13 C
Sorocaba
sexta-feira, julho 1, 2022

Benchmarking

O benchmarking sempre existiu, mas somente na década de 70 que ele começou a adquirir essa nomenclatura, desde o começo do comércio a pratica de copiar o que o concorrente faz de diferente e aprimorá-las sempre foi usada.

Ele é uma forma de administrar que pode melhorar os vínculos entre a organização e seu ambiente, pois uma administração eficaz requer uma sondagem ambiental em busca de novas oportunidades.

Essa sondagem ambiental e necessária para se descobrir tendências emergentes que podem ser benéficas para a empresa, através de coleta de informações básicas de seus concorrentes para saber como eles estão no mercado e descobrir seus pontos fortes e fracos para se desenvolver estratégias dentro da empresa.

Ao comparar produtos, serviços ou estratégias empresariais com os das empresas lideres no mercado podemos ter uma idéia do que está ocorrendo dentro de nossa empresa e se nossa política de funcionamento estiver muito diferente das utilizadas por elas de modo que ocorre perda de clientes, devemos nos moldar e seguir o exemplo das lideres para que a empresa não fique para trás.

O benchmarking precisa atender um conjunto definido de critérios como comparabilidade, objetividade, adaptabilidade e continuidade, depois de atendidos esses critérios deve-se comparar as semelhanças para que a analise possa ir em frente.

A meta do Benchmarking e a eliminação dos processos que estão prejudicando a empresa ou gastando recursos desnecessários e através da pratica de comparar através de algum parâmetro mensurável, o desempenho de uma operação fundamental da empresa com uma operação semelhante em empresas lideres.

GESTÃO DE CONHECIMENTO

Uma nova tendência mundial chegou à década de 90 e está até os dias atuais e pelo jeito vai se estender por muito tempo ainda, essa nova ordem e baseada no conhecimento e na inovação e isso será um fator estratégico para a sobrevivência e o crescimento das organizações.

Qualificar profissionais no trato da informação empresarial está sendo fundamental para o sucesso das empresas modernas e inovadoras, dessa forma elas conseguem ficar a frente de suas concorrentes, que no mundo globalizado mudam com muita freqüência.

Como o programa de gestão de conhecimento contempla o diagnósticos de processos contábeis, financeiros, produtivos e de logísticas entre outros, com isso e proposto a consolidação de novos modelos de negócios que com isso promovem a excelência do processo decisório.

O foco no conhecimento pode ser utilizado tanto por empresas de pequeno, médio ou grande porte com ou sem fins lucrativos, isso permite que todos os níveis da economia, desde o individuo até a sociedade compartilhem o mesmo objetivo.

A crescente internacionalização dos mercados e das economias tem produzido efeitos surpreendentes em muitos âmbitos, um dos quais o acirramento da concorrência e a necessidade de se perseguir vantagens competitivas sustentáveis. Daí a vantagem de as empresas que querem continuar fortes e competitivas no mercado aderir a essa nova era que é a gestão de conhecimento.

REENGENHARIA

A reengenharia é um método de gestão empresarial que pretende incorporar de forma consciente e intencional as vantagens trazidas pela tecnologia da informação. Pretende assim romper com que está estabelecido na administração do trabalho e que é fruto das experiências da revolução industrial.

Em suma, a empresa tem que se balizar pelas modificações do ambiente que provoca com sua atuação. O que interessa é o que a empresa produz fora dela. A sua eficácia está na transformação que provoca nos outros: ambiente, políticas, mercado, cliente, fornecedores, concorrentes etc.

O detalhamento dos processos seguirá sempre a mesma lógica: que atividades devem ser realizadas para se obter a consecução dos resultados externos, que conhecimentos devem estar presentes, que informações devem estar disponibilizadas, que tipos ou naturezas de equipes devem ser compostas para responder por cada uma das atividades, como elas se relacionam, partilham informação e decisão, até a escolha das pessoas para compor as equipes.

A idéia é a da responsabilidade por resultados completos, nenhuma equipe terá que cumprir tarefas, mas sim comprometer-se com a consecução de um dado resultado. É como numa corrida de revezamento, só se passa o bastão quando um resultado completo já foi obtido.

Os elementos para a formulação de políticas de conquista ou atendimento de segmentos de mercado devem estar visíveis ao final das etapas, as facilidades ou dificuldades em cada um dos segmentos, bem como aliados e concorrentes em cada um dos segmentos. Não há nunca uma única política quando se quer lidar com diversos segmentos de mercado.

Outros trabalhos relacionados

Virando a Própria Mesa

Autoria: Samuel B. Introdução Este trabalho tem como objetivo analisar a experiência vivida pelo autor, Ricardo Semler, em frente a uma empresa familiar fundada por seu...

Toyotismo

Autoria: Jonathan S. Rocha 1 – INTRODUÇÃO O Toyotismo surgiu numa época em que a estrutura o capital se encontrava em crise, onde o capitalismo buscava...

Fundamentos em Administração

Diretrizes: Empresa de Informática, especializada em atendimento de assistência social, a deficientes físicos no intuito da inclusão digital de todos. Valores: Competência, organização, estruturação para...

Os Axiomas de Zurique

Autoria: Rodrigo Guimarães Monteiro INTRODUÇÃO O assunto do livro como o autor fala é apostar para ganhar. Foram criadas num clube de Suíços que...