Uma nova Modalidade entre Jovens Estudantes

0
32

SUMÁRIO

1. TEMA
2. SITUAÇÃO PROBLEMA
3. QUESTÕES NORTEADORAS
4. JUSTIFICATIVA
5. OBJETIVOS
5.1 GERAL
5.2 ESPECÍFICOS 
6. METODOLOGIA
6.1 Da Educação, Cultura, Esporte e Lazer 
REFERÊNCIAS

1. TEMA

AGRESSÃO X CRIME: UMA NOVA MODALIDADE ENTRE JOVENS ESTUDANTES: O que motivou essa violência entre alunos do Ensino Fundamental da 8ª série turma da tarde da Escola Rômulo Maiorana em Ananindeua.

2. SITUAÇÃO PROBLEMA

O ser humano enquanto jovem está propenso a uma gama de problemas, tanto a nível biológico, quanto psicológico e social. O distanciamento ou a falta da inserção de locais educativos apropriados para sua faixa etária contribuem grandemente para o avanço das mazelas biopsicossociais inerentes a esta idade, posto que, o jovem, infelizmente em nossa sociedade é visto como um ser improdutivo ou incapaz.

A ausência de limites para atitudes violências contribui cada vez mais para o aumento do número de alunos assassinados das mais variadas formas e os mais variados motivos, principalmente dentro da escola. Isto posto, questiona-se: Qual o motivo que leva os estudantes a praticarem atos criminosos no âmbito escolar causando pânico para a toda sociedade ?

3. QUESTÕES NORTEADORAS

– Quais estratégias são desenvolvidas junto a este aluno para inibir este tipo de ações brutais e quais suas relevâncias sociais?
– Que benefícios as atividades oferecem ao aluno? 
– Quais as principais dificuldades são enfrentadas para a assimilação deste modelo emergencial de educação?

4. JUSTIFICATIVA 

O fenômeno da violência preocupa a sociedade e acontecimentos envolvendo jovens mobilizam a necessidade de compreender o problema e desenvolver políticas públicas para prevenir ou minimizar sua incidência. Ela atinge a vida e a integridade física das pessoas. É um produto de modelos de desenvolvimento que tem raízes na história.

A violência é uma das formas de imposição de poder mais comum e própria da natureza do homem. Ela é usada geralmente contra o mais fraco, ou seja, contra mulheres, crianças e velhos. Para muitos a violência é um fenômeno que se localiza nas ruas, fora do ambiente familiar. Na verdade, é nele onde ela começa a ser cultivada. Pessoas violentas provêm de famílias violentas, onde a criança é oprimia pelos pais e onde o marido bate ou ofende com gestos ou palavras a esposa.

Esta pesquisa tem o objetivo de discutir o fenômeno da indisciplina, conceituando-o, localizando-o na escola, pontuando causas e enfocando um de seus aspectos, a relação professor-aluno, sob as perspectivas moral e institucional, as relações e implicações entre indisciplina escolar e a relação professor-aluno, a relação entre indisciplina e desenvolvimento moral e entre indisciplina e a proposta e atuação da instituição escolar. Desenvolvimento moral e entre indisciplina e a proposta e atuação da instituição escolar.



5. OBJETIVOS

5.1. Geral:

Pontuar e analisar causas de homicídios entre estudantes no ambiente escolar, suas relações e implicações entre agressão e o crime.

5.2. Específicos:

– Identificar os domínios e as facetas representativas das motivações que leva a modificação de conduta dos estudantes para cometerem crime na escola, por meio de um questionário baseado em instrumentos elaborados pela Estatística Criminal do Estado do Pará.
– Comparar a qualidade de vida dessas pessoas que utilizam o ambiente de educação. 
– Conhecer necessidades de aprendizagem acerca de problemas de violência, manifestados por estas pessoas que utilizaram o ambiente de aprendizagem.



6. METODOLOGIA

Este estudo será desenvolvido por meio de pesquisa descritiva, que se constitui numa modalidade de pesquisa qualitativa e sua escolha se deu pelo fato de oportunizar uma visão ampliada do problema investigado a partir da metodologia a ser trabalhada.

A investigação ocorrerá em duas etapas: a primeira se constituirá em pesquisa bibliográfica para a sistematização de informações acerca do objeto a ser investigado. A segunda etapa será a pesquisa de campo, que para tal foi escolhido os alunos da Escola Rômulo Maiorana que estuda no turno da tarde na Cidade Nova em Ananindeua.

O método de abordagem pretendido neste trabalho será o crítico- dialético, do enfoque fenomenológico ontológico da psicologia, posto que nesta concepção, o ser humano é visto enquanto ser social e histórico, determinado por contextos econômicos, políticos e culturais.

Para a pesquisa de campo será utilizado à técnica de entrevista estruturada, na qual serão levantadas as ações sociais e educacionais no ambiente em que estão inseridos, no sentido de atender os objetivos e a questão de investigação deste estudo. 

Concluído esta investigação será produzido um Relatório Final, sob a forma de Monografia a ser apresentada posteriormente a banca examinadora do Curso de Pós-graduação modalidade Lato Sensu em Psicologia Educacional com ênfase em Psicopedagoga Preventiva; como requisito de avaliação para obtenção de título de especialista.



REFERÊNCIAS

Gil, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisas. 3. Ed. São Paulo: Atlas, 1996.

LAKATOS, E. M. & MARCONI, M. A.. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 5. Ed. Revisada e ampliada. São Paulo: Atlas, 2001.

LUDKE, Menga & ANDRÉ, Marli E. Pesquisa em educação: abordagem qualitativa. São Paulo: EPU, 1986.

OLIVEIRA, Ivanilde Apoluceno de. A Lógica de Construção de um Projeto de pesquisa no Campo Educacional. In: TRILHAS: Revista do Centro de Ciências Humanas e Educação. Belém- UNAMA, v.4, n.1, 2004, p.105-108.

FREITAG, B. Escola, Estado e Sociedade. São Paulo: Moraes, 1980.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança: Um reencontro com a Pedagogia do Oprimido/Paulo Freire. – notas: Ana Maria Araújo Freire, 13ª Ed. – Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. 27ª Ed. – São Paulo: Paz e Terra, 1996 (Coleção Leitura).

BRANDÃO, C. R. A pergunta a várias mãos: a experiência da partilha através da pesquisa na educação. São Paulo: Cortez, 2003.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Em campo aberto: escritos sobre a educação e a cultura escolar. São Paulo: Cortez, 1995.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here