GOIÂNIA: A ARTE DOS BONS NEGÓCIOS

0
DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

PLANO DE COMUNICAÇÃO

“Goiânia: A arte dos bons negócios”

1. INTRODUÇÃO

TURISMO DE EVENTOS/NEGÓCIOS

Tomando-se por base o número de eventos que são realizados nos mais diferentes destinos ao decorrer dos anos, o Turismo de Eventos vem crescendo visivelmente. Numa mistura de Turismo e Marketing a área de Eventos torna-se essencial nos dias atuais pelo fato de que sempre alguém estará “se lançando” ou lançando algum produto.

Eventos Técnicos-Científicos é outra área que vem ganhando bastantes importância, pois no mundo globalizado que vivemos é preciso a junção dos conhecimentos, principalmente na área da saúde, educação e cultura.

Determinado evento pode promover e/ou beneficiar um ou vários promotores, como por exemplo em um evento de lançamento de um destino turístico, que pode beneficiar uma agência, uma operadora, uma companhia aérea, um hotel, entre outros colaboradores.

Todo Evento necessita de um planejamento para que nada saia do controle, e se sair, os organizadores tenham sempre uma solução previamente pensada, uma carta na manga. Como exemplo de antecipação e planejamento pode-se citar alguns Eventos Técnicos-Científicos que já possuem datas marcadas para o ano de 2008.

Enfim, eventos está se tornando cada dia mais importante para a Economia das cidades ou países os quais são realizados.

O turismo de eventos está se tornando cada vez mais forte ponto de apoio da atividade turística e economia nacional e internacional. Por motivos da dificuldade de precariedade de materiais que nos permitem analisar o desempenho do Turismo de Eventos, utilizaremos como base dados do ICCA – Internacional Congress and Convention Association. As instalações mais utilizadas para em 1997 para a realização dos eventos foram: Centro de Convenções (51%), Hotéis (22%), universidades (15%) e outros (12%).

O Brasil participa do mercado das Américas com 11,1% do total de eventos e ocupa o 3º lugar dos países em número de eventos, ficando atrás somente dos EUA e Canadá.

O evento é um ótimo veículo de promoção da região, decorrendo daí a responsabilidade de possuir uma oferta adequada. Lembramos também que o nível de desenvolvimento da região é uma condicionante da demanda.

No mercado de captação de eventos, a Importância estratégica evidencia-se quando a cidade candidata se posiciona na mente do público alvo, estimulando a percepção dos diferenciais do produto. Como exemplo temos a qualidade dos serviços de hotelaria, entretenimentos e lazer, da Infra-estrutura turística, do espaço de eventos, da tecnologia disponível, os atrativos turísticos e a qualidade dos serviços periféricos. Podemos citar como exemplo os serviços de taxi, locação de veículos, comércio, bares e restaurantes etc…

O objetivo principal é diferenciar, de forma proativa, a cidade e sua criação de serviços, comunicando ao público-alvo que são diferentes (estratégia de comunicação para captação). O posicionamento como estratégia permitirá a definição de um composto mercadológico capaz de mudar a posição real que a cidade ocupa na mente do público alvo, para a posição de como quer percebida, isto está diretamente relacionado com a estratégia de comunicação a ser desenvolvida para o processo de captação, que deverá conter todos os aspectos dos serviços (base e periféricos que estimulem a percepção dos diferenciais do produto pelo público- alvo. Como já citado, a diferenciação é um dos instrumentos mais importantes que a cidade candidata a sediar um evento tem para se posicionar.

2. ANÁLISE DE MERCADO

TAMANHO DO MERCADO

Goiânia não tem praia. Mas a estudante de medicina Márcia Alves Bittencourt, de Belo Horizonte (MG), não se queixa. Embora reclame do forte calor na capital nesses dias, pra ela o importante é a qualidade do congresso do qual está participando no Centro de Cultura e Convenções de Goiânia. “Não estou em Goiânia a lazer e, sim, para participar de um congresso de medicina. Contudo, gostei da cidade, principalmente da vida noturna”, diz. Márcia Alves faz parte do chamado turista de negócios e eventos, festejado pelo taxista Severino Rodrigues da Silva. “Em dias normais, faço dez corridas diárias. Quando temos um congresso de grande porte, chego a fazer 15 corridas diárias”, conta. Como ele, também festejam empresários de diferentes segmentos, como restaurantes, hotéis, bares, agências de viagens, prestadoras de serviços, empresas de transportes, etc.

Um moderno centro de convenções, posição geográfica privilegiada, boa qualidade de vida por custo baixo, infra-estrutura hoteleira e completa oferta de serviços. São com essas vantagens que a capital goiana vem disputando, nos últimos cinco anos, com outras cidades do País, o negócio que mais cresce no Brasil: o Turismo de Negócios.

É um mercado valioso e que vem crescendo rápido. Em 1995, foram realizados no Centro de Cultura e Convenções de Goiânia (CCCG) – local preferido pelas empresas organizadoras – 172 eventos, com a participação de 50 mil pessoas. No ano passado, foram 253 eventos com 782,1 mil participantes. Para o próximo ano, já estão confirmados 41 eventos, que deverão atrair 61,5 mil turistas de negócios com a disposição de injetar mais de R$ 65 milhões na capital. Nessa estimativa, não estão inclusos os gastos com a realização desses eventos – um congresso de 3,5 mil participantes custa entre R$ 800 mil a R$ 1 milhão – e os custos com transporte aéreo dos participantes”Existem dois tipos de turistas, o de negócios e o de lazer. Sem dúvida, o de negócios injeta mais recursos para a economia”, afirma o diretor da Agência Goiana de Turismo, Rodrigo Borges. Ela tem razão. Segundo a Empresa Brasileira de Turismo (EMBRATUR), um turista de lazer gasta em média de R$ 80,00 por dia. O de negócios e eventos desembolsa três vezes mais.

O turismo de negócios tem um grande potencial para Goiânia. Estamos ainda dando os primeiros passos nessa área, mas já conseguimos gerar resultados significativos”, afirma Heloiza Cavalcanti, Superintendente Executiva do Goiânia Convention & Visitors Bureau (GC&VB), fundação criada pela iniciativa privada HÁ 12 meses para atrair eventos de porte à capital goiana. Apenas os nove eventos captados pelo GC&VB para o próximo ano vão injetar R$ 26,7 milhões na economia goianiense.

Isso é apenas o começo. Apostando nesse negócio, começam a surgir em Goiânia vários investimentos privados, principalmente na construção de novos hotéis ou expansão na rede instalada. Estão sendo construídos mais quatro hotéis de médio e grande portes na capital. De acordo com o presidente da Associação Hoteleira em Goiás (ABIH-GO), Luciano de Castro Carneiro, a rede Hoteleira de Goiânia, tem capacidade de 8,2 mil leitos. Com os investimentos que estão sendo efetuados, aumentará para 10 mil leitos em 2002. Com isso, serão gerados mais 5,4 mil empregos diretos, elevando o total para 30 mil.

TENDÊNCIA

Quando se fala nas capitais brasileiras, se comete um pecado. Em um país voltado para o mar, constantemente se esquece de que em meio ao cerrado há uma capital com apenas 65 anos de fundação, com reputação de ecologicamente correta, e que, de forma discreta, começa a ganhar espaço como pólo das decisões e dos negócios em uma ampla região do Brasil: o Centro-Oeste.

A vastidão geográfica causa a impressão de vazio, porém nessa terra há grandes negócios por fazer e espaços a serem ocupados. As oportunidades estão tanto nas áreas agricultáveis, em fase de franca mecanização, quanto nos mercados urbanos, que possuem um potencial de fazer inveja: caso contrário do eixo Rio-São Paulo. Para acompanhar esse momento de Goiás, sua capital, Goiânia, procura desenvolver sua estrutura de serviços e lazer, enquanto no interior Anápolis, Caldas Novas, Goiás e Pirenópolis querem mostrar seu valor.

A posição quase central de Goiás no mapa do Brasil é um ponto mais que favorável: é estratégico. Para sul e leste estão os centros mais desenvolvidos e populosos, para norte e oeste está quase um Brasil inteiro para investir. Alguns números falam por si. Em Goiás, mais de 80 locais têm potencial para a construção de pequenas e médias usinas hidrelétricas, que no conjunto podem exportar energia para estados vizinhos; mais de 80% da área rural está eletrificada; e cerca de 50 municípios são donos de um diversificado potencial turístico, que inclui águas termais, cavernas, cachoeiras e cidades históricas. No cenário nacional, isso significa que a vez do cerrado está chegando.

CONCORRÊNCIA

A cidade concorrente de Goiânia na área de Turismo de Negócios é Caldas Novas.

Caldas Novas conta com uma rede hoteleira mais estruturada e com mais leitos e também está em andamento a construção de um Centro de Convenções. A cidade ainda conta com um forte referencial que é de cidade turística de renome nacional.

AVANÇOS NA ESTRUTURAÇÃO

Centro de Cultura e Convenções de Goiânia (Dona Gercina Borges Teixeira): O Centro de Cultura e Convenções de Goiânia é um dos melhores do Brasil. Seu projeto foi precedido de um criterioso estudo técnico e mercadológico dos outros já existentes. Isso permitiu incorporar com vantagens todos os pontos positivos, além de evitar os aspectos considerados falhos ou que já haviam se tornado obsoletos.
Teatro para 2.007 pessoas, com palco removível e oito cabines de tradução simultânea.
Auditório com 600 lugares, que pode ser transformado, de acordo com a necessidade, em dois de 300.
Área de 12 mil metros quadrados destinada a feiras e exposições. A parte coberta de dois pavilhões: um com 12 metros de altura, outro com 7 metros. Para as exposições de equipamentos pesados, como máquinas agrícolas e embarcações, foi reservada uma área externa de 1.377 metros quadrados.
Capacidade total para 247 estandes 4×4 metros, todos com instalação elétrica, telefônica e de informática. Destes, 96 têm também instalação hidráulica. Em caso de necessidade, poderá ser criado espaço para mais 300 estandes, com aproveitamento do primeiro subsolo.
Salas vip e de reuniões.
Salas de fax, telex e PABX.
Restaurante para 400 pessoas.
Espaço cultural destinado a exposições de arte, lançamentos literários, etc.
Sistema central de ar condicionado.
Monitoramento de todo o sistema hidráulico, elétrico e de comunicação do prédio por uma moderna central de controle.
Sistema de sonorização inteligente, tanto para a comunicação com o público quanto para a comunicação interna.
Antena parabólica que permite a captação de sinais internacionais.
Circuito interno de TV.
Sistema de segurança com profissionais treinados e modernamente equipados.
Posto telefônico.
Oficinas, depósitos e áreas de descarga.
Estacionamento interno com 1.060 vagas.
Eventos realizados no Centro de Cultura e Convenções de Goiânia

Ano
Número de Eventos
Público Participante

1998
1999
2000* 262
253
182 688.294
782.138
546.931

*De Janeiro a Outubro de 2000

Goiânia conta ainda com alguns hotéis que estão se adequando ao Turismo de Negócios:

Adress West Side Hotel,
Castro’s Park Hotel,
Crystal Plaza Hotel,
Garden Hotel,
Hotel Chateaubriand e
Hotel Papillon.
PRODUTO

Goiânia a cidade que é um verdadeiro cartão-postal é jovem, moderna e dinâmica. Fundada em 1935 e inicialmente projetada para 40 mil habitantes. Depressa veio desencadear o extraordinário processo de expansão de sua área urbana, que superou e muito, as expectativas de seus idealizadores.

Apesar do enorme crescimento verificado desde sua fundação, diversas áreas verdes foram preservadas e implantadas com o carinho de um povo que se preocupa, efetivamente, com o meio ambiente e com sua qualidade de vida. Goiânia cresce e ocupa novos espaços, sem intimidar-se diante de desafios.

Goiânia possui excelente estrutura hoteleira que está se expandindo com a chegada de hotéis de redes nacionais e internacionais e inúmeros restaurantes, com cardápio internacional e regional nos quais os visitantes se desfrutará de pratos saborosos e de boa qualidade. A vida cultural manifesta-se através de intensa produção artística: peças teatrais, shows, danças, concertos, cinemas e exposições de artes plásticas podem ser apreciadas em diversos espaços culturais.

PÚBLICO-ALVO

O direcionamento da nossa campanha será os Conselhos Regionais, Faculdades, Consultorias de RH, Associações de Classe, Sindicatos e Instituições diretamente ligadas ao Turismo (SEBRAE/GO, SENAC, SENAI, AGETUR).

3. PROBLEMAS E OPORTUNIDADES

OPORTUNIDADES:

Centro de Convenções (Dona Gercina Borges Teixeira);
Centro de Cultura e Convenções de 13 mil metro quadrados;
Completa Oferta de prestação de serviços;
Posição geográfica privilegiada no País;
Alta qualidade de vida por custo acessível;
Abertura de faculdades de Turismo;
1.200 assentos por dia nos vôos aéreos.

PROBLEMAS:

Rede hoteleira (em expansão);
Falta de profissionais qualificados nas diversas áreas ligadas ao Turismo;
Descaso com a revitalização do Centro de Goiânia;
Forte concorrência com a cidade de Caldas Novas.

4. ATRAÇÕES TURÍSTICAS DE GOIÂNIA

Bosque dos Buritis
Feira da Lua
Mutirama
Parque Vaca Brava
Feira Hippie
Feira do Sol
Memorial do Cerrado
Museu Ornitológico
Parque Zoológico
Teatro Goiânia
Relógio das Flores
Praça Cívica
Catedral Metropolitana de Goiânia

5. POSICIONAMENTO

CONVENTION AND VISITORS BUREAU

É uma entidade que visatrazer para Goiânia alguns dos grandes eventos nacionais e internacionais. Para ser ter uma idéia do tamanho e importância do Convention Bureau, dele fazem parte a ABAV-GO, CDL, ACLEG, AGETUR, Secretaria Municipal de Turismo, UCG e Sindicato de Bares, Hotéis e Similares (Sindhorbs). O Convention Bureau, além de representar este trade e promover Goiânia, profissionalizará ainda mais a
captação e organização de eventos através de uma assessoria especializada.

O Goiânia Convention & Visitors Bureau está localizado no Centro de Cultura e Convenções Gercina Borges Teixeira. A entidade visa atender todas as instituições e empresas com intenções de realizar grandes eventos, para assim promover nossa cidade.

6. DISTRIBUIÇÃO E PROMOÇÃO

Através de Folders via Mala-Direta vamos fazer uma propaganda seletiva, flexível e personalizada.

7. ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO

PROPAGANDA

A propaganda é de extrema importância para a atividade mercadológica, pois através dela as empresas podem manter cooperação de seus intermediários, familiarizar seus clientes com o uso dos produtos fabricados, criar imagem de credibilidade, lançar novos produtos, estimular demanda, criar lealdade de marca, enfatizar características dos produtos, entre outros propósitos. Para perseguir os objetivos determinados pelo programa de marketing, muitos fatores são considerados: a disponibilidade de mídias e dos fundos reservados para a promoção, a natureza do mercado e do produto, os investimentos da concorrência, como também leis existentes e que regulam a atividade. Percebe-se, portanto diversidade de aspectos a serem considerados. Por esta razão é que muitas vezes um planejamento inicial poderá ser modificado como conseqüência de algumas destas considerações. É evidente que todas as estratégias e aspectos mencionados até aqui são dependentes de uma mídia disponível e que estejam dentro das características desejadas. A mídia é o veículo, o meio para transmissão da mensagem. São vários os tipos de mídia disponíveis:

ESTRATÉGIA DE MIDIA

A mídia proporciona várias alternativas de comunicação. Ela faz com que consumidores conheçam e se interessem pelos produtos elaborados e oferecidos pela empresa, e visam atingir o alvo certo no momento oportuno.

Deve-se trabalhar em cima de alternativas de mídia, que estejam de acordo com as possibilidades da empresa e que visam atingir os veículos de comunicação aos quais os clientes tenham acesso. Este fator é fundamental para obter-se os retornos desejados em termos de propaganda.

PROPAGANDA COM FOLDERS: Os folders serão elaborados com o objetivo de vender a cidade de Goiânia como referência no Turismo de Negócios, divulgando todo o potencial da cidade na área turística e de serviços diretamente ligados..

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui