O SURGIMENTO DA PROFISSÃO DO SERVIÇO SOCIAL



Os fatores que influenciaram para o surgimento da profissão do Serviço Social


INTRODUÇÃO.


O objetivo deste trabalho é falar um pouco sobre os fatores que influenciaram para o surgimento do Serviço Social, principalmente as Revoluções Européia, Francesa e Industrial.
Destacando a Revolução Industrial que surgiu para reivindicar os direitos da classe trabalhadora denominada como proletariados, que eram injustamente discriminados com seus baixos salários.
Vendo também uma análise crítica do entendimento pessoal sobre esses fatores que foram importantes para o surgimento do Serviço Social.

Quais os fatores que inflieniaram para o surgimento da profissão do Serviço Social.
São vários fatores que influenciaram para o surgimento do Serviço Social;
As Revoluções: Européia, Inglesa, Francesa e Industrial.
Iluminismo;
Capitalismo, cujo esse surgiu das Revoluções, desigualdade entre as classes sociais.
Vionlência;
Discriminação.
Esses fatores foram essenciais para o surgimento da profissão do Serviço Social e também para seu desenvolvimento, pois existiam muitas desigualdades sociais, que foram causando e ativando as revoluções em vários lugares, principalmente na Europa. Por causa dessas revoluções surgiram várias manifestações por direitos melhor, tanto social quanto no trabalho, manifestações causadas pelos proletariados (classe trabalhadora), pequenos brgueses e comerciantes insatisfeitos e cansados pelos privilégios do monopólio concedido aos monarcas. Com essas manifestações, reivindicaram melhores salários, moradia, escolas, profissão regularizada, direitos que não eram concedidos por não serem como eles, os monarcas de sangue azul assim se dizia na época, tendo esses direitos, poderiam favorecer a todos, pois o nível de produção poderia aumentar com a satisfação de ambos. Isso se denominou na Revolução Industrial.
A Revolução Industrial foi um fator entre outras importantes para o surgimento do Serviço Social.
O que gerou a Revolução Industrialno século XVII foram às condições econõmicas, políticas e sociais, surgidas dos lucros da colonização da América, beneficiando a ascesnsão da França e da Inglaterra.
As mudanças na agricultura, indústria, transportes, bancos e comunicações, favorecendo o desenvolvimento da economia capitalista, que resultou na Revolução Industrial, causando de um modo social a repartição em duas classes a sociedade inglesa sendo elas: a burguesia, que era proprietária dos meios de produção, máquinas, ferramentas e fábricas; o proletariado, que era a classe assalariada, quer dizer os empregados.
A Revolução Industrial surgiu primeiro na Inglaterra por meio do processo de mecanização do setor industrial para depois atingir outros países como a França, Estados unidos, Alemanha, Japão, etc.
Teve várias condições adequadas para a explosão da Revolução Industrial na Inglaterra, foram elas:
• Acúmulo de capitais provenientes do comércio colonial;
• Revolução Agrícola, acúmulo de capitais pela produção mecanizada de alimentos;
• Ricos jazidos de ferro e carvão (que produz máquinas e ferramentas);
• Desenvolvimento científico;
• Ampliação do mercado interno e externo, sendo que a Inglaterra domina o mercado externo, dispondo de uma esquadra poderosa, gerado por causa do crescimento do mercado interno;
• Liberação de mão-de-obra no campo para a cidade, favorecendo o acúmulo de capitais, por causa do baixo salário dos trabalhadores.
A divisão técnica de trabalho e a utilização da máquina provocaram um aumento de produção e produtividades. A produção Industrial foi a causa do despovoamento do campo e expandiu a urbanização, diante da Revolução Agrícola (evasão rural).
Em 1780 surgiu o desenvolvimento do Capitalismo de modelo liberal, por conta do conjunto das condições produtivas, entre elas; o ferro, carvão, máquinas, mão-de-obra humana, desenvolvimento ténico e científico.
A Revolução Industrial junto com outros fatores que influenciaram para o surgimento da profissão do Serviço Social intensificou muito o trabalho, o desenvolvimento da prática social para facilitar o entendimento do que são direitos iguais facilitando a luta e a ajuda para quem realmente precisa.

CONCLUSÃO – Análise Crítica.


Na minha opinião os fatores que influenciaram para o surgimento da profissão do Serviço Social foram essenciais para uma sociedade de um nível social inferior reivindicar seus direitos, pois a desigualdade entre burgueses e proletariados eram grandes. Pois os burgueses eram previlegiados pelos monarcas, discriminando os proletariados, pequenos burgueses e comerciantes, isso era uma grande injustiça, que justas eram as reivindicações, através das manifestações pelos direitos sociais, de trabalho, moradia, salário, etc...
Essas Revoluções são injustificáveis na minha opinião, porque se não surgisse essas revoluções seria muito difíceis para os proletariados conseguir os seus direitos e também dificultaria muito o profissional de Serviço social, pois seria maior e mais difícil para o assistente ajudar essas classes trabalhadoras, porque não haveria espaço para chegar até eles, pois os burgueses não permitiriam, para não prejudicá-los, pois os burgueses não aceitariam perder o poder que teriam sobre os proletariados.
Por isso e muito mais foram importantes as Revoluções, pois já não era justo as condições em que viviam os proletariados. Eles não tinham culpa de nascer sem o famoso sangue azul, que diziam na época, quem tinha sangue azul eram os nobres, não seria justo a discriminação por causa da classe social.
O Serviço Social foi e continua sendo essencial para atender e ajudar quem precisa de ajuda, para reivindicar seu direito, seja ele qual for, como dizia Foucault (1987).
“É possível afirmar que o sujeito se constitui nas relações sociais, sendo compreendido como indivíduo concreto, mediado pelo social, indivíduo determinado histórico e socialmente jamais podendo ser compreendido independentemente de suas relações e vínculos”.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.

BOGADO, Francielle Toscan e BRANCO, Patrícia M. Castelo. Fundamentos históricos, teóricos e metodológicos do Serviço Social I. São Paulo. Editora: Pearson Education do Brasil, 2009.
FOUCAULT, M. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. 5ª edição. Petrópolis. Editora: Vozes, 1987






Voltar para Serviço Social



cron