Educação, Ciência e Tecnologia

0
60
Technology in the hands of businessmen

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO
2. CIÊNCIAS TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO
3. FUNDAMENTOS DA EAD
4. AVALIAÇÃO ESCOLAR
5. TECNOLOGIA EDUCACIONAL
CONSIDERAÇÕES FINAIS
CRONOGRAMA
REFERÊNCIAS

1. Introdução

No intuito de compreender e melhor aprofundar sobre o curso de pedagogia, apresentamos neste trabalho as atividades do portfolio das disciplinas: Avaliação Escolar, Ciência, Tecnologia e Educação, Fundamentos da Educação a Distância e Tecnologia Educacional. Esse Portfolio é importante para que possamos compreender que a formação e profissionalização de docentes são aspectos indissociáveis na forma de ingresso no campo de atuação, nas formas de organização e produção do trabalho escolar e nas perspectivas de crescimento e desenvolvimento profissional.

O mesmo também é base para aprimorar nossos conhecimentos sobre a aprendizagem digital, visto que no momento em que as tecnologias de informação e comunicação revolucionam o mundo.

O ensino não pode se constituir na exceção à regra, principalmente quando é evidente que os acessos às redes, sejam internos ou a seja própria Internet, é cada vez mais democrático, e os equipamentos necessários, cada vez mais acessíveis.

Permitindo-nos conquistar nossa identidade como professor e educador, uma vez que; A educação é um bem amplamente social. Sua intervenção possibilita valorização do ser humano. Utiliza-se das potencialidades educacionais e de seus resultados para a promoção de melhoria de qualidade de vida à sociedade.

“Ensinar é um exercício de imortalidade. De alguma forma continuamos a viver naqueles cujos olhos aprenderam a ver o mundo pela magia da nossa palavra. O professor, assim, não morre jamais…”.(Alves, 1994, p. 1)

2. CIÊNCIAS TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO

4. Muitos professores não estão inseridos no mundo digital. Aponte quais os motivos desta exclusão e quais medidas podem ser tomadas para evitar este problema.

É mas que natural muito professor não compreender bem o uso de computadores em suas práticas pedagógicas. O mediador que é experiente sabe ensinar sem o uso dos computadores, em sua maioria não usam computadores nem para seus próprios afazeres particulares e não vêm como nem por que deveriam usá-los na escola; não se inserem adequadamente no mundo digital, por muitas razões, entre elas: má formação original, falta de formação permanente, carência de recursos para ter computador e acesso a internet, currículos defasado e ambiente escolar atrasado.

A condição socioeconômica do docente é crucial para a existência em casa de Computadores e internet. Embora a opinião dos docentes já se oriente pela valorização dos efeitos das novas tecnologias, grande parte não participa ainda de listas de discussão, e-mails, navegação na internet etc. Alguns Programas Governamentais como: Proinfo, Banda Larga, Computador para professor ajudam a evitar a exclusão. Empresas privadas, também visam o combate à exclusão digital, desenvolvendo programas e projetos que visam minimizar as diferenças de acesso ao mundo digital, como exemplo podemos citar o projeto do SBT do computador do milhão, o programa das Organizações Globo com o projeto computador para todos que oferecem computadores à comunidade com financiamentos acessíveis, além de projetos do Bradesco, das Universidades Públicas dentre outros, que também incentivam a disseminação da internet e da informática.

“Os recursos da informática não são o fim da aprendizagem, mas são meios que podem instigar novas metodologias que levem o aluno a “aprender a aprender” com interesse, com criatividade, com autonomia. O professor não deve se furtar de articular projetos de aprendizagem que envolva tecnologia, principalmente quando ela já está disponível nas suas instituições de ensino”. Moran (2000).

3. FUNDAMENTOS DA EAD

Capítulo 2

1) A partir do quadro resumo apresentado sobre as principais experiências em EAD no mundo, discorra sobre a importância da Internet para o crescimento do ensino a distância.

A internet se tornou muito importante, tanto na área educacional como no cotidiano das pessoas. A educação à distância, portanto, constitui-se num recurso de extrema importância para atender a grandes contingentes de alunos de forma mais efetiva que outras modalidades, ou para atender a pequenos contingentes de alunos residentes em áreas dispersas e distantes dos grandes centros geradores ou difusores do conhecimento. Além disso, tem dotado as instituições educacionais de condições para atender às novas demandas por ensino e treinamento ágil e eficaz.

A mesma não compete com a educação presencial convencional e nem a substitui. Ao contrário, tem seu próprio aspecto de atuação e pode, com grande sucesso, complementar o ensino convencional, em todos os níveis, sempre que necessário.

Ensino a distância ou educação à distância, são denominações utilizadas para conceituar a modalidade de educação em que as atividades de ensino-aprendizagem ocorrem sem que, necessariamente, alunos e professores estejam reunidos num mesmo lugar à mesma hora. Independente dos créditos consagrados pelos historiadores, pode afirmar que a educação a distância é um recurso bastante antigo.

O desenvolvimento dos meios de comunicação propiciou a sua utilização cada vez mais ampla, nas atividades de educação à distância. Desse modo, cada um há seu tempo, o rádio, a televisão, os computadores e por último, a internet constituiram-se em valiosos meios para o estabelecimento de diversas modalidades de ensino a distância.

Pois, economiza o tempo e o estresse de quem precisa estudar, torna a aula tão interessante quanto em sala de aula. A flexibilidade do tempo, a agilidade na emissão e recebimento de materiais, além da quebra das barreiras espaciais faz com que muitos optem por essa modalidade de ensino, além de outros fatores.

4. AVALIAÇÃO ESCOLAR

Capítulo 5

Como atividade de aprendizagem, desenvolva a seguinte questão com vistas a produzir o trabalho de portfólio: “A avaliação da criança na Educação Infantil objetiva o acompanhamento de seu desenvolvimento”.

O trabalho educativo deve estar voltado para o desenvolvimento integral dos indivíduos e da sociedade. A integração precoce da criança na vida social pela educação favorece seu desenvolvimento biológico, psicológico e social. Pois, estas são as primeiras tentativas da criança em sua vida de aprendiz, a caminho do ensino fundamental. Desde a concepção até os seis anos, a criança desperta para a percepção de um mundo ainda por desvendar.

A avaliação se destina a obter informações e subsídios capazes de favorecer o desenvolvimento das crianças e ampliação de seus conhecimentos. Nesse sentido, avaliar não é apenas medir, comparar ou julgar. Muito mais do que isso, a avaliação apresenta uma importância social e política fundamental no fazer educativo da educação infantil.

A avaliação constitui-se de acompanhamento da criança: observando-a, percebendo-a, sentindo-a e orientando-a em seu comportamento, reações e percepções. Assim, no espaço da Educação Infantil, a escola deve oportunizar-lhe um ambiente físico e social onde se sinta acolhida e segura para enfrentar desafios; à medida que tais desafios se ampliam, possibilitam-lhe aumentar o conhecimento de si mesma, dos outros e do meio em que vive ao mesmo tempo em que contribuem para o desenvolvimento de habilidades essenciais, como: autonomia, criatividade, expressividade e solidariedade.

Brincar com a criança não é perder tempo, é ganhá-lo. Se é triste ver meninos sem escola, mas triste ainda é vê-los enfileirados em salas sem ar, com atividades estéreis sem importância alguma para a formação humana. (Drumonnd).

5. TECNOLOGIA EDUCACIONAL

4) Pesquise o que é inclusão digital. Você conhece algum programa de inclusão digital na sua região ou município? E qual a sua sugestão para incluir o professor digitalmente? Página: 138.

Inclusão Digital ou infoinclusão é a democratização do acesso às tecnologias da Informação, de forma a permitir a inserção de todos na sociedade da informação. Inclusão digital é também simplificar a sua rotina diária, maximizar o tempo e as suas potencialidades. Um incluído digitalmente não é aquele que apenas utiliza essa nova linguagem, que é o mundo digital, para trocar e-mails. Mas aquele que usufrui desse suporte para melhorar as suas condições de vida. A mesma, para acontecer, precisa de três instrumentos básicos que são: computador, acesso à rede e o domínio dessas ferramentas pois não basta apenas o cidadão possuir um simples computador conectado à internet que iremos considerar ele, um incluído digitalmente. Ele precisa saber o que fazer com essas ferramentas.

Aqui no Amapá O Ministério das Comunicações assinou convênio com todos os 16 municípios do Amapá para entrega dos kits de instalação de telecentros comunitários licitados no segundo semestre de 2007. Além dos equipamentos previstos nos kits, estes municípios serão conectados à internet de alta velocidade, assim como todas as escolas públicas do Estado. O mesmo foi o primeiro Estado a receber os kits dos telecentros comunitários, por ser a única Unidade da Federação que ainda não havia instalado nenhum telecentro comunitário em parceria com o Ministério das Comunicações. O MC, em convênio com as prefeituras e o estado, capacitou monitores para promover cursos de qualificação profissional, de cidadania, e ainda dar apoio educacional aos estudantes. O telecentro conta com telefonia, via VOIP, e IPTV, o que permite veiculação de programas como a “TV Escola”.

Nossa sugestão para incluir os professores digitalmente, é que os mesmos devem considerar as oficinas de capacitação para o uso pedagógico dos computadores e da Internet como oportunidades valiosas de aprendizagem de novas metodologias e técnicas de ensino-aprendizagem.

CONSIDERAÇÕE FINAIS

Esta atividade nos permitiu analisar a utilização e a incorporação das novas tecnologias na sala de aula. A internet veio para mexer com os paradigmas educacionais. No momento, contudo, as novas tecnologias da informação e da comunicação vêm suscitando, pelo seu desenvolvimento acelerado e potencial de aplicação, novas abordagens de utilização no processo educativo. Contudo, não poderíamos deixar de falar da inclusão digital. Podemos entender a mesma como o uso correto e acompanhado da tecnologia apresentada a benefício da comunidade; que esta tenha o propósito de melhorias educacionais e financeiras.

Esse recurso tecnológico pode ser aplicado tanto no ensino presencial quanto à distância, modificando, principalmente, os papéis do professor e do aluno, o foco do aprender no lugar do ensinar e a distinção entre informação e conhecimento em todos os níveis de ensino, desde a educação infantil que por certo, é um dos pontos altos da educação brasileira, até o nível superior e principalmente a EAD.

De acordo com Litto (22006), o crescimento da EAD na atualidade se deve, em grande parte, a dois fatores: a evolução das tecnologias de informação e a importância do conhecimento na sociedade contemporânea, que gera demandas crescentes por formação permanente. O autor destaca que “a internet adquiriu nos últimos anos papel extraordinário, ao permitir que milhões de brasileiros possam aprender em qualquer lugar, seja em casa, no escritório, na fábrica, um telecentro ou nos momentos de lazer”.

É certo que não é fácil apresentar soluções para a problemática do ensino brasileiro. Os sistemas de ensino pensam estar acertando, os educadores pensam, a cada onda que chega estar descobrindo o melhor caminho para o enfrentamento dos problemas.(Libâneo)

REFERÊNCIAS

BOTH, Ivo José. Avaliação planejada, aprendizagem consentida: é ensinando que se avalia, é avaliando que se ensina. 2 ed.rev. e ampl. / Ivo José Both. –Curitiba: IBPEX, 2008. 196p.

BRITO Gláucia da Silva. Educação e Novas Tecnologias: um re-pensar / Gláucia da Silva Brito, Ivonélia da Purificação. 2 ed. Ver, atual. e ampl. – Curitiba: IBPEX, 2008. 139p.

CORTELAZZO, Iolanda Bueno de Camargo, ROMANOWSKI, Joana Paulin. Pesquisa e Prática Profissional – Materiais Didáticos. Curitiba: IBPEX,2006.

DEMO, Pedro. O Porvir: desafios das linguagens do século XXI. / Pedro Demo. – Curitiba: IBPEX, 2007. 189p.

GUAREZI, Rita de Cássia Menegaz. Educação à distância sem segredos. Rita de Cássia Menegaz Guarezi, Marcia Maria de Matos. – Curitiba: IBPEX, 2009.

Internet

BOECHAT, Ivone, Disponível em; http://www.pedagobrasil.com.br/.http://www.pedagobrasil.com.br/pedagogia/avaliacaoformativa.htm

Informações da Assessoria de Imprensa do Ministério das Comunicações, Disponível em; http://www.inclusaodigital.gov.br/inclusao/noticia/municipios-do-amapa-sao-conectados-a-internet-banda-larga/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui