Compreender a administração financeira e o capital de giro. Descrever o ciclo de conversão de caixa ou ciclo financeiro e suas exigências de financiamento. Discutir a gestão de estoques. Explicar o processo de seleção de crédito e monitoramento de crédito. Compreender a gestão de recebimentos e pagamentos, retardamento de pagamentos, concentração e elasticidade de caixa.

1 INTRODUÇÃO

Para que uma empresa possa sobreviver no mercado, é necessário um equilíbrio em suas contas, ela deve manter um nível aceitável de capital de giro. Para isso, deverá escolher entre obter um grande lucro, associado ao alto risco e grandes dividas (passivo circulante), ou em obter um lucro menor, com risco baixo e mais contas a receber (ativo circulante).

Junto a esse processo o gestor financeiro deverá administrar seu estoque fazendo girar rapidamente as mercadorias, recebendo por elas o mais rápido possível e prolongando o pagamento das dividas. Esse tipo de administração de ativos e passivos circulantes tem que ser eficiente, pois trará os resultados exigidos pela empresa.

2 CAPITAL DE GIRO

Para Gitman (2004), o capital de giro é a diferença entre ativo circulante e passivo circulante de uma empresa. Uma possível variação desse capital normalmente é acompanhada de um investimento. Uma empresa ao adquirir uma máquina aumenta seu nível operacional, conseqüentemente elevará seu nível do caixa, aumentando as contas a pagar, a receber, o nível de estoque, para poder sustentar o aumento de produção. Em geral os ativos circulantes crescem mais que os passivos circulantes, o que resulta em incremento de capital de giro ou em sobra de caixa para futuros investimentos.

3 CICLO FINANCEIRO OU DE CONVERSÃO DE CAIXA.

Para Ramos (2008), o ciclo financeiro ou conversão de caixa, começa com o pagamento do produto/matéria prima, que será revendida ou transformada em produto acabado, e termina com o recebimento do pagamento desse produto.

Gitman (2004) demonstra através do GRÁFICO 1, que a conversão de caixa está dentro do ciclo operacional, que começa com a entrada da matéria prima no estoque e que envolve basicamente duas categorias de ativos, o estoque e o contas e receber. Porem para a fabricação e venda do produto são necessários vários gastos como a compra de matéria prima e a mão de obra, que resulta em passivos que são as contas a pagar. As administrações desses ativos e passivos resultaram em uma empresa forte e competitiva, ou em uma empresa fraca e endividada.

3.1 CONTROLE DE ESTOQUE

Para Gitman (2004), a administração de estoques tem como objetivo o giro mais rápido possível, sem perder vendas por falta de estoque. A técnica de controle ABC, é uma das mais usadas por gestores. O grupo A inclui os produtos com os maiores valores, o grupo B os de valores médios e por final do grupo C, que inclui um grande numero de itens com valores relativamente pequenos. Outra técnica muito difundida é a just-in-time, em que a matéria prima para a fabricação só chega à empresa no momento da produção ou até mesmo com o processo em andamento, o objetivo disso é minimizar o investimento em estoque.

3.2 CONTROLE DE CONTAS A RECEBER E PAGAMENTOS

Gitman(2004), explica que prazo médio de recebimento é o tempo entre uma venda a prazo e a efetivação do pagamento com a entrada de recursos no caixa. O objetivo de uma boa administração das contas a receber, é oferecer a empresa o mais rápido possível, recursos financeiros, sem perder vendas. Para isso a empresa deverá estabelecer os padrões de créditos, que nada mais é do que oferecer créditos para seus clientes (prazo de pagamento, limite de compras), desde que o cliente cumpra alguns requisitos, como cadastro limpo nos órgão de credito (Serasa, SPC), faturamento mínimo, entre outros. Depois será necessário acompanhar o desempenho de pagamentos do cliente e oferecer se for o caso mais crédito ou estabelecer uma política mais agressiva de cobrança caso o cliente esteja inadimplente.

Gitman (2004) conclui que a parte final do ciclo financeiro é o contas a pagar. O prazo médio de dias é contado a partir da compra do produto até o envio de pagamento para o fornecedor. Estabelecer longos prazos de pagamento para essas dívidas é de vital importância para a empresa, pois alongando a divida ela poderá ter um fluxo de caixa mais elástico priorizando os pagamentos essenciais como folha de pagamento e demais custos fixos.

4 A IMPORTÂNCIA DO CICLO FINANCEIRO

Para a equipe de consultoria do Sebrae (2005), toda empresa, seja ela indústria, comércio ou serviço, deverá ajustar as suas necessidades dentro de seu ciclo financeiro. Para isso é necessário primeiramente fazer um levantamento de suas compras e contas a pagar e a receber. Uma redução dos prazos de recebimentos e um aumento dos prazos de pagamentos podem ajudar em uma menor dependência de recursos. Caso a empresa não possua recursos financeiros necessários para se manter, deverá buscar esses recursos junto aos bancos ou empresas de Fomento Mercantil, sempre procurando o menor juro possível para elevar o mínimo possível esse passivo que se forma.

Para Liz (2008), um bom gestor financeiro deverá analisar os resultados e planejar ações para sua melhoria. Também deverá negociar junto aos fornecedores os melhores prazos de pagamentos e os menores juros cobrados, como também estabelecer uma boa política de crédito para seus clientes. A empresa precisa organizar todos os registros e documentos de forma a preservar um histórico de suas finanças pra consultas posteriores. Como também deverá controlar o movimento de caixa, classificar as despesas fixas e variáveis e estabelecer regras para a retirada de pró-labore dos sócios, nesse caso um dos principais motivos de fracassos administrativos.

5 CONCLUSÃO

O processo de elaboração de um ciclo financeiro pode até parecer um pouco complicado. Porem é de fundamental importância para uma boa administração financeira. Muitas vezes o empresário está interessado em pagar menos pelo produto e vender pelo máximo possível e acaba esquecendo-se de negociar prazos de pagamento com seu fornecedor e principalmente prazos de recebimento de seu cliente. Essa pode ser a diferença em uma empresa com um baixo faturamento, porém rentável e uma grande empresa com alto faturamento, porém apresentando prejuízos mês a mês. Portanto não basta elaborar o seu ciclo financeiro, é necessário fazer toda a empresa adequasse a ele, pois no momento atual a concorrência e uma maior competitividade no mercado tornaram os lucros reduzidos.

6 REFERÊNCIAS

GITMAM, Lawrence J. Principios de Administração Financeira. 10. Ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2004.

LIZ, Patricia. A importância da administração financeira da empresa. Disponivel em: <http://www.sebrae.com.br/momento/quero-abrir-um-negocio/planeje-sua-empresa/administracao/1114/BIA_1114/integra_bia>. Acesso em: 02 set. 2008.

RAMOS, Marcus V. Madruga. Utilizando o ciclo operacional para fazer o orçamento de caixa e calcular a necessidade de capital de giro. Disponivel em: <http://www.biblioteca.sebrae.com.br/bds/BDS.nsf/A7A999A09E5D6E9703256F980050F858/$File/NT000A3636.pdf>. Acesso em: 28 ago. 2008.

SEBRAE. A importância de se adequar o Ciclo Operacional e o Ciclo Financeiro. Disponivel em: <http://www.sebraepr.com.br/portal/page/portal/PORTAL_INTERNET/PRINCIPAL2004/2004_SMAIS?_dad=portal&guepa=interna&p_codigo=309>. Acesso em: 28 ago. 2008.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui