sexta-feira, março 5, 2021
Início Outras Internet Lei de Parkinson

Lei de Parkinson

A Lei de Parkinson diz que “o trabalho se expande para preencher o tempo disponível para ser concluído”.

Essa lei foi publicada por Cyril Northcote Parkinson, pela primeira vez, em um artigo publicado pela revista The Economist em 1955, sendo depois reimpresso junto com outros artigos no livro Parkinson’s Law: The Pursuit of Progress, (Londres, John Murray, 1958) baseado na extensa experiência no Serviço Civil Britânico.

De acordo com Parkinson, isso é motivado por duas forças: (1) “Um oficial quer multiplicar subordinados, não rivais” e (2) “Oficiais trabalham para cada um entre si.” Ele também apontou que o total de empregados dentro de uma burocracia aumentou de 5% a 7% ao ano “invariável ao tanto de trabalho (caso haja) a ser feito”.

A “Lei de Parkinson” é também usada para referir-se a uma derivativa da original, relacionada à computação: “Os dados se expandem para preencher o espaço disponível para armazenamento”; comprar mais memória, encoraja o uso de técnicas que requerem mais memória. Foi observado nos últimos 10 anos que o uso de memória envolvendo sistemas tende a dobrar a cada 18 meses, em média. Felizmente, a capacidade de memória disponível por um preço constante tende a dobrar a cada 24 meses (ver Lei de Moore); infelizmente, as leis da física garantem que isto não poderá continuar para sempre.

A “Lei de Parkinson” pode ser melhor generalizada como: “A demanda sob um recurso sempre expande para adequar-se à oferta daquele recurso.” Geralmente uma extensão é adicionada a essa frase, notando que “o inverso não é verdade”.

É interessante notar que essa generalização tornou-se muito similar à lei econômica da oferta e da procura; que quanto mais baixo o custo de um serviço, maior a demanda deste.

Parkinson também propôs uma regra sobre a eficiência de conselhos administrativos. Ele definiu um coeficiente de ineficiência sendo, o número de membros do conselho, a principal variável.

Aplicações da Lei de Parkinson

A Lei de Parkinson é aplicada em muitas áreas do conhecimento humano.

• Em Gerência de Projetos, tarefas individuais com datas-limite raramente terminam antes pois, as pessoas fazendo o trabalho tendem a expandí-lo para terminá-lo próximo à data de entrega. Junto com a síndrome do estudante, tarefas individuais quase sempre tem a garantia de que irão atrasar.
• As pessoas vêem a lei aparecer em suas atividades diárias. Não importa quantas coisas tenham sob responsabilidade de uma pessoa, ela tende a concluí-las. Isso leva à frase, “se você quer que algo seja feito, dê para alguém ocupado” pois parece que as pessoas ocupadas são melhores em “gerenciamento de tempo.” Enquanto isso até pode ser verdade, é justo afirmar que, como eles estão fazendo mais, seu trabalho não está expandindo indefinidamente para preencher tempo não-ocupado.

Referências

• Parkinson’s Law, or The Pursuit of Progress, C. Northcote Parkinson, 1957. Citação completa da Lei de Parkinson
• Parkinson’s Law, no The Economist (November 1955) – texto com fórmula

Ligações externas

• Parkinson’s Law by Prof. Cyril Northcote Parkinson – The Heretical Press
• “How Do You Cure Injelitance?”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

CORONAVÍRUS

Origem da Crise Econômica

Recent Comments

Nilson Ribeiro on O QUE É ENGENHARIA CIVIL?
PABLO DA SILVA BARBOZA on FILOSOFOS BRASILEIROS
Ligeirinho Resolve on Tese Globalização
Susana Mesquita on Tese Globalização
Cátia Regina de Aquino Santos on Tratamento Multiprofissional à Terceira Idade
Kesia Oliveira do Nascimento on SUBSTANTIVOS
Ludymila Helena Arraujo Lima on DEPRESSÃO
TIAGO NERY on FILOSOFOS BRASILEIROS
TIAGO NERY on FILOSOFOS BRASILEIROS
TIAGO NERY on FILOSOFOS BRASILEIROS
Fernando on FILOSOFOS BRASILEIROS
fernando monteiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
fernando monteiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
fernando monteiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
Guilherme on Hidrocarbonetos
Ernani Júnior Silva on FILOSOFOS BRASILEIROS
Flavio Musa de Freitas Guimarães on FILOSOFOS BRASILEIROS
Flavio Musa de Freitas Guimarães on FILOSOFOS BRASILEIROS
Isabella on SUBSTANTIVOS
Anonimo on Adjetivos
ALVARO on SURDEZ SÚBITA
CARIMBO DA CONFUSÃO on FILOSOFOS BRASILEIROS
socorro andrade on DINÂMICA DO SORRISO
Alessandra Martins on RESUMO DO FILME FLORENCE NIGHTINGALE
Sibely on VIRUS E BACTÉRIAS
Paula on Sistema Nervoso
Samuel Delgado Pinheiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
Jamal Mussa Muroto on DIVISÃO CELULAR
Guilherme on FILOSOFOS BRASILEIROS
Camila on SISTEMA DIGESTIVO
Hadouken on FILOSOFOS BRASILEIROS
Josimeire dos Angelos on RESUMO DO FILME FLORENCE NIGHTINGALE
ONEIDE abreu on REANIMAÇÃO CARDIOPULMONAR
José Caixeta Júnior on FILOSOFOS BRASILEIROS
GILVALDO DIAS GUERRA on COMO SURGIU O DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA
ronald on CONSCIÊNCIA NEGRA
SÉRGIO LEONARDO TRINDADE on FILOSOFOS BRASILEIROS
ELIZABETH on FILOSOFOS BRASILEIROS
ELIZABETH on FILOSOFOS BRASILEIROS
Reginaldo Coveiro on FILOSOFOS BRASILEIROS
julieny kettylen on Obesidade
gabrielle barreto de oliveira on DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO
suzana stvens on CORRUPÇÃO NO BRASIL
Kauã Liecheski on Tratamento do Lixo
Ligeirinho Resolve on OLIMPIADAS
Ligeirinho Resolve on A FUNÇÃO SOCIAL DA ESCRITA
kamilly on Jogos Olimpicos
Marcelo Cardoso on MILITÂNCIA JOVEM
Isabella on MILITÂNCIA JOVEM
Maria Conceição Amorim on A IDENTIDADE E CULTURA DA BAHIA
Maria Conceição Amorim on FOLCLORE BRASILEIRO
Emerson Davi on CORRUPÇÃO NO BRASIL
Maria dos Reis on COMO FAZER UM TRABALHO ESCOLAR