A população idosa está aumentando gradualmente nos últimos anos, a expectativa de vida subiu consideravelmente a nível mundial, esse aumento gradual vem nos sensibilizando aos poucos e nos fazendo enxergar o quanto estão desamparados e como muitas vezes é subestimada a capacidade de interacção e aprendizagem do idoso.

Muito frequentemente os idosos são poucos ou nada estimulados por conta da falsa ideia de que, quando se chega na 3ª idade deve-se ficar quieto em casa apenas vendo televisão. Este projecto pretende, através de dinâmica de grupo, demonstrar que com os estímulos adequados, o idoso tem capacidade de aprender por interacção social com os seus afins, visando assim o seu desenvolvimento pessoal e afectivo.

Introdução

Há alguns anos que o factor preponderante para saber se uma pessoa está na 3ª idade deixou de simplesmente ser a reforma e a idade cronológica. Anteriormente essa acontecia por volta dos 65 anos, então, gradual e geralmente a pessoa, abandonava seu trabalho e passava a se dedicar a estar mais tempo em casa e a fazer nada. Entretanto a Organização Mundial da Saúde, através de estudo e levantamento estatístico mundial, elevou essa idade para 75 anos, devido ao aumento progressivo da longevidade e da expectativa de vida (Barbullho, s.d.).

Para alguns povos, o mais velho representa uma forte ligação com o passado, com as raízes, estes povos tratam os seus anciãos com respeito devido a admiração pela experiência e sabedoria que estes levam consigo. Muito embora ainda, para outras culturas o ser humano mais velho, o idoso, seja encarado como estorvo, como uma pessoa que já não contribui activamente para o desenvolvimento das actividades diárias (Barbulho, s.d.).

A velhice chega para todos de forma gradual, é inevitável envelhecer, saber como envelhecer tranquilamente depende basicamente da relação que a pessoa tem com as mudanças biológicas, fisiológicas, psicossociais e económicas que ocorrem de forma natural para todos (Neri & freire, 2000).

Segundo as autoras Neri e Freire (2000), é possível ter-se uma velhice saudável, mantendo-se satisfeito, activo e envolvido com tudo o que o rodeia, e isto depende em grande parte de factores biológicos e genéticos e por outra parte também depende do contexto social em que se está inserido, entretanto, há factores que não se têm controlo, é o casos das doenças típicas da velhice e da pobreza que pode acometer as pessoas nesta fase da vida, saber gerir estes factores pode aumentar as probabilidades de se ter uma velhice melhor.

Ainda de acordo com as autoras, As mudanças na textura da pele, o enfraquecer dos ossos, as mudanças no sistema nervoso que podem trazer alterações do sono e problemas cardiovasculares, nessa fase da vida, são mudanças biológicas que deveriam ser encaradas de maneira aberta e como um processo natural do envelhecimento (Neri & freire, 2000).

De acordo com Meirelles (1997), observações realizadas demonstram que os idosos se mostram angustiados por problemas que envolvem a saúde. A partir do momento em que a velhice é atingida, nasce a preocupação de tornar-se incapacitado, o medo de se transformar num indivíduo desmotivado e sem interesse, atinge grande parte da população da 3ª idade psicológica e fisicamente.

Objectivo

Voltado a nossa realidade social, procuraremos demonstrar que o idoso activo vive melhor, pois através das actividades físicas e interacção social, ocorre a preservação e minimização das moléstias corporais debilitantes e alterações orgânicas que são frequentemente motivo de queixas constantes desta mesma população.

O objectivo deste projecto é estimular os idosos a escolherem de senso comum, uma actividade que para eles seja mais agradável, procuraremos motivar os idosos a aprenderem/ensinarem uns aos outros, alguma actividade lúdica, para que os mesmos através de interesse próprio se possam desenvolver e sociabilizar de forma mais saudável e prazenteira.

Metodologia

Caracterização da Comunidade

O Salão DO Reino Das Testemunhas Jeová se encontra localizado à Amadora, nos arredores de Lisboa, e muito embora não seja um centro de acolhida de idosos, integra os mesmos em diversas actividades lúdicas diárias, onde os idosos vão durante o dia passar algumas horas de recreação e leitura de passagens da bíblia.

Sujeitos / Amostra

Neste projecto promoveremos a interacção entre quatro idosos do sexo feminino com idades compreendidas entre os 69 e os 78 anos.

Procedimentos

Iniciaremos o projecto no dia 29 de Março de 2010 com os primeiros contactos com os responsáveis pela instituição, onde informaremos os objectivos da intervenção e onde serão recolhidas as devidas autorizações.

Também nesta primeira visita deverão ser feitos os primeiros contactos com os utentes que frequentam a instituição e será explicado o motivo da nossa visita.

Na segunda sessão de contacto, nos propomos a estimular os utentes a discutirem entre si o que mais lhes apetecerá aprender e quais os caminhos a percorrer para alcançar este objectivo.

Nas demais sessões de contacto, vamos aferir como os utentes que frequentam a instituição aprendem o que lhes foi proposto e que tipo de dificuldades podem enfrentar, bem como, quais os benefícios que os mesmos podem sacar deste aprendizado.

Referências

Barbulho, E. (s.d). O potencial da terceira idade na empresa. In Enciclopédia Britânica do Brasil Publicações. Retrieved March 18, 2010 from http://www.guiarh.com.br/pp46.html

Meirelles, M.E.A. (1997). Actividade física na terceira idade: Uma abordagem sistémica. Rio de Janeiro: Sprint.

Neri, A.L. & Freire, S.A. (2000). E por falar em boa velhice. São Paulo: Papirus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui