRIVS
USER_ROLE_PRIVS
USER_TAB_PRIVS_MADE
USER_TAB_PRIVS_RECD
USER_COL_PRIVS_MADE
USER_COL_PRIVS_RECD

Como ver as ROLES que eu tenho acesso:

SQL> SELECT GRANTED_ROLE,OS_GRANTED
2 FROM USER_ROLE_PRIVS
3 WHERE USERNAME = ‘GUIMA’;

GRANTED_ROLE OS_



CONNECT NO
DBA NO
MANAGER NO

Para tirar os privilégios de um USER procede-se da seguinte forma:

SQL> REVOKE select
2 ON s_emp
3 FROM NOVO;

Revoke succeeded.

No exemplo acima estamos tirando os privilégios de select do USER “NOVO”.

Como criar sinônimo:
Criando um sinônimo para uma tabela: no caso está sendo criado um sinônimo com o nome “HXXH” para a tabela s_dept pertencente a alice:

SQL> CREATE SYNONYM HXXH
FOR alice.s_dept;
Synonym created.

Agora estamos criando um sinônimo para uma VIEW, nossa VIEW se chama dept_sum_vu e o nome do sinônimo criado é d_sum:

SQL> create SYNONYM d_sum
2 for dept_sum_vu;

Synonym created.

Agora estamos criando um sinônimo publico, o nome dele é “DDD” e é referente a tabela s_dept de alice:

SQL> create public SYNONYM DDD
2 FOR alice.s_dept;

Synonym created.

Para dropar um sinônimo é simples:

SQL> DROP SYNONYM d_sum;

Synonym dropped.

FIM DE CAPÍTULO

Finalidade do Capítulo é Tratar Sobre INDEX e JOIN e OUTER JOIN:

INDEX:

Uma INDEX pode ser criada automaticamente(quando é criada uma PK ou UK constraint em uma tabela) ou manualmente. Para delatarmos uma INDEX temos que usar o cmdo DROP INDEX:

Vamos ao Exemplo:

SQL> DROP INDEX s_emp_last_name_idx;

Index dropped.

Para criar uma INDEX usa-se o cmdo CREATE INDEX:

Vamos ao Exemplo:

SQL> CREATE INDEX S_EMP_last_name_idx
2 on S_EMP(last_name);

Index created.

Para selecionar as INDEX de uma tabela faz-se um SELECT na tabela USER_INDEXES e USER_IND_COLUMNS:

O uso do JOIN:

Join é a ligação que fazemos entre duas tabelas na pesquisa de dados, necessariamente deve existir em um join a chave primaria fazendo relação com uma chave estrangeira, esta é a condição e ligação.
No exemplo abaixo estamos selecionando o last_name e dept_id da tabela s_emp e também selecionando a coluna name da tabela s_dept isto onde a coluna id de s_dept for igual a coluna dept_id de s_emp, completando assim a condição do JOIN.
Vamos ao exemplo:

SQL> SELECT S_EMP.LAST_NAME,S_EMP.DEPT_ID,S_DEPT.NAME
2 FROM S_EMP,S_DEPT
3 WHERE S_EMP.DEPT_ID = S_DEPT.ID;

LAST_NAME DEPT_ID NAME




Velasquez 50 Administration
Ngao 41 Operations
Nagayama 31 Sales
Quick-To-See 10 Finance
Ropeburn 50 Administration
Urguhart 41 Operations
Menchu 42 Operations
Biri 43 Operations
Catchpole 44 Operations
Havel 45 Operations
Magee 31 Sales
Giljum 32 Sales
Sedeghi 33 Sales
Nguyen 34 Sales
Dumas 35 Sales
Maduro 41 Operations
Smith 41 Operations
Nozaki 42 Operations
Patel 42 Operations
Newman 43 Operations
Markarian 43 Operations

No exemplo abaixo como no anterior temos a realização de um JOIN.

Vamos ao exemplo.

SQL> SELECT S_DEPT.ID ” COD DO DEPT”,
2 S_REGION.ID “COD DA REG”,
3 S_REGION.NAME”NOME DA REGIÃO”
4 FROM S_DEPT,S_REGION
5 WHERE S_DEPT.REGION_ID = S_REGION.ID;

COD DO DEPT COD DA REG NOME DA REGIÃO




10 1 North America
31 1 North America
32 2 South America
33 3 Africa / Middle East
34 4 Ásia
35 5 Europe
41 1 North America
42 2 South America
43 3 Africa / Middle East
44 4 Ásia
45 5 Europe
50 1 North America

12 rows selected.

No exemplo abaixo temos mais um exemplo de join onde temos o uso de apelidos para as tabelas manipuladas, é importante observar como é usado o apelido e como este tem que ser referenciado no FROM, no exemplo abaixo vemos o apelido de “E” para a tabela S_EMP, de “D” para a tabela S_DEPT. Outra característica importante no exemplo é o uso do JOIN onde relacionamos as duas tabelas através da chave estrangeira. O uso do INITCAP serve para procurarmos o registro que comece com a letra maiúscula

SQL> select E.last_name,E.dept_id,
2 D.name
3 from s_emp E,s_dept D
4 where e.dept_id = D.id
5 and initcap(E.last_name)=’Menchu’;

LAST_NAME DEPT_ID NAME




Menchu 42 Operations

No exemplo abaixo temos a realização de dois JOINS, uso do AND no exemplo abaixo proporciona a adição de mais de uma condição ou seja além do join entre s_emp e s_dept também ocorre um Join entre s_region e s_dept proporcionado pelo uso do AND. Também está sendo usado um novo AND colocando a commission_pct da tabela s_emp > 0.

Vamos ao exemplo:

SQL> select E.last_name,R.name,E.commission_pct
2 from s_emp E, s_dept D, s_region R
3 where E.dept_id = D.id
4 and D.region_id = R.id
5 and E.commission_pct > 0;

LAST_NAME NAME COMMISSION_PCT



Magee North America 10
Giljum South America 12.5
Sedeghi Africa / Middle East 10
Nguyen Ásia 15
Dumas Europe 17.5

No exemplo abaixo estamos mostrando um join que traz todos os registros que satisfaçam a condição da clausula where ou seja traz somente aquele que satisfação o JOIN não traz os registros que contem espaços em branco, em função da relação entre as duas tabelas no caso entre s_emp e s_customer. Mas e se quisermos que pesquisar inclusive os registros que não tem relacionamento, ou seja que estejam com o espaço em branco? Para isso temos que acrescentarmos o sinal de (+).

Vamos ao Exemplo:

SQL> select e.last_name,e.id,c.name
2 from s_emp e, s_customer c
3 where e.id = c.sales_rep_id
4 order by e.id;

LAST_NAME ID NAME




Magee 11 Womansport
Magee 11 Beisbol Si!
Magee 11 Ojibway Retail
Magee 11 Big John’s Sports Emporium
Giljum 12 Unisports
Giljum 12 Futbol Sonora
Sedeghi 13 Hamada Sport
Nguyen 14 Simms Athletics
Nguyen 14 Delhi Sports
Dumas 15 Kam’s Sporting Goods
Dumas 15 Sportique
Dumas 15 Sporta Russia
Dumas 15 Kuhn’s Sports
Dumas 15 Muench Sports

O exemplo a seguir é idêntico ao anterior com a diferença que está acrescido do sinal de (+) para, mesmo satisfazendo a clausula where, traga os registros que não tenham satisfeito a condição de relacionamento da clausula where, no caso, estamos então fazendo um OUTER JOIN pegando o LAST_NAME e o ID da tabela s_emp e o NAME da tabela s_customer onde o id da tabela s_emp corresponda ao sales_rep_id dentro da tabela s_customer e com o sinal de (+) traga também os NAME de s_customer que não tenham relação com s_emp.

SQL> select e.last_name,e.id,c.name
2 from s_emp e, s_customer c
3 where e.id (+) = c.sales_rep_id
4 order by e.id;

LAST_NAME ID NAME




Magee 11 Womansport
Magee 11 Beisbol Si!
Magee 11 Ojibway Retail
Magee 11 Big John’s Sports Empori
Giljum 12 Unisports
Giljum 12 Futbol Sonora
Sedeghi 13 Hamada Sport
Nguyen 14 Simms Athletics
Nguyen 14 Delhi Sports
Dumas 15 Kam’s Sporting Goods
Dumas 15 Sportique
Dumas 15 Muench Sports
Dumas 15 Sporta Russia
Dumas 15 Kuhn’s Sports
Sweet Rock Sports

15 rows selected.

FINAL DE CAPÍTULO

Finalidade do capítulo é mostrar o uso do BETWEEN.

No exemplo a seguir estamos selecionando as colunas ename,job,sal da tabela EMP e a coluna GRADE da tabela SALGRADE, onde através do comando BETWEEN AND ocorre uma pesquisa na tabela SALGRADE nas colunas LOSAL e HISAL onde comparamos seus valores com os valores dos campos da coluna SAL de EMP trazendo somente aqueles valores que estejam entre os de LOSAL e HISAL. No exemplo não ocorre um JOIN mas uma simples pesquisa em uma outra tabela para que seja efetuada uma comparação.

SQL> select e.ename,e.job,e.sal,s.grade
2 from emp e, salgrade s
3 where e.sal between s.losal and s.hisal

ENAME JOB SAL GRADE





SMITH CLERK 800 1
ADAMS CLERK 1100 1
JAMES CLERK 950 1
WARD SALESMAN 1250 2
MARTIN SALESMAN 1250 2
MILLER CLERK 1300 2
ALLEN SALESMAN 1600 3
TURNER SALESMAN 1500 3
JONES MANAGER 2975 4
BLAKE MANAGER 2850 4
CLARK MANAGER 2450 4
SCOTT ANALYST 3000 4
FORD ANALYST 3000 4
KING PRESIDENT 5000 5

14 rows selected.

FINAL DE CAPÍTULO

Finalidade do capítulo é mostrar o uso do ORDER BY.

O exemplo abaixo mostra como usar o comando order by, onde no caso estamos ordenando a tabela s_emp pelo o last_name, é bom lembrar que sempre o comando order by vem por último na função sql.
Vamos ao exemplo:

SELECT LAST_NAME, DEPT_ID,START_DATE
FROM S_EMP
ORDER BY LAST_NAME

LAST_NAME DEPT_ID START_DAT




Biri 43 07-APR-90
Catchpole 44 09-FEB-92
Chang 44 30-NOV-90
Dancs 45 17-MAR-91
Dumas 35 09-OCT-91
Giljum 32 18-JAN-92
Havel 45 27-FEB-91
Maduro 41 07-FEB-92
Magee 31 14-MAY-90
Markarian 43 26-MAY-91
Menchu 42 14-MAY-90
Nagayama 31 17-JUN-91
Newman 43 21-JUL-91
Ngao 41 08-MAR-90
Nguyen 34 22-JAN-92
Nozaki 42 09-FEB-91
Patel 42 06-AUG-91
Patel 34 17-OCT-90
Quick-To-See 10 07-APR-90
Ropeburn 50 04-MAR-90
Schwartz 45 09-MAY-91

LAST_NAME DEPT_ID START_DAT




Sedeghi 33 18-FEB-91
Smith 41 08-MAR-90
Urguhart 41 18-JAN-91
Velasquez 50 03-MAR-90

25 rows selected.

No comando sql order by temos a função desc que vem com a finalidade de colocar os dados dentro da coluna em ordem decrescente. No exemplo a seguir estamos colocando por ordem decrescente a coluna start_date da tabela s_emp.

SQL> SELECT LAST_NAME, DEPT_ID,START_DATE
2 FROM S_EMP
3 ORDER BY START_DATE DESC;

LAST_NAME DEPT_ID START_DAT




Catchpole 44 09-FEB-92
Maduro 41 07-FEB-92
Nguyen 34 22-JAN-92
Giljum 32 18-JAN-92
Dumas 35 09-OCT-91
Patel 42 06-AUG-91
Newman 43 21-JUL-91
Nagayama 31 17-JUN-91
Markarian 43 26-MAY-91
Schwartz 45 09-MAY-91
Dancs 45 17-MAR-91
Havel 45 27-FEB-91
Sedeghi 33 18-FEB-91
Nozaki 42 09-FEB-91
Urguhart 41 18-JAN-91
Chang 44 30-NOV-90
Patel 34 17-OCT-90
Menchu 42 14-MAY-90
Magee 31 14-MAY-90
Quick-To-See 10 07-APR-90
Biri 43 07-APR-90

LAST_NAME DEPT_ID START_DAT




Ngao 41 08-MAR-90
Smith 41 08-MAR-90
Ropeburn 50 04-MAR-90
Velasquez 50 03-MAR-90

25 rows selected.

Agora vamos mostrar os dados do resultado do mesmo select anterior sem o uso da função desc para o order by, observe a diferença da ordenação em relação as datas.

SQL> SELECT LAST_NAME, DEPT_ID,START_DATE
2 FROM S_EMP
3 ORDER BY START_DATE;

LAST_NAME DEPT_ID START_DAT




Velasquez 50 03-MAR-90
Ropeburn 50 04-MAR-90
Ngao 41 08-MAR-90
Smith 41 08-MAR-90
Quick-To-See 10 07-APR-90
Biri 43 07-APR-90
Menchu 42 14-MAY-90
Magee 31 14-MAY-90
Patel 34 17-OCT-90
Chang 44 30-NOV-90
Urguhart 41 18-JAN-91
Nozaki 42 09-FEB-91
Sedeghi 33 18-FEB-91
Havel 45 27-FEB-91
Dancs 45 17-MAR-91
Schwartz 45 09-MAY-91
Markarian 43 26-MAY-91
Nagayama 31 17-JUN-91
Newman 43 21-JUL-91
Patel 42 06-AUG-91
Dumas 35 09-OCT-91

LAST_NAME DEPT_ID START_DAT




Giljum 32 18-JAN-92
Nguyen 34 22-JAN-92
Maduro 41 07-FEB-92
Catchpole 44 09-FEB-92

25 rows selected.

O exemplo seguinte mostra como usar a posição da coluna dentro do comando sql para definir a ordenação dos registros por aquela coluna, no caso abaixo estamos ordenando nossos dados pela coluna numero 4 que corresponde a START_DATE de S_EMP.

Vamos ao exemplo:

SQL> SELECT ID,LAST_NAME,FIRST_NAME,START_DATE
2 MANAGER_ID, SALARY
3 FROM S_EMP
4 ORDER BY 4;

ID LAST_NAME FIRST_NAME MANAGER_I SALARY





1 Velasquez Carmen 03-MAR-90 2500
5 Ropeburn Audry 04-MAR-90 1550
2 Ngao LaDoris 08-MAR-90 1450
17 Smith George 08-MAR-90 940
4 Quick-To-See Mark 07-APR-90 1450
8 Bir

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here