16.2 C
Sorocaba
sexta-feira, setembro 23, 2022

Hiperatividade

Autoria: Wanessa Delgado da Silva

1-PSICOLOGIA INFANTIL – HIPERATIVIDADE

A hiperatividade é um tema extenso, mas interessante com esta pesquisa se irá afundo nesse tema, expondo da melhor maneira possível informações sobre este tão pouco conhecido.

1.1 – O QUE É HIPERATIVIDADE?

Muitas vezes se ouve falar nesse assunto, mas será que se sabe o que realmente é hiperatividade. A definição mais completa do que seria hiperatividade é a atividade exagerada. No caso desta pesquisa irá se estudar a hiperatividade infantil.

A hiperatividade só é confirmada a partir de quando a criança começa a sua vida escolar, isso em média aos 05(cinco) anos de idade; Alguns fatores de desenvolvimento no início da infância como o bebê com dificuldades para dormir e para se acalmar, possam colocar essa criança no grupo de risco de ser uma criança hiperativa. “[…] Embora os profissionais não rotulem uma criança antes de ela ter no mínimo cinco anos […]”(GOLDESTEIN, 1998,p.22.).

Como o diagnóstico da hiperatividade é difícil e complexo e não havendo um diagnóstico absoluto à alguns pontos comuns que se pode observar:
• Desatenção e agitação – uma criança hiperativa não consegue se concentrar em uma atividade. Na escola, por exemplo, sempre está atrasada comparada a seus colegas.

• Superexcitação e atividade excessiva – as crianças hiperativas são muito agitadas e com isso suas emoções são excessivas.

• Impulsidade – Crianças hiperativas muitas vezes não pensam antes de agir, resultando um comportamento inadequado.

• Dificuldades com frustrações – não aceitam adiar recompensas.

Temos que destacar que as dificuldades de uma criança hiperativa são as mesmas de uma criança não -hiperativa, com um detalhe, que para a criança hiperativa essas dificuldades são exageradas.

1.2 – QUAIS AS CAUSAS DA HIPERATIVIDADE?

Fatores ambientais(como lesões celebrais, epilepsia, certos medicamentos, regime alimentar, intoxicação por chumbo) e hereditariedade foram relacionados à hiperatividade.

1.2.1 – Trauma durante o parto

Nas décadas de 1960 e 1970 acreditava-se que a hiperatividade na maioria das crianças se devia a lesões ocorridas durante o parto.

Mas após longos estudos, descobriram que os problemas durante o nascimento eram mínimos em relação a hiperatividade.

1.2.2 – Distúrbios clínicos

Para se entender melhor está questão vejamos um exemplo: se uma criança está fortemente gripada, com nariz escorrendo, tosse, garganta inflamada e febre geralmente é desatenta e distraída. Esta alteração de comportamento não quer dizer que essa criança é hiperativa.

Poucas doenças apresentam a hiperatividade como principal sintoma.
1.2.3 – Hereditariedade

A hereditariedade é a causa mais freqüente de hiperatividade. A primeira ligação foi estabelecida pelo estudo do parentes de uma criança hiperativa, foi comprovado que uma criança hiperativa tem quatro vezes mais probabilidade de possuir parentes com o mesmo problema.

1.3 – A CRIANÇA HIPERATIVA NA ESCOLA

A criança mesmo com esse problema, a maioria delas deve ser educada em ambientes de sala de aula normais, apenas 10% a 30% das crianças hiperativas passam por uma incapacidade específica de aprendizagem e devem receber alguma forma de educação especial.

Mas a que são educadas em escolas normais, para a obtenção de sucesso é necessário uma combinação de intervenção médica, cognitiva e de acompanhamento.

1.4 – A CRIANÇA HIPERATIVA EM CASA

A maioria dos pais fazem de conta que não sabem que seus filhos tem problemas, e no caso da hiperatividade não é diferente os pais após repetidas tentativas fracassadas no shopping, nas igreja, no grupo de escoteiros e mesmo nas atividades cotidianas na vizinhança, eles optam pelo isolamento e segregação como meio de evitar mais problemas. Não levando em conta que se essas crianças hiperativas não forem tratadas podem destruir emocionalmente uma família.

RESUMO

Hiperatividade é um assunto complexo e extenso; Ainda pouco estudado, mas está presente no dia a dia, mesmo sem que se perceba convive-se muitas vezes com pessoas hiperativas. Tem que se aprender como lhe dar com uma pessoa hiperativa, nesse caso uma criança hiperativa. Como uma das principais causas da hiperatividade é a hereditariedade tem que se preparar, pois esse problema poderá ocorrer em qualquer família; E a melhor maneira de evitar que um adolescente e um adulto não passe por problemas com a hiperatividade, é tratá-lo enquanto criança.

Palavras – chave: criança, família, hiperatividade, pessoas

Outros trabalhos relacionados

IMPORTANCIA DE BRINCAR NA INFÂNCIA

Atualmente várias são as escolas de Educação Infantil que agregam atributos extremamente pesados ao desenvolvimento infantil visando apenas à formação escolar da criança contribuindo...

BULIMIA

BULIMIA Cada dia surgem mais casos de adolescentes que aprendem sobre o processo bulímico, pois observam ou ficam sabendo através de suas amigas e acabam...

Síndrome do Túnel do Carpo

1 INTRODUÇÃO Ocupando lugar de destaque nas estatísticas de doenças do trabalho registradas pela Previdência Social, por entidades de Saúde como Centros de Referências (Cerests),...

Morte

Autoria: Eduardo Giorgi INTRODUÇÃO Desde os primórdios da Civilização, a morte é considerada um aspecto que fascina e, ao mesmo tempo, aterroriza a Humanidade. A morte...