ESTUDO DE CASO: GRUPO VOTORANTINS

0
3478
DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

Introdução

Um dos maiores conglomerados econômicos privados do Brasil, o Grupo Votorantim gerencia um portfólio de negócios e produtos voltado principalmente a atividades de capital intensivo e a commodities.

Fundada em 1918, a Votorantim é uma empresa de controle familiar, que está agora em sua terceira geração. Seu modelo de governança corporativa assegura à família controladora posições estratégicas no Comitê Executivo e aloca profissionais não familiares à frente das unidades de negócio. A empresa orgulha-se de ter sido reconhecida e eleita pela IMD Business School, pelo Lombard Odier Darier Hentsch Bank como a melhor empresa familiar do mundo em 2005.

Suas empresas são líderes ou têm posições de destaque em mercados como cimento e concreto, mineração e metais (alumínio, zinco, níquel e aço), celulose e papel. Igualmente relevante são suas atividades em suco de laranja concentrado, especialidades químicas e na auto-geração de energia elétrica.

O Grupo também tem um papel importante no setor financeiro com o Banco Votorantim. Áreas novas e promissoras como biotecnologia agrícola e tecnologia da informação também têm sido incorporadas ao portfólio de investimentos.

Com faturamento líquido consolidado de R$ 18,4 bilhões em 2004, a Votorantin registrou EBITDA de R$ 6,3 bilhões no mesmo ano, com lucro líquido de R$ 4,1 bilhões. As exportações alcançaram US$ 1,3 bilhão, e as atividades no mercado externo somaram quase 10% do faturamento total.

A Votorantim começou o processo de internacionalização em 2001, e hoje as unidades de negócio Cimentos, Metais, Celulose e Papel, Agroindústria e Finanças já atuam em solo estrangeiro, contribuindo para a geração de receita para o Brasil e para o fortalecimento da imagem do país no cenário internacional.

Para apoiar de forma estratégica as operações de exportação e importação, a empresa conta com uma área específica – a Votorantim Internacional – que oferece serviços financeiros, fiscais, administrativos e logísticos, facilitando e otimizando as operações de comércio exterior, como redução de custos de seguros e fretes.

A Internacional atua em mais de 100 países. Seus principais escritórios no exterior situam-se em Hamburgo e Antuérpia (Europa), Delaware (América do Norte) e Cingapura (Ásia).

Em 2004, a área gerenciou exportações no valor de US$ 520 milhões, tendo como principais mercados a Europa (42,5%), América do Sul (25%) e América do Norte (17,5%). Ao todo, a empresa geriu US$ 1,1 bilhão para as unidades de negócio do grupo Votorantin.

1) HISTÓRICO VOTORANTIM CIMENTOS:

Votorantim Cimentos, 70 anos de história.

Em 1933, o Grupo Votorantim decide investir em um mercado até então desconhecido: o de cimento. Neste ano inicia a construção da fábrica de cimento Santa Helena, em Votorantin (110 km de São Paulo). Esta unidade foi inaugurada em 1936, com capacidade de produção de 250 toneladas dia de clínquer em um pequeno forno dinamarquês.

Este foi o início de uma história de sucesso, 70 anos depois, a Votorantim Cimentos é uma das dez maiores empresas globais de cimento. Foi a primeira no Brasil neste setor a fazer o co-processamento (queima e destruição de resíduos) na fabricação de clínquer (principal matéria-prima do cimento, composto de calcário e argila).

Um dos maiores conglomerados econômicos privados do Brasil, o Grupo Votorantim gerencia um portfólio de negócios e produtos voltado principalmente a atividades de capital intensivo e a commodities.

Devido ainda á alta demanda no país, e pelo crescimento sustentável da economia, o grupo investiu desde 2006 em mais 11 fábricas para atender a demanda nacional.

Votorantim Cimentos investe R$ 1,6 bilhão na expansão de fábricas em todo o País Desde 2006.

Até final de 2010, investimentos em 11 plantas de cimento e 5 unidades de argamassa permitirão aumentar capacidade de produção em 30%.

A Votorantim Cimentos fará nos próximos três anos investimento recorde de R$ 1,660 bilhão para a instalação de novas fábricas, moagens, reativação e incremento de produção em plantas de cimento e argamassa em todo o País. A empresa vai aumentar em aproximadamente 30% sua capacidade de produção, que passará de 25 para 33 milhões de toneladas de cimento por ano no mercado brasileiro, visando manter sua liderança no País.

2) Dentro da Empresa visitada, você acha que os Sistemas de Informação são importantes e por quê?

Dentro da empresa visitada, a filial Votorantim de Nobres MT, Constatamos “IN LOCO”, que os sistemas de informações utilizados pela empresa são muito importantes, pois trabalham de forma cooperativo-colaborativa, trazendo mais conhecimento e informações aos seus usuários/funcionários em tempo real, online.

Haja vista que a empresa utiliza-se de informações via intranet, Videoconferências, e sistema sap, onde os funcionários têm total controle sobre todo o andamento da indústria, podendo assim analisar possíveis defeitos, em maquinas e equipamentos e corrigi-los imediatamente.

Ainda, segundo informações obtidas dentro da fábrica, o maior patrimônio que a empresa tem são seus funcionários/colaboradores, por isso a empresa é líder no mercado que atua, pois faz investimentos relevantes para conhecimento e informações de seus funcionários/colaboradores.

3) Escolha um dos Sistemas apresentados na empresa e identifique os componentes:

a) Hardware

Notamos que a empresa utiliza computadores de ultima geração, da marca de renome nacional DELL, Rádios de comunicação interna, monitoramento e circuito integrado de TV de todos os equipamentos de dentro da fábrica, intranet, extranet, computadores, servidores, copiadoras, fax., tele conferencias, vídeo conferencias,.

b) Software

São vários os softwares utilizados pela empresa, destacamos alguns deles:

Sistema Sap, intranet,corporativo, GPD, integrado de gestão em resultados, pessoas, processos, sistema máximo, colaborativo, sistema Votorantin, sig-sistema integrado de gestões para tomada de decisões em alto escalão e acompanhar resultados de qualidade, software aplicativo, e, software de sistema.

Benefícios obtidos com Integração dos Sistemas

A implantação do sistema SAP, proporciona uma melhora nos índices de qualidade do produto final, pois toda a operação de produção pode ser controlada a partir de qualquer ponto da empresa.

Com esta integração, reduz o tempo de produção, aumentando a velocidade de entrega do produto. O cliente também passa a contar com uma data certa para a entrega do seu pedido, o que anteriormente nem sempre era possível de cumprir.

As principais possibilidades de benefícios apontados podem ser:

• Melhora em relação à disponibilidade de informação e comunicação entre as áreas;
• Facilidade da interface do R/3 com os sistemas legados;
• Integração de toda a cadeia produtiva da empresa – melhor planejamento;
• Redução do tempo de entrega dos pedidos e redução nos custos;
• Otimização da gestão e utilização dos recursos humanos.

Analisando este diagnóstico, observa-se que os benefícios esperados com o projeto atuariam em três distintos eixos: Pessoas, Gestão e Tecnologia.

c) Pessoas:

Queremos aqui descrever e destacar a nossa satisfação em ter conhecido a pessoa do Srº Walter, trabalha na empresa já há 18 anos sendo um dos fundadores da atual fábrica filial de nobres, que nos recepcionou assim que chegamos , bem como todos os funcionários, pois nos atenderam gentilmente, a empresa em nobres trabalha somente com 139 funcionários, sendo que na indústria á noite trabalham somente 12, devido ao seu alto investimento em tecnologia de ponta, informatizando todo o processo de industrialização da fábrica, além de que a empresa filial tem convenio com SENAI para adaptação e qualificação de mão de obra para futuros funcionários/colaboradores.

Treinamento é fundamental para o sucesso, pois se o funcionário não é treinado adequadamente, ele não é capaz de utilizar o sistema de forma total, podendo inclusive através do mau uso, afetar o desempenho do mesmo. Para tanto, faz-se necessário destinar uma equipe responsável por todo o treinamento. O treinamento deve ser dado para todos na empresa, desde os envolvidos nos processos de negócio, até os que trabalham em operação de TI.

d) Dados – Os recursos de dados são muito utilizados na empresa pelos seus usuários finais, através do banco de dados e bases de conhecimento.

O Feedback é também muito usado na empresa visitada, pois é usado sob todo o desempenho do sistema utilizado, podemos chamar de um sistema cibernético, ou seja, um sistema automonitorado, auto-regulado.

e) Redes – Na Empresa Visitada todos os computadores estão interligados através de uma rede interna e de um servidor central, na matriz, é acessado pelos seus usuários através da, (intranet).

Também é utilizado na empresa, outros tipos de redes como, internet, extranet, tele conferencias e vídeo conferencia.

f) Produtos de Informação: Vale esclarecer, que, em um sistema de informação, as pessoas utilizam hardwares, software, dados e redes como recursos para efetuar a alimentação, o processamento, a produção, o armazenamento, e as atividades de controle que transformam os recursos de dados em produtos de informação.

São os sistemas de processamento de transações, sistemas de controle de processos, colaborativos, informação gerencial, apoio á decisão, informação executiva, e estão classificados assim: sistemas de apoio ás operações, sistemas de apoio gerencial.

4) Escolha um processo industrial e identifique as operações de:

Entrada – Processamento – Saída

Jazida (rochas)

Moagem das Rochas em forma de pó

Misturas

Cimento.

Funcionamento de uma Cimenteira; Breve descrição do processo.

O Cimento é um material existente na forma de um pó fino, com dimensões médias da ordem dos 50 µm, que resulta da mistura de clínquer com outros materiais, tais como o gesso, pozolanas, ou escórias siliciosas, em quantidades que dependem do tipo de aplicação e das características procuradas para o cimento. O Cimento é a mistura de clínquer e gesso. O clínquer, o principal constituinte do cimento, é produzido por transformação térmica a elevada temperatura em fornos apropriados, de uma mistura de material rochoso contendo aproximadamente 80% de carbonato de cálcio (CaCO3), 15% de dióxido de silício (SiO2), 3% de óxido de alumínio (Al2O3) e quantidades menores de outros constituintes, como o ferro, o enxofre, etc. Estes materiais são normalmente escavados em pedreiras de calcário, ou margas, localizadas nas proximidades dos fornos de produção do clínquer. A matéria prima é misturada e moída finamente, e submetida a um processo de aquecimento que leva á produção do clinquer.

Entre temperaturas de 500-900 ºC procede-se à descarbonatação do material calcário, que consiste na calcinação, com produção de oxido de cálcio (OCa) e libertação de CO2 gasoso. A temperatura entre os 850 e os 1250 ºC dá-se a sinterização, reação entre o óxido de cálcio e as substâncias silico-aluminosas, com a formação do produto final o clinquer, constituído por silicatos di-cálcicos (2CaO.SiO2), aluminatos tri-cálcicos (3CaO.Al2O3) e ferro-aluminatos tetra cálcicos (4CaO.Al2O3.Fe2O3).

A temperatura na zona perto da saída do clínquer pode atingir os 2000 ºC, na chama do queimador.

Existem dois tipos principais de instalações de produção de clínquer: por via úmida e por via seca. Nas unidades por via úmida a matéria prima é moída juntamente com água sendo fornecida ao forno na forma de lama ou pasta. Os fornos de via seca não usam água para moer a matéria prima é fornecida ao forno na forma de um pó fino, a farinha crua. Como são pouquíssimas as fábricas que funcionam por via úmida, iremos referir-nos somente ao Processo por via seca.

Nos sistemas por via seca a matéria prima, proveniente normalmente de pedreiras locais, que passa pela primeira britagem e é misturada com outros materiais, como areia, minério de ferro, argila, alumina, cinzas de Centrais Térmicas, etc., de modo a obter uma composição otimizada para a produção de clínquer.

Em muitos processos os próprios gases de combustão servem para separar e arrastar o material já moído, a farinha, conduzindo-o para sistemas de separação e despoeiramento, sendo os gases expelidos para o exterior e a matéria prima conduzida ao forno para tratamento térmico.

O clínquer é, normalmente, armazenado em depósitos de grandes dimensões e posteriormente moído em moinhos de bolas, onde se juntam os aditivos, como o gesso e outros, formando os diversos tipos de cimento.

A energia necessária à secagem, calcinação e sinterização do clinquer, ou clinquerização, é obtida pela queima de uma variedade de combustíveis, como o carvão mineral e o coque de petróleo (pet-coque). Outros combustíveis também usados são o fuel, o gás natural e combustível alternativos como pneus usados, papel velho, resíduos de madeira, pó de serra etc. Uma fração importante da energia térmica libertada na combustão é utilizada para a descarbonatação do calcário, que é uma reação endotérmica. Assim uma tonelada de clinquer necessita de um mínimo de 1700-1800 MJ.

No forno rotativo principal existem assim, pelo menos, duas zonas, uma inicial de calcinação e outra final de clinquerização. Os gases resultantes da combustão têm nestes fornos, tempos de residência de 4-6 segundos a temperaturas acima dos 1200 ºC, saindo pela chaminé com valores da ordem dos 150-250 ºC.

Para evitar fugas de material e produtos de combustão ao longo do sistema, toda a linha funciona em subpressão, sendo o movimento dos fluidos gasosos efetuado pelo vácuo gerado por ventiladores colocados na parte inicial da linha, imediatamente antes da chaminé.

Coprocessamento em cimenteiras

Os fornos de Cimento reúnem algumas características que os recomendam como possíveis instalações para a eliminação de resíduos perigosos, principalmente se esses resíduos forem combustíveis e puderem ser destruídos por reação com o oxigênio atmosférico. Dado o seu caráter perigoso a queima destes resíduos tem de ser realizada de modo que a sua remoção e destruição (DRE-Destruction and Removal Efficiency) sejam elevadas. Usualmente as Normas para o tratamento térmico de resíduos perigosos impõem DRE melhores que 99,99% (ou 99,9999% para dioxinas/furanos).

Os gases no forno de clínquer atingem temperaturas máximas de 2000 ºC no queimador principal e permanecem a temperaturas acima dos 1200 ºC por períodos de 4-6 segundos. Por sua vez o clínquer sai do forno a temperaturas na ordem dos 1450 ºC. Estas temperaturas são das mais elevadas encontradas em qualquer processo industrial, e o tempo de residência dos gases a alta temperatura é também bastante superior ao conseguido em outros processos de combustão alternativos, como a incineração dedicada. Assim um forno de clínquer é um local com condições ótimas para uma queima ou destruição eficaz de qualquer resíduo orgânico que se possa oxidar/decompor com a temperatura.

Devido à quantidade elevada de matéria prima existente no interior do forno, este tem uma inércia térmica superior ao de muitas outras instalações industriais a alta temperatura. Nos fornos de cimento as variações de temperatura são lentas e mais facilmente controláveis. Esta característica é vantajosa quando se queimam substâncias com composição e poder calorífico variável como são os resíduos industriais.

É necessário tomar algumas precauções em relação ao modo como o material é adicionado ao forno. O local de injeção mais apropriado é o queimador principal junto à saída do clínquer, porque nestas condições a temperatura e o tempo de residência são maximizados. Substâncias líquidas ou sólidas triturados são normalmente queimadas neste ponto do forno.

Os resíduos têm de chegar à unidade fabril com uma composição conhecida e com uma uniformidade em composição e granulométrica especifica .

Resumindo, a coincineração, ou o coprocessamento em cimenteiras apresenta as seguintes vantagens:

• Altas temperaturas e longos tempos de residência: mais de 5” > 1800 °C
• Elevado índice de destruição: Orgânicos totalmente destruídos; Metais incorporados e fixados no produto final.
• Processo com auto-lavagem de gases: A cal representa > 60% em massa.
• Dupla valorização de produtos orgânicos e minerais
• Alta eficiência e Recuperação: total 1 MJ resíduo = 1 Mj fuel tradicional
• Redução das emissões globais: CO2 global é reduzido.

5) De acordo com a figura de papéis de SI , indique sistemas que a empresa utiliza de acordo com seu papel.

5.1) Apoio ás estratégias para vantagem competitiva:

SISTEMA SIG – O Sistema de informação gerencial (SIG) é um sistema planejado de colher, processar e armazenar e disseminar informação, de modo a permitir a tomada de decisões eficazes pelos gerentes envolvidos. O sistema de informação ocupa um papel importante no desempenho dos gerentes, principalmente nas tarefas de planejamento e de controle. Sob o aspecto específico de controle, o SIG proporciona informação oportuna e relevante para que os gerentes possam fazer uso do controle antecipado em relação à ação, permitindo à organização uma vantagem competitiva quanto a seus concorrentes.

5.1.1) Sistema GPD: gerenciamento pelas diretrizes, pessoas, processos, resultados.

5.1.2) Sistema Excel – A empresa utiliza esta ferramenta Para acompanhar resultados de qualidade, onde são feitos testes diários da qualidade do produto.

5.2) Apoio á tomada de decisão

SIG – Sistema integrado de Gestões.

5.3) Apoio ás operações e aos processos:

SAP – Sistema colaborativo e sistema de tele conferencia e vídeo conferencia.

6) Qual Sistema você acha que é mais importante para a empresa e por quê?

O sistema mais importante da empresa é o sistema Sap, mas o que nos chamou muito á atenção foi o sistema colaborativo dentro da empresa.

Através da intranet, de tele conferencias, vídeo conferencias, é um dos mais importantes sistemas para a empresa, porque sem a participação, interação de todos é humanamente impossível se ter conhecimento de tudo, criou se uma interface para cada segmento da empresa, onde cada usuário acessa aquilo que é de seu domínio.

7) Que exemplos de sistemas colaborativos a empresa utiliza?

Intranet tele conferencias, vídeo conferencia, Sistema integrado de gestão.

SAP PLM (Product Lifecycle Management), que permite planejamento, desenvolvimento e gerenciamento colaborativo e customizado de produtos e de projetos.

8) A empresa utiliza algum Sistema Especialista? Qual (is)?

Sim, sistema de informações.

Diagrama de Contexto de um sistema especialista para gerenciamento de informações.

9) Qual a função de SI, dentro de uma empresa como a que você visitou?

Desde quando os computadores se tornaram parte integrante das organizações, o gerenciamento da atividade de negócios passou a depender cada vez mais do processamento da informação. Até pequenas empresas, que antes não tinham condições de possuir um computador, hoje em dia não sobrevivem sem esse recurso.

Para uma empresa garantir sua sobrevivência, elas necessitam essencialmente de informações. Essas informações, hoje em dia, estão incorporadas a esses meios eletrônicos.

Como todo bem de uma empresa, as informações também precisam de proteção, principalmente se considerarmos alguns aspectos:

• A informação é tão importante para a empresa como para seus concorrentes;
• Sua indisponibilidade acarreta prejuízos financeiros;
• A informação, embora imensurável, é o ATIVO mais valioso da organização, por isso precisa ser preservada, garantido e bem gerenciado.

10) Os Si’s ajudaram a empresa a obter uma vantagem estratégica com competitivo mercado de trabalho?

Sim, pois o conhecimento e as informações adquiridos pelos funcionários da Votorantin, através dos sistemas de informações já citados anteriormente, recicla e capacita o funcionário dando maiores condições de trabalho para o mesmo, Além de reter o mesmo já bem qualificado na empresa.

Conclusões

Devido ás constantes mudanças tecnológicas, e de mercado de trabalho, o profissional da informação deve cada vez mais, terá que adotar uma postura pró-ativa, utilizar-se de estratégias de marketing e preocupar-se com a qualidade da informação, tratando-a como um produto e serviço. As empresas e organizações estão atentando para a importância da informação, mas não encontram profissionais capacitados nesta área, visto que os profissionais da informação ainda estão ligados as suas funções tradicionais, o mercado de gerenciamento da informação está praticamente inexplorado e aberto a profissionais empreendedores que estão dispostos a encarar desafios. Existe varias maneiras de se trabalhar com a informação taxada, sendo destacada a consultoria e desenvolvimento de estratégias em seu ambiente de trabalho, mostrando as vantagens competitivas que sua informação ira trazer para empresa.

Ficou muito claro que a informação é a peça chave para o bom desenvolvimento da empresa Votorantin e suas organizações, mas falta postura pró-ativa e habilidades gerencias aos profissionais da informação, que não estão sabendo aproveitar esse nicho que o mercado oferece.

E, não é por acaso que o grupo Votorantin é líder em quase todos os segmentos em que atua, os quais destacam a liderança e tecnologia de informações em suas empresas e em especial nas fábricas de cimento, pelo seu enorme investimento em tecnologia de informação de ponta, é de uma estranheza profunda que ainda não consigam atender a demanda no Brasil, se não fosse pelos investimentos anunciados pelo grupo, diria que poderiam estar deixando uma lacuna para possíveis concorrentes.

Em ambiente monitorado, controlado, que ofereça um serviço adequado de coleta, armazenamento, tratamento, agregação de valor e disseminação da informação a empresa tem acesso às melhores informações e pode obter vantagem competitiva com o melhoramento de seus produtos e serviços.

Referencias Bibliográficas.

Votorantin, www.votorantin.com.br
Google, www.google.com.br
Votorantin, Fábrica Filial Nobres Mato Grosso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here