23.4 C
Sorocaba
domingo, janeiro 16, 2022

Sigmund Freud

Autoria: Flávia Moura

1.INTRODUÇÃO

Sigmund Freud (1856-1939), médico e neurologista austríaco, fundador da psicanálise. Seu trabalho com Jean Charcot, dedicado ao tratamento da histeria mediante a hipnose, dirigiu definitivamente seus interesses para o estudo científico dos distúrbios mentais.

2.O COMEÇO DA PSICANÁLISE

Freud dedicou seus esforços para explicar as doenças mentais de forma psicológica e não fisiológica, campo que denominaria “psicanálise”. A publicação da obra Estudos sobre a histeria (1893) marcou o começo desta teoria, formulada a partir de observações clínicas: os sintomas eram considerados como manifestações de energia emocional não descarregada, associada a traumas psíquicos esquecidos. Pouco tempo depois, aplicou o método de “associação livre”, idôneo para compreender os processos mentais inconscientes. Utilizando estas associações para interpretar os sonhos, formulou suas teorias sobre a sexualidade infantil, afirmativas que foram muito controvertidas. Desenvolveu a teoria da transferência, processo pelo qual as atitudes emocionais, estabelecidas durante a infância pela figura dos pais, são transferidas na vida adulta para outros personagens. O final deste período foi marcado pela obra A interpretação dos sonhos (1900), na qual expõe todos os conceitos fundamentais das teorias e técnicas psicanalíticas. Até 1906, Freud contava com um reduzido número de alunos e seguidores como Alfred Adler, Otto Rank, Abraham Brill, Eugen Bleuler e Carl Jung.

3.RECONHECIMENTO INTERNACIONAL

O crescente reconhecimento do movimento psicanalítico provocou a criação, em 1910, da Associação Psicanalítica Internacional. Enquanto isso, o movimento ganhava adeptos na Europa e Estados Unidos, apesar da oposição de alguns dos seus discípulos, contrários à tese sobre a origem sexual das neuroses. Sua principal contribuição foi o enfoque radicalmente novo na compreensão da personalidade humana. Fundou uma nova disciplina médica e formulou procedimentos terapêuticos que ainda hoje se aplicam no tratamento das neuroses. Entre outras obras, destacam-se Totem e tabu (1913), Além do princípio do prazer (1920) e Moisés e o monoteísmo (1939).

Outros trabalhos relacionados

Libido

Autoria: Ricardo Sehnem A libido é um conceito muito trabalhado pela psicanálise que se constitui numa carga energética que tem origem na sexualidade. É importante...

Histórico da Esquizofrenia

Autoria: Evandro Rodrigues Barbosa O primeiro a utilizar o termo esquizofrenia foi o psiquiatra suiço, Eugen Bleuler em 1911, sobre os pacientes que tinham as...

Os Sonhos

Os sonhos são o assunto deste artigo, com este faremos uma analise de alguns autores como Freud que segundo ele os sonhos são realizações...

Identidade

Autoria: Adilson Souza de Deus A identidade pode ser definida como sendo um conjunto de caracteres próprios e exclusivos de uma determinada pessoa. Este conceito,...