DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

Autoria: carolina tigre Alvez

Exercícios para grávidas
Estudos americanos comprovam que a gestante, que pratica ginástica especial, ganha menos peso, aumenta sua tolerância à dor e diminui a duração do parto normal

Parto normal
O mecanismo do parto normal consiste no relaxamento de alguns músculos e contração de outros – especialmente os abdominais. Para a criança nascer sem problemas, é preciso haver coordenação destes movimentos. Qualquer exercício que aumente as forças dos músculos abdominais ou diminua a resistência dos músculos da pélvis (região inferior da barriga, por onde passa o bebê) contribuem para reduzir o tempo e a dor do parto. Muitas vezes, o parto normal não acontece por falta de coordenação destes músculos. Uma criança só nasce em parto normal quando as forças orgânicas que empurram a criança para baixo são mais poderosas que as resistências que sustentam o bebê.
Forças que empurram o bebê para baixo
(1). Músculos abdominais;
(2). Peso do bebê;
(3). Contração do útero.
À medida que o parto progride, há uma produção natural de uma substância chamada ocitocina, que estimula as contrações do útero e, portanto, a expulsão do bebê. Mais um artifício para o parto acontecer com perfeição.
Forças resistentes ao nascimento
(4). Colo do útero;
(5). Diafragma pélvico (região constituída quase totalmente por músculos).
Quando a mulher força o nascimento antes de a resistência estar totalmente eliminada, há o risco de a criança nascer com problemas, como machucados na cabeça e até mesmo, sofrer hemorragia cerebral.

Atividades recomendadas
A importância dos exercícios
Além das atividades para facilitar o trabalho de parto, há outras importantes que conservam o corpo da mulher, evitam dores nas costas, culotes e a flacidez e melhoram a circulação. Quando a grávida pratica exercícios, tem maior facilidade para recuperar o peso depois do parto.

O que impede a prática de atividades físicas
Os exercícios devem ser bem acompanhados em mulheres com anemia, sangramento, diabéticas, hipertensas ou que já tiveram parto prematuro em gestação anterior. Uma gestante com os músculos da pélvis muito fracos – que facilitam o parto prematuro – não pode fazer exercícios.

Vasocapilar

Excelente para a circulação. A mulher fica deitada, com pernas e braços para cima, e sacode as mãos, os braços, os pés e as pernas. Com o exercício, a placenta (fonte de alimentação e oxigenação do feto) dificilmente envelhece. É um bom exercício para hipertensas, para evitar inchaço, varizes e hemorróidas. Cócoras

Exercício importante para permitir que a mulher tenha controle sobre o músculo da pélvis e consiga relaxá-lo na hora certa no nascimento. Nessa posição, a grávida deve contrair e relaxar a pélvis, como se estivesse segurando a urina. A atividade também permite que o fato deslize melhor na hora do parto.

Sapinho

Bom para fortalecer os músculos abdominais e os da pélvis. Importante para o controle das forças na hora do parto. Contração da Pélvis

Com as mãos e joelhos no chão, a gestante deve fazer o mesmo tipo de esforço que o exercício de cócoras. Atividade que ajuda a posicionar o bebê corretamente.

Ponte

Bom para evitar dor nas costas e no nervo ciático (no quadril), que costuma incomodar as gestantes. Evita parto prematuro. Alongamento

Para dor nas costas. Sentada a mulher coloca as pernas abertas para a lateral e alonga para os lados e para a frente.

Outros exercícios
Caminhada sem muito esforço físico, hidroginástica, natação, corrida (sem esforço ou distância exagerados, desde que a mulher tenha costume de praticar esta atividade) e bicicleta (ergométrica).

Atividades contra-indicadas
Esporte competitivos . Especialmente com bola, como basquete, vôlei, futebol, etc. Aeróbica de alto impacto. Durante a gravidez, devido às ações hormonais e á retenção líquida, as articulações ficam mais frágeis. Por isso, vale evitar o alto impacto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui