TRUMAN STRECKFUS PERSONS – TRUMAN CAPOTE

2580


Truman Capote
30/09/1925, New Orleans
25/08/1984, Los Angeles

Truman Streckfus Persons, mais conhecido como Truman Capote, nasceu em Nova Orleans, Louisiana. Era filho de Archulus Persons, um comerciante vigarista, e sua jovem esposa Lillie Mae Faulk. Seus pais se divorciaram quando ele tinha quatro anos, e ele foi mandado para Monroeville, no Alabama, onde cresceu com seus parentes maternos. Uma criança solitária, Capote aprendeu sozinho a ler e escrever antes de entrar na primeira série. Era comum encontrá-lo, aos cinco anos, com um dicionário e um bloco de notas. Ele afirmou ter escrito um livro com nove anos de idade. Aos dez, ele submeteu seu conto Old Mr. Busybody a um concurso infantil patrocinado pela Mobile Press Register. Aos 11, começou a escrever durante três horas continuamente, todos os dias.

Em 1933, Truman mudou-se para Nova Iorque, para viver com sua mãe e seu padrasto Joseph “Joe” Capote, um cubano que trabalhava no ramo têxtil, e que o adotou e o rebatizou de Truman García Capote. Em 1935, ele entrou para a Escola Trinity. Em 1939, os Capote mudam-se para Greenwich, Connecticut, e Truman estuda na Greenwich High School, onde escreve para os dois jornais literários da escola, “The Green Witch” e o jornal da instituição. De volta a Nova Iorque em 1942, Truman se forma na Escola Dwight, uma instituição particular que hoje concede um prêmio anual que leva seu nome. Aos 17 anos, Truman finaliza sua educação formal e começa a trabalhar na The New Yorker.

Entre 1943 e 1946, Capote escreveu uma série de contos, incluindo A Mink of One’s Own, Miriam, My Side of the Matter, Preacher’s Legend, Shut a Final Door e The Walls are Cold. Essas histórias foram publicadas trimestralmente em revistas conhecidas como a Harper’s Bazaar, The Atlantic Monthly, Mademoiselle e The New Yorker.

O seu primeiro romance apresenta um mundo adolescente situado entre a realidade e a fantasia, e que literariamente pode incluir-se na tradição gótica do Sul dos Estados Unidos. Em 1958 obtém outro êxito com Breakfast at Tiffany’s (Ao começo do dia ou Bonequinha de Luxo).

O seu grande sucesso é A Sangue Frio(In Cold Blood) (1966), obra com que inicia um gênero por ele denominado non-fiction novel (ou seja, romance-documento ou romance de não-ficção). Nela reconstrói minuciosamente um fato real (um crime feroz), a personalidade das vítimas e dos jovens assassinos. O livro é um penetrante estudo dos Estados Unidos do momento, com os seus contrastes, a tentação do delito, etc. A história deste livro é relatada no filme Capote, indicado a 5 Oscar. Capote nunca foi premiado pela obra, no entanto, a premiação foi do público em geral, pois sua obra lhe rendeu por volta de dois milhões de dólares e o tornou rico. Mas a história desse assassinato brutal foi sua última obra relevante.


Posteriormente publica Música para Camaleões (Music for Chameleons).


Escreve também guiões para filmes, como Beat the Devil


E um musical para a Broadway, House of Flowers.

Truman Capote morreu por causa de seu vício por álcool e barbitúricos. Sua vida foi tão polêmica como grandes foram suas obras. Pai do romance de “não-ficção”, ele criou um novo gênero literário. Algumas de suas obras foram levadas para o cinema. Capote também possuía uma língua afiada e provocativa, além de uma imagem de escritor maldito.

Ele morreu em 25 de agosto de 1984, em Los Angeles, cidade dos EUA que detestava. O famoso escritor estava hospedado na casa de sua amiga, Joanne Carson, onde dormiu seu último sono, a um mês de seu 60º aniversário

A causa da morte foi ingestão de barbitúricos. Capote consumia álcool e drogas há muito tempo e isso o conduziu à morte. Ele criou até um “cocktail Capote”, o nome da mistura de álcool e barbitúricos que inventou.

Literatura e liberdade
Sua decadência começou depois da publicação do romance “A sangue frio“, lançado em 1965 e com o qual ganhou muito dinheiro e sucesso. Sua vida se tornou cada vez mais frívola, cheia de festas. A partir de então, passou a escrever menos livros.

Capote gostava de dizer que tinha muito dinheiro. Ele se cercou de luxo. Tinha três mansões: uma em Nova York, outra em Long Island e mais uma na Suíça. Soube se dar uma vida de prazer. O consumo de álcool o levou a ter muitos problemas pessoais, além de outros com a polícia, que o deteve várias vezes por dirigir bêbado.

Truman se tornou freqüentador assíduo da célebre boate Studio 54. Mas também foi um grande anfitrião. Famosas se tornarm suas disputadas e caríssimas festas freqüentadas pela alta sociedade nova-iorquina.

O escritor sempre quis ser famoso e adorava sair em capas de revistas e aparecer na televisão, meio que o ajudou a se tornar uma lenda. Além disso, ele sempre esteve acompanhado de belas mulheres. Uma de suas companhias favoritas era Marilyn Monroe, sobre quem, numa ocasião, disse: “É a bondade em pessoa”.

Mas nenhuma dessas mulheres, apesar da admiração que sempre teve por elas, ele chegou a namorar. A razão: não gostava de mulheres, mas de homens. O escritor nunca escondeu sua homossexualidade. Pelo contrário, defendeu sua orientação sexual na televisão e participou de várias manifestações em prol dos direitos dos gays. Seu companheiro sentimental foi Jack Dunphy, a quem enganou com outros amantes, mas com quem viveu por 25 anos.

Infância amarga
Os problemas de Capote com as drogas e o álcool podem estar relacionados com a triste infância que viveu. Truman Streckfus Persons nasceu em 30 de setembro de 1924, em Nova Orleans (Luisiana, EUA.). No entanto, logo teve que ir para o Alabama com suas tias, enviado por seus pais que viviam em um hotel. Uma vez, Truman disse que se sentia “órfão espiritualmente”, talvez por nunca ter recebido o afeto que gostaria de ter sentido de seus pais.

Sua mãe era alcoólatra e acabou cometendo suicídio. Seu pai era um viciado em sexo que colecionava amantes. Depois do divórcio de seus pais em 1931, sua mãe se casou com um industrial têxtil cubano, Joseph García Capote, de quem Truman tirou seu sobrenome, já que sempre achou seu padrasto uma pessoa maravilhosa, que o ensinou muito.

Seu novo pai o levou para Nova York e o matriculou nas melhores escolas. No entanto, ele repetiu a maioria das matérias, razão pela qual alguns professores disseram que era um pouco retardado. Quando sua mãe decidiu levá-lo ao psiquiatra, o especialista disse que Truman era um gênio. Sua inteligência era diferente e muitas vezes ele a utilizava para provocar.

Reportagem como arte


Truman Capote ficou famoso como o menino prodígio da literatura americana. Aos 17 anos, terminou os estudos, se emancipou, voltou para Nova Orleans e começou a escrever. Ele publica seu primeiro escrito em 1944, um conto intitulado “Miriam”. Em 1946, 1948 e 1951 ganha o prêmio O. Henry.


Em 1948, lança seu primeiro livro, “Other voices, other rooms”, no qual incorpora elementos autobiográficos e conta a história de um menino que procura desesperadamente seu pai.


Em 1964, publica seu romance “Breakfast at Tiffany?s”.


No ano seguinte em 1965, depois de seis anos de uma minuciosa pesquisa, publica o célebre “A sangue frio”, obra que o consagra como um escritor de fama internacional.


Outra das facetas de escritor foi sua capacidade de redigir crônicas da alta sociedade americana. Sua obra “Answered prayers” criou polêmica por se tratar de uma crônica social que descrevia as personalidades mais representativas dos Estados Unidos. Por causa do livro, passou a ser considerado o dono da língua mais ferina de Nova York.

“O mais importante é o estilo, não é o que estou dizendo, mas como o estou dizendo”, disse uma vez Truman Capote, que inventou um novo gênero literário, que misturava jornalismo e literatura.

O escritor escrevia relatos chamados de “não-ficção”, nos quais muitos personagens existiam de verdade e, outras vezes, eram produto de sua imaginação.

Capote é considerado por muitos o criador do chamado “livro-reportagem”, já que seu objetivo na hora de escrever era elevar a reportagem à categoria de arte.

Ele também se dedicou ao jornalismo de pesquisa, que consolidou em alguns de seus trabalhos, como no próprio “A sangue frio”, um livro sobre um crime rural ocorrido em Kansas que investigou por mais de seis anos, indo ao local do crime e falando com as pessoas envolvidas.

Frases famosas
O autor de “A sangue frio“, Capote foi autor de escandalosas e provocativas frases.

Sobre sua vida:
Não sou um santo. Sou um alcoólatra, um drogado, um homossexual e um gênio. Certamente, poderia ter sido todas essas quatro coisas e ter continuado sendo um santo”.

“Só direi que não sou uma pessoa feliz. Só os imbecis ou os idiotas são felizes”.

Sobre seu sucesso como escritor:
“Eu tinha que alcançar o sucesso o mais rápido possível, as pessoas como eu sabem sempre o que querem. A maioria das pessoas passa a metade de sua vida sem chegar a saber o que querem. Eu nunca pensei em trabalhar em um escritório nem nada parecido. Poderia ter sido bem-sucedido em qualquer coisa, mas sempre soube e quis ser escritor e me tornar rico e famoso”.

“O que Mãe West é para as tetas e King Kong para os pênis, eu sou para as letras norte-americanas”.

“Quando envio um manuscrito para o editor tenho certeza de cada palavra. As palavras sempre me salvaram da tristeza”.

Sobre os outros:
“A bondade era Marylin Monroe”.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA