26.2 C
Sorocaba
quinta-feira, novembro 24, 2022

O Engenheiro – João Cabral de Melo Neto

O Engenheiro – João Cabral de Melo Neto

Em alguns aspectos é ainda o desdobramento de Pedra do Sono , mas o dado novo é a definição de uma perspectiva racional , do ideal de um projeto geométrico de construção de seus poemas. Este sentido de rigor marcará suas produções posteriores. O livro é dedicado a Drummond. E traz como epígrafe uma expressão do arquiteto Se Corbusier:”… machine à émouvoir…” (máquina de comover), que pode ser entendida como a proposta de uma poesia programada, construída para gerar emoção estética, bem como expressa a aproximação do poeta às artes plástica (Picasso, Miró, Mondrian, Juan Gris etc…) .

Identificam-se três constantes : a limpidez da linguagem, a preocupação com a disposição gráfica da estrofes: e a poesia sobre poesia (metalinguagem, metapoesia).

O engenheiro
À Antônio B, Baltar

A luz, o sol, o ar livre
envolvem o sonho do engenheiro
O engenheiro pensa sonha coisas claras:
superfícies, tênis, um copo de água,

O lápis, o esquadro, o papel;
o desenho, o projeto, o número;
o engenheiro pensa o mundo justo,
mundo que nenhum véu encobre…

Outros trabalhos relacionados

Noite na Taverna – Álvares de Azevedo

Noite na Taverna - Álvares de Azevedo Noite na Taverna é uma narrativa (novela ou conto) construída em sete partes, contendo epígrafes e os nomes...

OS MELHORES CONTOS – RUBEM BRAGA

Os Melhores Contos - Rubem Braga O gênero A crônica é fruto do jornal, onde aparece entre notícias efêmeras. Trata-se de um gênero literário que...

O Cabeleira – Franklin Távora

O Cabeleira - Franklin Távora Cabeleira é o apelido de José de Gomes, um dos primeiros cangaceiros de Pernambuco. José era naturalmente bom, mas foi...

Manhã Transfigurada – Luís Antônio de Assis Brasil

Manhã Transfigurada - Luís Antônio de Assis Brasil Poder-se-ia afirmar que esta obra é a continuação de seu primeiro livro, Um Quarto de Légua em...