19.5 C
Sorocaba
sábado, junho 25, 2022

Aromaterapia

Autor: Marcelo Berlofa Antonio

É uma técnica milenar . Esta terapia utiliza o uso terapêutico do aroma das flores, frutas e outras partes das plantas. A aromaterapia utiliza a parte mais sutil da planta: sua essência que atua diretamente sobre a harmonia das três esferas do corpo humano: mental, físico e emocional

Essências Naturais

Alecrim

Generalidades Óleo essencial estimulante contra os sentimentos depressivos, ajuda na concentração e na limpeza dos pensamentos. Energético natural para dores musculares. A essência de alecrim estabiliza a ansiedade do dia a dia.

Calêndula
Generalidades Equilibra a falta de concentração, facilita e ajuda a melhorar a sensibilidade nos diálogos, aumenta a capacidade de memória, calmante, tranquilizante, melhora a compreensão.

Eucalipto
Generalidades Como remédio para recuperar a integração emocional, física e espíritual. Estabilizante místico na falta de contrôle do estado ânimico. Melhora o estado emocional, controla as angustias constantes e a respiração. Desodorizante de ambientes, útil em saunas e como repelente de insetos.

Flor de laranja (Azahar)
Generalidades No tratamento das palpitações, histeria, insônia, tensão nervosa, traumas e bloqueios emocionais. equilibra as emoções em geral. Muito utilizado nos momentos que antecedem o sono, sedativo, anti-depressivo, balsâmico.

Jasmim

Generalidades Indicado em doenças psicossomáticas. Produz sensação de otimismo, confiança e euforia . Desodorizador de ambientes e inibidor de cheiros desagradáveis . Anti-mofo. A essência de Jasmim é exelente para melhorar o estado de espíritito haroniza, calma, relaxa. Estimulante no viver do dia-a-dia.

Grapefruit
Generalidades Auxiliar no tratamento contra insônia, melhora os estados depressivos, cansaço, fortalece os pensamentos. A essência de Grapefruit acalma, atuando como harmonizador de ambiente.

Sálvia

Generalidades Relaxante profundo muito útil para o tratamento do stress e insegurança, ajuda na melhoria da auto estima, do egoismo proporciona um convívio com uma natureza mais autêntica

Insenso
Generalidades Largamente usada desde o antigo Egito como estimulante do presente, aprofunda e reúne as emoções. Acalma e aquieta a mente, ótima para o tratamento da histeria, pânico e ansiedade.

Lavanda
Generalidades A essência de lavanda é muito versátil, como um tônico para o plexo solar vitaliza os centros vitais. estimula os centros psíquicos elevando e equilibrando os sentimentos oscilantes. Possui ação refrescante, relaxante e calmante, auxilia nos casos de insônia, tristeza e preocupações

Pinheiro (pino)
Generalidades Insônias, bronquite e sinusites. Revigorante e desinfectante de germes nocivos .A essência de pinheiro como a essência de limão, desenvolve valioso desempenho nas enfermidades causadas por baixa de imunidade, calmante, expectorante , descongestionante .
Camomila

Generalidades Para Tratamento da falta de reconhecimento dos proprios erros, vaidade, remorsos e das reações agressivas com rancor. Calmante das emoções e dos sentimentos de ansiedade e insônia

Tomilho
Generalidades É um óleo essencial ativo que fortalece os nervos e ajuda a proteger de sentimentos vulneráveis. Alivia o cansaço e a depressão, estimula a concentração.

Manjerona
Generalidades Melhora os estados mentais ao lidar com situações difíceis, acalma as sensações de ansiedade e tensão nervosa recomendado quando há sensação de falta e solidão.

Conheça um breve histórico sobre óleos Essenciais

Os óleos essenciais constituem as partes voláteis das plantas que se liberam mediante um processo de destilação a vapor das folhas , flores e madeiras. Os Óleos essenciais agem como anti-séptivcos, estimulantes ou calmantes . Sua utilização pode ser feita pela ação direta em massagens , banhos, compressas ou pela ação indireta na aromatização de ambiente, vaporização e sauna, Também pode ser utilizado como repelente de insetos.

Possuimos dois tipos de óleos essenciais Puro ou Diluído O óleo puro deve ser diluído previamente antes de usá-lo sobre a pele , caso contrário, pode provocar alergias Os óleos cítricos mancham a pele se houver exposição ao sol após seu uso. As Gestantes deverão consultar seu médico antes de sua utilização , assim como os que sofrem de pressão salta ou epilepsia

ÓLEOS

Veja as propriedades de alguns óleos:

ÓLEO DE ABACATE – Empregado na cosmetologia para tratamentos da pele.

ÓLEO DE ALECRIM – Indicado para tratamentos das psoríases e nas sarnas, auxiliando também nas massagens reumáticas.

ÓLEO DE ALFAZEMA – Indicado para dores nevrálgicas e reumatismo.

ÓLEO DE AMÊNDOAS – Empregado externamente na cosmetologia e internamente como laxativo e purgativo.

ÓLEO DE ANDIROBA – Indicado para picadas de insetos venenosos, nas feridas e afecções crônicas da pele.

ÓLEO DE ARNICA – Indicado para massagens, nas dores reumáticas, gota, contusões e hematomas. Estimula a circulação.

ÓLEO DE BETERRABA – Empregado na cosmetologia, principalmente na elaboração de bronzeadores.

ÓLEO DE BÉTULA – Possui propriedades tonificantes dos músculos. Indicado para massagens em todo o corpo. Estimula a circulação, indicado para combater celulite.

ÓLEO DE CAMOMILA – Empregado para tratamento de pele, específico para a higiene diária do bebê, e peles delicadas.

ÓLEO DE CANA – Indicado para massagens, dores e artrite reumática.

ÓLEO DE CÂNFORA – Indicado para massagens e dores reumáticas. Internamente é excelente auxiliar nas pneumonias, pleurites, bronquites e estados gripais.

ÓLEO DE CITRONELA – Possui substância ativa que repele insetos.

ÓLEO DE CÔCO – Comestível. Na cosmetologia é usado como bronzeador,etc.

ÓLEO DE COMFREY – Cicatrizante e anti-inflamatório.

ÓLEO DE COPAÍBA – Balsâmico, anti-inflamatório. Uso interno e externo. Cicatrizante, usado para o tratamento de úlceras e feridas.

ÓLEO DE CRAVO – Para uso odontológico.

ÓLEO DE EUCALÍPTO – Usado em inalações para combater asma, gripe, tosse e desinfetar os brônquios. Para massagens no peito para alívio do estado gripal e para dores reumáticas. Pode ser usado em saunas.

ÓLEO DE ERVA SANTA MARIA (MENTRUZ) – Anti-helmíntico. Indicado para massagens nas pancadas.

ÓLEO DE FLOR DE LARANJEIRA – Calmante usado internamente.

ÓLEO GERME DE TRIGO – Usado na cosmetologia como revitalizante, possui vitamina E.

ÓLEO DE GIRASSOL – Cicatrizante da pele e excelente hidratante. Protege a pele de recém nascidos prematuros, combatendo infecções.

ÓLEO DE LINHAÇA – Para dermatoses.

ÓLEO DE MALVA – Usado como emoliente.

ÓLEO DE MANGERONA – Massagem na debilidade dos músculos e nervos com dores reumáticas.

ÓLEO DE MELISSA – Para uso de laboratório na confecção de fórmulas aromatizantes. Usado para acalmar dores de barriga em massagens.

ÓLEO DE PEQUI – Para uso no tratamento das bronquites, asmas brônquicas e pneumonias.

ÓLEO DE RÍCINO – Usado como purgativo e laxativo.

ÓLEO DE SABUGUEIRO – Usado para massagens nas dores reumáticas.

ÓLEO DE SASSAFRÁS – Nas dores reumáticas.

Propriedades Terapêuticas

Os óleos essenciais atuam sobre a harmonia e saúde dos corpos físico, mental e emocional.

A nível de corpo físico, o poder de penetração e atuação dos óleos é muito grande, e muitas vezes sua ação varia de acordo com a dose prescrita.

Possuem atuações:

1. A nível fisiológico: ação carminativa,antiespasmódica e digestiva, combatendo a prisão de ventre,diarréia, flatulência e má digestão.

2. A nível de sistema cardiovascular, pode atuar como hipertensor, hipotensor, vasoconstrictor e antiespasmódico.

3. A nível linfático, são poderosos antissépticos.

4. No sistema respiratório, têm ação antisséptica, antiespasmódica e expectorante.

5. Os óleos também agem no sistema urinário como diurético, na eliminação de cálculos renais e no tratamento de infecções e disfunções urinárias.

6. Também são utilizados para tratamento de impotência e frigidez, doenças venéreas, etc. Os afrodisíacos mais notáveis são jasmim e ilangue-ilangue.

7. Sua função endócrina envolve a estimulação de glândulas para a produção de hormônios e a atuação de alguns óleos como hormônios.

8. A nível de sistema nervoso, poucos estudos criteriosos foram feitos a respeito, mas se conhece sua ação como estimulantes e sedativos, desenvolvendo a memória e o raciocínio

Utilização

De modo geral, os óleos aromáticos devem ser diluídos em óleos vegetais (carreadores) ou mel, antes de serem aplicados sobre a pele ou ingeridos.

Para a massagem, a diluição de 3% de óleo essencial em óleo vegetal (equivale a 1 gota de essência para 2 ml de óleo vegetal) é recomendada como inicial, que deve ser menor no caso de pele sensíveis, como de bebês.

Basta encher o frasco com óleo vegetal, e acrescentar a essência em gotas. Agite suavemente.

Óleos vegetais:

Pele seca: óleo de coco e de oliva
Pele normal: óleo de milho e de girassol
Pele oleosa: óleo de soja e de amêndoa doce
Uma dica: o óleo de amêndoa doce é o mais utilizado; se você adicionar 5% de óleo de germe de trigo às misturas, durarão muito mais.

Os óleos aromáticos podem ser misturados entre si para maior eficiência, porém muito cuidado deve ser tomado com misturas; oriente-se com um profissional da área.

Alguns óleos, no caso de superdosagem podem provocar efeitos colaterais,deste modo, observe as quantidades prescritas no receituário.

BANHOS AROMÁTICOS

O banho com óleos aromáticos é uma terapia muito efetiva, pois através da associação água- óleo, estes penetram na pele e são transportados mais facilmente através do organismo.
Além disso, os óleos atuam também a nível olfativo e psicológico, estimulando diversos órgãos.

Banhos de Imersão

Aí vão algumas dicas para um banho saudável:

Aqueça a água da banheira; a água morna é relaxante e sedativa e a quente, tonificante.
Como o óleo aromático puro não se emulsiona na água, dissolva 6 a 10 gotas de óleo aromático ( utilize de 3 a 5 gotas no início do tratamento) em óleo vegetal ou mel. Adicione este conteúdo na água da banheira cheia.
Mexa delicadamente a água espalhando o óleo na mesma durante todo o banho.
Coloque uma música relaxante.
Ao sair do banho, você estará com uma fina película de óleo perfumado sobre o corpo, caso você queira, pode retirá-la com um sabonete líquido neutro.
Escalda-pés

Os escalda-pés são muito úteis no tratamento de dores de cabeça, enxaquecas, dores nas pernas, resfriados e cansaço.

Banhos de Assento e Duchas

Utilizados para tratamento de doenças intestinais e urogenitais, através de banhos com nível d’água até os quadris.

Borrifos d’água

Óleos essenciais como alecrim podem ser acrescentados a borrifos d’água e aplicados ao longo da coluna, sob a forma de jatos. Neste caso, intensificarão o efeito estimulante.

MASSAGENS

A massagem é uma terapia milenar, na qual energia é mobilizada através do toque para o equilíbrio energético e cura do corpo.

A associação entre a aromaterapia e a massagem promove maior penetração dos óleos na pele, atuando como relaxante, tonificante, sedativo ou estimulante, estimulando o metabolismo e a circulação sanguínea, aumentando a imunidade, curando órgãos e reequilibrando o fluxo de energia nos meridianos energéticos.

Os óleos a serem utilizados devem ser diluídos em óleo vegetal.
Prepare seu óleo para massagem com cerca de 24 horas de antecedência e faça um teste com uma pequena quantidade sobre a pele antes de aplicá-lo para assegurar se não há processos alérgicos.

COMPRESSAS

Compressas quentes são apropriadas para reumatismo, artrites, dores musculares, febre, cólicas menstruais, dores dos dentes, ouvidos e estomacais, abscessos e bronquite.
Compressas frias são recomendadas para dores de cabeça, torções e tendinites.

Para preparar suas compressas:

Misture 2 (duas) gotas de óleo aromático com 1/2 litro de água quente ou fria.
Misture bem e embeba essa solução em um pedaço de pano.
Torça o pano e aplique a compressa na pele, cobrindo-a com um pano seco.

Aromaterapia

É definida como a arte e ciência que utiliza as propriedades terapêuticas dos óleos essenciais com o intuito de promover o equilíbrio geral no ser humano, tendo como conseqüência à saúde e o bem estar, não só do corpo, mas também da mente e das emoções.
É uma prática muito antiga que no mínimo possui 5000 anos. Há registros no antigo Egito que comprovam sua existência. Eles utilizavam Olíbano, perfume e cosméticos, tanto na medicina, quanto em seus cultos religiosos. Esses registros se encontram gravados em pedra. Também na literatura védica, em torno de 4000 A.C., existem citações de uso de material aromático em medicamentos e cosméticos. Em época semelhante na China, há registros que incluem a medicina chinesa quanto ao uso de material aromático. Também nas civilizações Mesopotâmicas, utilizavam ungüentos aromáticos de origem vegetal de origem vegetal em suas práticas religiosas.

A partir de então, as culturas posteriores herdaram estes conhecimentos e os cultivaram, como os Gregos e Árabes. Na Renascença, o uso de óleos essenciais ainda era praticado por alquimistas e perfumistas na Europa que aliavam à prática do hervalismo à medicina.

A partir da Revolução Industrial surgiu a tendência a investigação científica dos óleos e a subseqüente criação de compostos sintéticos, que valorizamos pela sua “pureza”, perderam toda a complexidade de elementos do óleo essencial botânico ou natural. Devido a isso, nossa civilização está passando por uma “amnésia sensorial”, ou seja, a diminuição da percepção olfativa. Estamos nos tornando cansados e cada vez mais mentais e visuais. Com a experiência aromática podemos resgatar a conexão com a terra e absorver os benefícios que Gaya (Terra) nos proporciona.

Mas o que são óleos essenciais? São extratos obtidos das plantas.

Podem ser considerados hormônios vegetais pois parecem controlar determinadas funções das plantas, como a temperatura e sistema imunológico. Há quem diga que os óleos essenciais são a alma da planta, pois é a parte mais sutil que está ali concentrada. Podem conter de 10 a 200 componentes e outros microelementos difíceis de serem analisados. Formam moléculas específicas que combatem microorganismos nocivos como bactérias, fungos e vírus. Também formam compostos semelhantes às vitaminas e hormônios. Há dois tipos de óleos essenciais, os sintéticos e os botânicos. Os sintéticos são fabricados em laboratório, enquanto os botânicos são extratos vegetais naturais. Há discussões quanto as propriedades equivalentes destes dois tipos de óleos, mas o óleo botânico é único pois seu equilíbrio é formado pela ação das forças naturais, holísticas e universais. Já que nosso corpo é um organismo natural, e não sintético, nada mais lógico que interaja melhor com o que também é natural.

Gostaria de ressaltar que os sintéticos não utilizam elementos botânicos.

Há também os óleos adulterados por processos de refinamento que compromete a complexa estrutura natural das essências. Outra forma de adulteração é a diluição das essências com óleos vegetais que desestruturam e enfraquecem o potencial dos óleos essenciais in natura.

Existe uma terceira forma de adulteração que é chamada de “reconstituição” dos óleos. Isso se dá quando utiliza-se um álcool de um óleo mais barato que também é encontrado em um óleo mais caro. Partindo disso fabricam um óleo similar ao mais caro com menos custos.

Para identificarmos se o óleo é adulterado, ou não, devemos observar a agressividade de seus aromas. O ideal é a pessoa treinar o olfato e buscar informações a fim de se familiarizar cada vez mais com os aromas. Óleos essenciais são aromáticos e voláteis, enquanto os vegetais consistem em moléculas de gordura. Os óleos essenciais evaporam sem deixar resíduos. Alguns possuem densidade próxima a da água. Esses são os mais voláteis, enquanto outros podem até se solidificar. Também são dotados de variados tons. Semelhantes aos bons vinhos, desde que guardados em local adequado, tanto em temperatura, quanto em claridade, não perdem seu aroma e nem ficam rançosos. Se isso acontecer, ou não está em ambiente propício, ou seu óleo é adulterado.

As essências são obtidas, na maioria das vezes, através de destilação. Há também extração a frio e através de solventes, conforme as características de cada planta. Não devemos confundir óleos essenciais com florais. Os florais são remédios vibracionais. São muito sutis, atingindo diretamente no corpo energético, enquanto os óleos essenciais são extratos físicos de material aromático que podem afetar o corpo mental e emocional da pessoa. Possuem propriedades terapêuticas que podem ser direcionadas para tratar as condições físicas.

Hoje a aromaterapia está dividida em três facções distintas. A primeira para uso medicinal, a segunda para uso cosmético e a terceira aplicada na psicologia e psicoterapia.

Quem tiver interesse em submeter-se a essa terapia deve dirigir-se a um profissional competente que irá formular o que é adequado a cada caso.

Os óleos essenciais são, em média, setenta vezes mais concentrados que as plantas das quais foram extraídos. De 85% a 90% são inofensivos por não serem tóxicos, mas não nos esquecemos do saldo de 15% a 20% com algum nível de toxicante que só serão terapêuticos na dosagem adequada.

Mas como esses óleos agem em nós? Possuímos membranas nasais internas que são dotadas de receptores de olfato, porém o bulbo olfativo fica dentro da área craniana. O cheiro é processado dentro do cérebro, abaixo do hipotálmo, dentro do córtex cerebral, mesma região onde a memória e as emoções são processadas, portanto é o cérebro que se sente o aroma e imediatamente estimula emoções e memória.

O termo aromaterapia surgiu em 1928 quando René Maurice GatteFossé (químico francês) queimou-se gravamente em seu trabalho laboratorial.

Gattefossé colocou óleo botânico de lavanda no ferimento e observou que rapidamente a ferida parou de aumentar e cicatrizou, restando apenas uma cicatriz muito pequena. A partir desse fato, Gattefossé começou a pesquisar sobre as propriedades anti-sépticas e antibióticas dos óleos essenciais. Mais tarde seus estudos se espalharam por outros países da Europa, formando pequenos grupos dentro da comunidade científica.

Quarenta anos mais tarde, Robert Tisserand, da Inglaterra, difundiu o termo aromaterapia em seu livro “A arte da aromaterapia”.

Para termos uma noção dos estímulos que os aromas podem proporcionar, vamos dividi-los em quatro grupos distintos:

1º FLORAIS

São de princípio frio, trazendo sensações de frescor e leveza;

2º CÍTRICOS

De princípio quente, que pela sua expansão tem cheiros definidos e voláteis;

3º DOCES

Vem do princípio úmido que contém fragrâncias que impregnam o ambiente;

4º AMADEIRADOS

De princípio seco, contém ação adstringente e marcante.

É muito simples a identificação destas quatro famílias aromáticas através do tato. Se a pele tiver a sensação de esquentar, você tem em mãos uma essência cítrica. Ao invés disso, se a sensação for de frescor ou esfriamento, a essência floral. Se a sensação for na pele seca, a essência é amadeirada, pois são adstringentes, e quando a sensação for de umidade, a essência é doce.

Todos nós pertencemos a um signo no zodíaco que é regido por um elemento distinto que são: Fogo, Água, Terra e Ar. Pois bem, as essências também. Ao elemento terra associa-se os perfumes florais e amadeirados, que correspondem a percepção ou sensação (capacidade). No elemento ar está os perfumes cítricos e doces. Associa-se à razão ou pensamento.

Já no elemento água está os perfumes doces e florais, ligados aos sentimentos. Finalizando, os perfumes cítricos e amadeirados correspondem ao elemento fogo, ligado à instituição.

Partindo dessa informação, podemos ter uma melhor noção de como as essências podem nos favorecer na busca de um equilíbrio holístico do ser.

Holístico (holismo) – Vêm do Grego HOLOS que significa Todo, Inteiro.

Outros trabalhos relacionados

SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO E PERIFÉRICO

Autor: Gilvanes de Brito Ferre INTRODUÇÃO Tudo aquilo que pensamos ser, tudo aquilo que realizamos em termos físicos e intelectuais, todo o bem estar e o...

MASSOTERAPIA

  1 - Introdução: MASSOTERAPIA Todos precisam relaxar para escapar do tempo. Ouvir música, apreciar o movimento das nuvens, catar pedras ou conchas na praia - esses...

O QUE É FISIOTERAPIA?

Definição e Áreas de atuação É uma ciência da Saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do...

OSTEOPOROSE E DOENÇA DE PAGET

1 – Osteoporose 1.1 – Introdução Nas últimas duas décadas, a osteoporose foi amplamente reconhecida como um importante problema de saúde pública. É a doença ósseo-metabólica...