25.1 C
Sorocaba
quinta-feira, novembro 24, 2022

Esquizofrenia

Autoria: Paulo Cesar Silva

RESUMO:

A esquizofrenia é um dos quadros psicóticos mais importantes e se caracteriza pelo que, no senso comum, podemos chamar de mente dividida. Clinicamente, a esquizofrenia manifesta-se de formas diferenciadas, mas algumas características aparecem de forma habitual. É comum observar-se incoerência afetiva e de pensamento, afastamento da realidade e atividade delirante. A esquizofrenia é um distúrbio das associações que regem o pensamento, por isto o pensamento do esquizofrênico não apresenta lógica. A esquizofrenia pode aparecer em qualquer idade e é uma doença crônica que evolui em surtos ou crises que são intercaladas com períodos de melhora. As formas mais conhecidas de esquizofrenia são: esquizofrenia paranóide, hebefrênica, catatônica, a simples e a residual. Os pacientes esquizofrênicos enfrentam sintomas muito complicadores e podem adquirir seqüelas denominadas “defeito esquizofrênico”, que é uma característica que os torna estranhos, com uma feição demencial. Uma pessoa que sofre de esquizofrenia apresenta uma queda severa em seu desempenho social, prejuízos na capacidade de trabalho e atividades quotidianas e indiferença aos estímulos afetivos. Fatores orgânicos, como a transmissão genética e alterações bioquímicas, são muito importantes na gênese da esquizofrenia mas, como grande parte das doenças, ela pode ser encarada como conseqüência de um conjunto de fatores orgânicos, psicológicos e sociais. O tratamento é feito com medicamentos conhecidos como neurolépicos ou antipsicóticos, que reduzem o tempo de duração do surto e permitem que cada vez menos pacientes voltem a apresentar os sintomas da síndrome. A colaboração da família é fundamental para o controle e evolução da doença e, muitas vezes, é importante que o paciente passe por uma psicoterapia, para que adquira mais conhecimentos a respeito da sua nova condição e para que consiga, mais rapidamente, uma readaptação ao convívio social.

VEJA TRABALHO COMPLETO AQUI

Outros trabalhos relacionados

Hipnose

Autoria: Erika Stapf Hipnose é um termo que provém do grego hypnos, que designa sono. Este termo foi introduzido em 1841 por James Braid, que...

Libido

Autoria: Ricardo Sehnem A libido é um conceito muito trabalhado pela psicanálise que se constitui numa carga energética que tem origem na sexualidade. É importante...

Inteligência Emocional

Você já sentiu medo alguma vez? Se sim, passou pela sua cabeça a opção de usá-lo a seu favor? Será que isso é mesmo...

ANTIPSIQUIATRIA

Antipsiquiatria, movimento que se opõe ao psicodiagnóstico e à psicoterapia, que são as escolas predominantes. Surgiu na década de 1960 e levou ao aparecimento...