26.7 C
Sorocaba
quarta-feira, maio 22, 2024

Invenção de Goodyear

Autoria: Leonardo Mello de Freitas

A invenção de Charles Goodyear

Antigamente, alguns autores acreditavam que o norte-americano Charles Goodyear (1800-1860) simplesmente deixou cair enxofre em um tacho contendo borracha quente e, assim, descobriu a vulcanização.
Mas hoje sabemos que isso talvez seja pura lenda. Em 1836, Charles Goodyear, que era inventor como seu pai, conseguiu um contato para fornecer sacos postais de borracha para o departamento de correios dos EUA. No entanto, havia um grande problema: os sacos de borracha produzidos por Goodyear eram muitos ruins durante boa parte do ano, já que endureciam demais no inverno e praticamente se desmanchavam no verão.
Então, conjugando sua criatividade de inventor com o desejo de não perder um vantajoso contrato comercial, Goodyear enfrentou o desafio de produzir uma borracha de melhor qualidade. Após três anos de exaustivas pesquisas, nas quais testou dezenas de substâncias misturadas à borracha, Goodyear chegou inclusive a trabalhar com o enxofre.
Foi exatamente nesse momento que lhe ocorreu um lance de sorte: ao respingar uma parte da mistura de borracha e enxofre na chapa quente do fogão, Goodyear notou que a borracha não fundia na madeira esperada e resolveu pesquisar a fundo as misturas com enxofre. Algum tempo depois, surgia a borracha vulcanizada, nome atribuído em homenagem a Vulcano, deus romano do fogo.
Como o produto obtido na vulcanização era bastante elástico e resistente às variações de temperatura, pneus, tubos, capas e mais uma enorme quantidade de objetos passaram a ser produzidos com borracha vulcanizada.
Mas, apesar de todo o seu esforço, Goodyear enfrentou enormes problemas judiciais para patentear sua descoberta que o inglês Thomas Hancock também reivindicava os direitos da mesma invenção.
Em virtude de todos esses problemas, Charles Goodyear passou o resto da vida tentando, em vão, o reconhecimento de seus direitos. Infelizmente, em 1860, ele morreu na miséria.

A borracha: como surgiu essa idéia?

Apesar da descoberta da vulcanização em 1839, a história da borracha começou centenas de anos antes de Goodyear.
Em 1493, a tripulação de Cristóvão Colombo já tinha observado nativos do atual Haiti brincarem com bolas que “ao tocarem o solo subiam a grande altura”, formadas por uma goma chamada cauchu. Na Europa, o material dessas bolas foi chamado de borracha.

Em língua Indígena, cauchu significa “árvore que chora”.
Borracha (do esp. Ou port. arcaicos): recipiente para bebida.

A borracha natural é um produto da coagulação do látex, líquido branco e viscoso extraído da várias árvores, tais como a balata, a maniçoba e a seringueira, também conhecida no Brasil como “árvore da borracha” (Hevea brasilienses).
A borracha é um polímero, ou seja, um material formado por moléculas gigantes. Tais moléculas podem ser consideradas como o resultado da união de milhares de outras moléculas menores, genericamente chamadas de monômeros.
No caso da borracha natural, a união de milhares de moléculas de isopreno em uma molécula gigantes (polímeros) denominada polisopreno. A borracha é um polímero da classe dos elastômeros, substâncias de grande elasticidade e que tendem a retornar à forma original.
Na borracha vulcanizada, os átomos de enxofre unem as fibras de borracha, por meio das chamadas pontes de enxofre. A adição de 1% a 3% de enxofre torna a borracha mais dura e resistente às várias variações de temperatura. No entanto, isso não impede que a borracha vulcanizada continue com um ótimo grau de elasticidade.

A borracha no Brasil

Por volta de 1850, a borracha já era utilizada em instrumentos cirúrgicos, materiais de laboratório e em vários outros objetos, como botas e capas. Em 1895, foi realizada, na França, a primeira corrida de carros equipados com pneus e câmaras de borracha.
O quadro de baixo mostra a exportação de borracha em diferentes épocas, até o chamado ciclo econômico da borracha.
A partir do início do século XX, as seringueiras plantadas na Ásia já ameaçavam o monopólio brasileiro. Nos anos de 1915-1916, a produção do Brasil ainda se mantinha em torno de 37 mil toneladas, mas a produção asiática já ultrapassava cem mil toneladas. Atualmente, o Brasil importa da Malásia, da Tailândia e da Indonésia aproximadamente 30% de nossas necessidades desse material.

Outros trabalhos relacionados

Misturas

Autoria: Jorge Cassina Mistura é um material que reúne duas ou mais substâncias, sem que ocorram alterações nelas, mantendo-se portanto, as características e propriedades das...

Alquimia

É derivante da palavra árabe al-khimia que significa química, ou seja, era a química praticada na Idade Média. Os alquimistas acreditavam que todos os...

Bases

Característica de uma Base Quando dissolvidos em água, os hidróxidos sofrem dissociação iônica, isto é, têm os seus íons separados. O cátion é em geral...

Ligação Iônica

Autoria: Heitor Gramacho dos Santos Uma ligação iônica envolve forças eletrostáticas que atraem íons de cargas opostas. Esse tipo de ligação geralmente ocorre entre um...