segunda-feira, janeiro 25, 2021

APRENDER A APRENDER

APRENDER A APRENDER

Centro Universitário Leonardo da Vinci-UNIASSELVI
Curso/Matemática (MAD.0561) – História da Educação.
Porto Alegre, janeiro/2008

RESUMO
No foco da educação não se abandona os conteúdos, mas deles se utiliza para o indivíduo desenvolva habilidades de novo cidadão; neste foco, aprender a aprender é o grande objetivo a ser alcançado; e o indivíduo passará a ser agente da própria aprendizagem.

Palavras-chaves: Conhecimento – aprender – indivíduo – ensinante

1 – INTRODUÇÃO

No momento em que vivemos numa globalização de informações diárias, em processo acelerado de mudanças; a educação tradicional é resultado de sociedades estáticas, nos quais a transmissão dos conhecimentos e tradições produzidas pelas gerações passadas era suficiente para assegurara formação de novas gerações; a nova educação moderna deve levar em conta a dinâmica a qual vivemos, em que o conhecimento de hoje pode ser superado em pouco tempo às vezes em alguns meses; é necessário que o indivíduo aprenda a aprender seus conhecimentos.

2- Aprender a Aprender

O fato de o aprendizado ocorrer quase que interruptamente, nada impede que o indivíduo possa interferir neste processo para tirar um aproveitamento melhor e mais vantajoso para si. A experiência é com certeza a melhor prova de que o aprendizado ocorre conforme vivência de cada indivíduo. Segundo Ilza Martins e Maximiliano (1989, p.13) ¨Aprender, certamente, mas antes de tudo VIVER e APRENDER PELA VIDA E NA VIDA. ¨

Informação demais exige que aprenda a selecionar dados importantes e joga fora o supérfluo. Para isso, na era da informação, é ver, ouvir e expressar, procurando fazer conexões de um campo de interesse nutrindo o necessário e importante.

A explosão da informação os avanços na tecnologia de transmissão e de armazenamento afeta tanto no fluxo quanto pela produção de informação

Aprender sozinho contribuiria para o aumento da autonomia do indivíduo. Para isto seria necessário que a educação escolar deva desenvolver no indivíduo capacidade e iniciativa de buscar por si mesmo novos conhecimentos, a liberdade de pensamento e de expressão. O fato que a pedagogia do ¨ Aprender a aprender ¨ no qual aprender sozinho exige autonomia intelectual e moral num nível mais elevado, resultante da transmissão de conhecimento por alguém. O indivíduo elabora seu método de descoberta, construção de conhecimento, do que o indivíduo aprender os conhecimentos que já foi descobertos e elaborados por outra pessoa. O problema da educação é direcionar o adolescente para um método que lhe permita construí-las por conta própria suas soluções e não para resultados prontos.

Aquilo que o indivíduo aprende por si mesmo é superior, em termos educativos, aquilo que ele aprende através da transmissão por outras pessoas.
“A educação não simplesmente um processo de influência do passado sobre o presente.
Deve ser um processo que possibilite ao educando se auto-educar, despertar a consciência
e responsabilidade ante valores essenciais à vida. Um objetivo da educação é possibilitar
que os jovens desenvolvam o próprio processo, que eles mesmos se realizem através da
ação e do esforço pessoal para buscar e transformar os valores culturais do passado,
adaptando-os à realidade.” (Ilza Martins e Maximiliano, 1989, p.16)

Toda ação didática deve estar relacionada com processo educativo e os objetivos proposto da entidade. Ação da escola como espaço a sociedade do conhecimento e da informação (mídia, rádio, sindicato, empresas, ONGs, família e internet) procurando uma relação interativa com parcerias para o crescimento educativo.

O ensinar não pode ser uma ação causal tem que estabelecer uma relação entre o indivíduo e o conhecimento no contexto da escola. O conhecimento, aprender a aprender, é dinâmico, mutável e negociada, constituíndo-se em resultados das expreriências dos indivíduos em sua interação com o mundo físico e social.

O ensinante deve ter consciência de que ensinar também é aprender, e o conhecimento é a construção resultante da preparação, capacitação e processo permanente de atualização que envolve necessariamente estudar, e reaprender aquilo que já se aprendeu.

CONCLUSÃO

Conclui neste texto, tenho consciência das limitações para o desempenho como ensinante de passar este método de aprender a aprender; isso se faz em conjunto com escola e demais segmentos da sociedade. Pessoalmente procuro desempenhar meu trabalho dentro deste contexto em que sempre se tem algo para aprender e reaprender. Sou da opinião que o mestre é aquele que deixa o indivíduo pensar.

BIBLIOGRAFIA

DUARTE, Newton. As Pedagogias do “Aprender a Aprender”. Disponível em: MORETTO, Pedro Vasco. Construtivismo. 2º Ed. Rio de Janeiro. DP&A, 2000.
SANT’ANA, Ilza Martins e Menegollo, Mximiliano. Didática:Aprender a Ensinar. São Paulo. Edição Loyola.1989.

Marcelo Cardoso
Marcelo é um profissional de Informática interessado em Internet, Programação PHP, Banco de Dados SQL Server e MySQL, Bootstrap, Wordpress. Nos tempos livres escreve nos sites trabalhosescolares.net sobre biografias, trabalhos escolares, provas para concursos e trabalhos escolares em geral.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

CORONAVÍRUS

Origem da Crise Econômica

Recent Comments

Nilson Ribeiro on O QUE É ENGENHARIA CIVIL?
PABLO DA SILVA BARBOZA on FILOSOFOS BRASILEIROS
Ligeirinho Resolve on Tese Globalização
Susana Mesquita on Tese Globalização
Cátia Regina de Aquino Santos on Tratamento Multiprofissional à Terceira Idade
Kesia Oliveira do Nascimento on SUBSTANTIVOS
Ludymila Helena Arraujo Lima on DEPRESSÃO
TIAGO NERY on FILOSOFOS BRASILEIROS
TIAGO NERY on FILOSOFOS BRASILEIROS
TIAGO NERY on FILOSOFOS BRASILEIROS
Fernando on FILOSOFOS BRASILEIROS
fernando monteiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
fernando monteiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
fernando monteiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
Guilherme on Hidrocarbonetos
Ernani Júnior Silva on FILOSOFOS BRASILEIROS
Flavio Musa de Freitas Guimarães on FILOSOFOS BRASILEIROS
Flavio Musa de Freitas Guimarães on FILOSOFOS BRASILEIROS
Isabella on SUBSTANTIVOS
Anonimo on Adjetivos
ALVARO on SURDEZ SÚBITA
CARIMBO DA CONFUSÃO on FILOSOFOS BRASILEIROS
socorro andrade on DINÂMICA DO SORRISO
Alessandra Martins on RESUMO DO FILME FLORENCE NIGHTINGALE
Sibely on VIRUS E BACTÉRIAS
Paula on Sistema Nervoso
Samuel Delgado Pinheiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
Jamal Mussa Muroto on DIVISÃO CELULAR
Guilherme on FILOSOFOS BRASILEIROS
Camila on SISTEMA DIGESTIVO
Hadouken on FILOSOFOS BRASILEIROS
Josimeire dos Angelos on RESUMO DO FILME FLORENCE NIGHTINGALE
ONEIDE abreu on REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR
José Caixeta Júnior on FILOSOFOS BRASILEIROS
GILVALDO DIAS GUERRA on COMO SURGIU O DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA
ronald on CONSCIÊNCIA NEGRA
SÉRGIO LEONARDO TRINDADE on FILOSOFOS BRASILEIROS
ELIZABETH on FILOSOFOS BRASILEIROS
ELIZABETH on FILOSOFOS BRASILEIROS
Reginaldo Coveiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
julieny kettylen on Obesidade
gabrielle barreto de oliveira on DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO
suzana stvens on CORRUPÇÃO NO BRASIL
Kauã Liecheski on Tratamento do Lixo
Ligeirinho Resolve on OLIMPIADAS
Ligeirinho Resolve on A FUNÇÃO SOCIAL DA ESCRITA
kamilly on Jogos Olimpicos
Marcelo Cardoso on MILITÂNCIA JOVEM
Isabella on MILITÂNCIA JOVEM
Maria Conceição Amorim on A IDENTIDADE E CULTURA DA BAHIA
Maria Conceição Amorim on FOLCLORE BRASILEIRO
Emerson Davi on CORRUPÇÃO NO BRASIL
Maria dos Reis on COMO FAZER UM TRABALHO ESCOLAR