Gestão de Qualidade na Santa Casa de Porto Alegre

0

1. OBJETIVO

O objetivo da implementação da Gestão de Qualidade Total se deu através das condições precárias de funcionamento: instalações pobres e sucateadas; verbas escassas; administração amadora; funcionários desanimados; médicos prescrevendo apenas medicamentos disponíveis, etc. A mídia noticiava, periodicamente, ameaças de fechamento. Havia pouco auxílio governamental, e a sobrevivência da Santa Casa correu sério risco.

2. HISTÓRICO DA EMPRESA

A empresa pesquisada é a Santa Casa de Porto Alegre – RS fundada em 1803, com o foco voltado para atendimento hospitalares. O Complexo Hospitalar Santa Casa de Porto Alegre é integrado por sete hospitais, sendo dois hospitais gerais e cinco especializados, destacando-se as áreas de clínica médica, cirurgia geral, cardiologia, neurocirurgia, pneumologia, oncologia, pediatria e transplantes.

A Santa Casa em suas 7 unidades assistenciais, possui 1076 sendo que 60% destinado ao SUS ( Sistema Único de Saúde ) e os demais a convênios particulares, 208 consutorios, 52 salas cirúrgicas, 8 unidades de Terapia Intensiva num total de 132 leitos, toda essa estrutura conta com 5332 funcionários e 2029 médicos.

Os indicadores mensais da Santa Casa relativos ao ano de 2006, conforme o site da organização (www.santacasa.org.br) em 27 de outubro de 2007, são de 3840 internações, 5323 procedimentos cirúrgicos, 68316 consultas, 335448 diagnósticos e tratamentos e 319 partos, totalizando um faturamento anual de R$25 milhões de reais.

2.1 FOCO DA MUDANÇA

A Mudança teve como principal foco, a melhoria no atendimento prestado. Em busca da Gestão de Qualidade Total.

2.2 FORÇAS QUE MOTIVARAM A MUDANÇA

O descaso de órgãos governamentais e a mídia que divulgava noticias diariamente sobre o fechamento da Santa Casa.

2.3 ESTRATÉGIAS UTILIZADAS NA IMPLEMENTAÇÃO DA MUDANÇA

No período de 1988 a 1992, a Santa Casa apresentava grande vulnerabilidade financeira, pois 93% de seus recursos provinham do setor público na forma de repasses referentes ao atendimento prestado aos clientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Em 1996, a crise do governo federal que gerou enorme atraso nesses repasses levou a maioria dos hospitais brasileiros que atendem ao SUS a um colapso.

Frente a isso, a Instituição se posicionou: incorporou a metodologia da Qualidade Total como sistema de gestão e definiu a avaliação da aplicação através do Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP). Assim, ao buscar a qualidade de assistência médica para todos os segmentos da sociedade, a Instituição adotou como estratégia a ampliação dos serviços de assistência aos clientes diferenciados (convênios e particulares), o que possibilitou o suporte para que um atendimento cada vez melhor seja oferecido, em conseqüência, aos pacientes do SUS.

2.4 ANÁLISE CRÍTICA

Grande parte das dificuldades encontradas estão ligadas ao pioneirismo, a falta de homogeneidade relacionado aos avanços nas unidades gerenciais (Algumas avançam bem lentamente, enquanto outras se destacam) , implantação do gerenciamento de rotina (algumas não assimilaram, na prática, esse método e apenas cumprem, burocraticamente, o trabalho de elaboração de padrões e de definição de itens de controle), A crise financeira, que ainda coloca em risco a
sobrevivência da instituição, tem representado, também, grande dificuldade.

3. CONCLUSÃO

A empresa pesquisada na qual adotou uma política de modernização administrativa, que criou condições favoráveis para a implantação da gestão da qualidade total. As inovações gerenciais, adotadas nos últimos treze anos, causaram melhoria significativa da qualidade dos serviços prestados pela instituição.

Como resultado da implantação da gestão da qualidade total, a Santa Casa de Porto Alegre recebeu, nos últimos anos, diversas demonstrações de reconhecimento da sociedade civil e de organizações nacionais e internacionais:

Prêmio UNICEF: Em junho de 1995, recebeu do UNICEF o título Hospital Amigo da Criança;

Destaque do ano: Em 1994, recebeu, pela qualidade dos processos administrativo e de assistência médico-hospitalar, e pelos programas de ensino, pesquisa e desenvolvimento médico, o Troféu Destaque do Jornal do Comércio;

Satisfação dos clientes: Nos últimos anos, as pesquisas de satisfação dos pacientes e familiares demonstram altos índices de aprovação.

Reconhecimento da sociedade: Matérias na imprensa e contribuições diretas (doações) de empresários e da comunidade em geral comprovam que o mercado e a sociedade reconhecem a liderança e o desempenho da instituição.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

www.santacasa.org.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui