27.8 C
Sorocaba
quinta-feira, novembro 25, 2021

SÍNDROME DO PÂNICO OU TRANSTORNO DO PÂNICO

A síndrome do pânico, na linguagem psiquiátrica chamada de transtorno do pânico, é uma enfermidade que se caracteriza por crises absolutamente inesperadas de medo e desespero. A pessoa tem a impressão de que vai morrer naquele momento de um ataque cardíaco porque o coração dispara, sente falta de ar e tem sudorese abundante.
Quem padece de síndrome do pânico sofre durante as crises e ainda mais nos intervalos entre uma e outra, pois não faz a menor idéia de quando elas ocorrerão novamente, se dali a cinco minutos, cinco dias ou cinco meses. Isso traz tamanha insegurança que a qualidade de vida do paciente fica seriamente comprometida.

Principais Sintomas da Crise de Pânico:

A crise de pânico vem rapidamente e com severa angústia. A sua duração média é de 20 a 30 minutos, podendo variar de minutos a horas, atingindo seu ápice em aproximadamente 10 minutos. A freqüência de ocorrência das crises é variada e estas são em geral totalmente debilitantes, sendo usualmente seguidas de fadiga, conseqüência do desgaste gerado pela mesma. Os Principais sintomas de uma crise de Pânico são:

    • Dor no peito
    • Sensação de engasgo
    • Palpitação
    • Tremores
    • Falta de ar
    • Rigidez
    • Ondas de frio ou calor
    • Palidez
    • Sudorese abundante e fria
    • Reflexos intensificados (hipervigilância)
    • Formigamento das mãos e pés
    • Sensação de morte ou loucura eminente
    • Tonteira, Vertigem, Instabilidade,
    • Fraqueza, Sensação de desmaio
    Sensação de perda de controle, dificuldades no pensamento linear e lógico

Causas

Psicológicas (são as mais comuns): reação a um Stress ou a uma situação difícil cuja solução é igualmente difícil. Essa situação difícil pode ser profissional, afetiva, financeira, de saúde, etc.
Físicas: alterações no organismo provocadas, por medicamentos, doenças físicas, por abuso de álcool em drogas.
Genética familiar de Pânicoou de outros transtornos. Atenção: predisposição genética não quer dizer hereditariedade. Ou seja, Síndrome do Pânico ou Transtorno do Pânico não passa de pai para filho, não se preocupe.
O mais comum é uma combinação de várias causas.

Sofrer de Pânico não tem nada a ver com personalidade forte ou fraca, com a pessoa ser ou não corajosa.

Como tratar ?

Tratamento Psicológico – O Psicólogo busca auxiliar o cliente no desenvolvimento de seu auto-suporte. Procura facilitar a pessoa a entrar mais em contato com suas sensações, por exemplo através do trabalho corporal (ex.: respiração). Visa proporcionar ao cliente a oportunidade de experimentar a possibilidade de correr riscos com seu próprio suporte, dentro do ambiente “seguro” proporcionado pelo espaço psicoterapêutico, solidificando sua autoconfiança.
Normalmente uma associação de tratamento psicoterápico e medicamentoso traz excelentes resultados. Lembrando que para o uso de medicamentos deve-se sempre procurar um médico.

Outros trabalhos relacionados

A FAMILÍA NA ATUALIDADE

RESUMO Este estudo diz respeito às formações familiares que se modificaram ao longo dos tempos devido a vários fatos relacionados ao desenvolvimento da sociedade moderna,...

CRISE DE VALORES

Diante de acontecimentos que surgem esporadicamente na imprensa, sobre filhos que mandam matar os pais, netos que degolam avós, pais que matam filhos e...

Ego

Autoria: Diogini Albano Gomes Em seus primeiros escritos, Freud já mencionava a existência do ego, mas não o especificava com tanta riqueza de detalhes, até...

AFETIVIDADE

A afetividade é parte de nossa vida psíquica e para estudar o ser humano temos que considerar a importância dos afetos. Muitas vezes programamos...