UTI-NEONATAL



Autor: Sabrina Peral

População atendida:

Recém nascido pré-termo, que tenha apresentado alguma intercorrência clínica na sala do parto.
Recém nascido à termo, com o quadro de asfixia ao nascimento e que apresenta dificuldades respiratórias, se apresente deprimido, com sucção débil, necessitando de assistência na UTI.
Recém nascido com má formação congênita:características sindrômicas que dificultam a respiração e/ou sucção.
Equipe:

Médico responsável pela rotina da UTI.
Enfermeira responsável pela rotina e equipe de auxiliares e tecnicas de enfermagem.
Fisioterapeuta.
Fonoaudiólogo.
Lacterista.
Médico especialista(de acordo com a necessidade de cada recém nascido).
Atuação Fonoaudiológica na UTI-NEONATAL:

É solicitada a avaliação do fonoaudiólogo, quando o bebê está apresentando dificuldade para sugar a dieta prescrita pelo médico(esta solicitação pode ser feita pelo médico e/ou profissional da enfermagem).


Após a avaliação global e sensório motora oral, o fonoaudiólogo inicia o período de estimulação do bebê e orientação à equipe e família.

O objetivo maior do trabalho,é capacitar este bebê a sugar todo o volume prescrito, pois ele é um dos pré requisitos para alta hospitalar.

1-Estimulação sensório motora oral.
2-Aptidão para sugar no peito ou mamadeira.
3-Alta hospitalar precoce-diminui a infecção.
4-Aumento do vinculo bebê x família.

Importante:

Assepcia; que é a lavagem das mãos, retirada de adereços e uso de luvas em ambas as mãos.
O fonoaudiólogo estar atento as respostas de movimentação global do bebê, seu tônus e postura, pois estes fatores irão influenciar positivamente ou negativamente no momento da sucção nutritiva.(peito ou mamadeira).
Caso o bebê esteja em sono profundo, com dificuldade para alcançar o estado de alerta, o ideal será estimular este bebê.

É preciso que o fonoaudiólogo conheça técnicas específicas para acordar este bebê e também deve-se orientar a família neste período de internação, pois é comum apresentarem dificuldades com o bebê no manuseio em casa.

Estimulação:

Peri-oral, essa estimulação é feita por toda face do bebê, incluindo o reflexo de procura, busca ou pontos cardiais.
Intra-oral, será em região de bochechas e maxila.
Então o fonoaudiólogo deve observar:

Canelamento de língua.
Mordida(fásica / normal ou tônica / patológica).
Reflexo de Gag(vômito / refluxo).
Pressão intra-oral.
Pressão labial.
O ideal é que o bebê inicie o aleitamento materno e a mãe deve ser orientada pela equipe da UTI.

Se não for possível, será oferecida a dieta na chuca e o fonoaudiólogo irá posicionar o bebê de maneira que favoreça o movimento de sucção. Pode ser feito também o manuseio peri-oral, com o objetivo de aumentar a pressão intra-oral, a preensão labial e estabilizar mandíbula se necessário.

Alta hospitalar:

Peso 2000g(2kg).
Estabilidade clínica.
Sucção plena.
Atuação do fonoaudiólogo:

Pode não se deter somente na estimulação sensório motora oral,mas também:

Icentivo ao aleitamento materno.
Avaliação auditiva(triagem auditiva universal, ou seja, todos os bebês seriam avaliados e orientados posteriormente pelo fonoaudiólogo, caso houvesse necessidade).
Orientação `a equipe, quantoao excesso de ruído ambiental(queé maléfico ao bebê).
Orientação aos pais / participação em grupo de pais.
O fonoaudiólogo deverá registrar a evolução do bebê, e os dados, serão também repassados para equipe médica e da enfermagem.

Sempre que possível, o atendimento deve ser feito com a presença dos pais, para que eles entendam o trabalho que está sendo desenvolvido com o bebê e possam dar continuidade em casa, após a alta hospitalar.






Voltar para Fonoaudiologia