O Dia Mundial da Saúde foi criado em 1948, no dia 7 de abril. A data é comemorada em todo o mundo por meio da realização de campanhas que objetivam a conscientização das pessoas sobre os diversos aspectos da saúde.

Quando foi criado?

O Dia Mundial da Saúde foi criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), por conta da preocupação de seus integrantes em manter o bom estado de saúde das pessoas do mundo, garantindo a conscientização sobre esse tema e estimulando a criação de políticas voltadas ao bem-estar da população, a cada ano, um tema é adotado, e esses temas refletem alguns dos principais problemas relacionados à saúde que afetam a população mundial.

Definição de Saúde

alimentação saudável - trabalhos escolares
Portrait of beautiful young woman eating cereals and fruits at home.


Mas o que é ter saúde? Segundo a Organização Mundial da Saúde, saúde pode ser definida como “um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não consiste apenas na ausência de doença ou de enfermidade”. Muitas pessoas consideram-se saudáveis quando estão bem, porém a falta de enfermidades não significa presença de saúde. Dizer que uma pessoa está saudável necessita avaliar uma série de fatores, como a qualidade de vida e aspectos mentais e físicos.
De acordo com a Lei nº 8.080, de 1990, a saúde é um direito fundamental do ser humano, vale lembrar que garantir a saúde não é apenas oferecer medicamentos para os doentes e investir em hospitais. Investir em saúde é garantir saneamento básico para todos de forma que previna doenças, levar educação de qualidade para que todos possam estar informados.

O que fazer para ter saúde e uma vida saudável?

Saude e bem estar - trabalhos escolares


A saúde envolve bem-estar físico, mental e social. Assim, com atitudes simples, cada indivíduo pode atuar na melhoria de sua qualidade de vida, alcançando um melhor estado de saúde. Não adianta somente pensar nisso no Dia mundial da saúde, por isso destacamos abaixo 7 dicas para promover uma vida mais saudável.

  1. Entenda que alimentação é individual: cada organismo possui necessidades específicas. Por isso, para garantir uma alimentação balanceada, lembre-se de procurar sempre um especialista para auxiliar no equilíbrio nutricional do cardápio e na adequação da dieta ao seu tipo físico e necessidades individuais.
  2. Não foque em calorias, mas sim nos benefícios para o seu organismo: por isso, dê preferência a alimentos nutritivos e que promovam o pleno funcionamento do organismo.
  3. Evite ingredientes transgênicos: os transgênicos são alimentos modificados geneticamente, ou seja, são produtos criados em laboratórios a partir de combinações que jamais existiriam na natureza. A frequência na ingestão desses alimentos pode gerar aumento das alergias, maior resistência aos antibióticos, aumento das substâncias tóxicas, maior quantidade de resíduos de agrotóxicos e riscos para o meio ambiente.
  4. Movimente-se: praticar exercícios físicos com frequência auxilia não só na diminuição ou controle do peso. A prática de exercícios diminui o risco de doenças cardíacas e pulmonares e previne doenças como osteoporose, diabetes e depressão. A prática de exercícios alivia o estresse e a ansiedade e aumenta a resistência muscular e a flexibilidade do corpo, além de estimular a produção dos chamados hormônios do bem-estar, como a serotonina. Por isso, lembre-se de reservar uma hora do seu dia, ao menos três vezes por semana, para a prática de exercícios físicos.
  5. Compartilhe bons momentos: restrições alimentares têm grande impacto no dia a dia de quem precisa seguir uma dieta especial. Mas o que inicialmente pode parecer uma limitação, pode resultar na melhora na alimentação e no aumento da qualidade de vida, por meio de uma dieta mais equilibrada e saudável, com produtos de altos valores nutricionais e seguros. Convide as pessoas a experimentarem produtos sem glúten e diminuírem a barreira do preconceito. Tenha com você produtos de consumo prático, para os momentos em que tiver fome. E não aceite que o limite de consumir algum tipo de alimento impeça o seu convívio social.
  6. Permita-se pequenos prazeres: ser saudável é principalmente aproveitar a vida. Por isso, relaxe, curta momentos com a família, permita-se momentos a sós, tenha um hobby e permita-se pequenos prazeres. Traga leveza a sua vida.
  7. Seja vigilante com relação a sintomas: mantenha em dia seus exames preventivos e investigue dores e mal-estar. Para se ter uma ideia, de acordo com estudos norte-americanos, cerca de 90% dos celíacos ainda não são diagnosticados. As doenças glúten-relacionadas podem apresentar uma série de sintomas. Entre os mais comuns, estão distensão abdominal, diarreia, desnutrição e cólicas abdominais ao ingerir glúten. Mas há também outros sintomas atípicos, e até mesmo outras doenças autoimunes, como a diabetes, a tireoidite e a hepatite, que podem estar associadas à doença celíaca.

Por Marcelo Cardoso

CARDOSO, Marcelo Pereira. “7 de abril – Dia Mundial da Saúde”; Trabalhos Escolares. Disponível em: https://www.trabalhosescolares.net/dia-mundial-da-saude

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui