Substantivo

0
2747

É a palavra que designa ou dá nome ao ser. Pode vir antecedido de artigo, pronome demonstrativo, possessivo ou indefinido.

1. Substantivo próprio: É o que nomeia um ser em particular.

Exemplos: João, Maria, Sara, Inglaterra, Brasília, Rio de Janeiro, PF (Polícia Federal).

2. Substantivo comum: É o que designa o ser de cada espécie.

Exemplos: homem, mulher, criança, professor, artista, jornalista, teatro, casa, cama, fogão.

Os substantivos comuns ou próprios podem ser classificados ainda como:

a. Substantivo concreto: É o que designa seres com existência própria, ou na realidade ou em nossa imaginação.

Exemplos: homem, casa, pedra, fada, gnomo, saci, bruxa, ogro, alma, Deus.

b. Substantivo abstrato: É o que designa qualidades, emoções, sensações, sentimentos dos seres. Não tem existência independente, é desencadeado pelo ser. Não possui forma física definida, nem em imaginação.

Exemplos: ciúme, dor, amor, justiça, verdade, franqueza, beleza, crueldade, bondade.

c. Substantivo simples: É aquele formado por apenas um elemento.

Exemplos: casa, sapato, menino, dor, amor, bruxa.

d. Substantivo composto: É aquele formado por mais de um elemento.

Exemplos: beija-flor, guarda-chuva, lobisomem, saci-pererê.

e. Substantivo primitivo: É aquele que não vem de nenhuma outra palavra da língua.

Exemplos: café, pedra, terra, flor, jornal.

f. Substantivo derivado: É aquele que se origina de outra palavra da língua.

Exemplos: cafezal (café), pedregulho (pedra), terráqueo (Terra), florista (flor), jornalista (jornal).

g. Substantivo coletivo: É aquele que, mesmo no singular, designa um grupo de seres da mesma espécie.

Exemplos:alcatéia: grupo de lobos
matilha: grupo de cães de caça.
Veja lista a seguir:
acervo: de coisas em geral
álbum: de fotografias
alcatéia: de lobos
antologia: trechos literários
armada: de navios de guerra
arquipélago: de ilhas
assembléia: deputados, professores, pessoas com um mesmo objetivo
baixela: utensílios de mesa, em especial os de metal nobre
banca: de examinadores
banda: de músicos
bando: de aves, de ciganos, de salteadores
batalhão: de soldados
batelada: de gêneros alimentícios, de coisas em geral
bateria: instrumentos de percussão, peças de guerra, de cozinha
biblioteca: de livros
buquê: de flores
cacho: de bananas, de uvas etc.
cáfila: de camelos
Câmara: conjunto de deputados
cancioneiro: de canções, de poesias líricas
caravana: de viajantes
cardume: de peixes
chusma: de gente, de pessoas
claque: de pessoas pagas para aplaudir ou vaiar em um espetáculo
classe: de alunos, de profissionais, de pessoas de um mesmo nível
clero: de sacerdotes
Colégio: de eleitores, cardeais
coletânea: de textos literários, de músicas
colméia: de abelhas
colônia: de imigrantes, de formigas, de bactérias
concílio: de prelados católicos
conclave: de cardeais para a eleição do Papa
Congresso: assembléia de parlamentares
consistório: assembléia de cardeais, presidida pelo Papa
constelação: de estrelas
cordilheira: de montanhas
corja: de vadios, de velhacos, de ladrões
coro: de anjos, de cantores
discoteca: de discos
elenco: de atores
enxame: de abelhas
esquadra: de navios de guerra
esquadrilha: de aviões
exército: de soldados
falange: de bandidos
fato: de cabras
fauna: de animais
feixe: de lenha, de capim
flora: de plantas
frota: de navios mercantes, de ônibus, de carros
horda: de desordeiros, de aventureiros, de bandidos
junta: de bois, de médicos, de examinadores
legião: de soldados, de demônios, de anjos
malta: de desordeiros
manada: de bois, de búfalos, de elefantes
matilha: de cães de caça
miríade: de estrelas, de insetos, de quaisquer coisas em número igual ou superior a dez mil
molho: de chaves, de verdura
multidão: de pessoas
ninhada: de pintos
nuvem: de gafanhotos, de pequenos insetos
orquestra: de músicos
pelotão: de soldados
penca: de frutas, de chaves
platéia: de espectadores
plêiade: de poetas, de artistas
quadrilha: de salteadores
ramalhete: de flores
rebanho: de gado, de ovelhas
resma: de folhas de papel (1 resma equivale a 500 folhas ou a 20 mãos)
réstia: de cebolas, de alhos
romanceiro: de poesias narrativas
Senado: de senadores
sínodo: assembléia de párocos e outros padres, convocada pelo bispo local
súcia: de velhacos, de desordeiros
tripulação: de tripulantes
turma: de estudantes, de trabalhadores etc.
vara: de porcos.

Gênero, número e grau dos substantivos.

1. Substantivo biforme: É aquele que tem uma forma para o masculino e outra para o feminino.

Exemplos:homem, mulher; menino, menina.

2. Substantivo uniforme: É aquele que tem uma única forma para os dois gêneros. Pode ser:

a. Comum de dois gêneros: A diferenciação masculino/feminino se faz pelo artigo.

Exemplos:
o artista, a artista
o intérprete, a intérprete
o colega, a colega
o dirigente, a dirigente
o mártir, a mártir
o atendente, a atendente
o viajante, a viajante
o acrobata, a acrobata.

b. Sobrecomum: É o que possui uma única forma para designar o masculino e o feminino, não variando nem mesmo o artigo.

Exemplos: a criança, a pessoa, a vítima, a testemunha, o algoz, o cônjuge, o ídolo, o indivíduo.

c. Epiceno: Nomes de animais que têm uma só forma para os dois gêneros. A diferenciação masculino/feminino se faz com as palavras macho e fêmea.

Exemplos:

a baleia-macho
a baleia-fêmea.

Notas:

1) Alguns substantivos não são facilmente reconhecíveis quanto ao seu gênero, ocasionando uso incorreto.

São masculinos:

o açúcar, o ágape, o apêndice, o avestruz, o axioma, o bólido, o caudal, o clã, o champanha, o cós, o dó, o diadema, o diafragma, o eczema, o estigma, o estratagema, o formicida, o gengibre, o guaraná, o herpes, o lança-perfume, o lhama, o magazine, o milhar, o plasma, o puma, o sabiá, o saca-rolhas, o sósia, o telefonema, o trema.

São femininos:

a acne, a agravante, a aguardente, a alcunha, a alface, a apendicite, a bacanal, a bólide, a cal, a cataplasma, a cólera (raiva), a cólera (doença infecciosa), a fênix, a ioga, a libido, a mascote, a matinê, a omoplata, a sentinela, a usucapião.

Usam-se no gênero masculino ou feminino:

o diabetes, a diabetes
o laringe, a laringe
o personagem, a personagem
o preá, a preá
o tapa (mais usado), a tapa.

Formação do plural – Para conhecer melhor, veja em Adjetivo, e respectivo Plural dos compostos (Hifens e Cores).

Grau dos substantivos

Aumentativo e diminutivo:analítico e sintético

1. Analítico

a. Usa-se para o aumentativo termos como: grande, enorme, gigante, imenso etc. Exemplo: menino imenso.

b. Para o diminutivo: pequeno, minúsculo, ínfimo. Exemplo: menino minúsculo.

Também na linguagem popular expressões como: pra burro, às pampas, à beça etc. Outros Exemplos:feio à beça, tinha gente pra burro.

2. Sintético:

a. Aumentativo: usando-se os sufixos: -ão, -aço, -aça, -arra, -arrão,-az, -ázio, -ágio, -alha, -ona, -orra.

Exemplos:

garrafão, papelão, meninão, homenzarrão, ricaço, balaço, barcaça, barbaça, bocarra, cartaz, copázio, lavradaz, mulherona, beiçorra, cabeçorra, manzorra, muralha.

b. Diminutivo: Usando-se os sufixos: -inho, -zinho, -zito, -zcho, -culo, -ela, -ete, -eto, -ico, -ola, -ote, -ucho, -únculo etc.

Alguns exemplos:

menininho, livrinho, filhinho, cãozinho, paizinho, mãezinha, cãozito, florzita, populacho, riacho, montículo, partícula, ruela, viela, diabete, filete, folheto, saleta, burrico, namorico, rapazola, bandeirola, caixote, velhote, papelucho, gorducho, homúnculo, questiúncula.

Nota:

Muitas palavras quando usadas no aumentativo ou diminutivo perderam seu sentido original.Exemplos:

partícula, filete, cartão, portão, folheto etc.

Outros substantivos expressam carinho, afetividade. Vejam alguns Exemplos:mãezinha, menininho.

Pode também manifestar ironia, desprezo.

Exemplos:gentinha, gentalha, populacho, beiçorra.

Plural dos substantivos no grau diminutivo com os sufixos -zinho ,-zito

irmãozinho, irmãozinhos
paizinho, paizinhos
salãozinho, salõezinhos
cãozito, cãezitos
papelzito, papeizitos.

Regra geral:

Coloca-se o substantivo em seu grau normal, corta-se o s, e se acrescenta novamente o sufixo acompanhado de s.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui