INCONTINENCIA URINÁRIA

0
1713
DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

Severino Rodrigues de Figueiredo

A incontinência urinaria tem varias definições e varias formas de se manisfestar, para se chegar a um único objetivo, tratar o paciente para evitar o desconforto apresentado, melhorando sobremaneira o convívio social e melhorar sua qualidade de vida.

Podemos diferenciar de outros tipos de incontinência:

Urgência miccional
Instabilidade vesical.
Enurese
Fistulas urinarias.
Anomalias congênitas
Traumas obstétricos
Irradiação

A Incontinência urinaria acomete homens e mulheres mais sua incidência é mais nas mulheres, ocorre tambem em nuliparas
Nas mulheres que apresentam incontinência urinaria.Os 2/3 da uretra, ficam situados na porção extra-abdominal

A historia clinica deve ser pesquisada, em detalhes, para se detectar o tipo da incontinência urinária, se é decorrente de problemas neurológicos, medicamentos ou se decorrente da própria estrutura pelvica e seus órgãos.

Sintomas:

Na incontinência urinaria de esforço, a paciente perde urina quando é , submetido a um esforço físico, como tossir, rir, pegar peso, exercícios físicos, ou sexuais ou quando é submetido a a um aumento da pressão intra-abdominal

Para o diagnostico correto se faz necessários o estudo urodinamico.
Pois nem toda incontinência urinaria se corrige com cirurgia .Os dados da literatura informa que 10 a 15% das pacientes não se curam de modo completo.

Causas da incontinência urinaria.

Infecções urinarias
Infecções ginecológicas
Patologias neurológicas
Cistocele
Retocele
Menopausa: decorrente das alterações hormonais(hipoestrogenismo)
Partos normal. Alteração no assoalho pélvico.alteração da musculatura perineal.
Estress
Medicamentos,
Diabetes
Insuficiência cardíaca congestiva
Obesidade
Parkinson

Efeitos de algumas drogas sobre o sistema urinário:

Diuréticos: pesquisar se a paciente vem fazendo uso de drogas diuréticas
Bloqueadores de canal de cálcio
Inibidores da ECA
Álcool.

Diagnostico. Com o diagnostico correto temos o sucesso terapêutico.

Através de um exame ginecológico detalhado, pesquisar retocele, cistocele, rutura perineal, prolapsos. paridade. Freqüência das micções, antecedentes cirúrgicos, perfil emocional da paciente.
Afastar as causas neurologicas
Estudo urodinamico. Importante para se decidir na conduta a ser adotada: clinica ou cirúrgica.
Exames urina tipo 1 para descartar infecção urinaria, diabetes mellitus, diabetes insipidus(avaliar densidade urinaria).
Citologia vaginal
Urocultura
Ultrasonografia para afastar miomas, tumores anexias, que podem execer compressão sobre a bexiga.nas virgens e nuliparas para deve-se pesquisar causas centrais e periféricas

Tratamento.

Trata-se de acordo com o tipo de incontinência apresentado pela paciente.

Tratamento clinico: medicamentos exercicios perineais, cones vaginais, eletroestimulação , fisioterapia , ou quando a cirurgia é contra indicada

Tratamento cirúrgico: uma das melhores escolhas para o tratamento da incontinência urinaria de esforço, respeitando-se as ocorrências de recidivas.
Cirurgia de Burck
Cirurgias tipo sling

Bibliografia:

1-Urologia Pratica – Nelson Rodrigues Netto Junior
2-Rotinas em Ginecologia- Fernando Freitas
3-Ginecologia Básica-Edgar da Rosa Ribeiro
4-Ginecologia – Laurival de Luca
5-Tratado de Ginecologia- Halbe

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here