6.3 C
Sorocaba
quinta-feira, maio 19, 2022

CANDIDÍASE

Autor: Lívia Freitas

A Candidíase é uma doença sexualmente transmissível que possui como sintomas principais: corrimento espesso, tipo nata de leite; hiperemia (vermelhidão); edema (inchaço); prurido (coceira) ou irritação intensa, inclusive, podenca causar infecções urinárias, com dores fortes e fazer aparecer manchas brancas (sapinhos).

Esta doença é causada por um fungo, Candida albicans, que vive normalmente na vagina, sem causar agravos. Porém, quando a resistência imunológica genital encontra-se diminuída, a Candidíase se manifesta, apresentando todos ou alguns dos sintomas relatados anteriormente, sendo necessário ser devidamente tratada.
A Candidíase não é uma patologia de transmissão exclusivamente sexual, podendo ser contraída através de roupas íntimas, toalhas, lençóis ou outros objetos que contenham o fungo em sua superfície.

Algumas doenças ou situações podem favorecer o aparecimento da Candidíase, sendo as principais:

O uso de antibióticos, pois eles reduzem a resistência imunológica nesse tipo de caso;

Durante a gravidez, sendo inclusive comum esse acontecimento em tal período;

Pacientes com Diabetes Mellitus, pois estes também possuem maior probabilidade de contraí-la, devido a uma mudança no pH vaginal;

Outras infecções genitais oportunas, pois as doenças atacam diretamente a flora vaginal, expondo-a a diversas outras;

Deficiência imunológica, ou seja, baixo grau de proteção quanto a várias formas de contaminação e contração de agravos, pela debilidade do organismo em se defender de agentes estranhos ao mesmo;

Uso de medicamentos, como anticoncepcionais e corticóides, que também contribuem para a baixa imunidade corpórea.

O diagnóstico da Candidíase pode ser realizado através do Exame Preventivo, também chamado de Citologia Oncótica ou Papanicolau, feito em consultório médico ou de enfermagem. Consiste em um exame simples, rápido e indolor, onde por meio de uma coleta das secreções endocervical e da ectocérvice, permite-se fazer uma análise minuciosa em laboratório específico e produzir-se o resultado.

Diante do resultado positivo, o tratamento será sistêmico e feito com cremes locais, à base de antifúngicos, em geral de 03 a 07 dias (ex.: Nistatina, Miconazol). Em casos mais resistentes, deve-se fazer o tratamento por via oral (ex.: Fluconazol), bem como na suspeita de que o parceiro também tenha a doença, este deverá ser tratado.

Principais cuidados a serem realizados para evitar esse tipo de patologia:

Usar sabonete neutro, em banhos diários, preferencialmente mais de um banho por dia no verão. Usar roupa íntima de algodão, evitando produtos sintéticos, inclusive meia calça, para que a pele possa respirar e a umidade ser diminuída. No contato sexual, usar preservativo. É aconselhável fazer a higiene genital com muito cuidado, evitando o uso de duchas vaginais.

Usar sempre a camisinha.

Nunca esquecer: conhecer bem o próprio corpo, e promover uma boa higiene, prevenção e cuidados com o mesmo, podem fazer toda a diferença!

Outros trabalhos relacionados

ÁFRICA

Quando decidi me matricular no curso de Pós-graduação Cultura, Literatura e História africanas e afro-brasileiras, eu apenas imaginava que pudesse adquirir novos conhecimentos sobre...

CURIOSIDADES SOBRE GUERRA DOS SEXOS (HUMOR)

Ainda bem que sou mulher, sim, sim, sim. Não vivo de cerveja, tremoços, nem de bebedeiras. Não falo com os meus amigos sobre as minhas...

PERGUNTAS E RESPOSTAS CURIOSAS SOBRE ECOLOGIA

Como a ostra faz a pérola? A pérola resulta de um sistema de defesa da ostra contra invasores. Parasitas que se alojam no mantro da...

PORQUE O CHESTER É UM FRANGO ENORME?

No início dos anos 80, surgiu no mercado uma nova opção para a ceia de Natal, um frango com muito mais carnes nobres (peito...