sexta-feira, março 5, 2021

Inês de Castro

No episodio de Inês de Castro em Os Lusíadas, Camões retrata muitos aspectos relacionados a sua terra natal como: saudades de Portugal; Mitos da Literatura; Elementos maravilhoso pagão e cristão entre outros aspectos.

Na narrativa deste episódio, aparece a figura da mulher no casamento complicado, que não deu certo e fica a espera do seu amado para finalmente, viver feliz ao seu lado e nesta narrativa, demostra-se o sentimento de Camões relacionado á mulher na forma de encontrar o amor absoluto e também expressar este sentimento, sendo algo universal e neste universo, o autor trabalha mitos da vida da personagem e descreve seu amor a sua Pátria e o quanto sente saudades da sua vida, quando vivia no seu país.

O autor escreve o texto no diálogo dos personagens como narrativas, no qual Inês mostra não só o seu amor principalmente, seu valor como mulher e torna-se bastante lembrada e muitas vezes citadas em toda literatura portuguesa retratando Portugal e elementos do cristianismo como a influência do divino de saber a verdade dita. Não uma verdade cultivada dentro de um território a cada momento de dor, sofrimento, angustia e sim uma verdade necessária a todos, que precisam realmente entender.

Já os elementos pagãos no episodio, seriam os aspectos estranhos de sobrenatural contados pela própria lenda e como exemplo, a de ter arrancado o coração de Inês…Aspectos talvez absurdos, que a lenda não desconsidera e torna real para as pessoas, acreditarem na força e na presença da magia.

Gigante Adamastor no mito e a literatura

Camões no episodio Gigante Adamastor conta a historia de um homem temido por todos como forte, bruto e invencível, vendo-se totalmente apaixonado por uma jovem, que graças às circunstâncias da sua própria vida e enganado, não consegue desfrutar de sua ardente paixão com amor queimando no seu coração.

Entendendo a vida do Gigante e a sua própria vida descrita é possível observarmos o papel do mito, na forma do medo e temor, que todos possuíam sem levar em consideração os sentimentos do gigante, trabalhando muito a questão do ser ou não ser.

Quanto a literatura, está inserida historicamente na vida do gigante como nas redondilhas, nos versos, na linguagem e Camões trabalha sem duvida a razão relacionada ao ser humano, que não pode se prender a sentimentos amorosos, pois este sentimento lírico está voltado para o universo sobrepondo acima de qualquer ser abstrato a racionalidade a mente do homem.

Também o lado heróico é posto através da razão como verdade absoluta e finalmente, analisando todas estas questões de mito, literatura, história e observamos quanto Camões merece prestigio, devendo ser lembrado a diversas gerações, como grande poeta e homem destacando sua melhor obra ”Os Lusíadas” explicando e revelando os detalhes de grandes historias narrada.

Referências:

Os Lusíadas é uma obra poética escrita por Luís Vaz de Camões, considerada a epopeia portuguesa por excelência. Provavelmente concluída em 1556, foi publicada pela primeira vez em 1572 no período literário do classicismo, três anos após o regresso do autor do Oriente.

Artigo anteriorCantigas de Amor
Próximo artigoHistória de Eros e Psiquê

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

CORONAVÍRUS

Origem da Crise Econômica

Recent Comments

Nilson Ribeiro on O QUE É ENGENHARIA CIVIL?
PABLO DA SILVA BARBOZA on FILOSOFOS BRASILEIROS
Ligeirinho Resolve on Tese Globalização
Susana Mesquita on Tese Globalização
Cátia Regina de Aquino Santos on Tratamento Multiprofissional à Terceira Idade
Kesia Oliveira do Nascimento on SUBSTANTIVOS
Ludymila Helena Arraujo Lima on DEPRESSÃO
TIAGO NERY on FILOSOFOS BRASILEIROS
TIAGO NERY on FILOSOFOS BRASILEIROS
TIAGO NERY on FILOSOFOS BRASILEIROS
Fernando on FILOSOFOS BRASILEIROS
fernando monteiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
fernando monteiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
fernando monteiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
Guilherme on Hidrocarbonetos
Ernani Júnior Silva on FILOSOFOS BRASILEIROS
Flavio Musa de Freitas Guimarães on FILOSOFOS BRASILEIROS
Flavio Musa de Freitas Guimarães on FILOSOFOS BRASILEIROS
Isabella on SUBSTANTIVOS
Anonimo on Adjetivos
ALVARO on SURDEZ SÚBITA
CARIMBO DA CONFUSÃO on FILOSOFOS BRASILEIROS
socorro andrade on DINÂMICA DO SORRISO
Alessandra Martins on RESUMO DO FILME FLORENCE NIGHTINGALE
Sibely on VIRUS E BACTÉRIAS
Paula on Sistema Nervoso
Samuel Delgado Pinheiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
Jamal Mussa Muroto on DIVISÃO CELULAR
Guilherme on FILOSOFOS BRASILEIROS
Camila on SISTEMA DIGESTIVO
Hadouken on FILOSOFOS BRASILEIROS
Josimeire dos Angelos on RESUMO DO FILME FLORENCE NIGHTINGALE
ONEIDE abreu on REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR
José Caixeta Júnior on FILOSOFOS BRASILEIROS
GILVALDO DIAS GUERRA on COMO SURGIU O DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA
ronald on CONSCIÊNCIA NEGRA
SÉRGIO LEONARDO TRINDADE on FILOSOFOS BRASILEIROS
ELIZABETH on FILOSOFOS BRASILEIROS
ELIZABETH on FILOSOFOS BRASILEIROS
Reginaldo Coveiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
julieny kettylen on Obesidade
gabrielle barreto de oliveira on DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO
suzana stvens on CORRUPÇÃO NO BRASIL
Kauã Liecheski on Tratamento do Lixo
Ligeirinho Resolve on OLIMPIADAS
Ligeirinho Resolve on A FUNÇÃO SOCIAL DA ESCRITA
kamilly on Jogos Olimpicos
Marcelo Cardoso on MILITÂNCIA JOVEM
Isabella on MILITÂNCIA JOVEM
Maria Conceição Amorim on A IDENTIDADE E CULTURA DA BAHIA
Maria Conceição Amorim on FOLCLORE BRASILEIRO
Emerson Davi on CORRUPÇÃO NO BRASIL
Maria dos Reis on COMO FAZER UM TRABALHO ESCOLAR