Businessman Looking at the View Out of a Window

Este artigo trata da importância de se planejar a carreira. Em um mundo globalizado em que as velocidades de mudanças são cada vez maiores o planejamento e desenvolvimento da carreira é importante para melhorar as competências, habilidades as atitudes e aumentar a empregabilidade por mais tempo.

Atualmente não basta somente o conhecimento adquirido no curso de formação técnica ou universitária para garantir a colocação de um profissional em determinada empresa e muito menos, sua permanência durante alguns anos. A atualização do conhecimento vem sendo praticada sistematicamente, uma vez que a evolução da tecnologia se dá de maneira muito rápida e, em conseqüência disso, os processos produtivos tem que se adaptarem as mudanças.

Todo o esforço despendido para a obtenção de novos conhecimentos somente terá validade quando estes puderem efetivamente ser utilizados nas atividades âncoras desenvolvidos pelo indivíduo. Sendo assim, o planejamento e a gestão de carreira torna-se um fator preponderante na condução da trajetória profissional.

1- Graduado em Engenharia de Mecânica pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Acadêmico do 7º Período de Administração da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte – UERN.

O indivíduo deve fazer uma análise de suas competências e principalmente a entender a si própria, tornando mais fácil a condução de seus ideais, facilitando o encontro do trabalho certo, e conseqüentemente aumentando seu nível de satisfação.

Intuitivamente, pensamos em carreiras em termos biológicos. O formando inicia um período exploratório de transição da escola para a organização. Continua em uma fase de consolidação, período de conquista do primeiro emprego. Em seguida entra na fase de meio de carreira, período caracterizado pelo elevado desempenho e inicio do declínio.

Depois entra na fase de fim de carreira, período de maturidade profissional, para em seguida entrar em fim de carreira preparando-se para a aposentadoria. Permanece nesta fase até se tornar estável em uma organização. Uma visão mais moderna mostra que esse ciclo pode ser prolongado ou repetindo varias vezes. O individuo pode ao longo de sua carreira passar por transições estabelecendo um aumento do se CHA

O objetivo principal desse artigo é enfatizar a importância da administração de carreira no sentido de aumentar as competências, habilidades e atitudes (CHA) dos formandos de administração.

Ate 1980s o desenvolvimento de carreiras era realizado pelas empresas. Todos os funcionários ficavam sujeitos as medidas necessárias para seu desenvolvimento que resultaria em uma ascensão hierárquica no organograma da empresa.

A partir de 1990 essa política mudou com as alterações radicais e profundas do cenário mundial. Os postos de trabalho, no mercado, começaram a reduzir e a competitividade aumentando, ano a ano. O que era uma “obrigação das empresas passou a ser da responsabilidade do individuo. Para acompanhar o desenvolvimento do mercado e não correr o risco de fazer parte dos “socialmente excluídos” os profissionais buscam o seu próprio desenvolvimento em detrimento da iniciativa das empresas.

A metodologia utilizada neste artigo é a bibliográfica e exploratória.

Segundo Milkovich (2000), o planejamento de carreira é o processo pelo qual o indivíduo identifica e implementa os passos necessários para atingir as metas da carreira.

Marras (2000) complementa essa definição, demonstrando a importância da continuidade desse processo ao longo do tempo. Para isso seria necessário o indivíduo seguir algumas premissas básicas como – coletar informações sobre si mesmo e sobre o mundo do trabalho; traçar um perfil detalhado de suas características de personalidade, interesses e aptidões, bem como das possibilidades de atuação no mercado de trabalho e ocupações alternativas; estabelecer metas realistas, baseadas nessas informações; e implementar uma estratégia para o alcance das metas.

Milcovich (2000) o planejamento e gestão de carreira podem ser trabalhados a partir da necessidade do desenvolvimento de competências, habilidades e atitudes apropriadas, levando o indivíduo a atender as necessidades impostas pelo mercado de trabalho.

Milkovich (2000) âncora de carreira é um autoconceito baseado em diferentes motivações e habilidades ocupacionais. Esse autoconceito orienta, estabiliza e integra as experiências profissionais de uma pessoa.

O planejamento de carreira deve ser elaborado ainda na fase da graduação, onde o aluno poderá através de seus sonhos, da teoria aprendida planejar as suas competências, melhorarem as suas habilidades e atitudes. Deve participar de estágios, fazer cursos extracurriculares que possibilitem uma preparação adequada para o ambiente de trabalho almejado. Quanto mais ações o aluno realizar, no sentido de agregar ao CHA maior será a sua empregabilidade.

É vital o planejamento de carreira na vida profissional do indivíduo, mas como salienta Dutra (1996), há por parte das pessoas, uma natural resistência ao planejamento de suas vidas profissionais, tanto pelo fato de encararem a trilha profissional como algo dado, quanto pelo fato de não terem tido qualquer estímulo ao longo de suas vidas.

Conclui-se então que os alunos aproveitam a oportunidade para participar de um evento que promove seu autoconhecimento e desenvolvimento para a partir daí, poder encontrar subsídios para o estabelecimento de objetivos e metas pertinentes à sua carreira profissional, oferecendo assim a busca por oportunidades que sejam condizentes com suas aspirações profissionais.

Como recomendação propõe-se que as Universidades responsáveis pela educação formal no País despertem para a importância do planejamento de carreira que ofereça a todos os estudantes de nível superior, a orientação de carreira e encaminhamento para o desenvolvimento profissional.

Desta forma, as IES estariam desenvolvendo um papel muito além do que o ensino unicamente disponibilizado na grade curricular de cada curso de graduação. Estaria auxiliando nos desenvolvimento de seu papel social, no sentido de promover ao graduando um direcionamento de carreira, dando oportunidade para que este pudesse descobrir seu perfil e ir à busca de melhorias contínuas de suas competências, desenvolvendo assim sua empregabilidade.

REFERÊNCIAS

1. MARRAS, JEAN PIERRE. Administração de Recursos Humanos:do operacional ao estratégico. 3º edição. São Paulo: Futura, 2000.

2. MILKOVICH,GEORGE T. Administração dos Recursos Humanos. São Paulo: Atlas, 2000

3. DUTRA, Joel Souza. Administração de Carreira: uma proposta para repensar a gestão de pessoas. São Paulo: Atlas, 1996.

4. MARTINS, H. T. Gestão de Carreiras na era do conhecimento: abordagem conceitual & resultados de pesquisa. Rio de Janeiro: Qualitymark Ed., 2001.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui