17.8 C
Sorocaba
quinta-feira, julho 18, 2024

Ensaio, Resenha e Paper

PAPER

Definições

Para a ABNT (1989) paper é um pequeno artigo científico, elaborado sobre determinado tema ou resultados de um projeto de pesquisa para comunicações em congressos e reuniões científicas, sujeitos à sua aceitação por julgamento.

Os propósitos de um paper são quase sempre os de formar um problema, estudá-lo, adequar hipóteses, cotejar dados, prover uma metodologia própria e, finalmente, concluir ou eventualmente recomendar.

O paper é intrinsecamente técnico, podendo envolver fórmulas, gráficos, citações e pés de página, anexos, adendos e referências.

Num paper a opinião do autor é velada e tem a aparência imparcial e distante, não deixando transparecer tão claramente as crenças e as preferencias do escritor.

Para Carmo-Neto (1996) os dados de um paper são geralmente experimentais, mensuráveis objetivamente; mesmos os mais intuitivos ou hipotéticos sempre imprimem um certo pendor científico, e quase sempre são formados a partir de uma metodologia própria para aquele fim.

Estrutura

Um paper deve conter os seguintes elementos:

Título;
Nome completo do(s) autor(es);
Resumo e/ou Abstract;
Introdução;
Revisão da Literatura;
Metodologia;
Desenvolvimento;
Resultados;
Discussão dos Resultados;
Conclusão;
Anexos e/ou Apêndices;
Bibliografia.
Embora um paper apresente número de páginas variado, de 15 a 20 páginas é o tamanho aceitável.

Utilização

Trabalho final de disciplinas de Cursos de Especialização, de Mestrado e de Doutorado;
Apresentação em congressos;
Publicações periódicas de papers, ex. READ (Revista Eletrônica de Administração – PPGA/EA/UFRGS).

ENSAIO

Definições

O ensaio é um “estudo bem desenvolvido, formal, discursivo e concludente, consistindo em exposição lógica e reflexiva e em argumentação rigorosa com alto nível de interpretação e julgamento pessoal. No ensaio há maior liberdade por parte do autor, no sentido de defender determinada posição sem que tenha que se apoiar no rigoroso e objetivo aparato de documentação empírica e bibliográfica. De fato, o ensaio não dispensa o rigor lógico e a coerência de argumentação e por isso mesmo exige grande informação cultural e muita maturidade intelectual” (Severino, 1976, p.153)

“É uma exposição metodológica dos assuntos realizados e das conclusões originais a que se chegou após apurado o exame de um assunto. O ensaio é problematizador, antidogmático e nele deve se sobressair o espírito crítico do autor e a originalidade” (Medeiros, 2000, p. 112).

RESENHA

Definições

Tipo de resumo crítico, contudo mais abrangente: permite comentários e opiniões, inclui julgamento de valor, comparação com outras obras da mesma área e avaliação da relevância da obra em relação às outras do mesmo gênero, por isso normalmente a resenha é uma tarefa para especialistas no assunto, como professores de determinada área.

Segundo Andrade (1997), resenha é um relato minucioso das propriedades de um objeto, ou de suas partes constitutivas; é um tipo de redação técnica que inclui variadas modalidades de textos: descrição, narração e dissertação. Estruturalmente, descreve as propriedades da obra (descrição física da obra), relata as credenciais do autor, resume a obra, apresenta suas conclusões e metodologia empregada.

Estrutura

A resenha deve ser escrita em terceira pessoa, implicando em certa neutralidade, o que é limitado, porque na seleção e organização do texto já ocorre intenção de quem escreve.

Elementos de Identificação

Uma resenha deve conter os seguintes elementos:

Autor;
Título;
Local da Publicação;
Editora;
Data;
Edição;
Tamanho;
Autoria;
Resumo;
Tipo de Livro;
Bibliografia;
Apreciação.
Fonte: Guia para a elaboração de trabalhos escritos – UFRGS

Outros trabalhos relacionados

MODELO REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS

Abaixo um modelo de Referencias Bibliograficas http://www.trabalhosescolares.net/download/referencias_bibliograficas.doc MODELOS DE REFERÊNCIAS LIVROS (NO TODO) a) Um autor SOBRENOME DO AUTOR, Prenomes. Título. Edição (se houver). Local: editora, ano. Exemplo: OLIVEIRA, P....

FORMAÇÃO DA LINGUA ESPANHOLA

A origem do idioma espanhol é o latim popular (falado pela população), difundido na Espanha a partir do final do século III a.C. Entre...

REFLEXÃO SOBRE APRENDIZAGEM

Como de costume, a teoria de Vygotsky fora apresentada a partir da exibição de um filme, um documentário sobre o assunto, que possibilitou uma...

DOENÇA DE PARKINSON

Autor: Negreiros Neto A ciência versus a doença Há um dito popular que diz "na luta do rochedo contra o mar, quem sai perdendo é o...