30.1 C
Sorocaba
sexta-feira, abril 12, 2024

QUEM CASA, QUER CASA – MARTINS PENA

Quem casa, Quer casa – Martins Pena

Quem casa, quer casa é um “provérbio” de um teatro em ato único, passado no Rio de Janeiro de 1845. Mas os dois casais da peça não seguem o ditado, já que nela uma família passa o tempo todo brigando. Motivo: o casal de filhos de Dona Fabiana casou-se com o casal de filhos de Anselmo e nenhum dos quatro faz nada além de brigar. os cinco (os dois casais e Fabiana) passam a peça toda aos gritos enquanto o marido de Dona Fabiana, um carola molengão, faz nada. Ao final Anselmo aparece e acaba com a briga (que já havia escalado ao nível da agressão física generalizada) e entrega a chave de duas casas alugadas aos filhos.

Outros trabalhos relacionados

VIDA E MORTE DE M. J. GONZAGA DE SÁ – Lima Barreto

VIDA E MORTE DE M. J. GONZAGA DE SÁ - Lima Barreto " ... o Acaso, mais do que outro qualquer deus, é capaz de...

FOGO MORTO – José Lins do Rego

FOGO MORTO - José Lins do Rego O regionalismo de 30 Publicado em 1943, Fogo Morto é a última obra-prima do regionalismo neo-realista surgido no Brasil...

Páginas Recolhidas – Machado de Assis

Páginas Recolhidas - Machado de Assis Missa do Galo (publicado no livro Páginas recolhidas) fala de uma singular conversa entre uma senhora de 30 anos...

MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS – Manuel A. de Almeida

MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS - Manuel Antônio de Almeida Aventuras e desventuras de um típico malandro brasileiro, perseguido pelo azar e protegido pela...