9.8 C
Sorocaba
quarta-feira, maio 18, 2022

Unidade de Terapia Intensiva

Autoria: Anônima

UTI

Estudo científico sobre:

Des-cuidar: as representações sociais dos enfermeiros de UTI sobre as ocorrências iatrogênicas de Enfermagegem

INTRODUÇÃO

Ocorrências inatrogênicas (OIs) na prática de enfermagem são eventos indesejáveis que depõem contra a qualidade do cuidado pretendido ou complicações ou ainda reações adversas, ocorrem porque:

administração de medicamentos prescritos a pacientes trocados
administração de fármacos em concentrações incorretas
omissão de doses
queimaduras provocadas por bolsas de água quente
hemorragias por desconexão de catéteres
asfixia por obstrução de cânulas de intubação
traumatismo e fratura por queda do paciente
e outros
As OIs são muito piores quando ocorrem nas UTIs, pois qualquer erro é fatal;sendo estas OIs resultantes de fatores relacionados com o ambiente físico, aos recursos humanos e materiais e ao próprio paciente. O conhecimento das OIs promove a prevenção.

METODOLOGIA

O estudos sobre esta prevenção foi feito tendo por base métodos empíricos e também no cotidiano das UTIs.

As representações sociais dos enfermeiros em UTI acerca das OIs permite a triangulação entre:

dimensão subjetiva (memória, imaginário, emoção, necessidades)
intersubjetiva (ideal sócio-profissional)
elementos contextuais mediados na análise das iantrogenias.
Foi utilizado para o estudo 6 enfermeiros integrantes de um curso de especialização em cuidados intensivos e seu cotidiano, observando-se: focalização do tipo de doente, a natureza do trabalho desenvolvido na unidade e o ser enfermeiro nesse contexto.

ANÁLISE

CUIDAR: o objeto da ação na UTI, a ação propriamente dita e o agente da ação naquele cenário.

DESCUIDAR: (negação do cuidado, pelo cuidado prestados incorretamente e pelo caráter involuntário do profissional):o objeto da ação na UTI, a ação propriamente dita e o agente da ação naquele cenário.

O CUIDAR: objeto da ação

As características do paciente (pelos enfermeiros) são baseadas em: gravidade, a dependência(de cuidados e a solidão (decorrente do isolamento a que fica submetido)

Os médicos “recomendam” UTI em casos de: pacientes graves, recuperáveis, que demandam cuidados especializados e intensivos nas 24 horas do dia.

O CUIDAR: a ação

O trabalho em UTI tem aspectos positivos e negativos.

Positivos: organização(que permite ao enfermeiro prestar a assistência de forma direta, individualizada e integral),aplicação de cuidados mais próximos do ideal, divisão do trabalho e reconhecimento profissional.

Negativos: ritmo das atividades e o stress dele decorrente, escassez de quantidade e qualidade do pessoal de enfermagem, impotência e frustração decorrentes da falta de controle das condições e a possibilidade da ocorrência de OIs.

O CUIDAR: o agente da ação

O enfermeiro na UTI age como sujeito presente, ativo e co-participante. Compõe esse tema os significados de ordem emocional, que será sustentado pelo prazer pessoal obtido pelo trabalho.

Apesar da natureza ambígua do trabalho que desenvolve, tem a sua identidade profissional pautada na face gratificante do trabalho que lhe confere satisfação profissional e pessoal.

O DESCUIDAR: o objeto da ação

O paciente foi apontado nesse caso como vítima; mostrando a visão ainda limitada quanto aos prejuízos que o profissional envolvido nessas situações pode sofrer. Talvez ancorada numa realidade onde os indivíduos estão começando a conhecer a cidadania: reivindicando seus direitos e implicações legais.

O DESCUIDAR: o agente da ação

Nessa categoria foram agrupados os casos em que o sujeito a quem se atribui diretamente a ocorrência iantrogênica; onde os enfermeiros se apontaram como sujeitos nas OIs, independente de serem causadores diretos.

Dois grupos de emoções: um que se volta contra si(culpa e impotência)-sendo o causador direto da OIs e outro que se revolta contra o outro da equipe(raiva).

O DESCUIDAR: a ação

O cotidiano definiu que neste caso é preciso:

resgatar o Cuidar
impedir novos Descuidar
Possibilitou reflexão sobre as circunstâncias que aconteceram, trazendo conclusões e não discussões.

Condição para ação: fatores intervenientes

A última categoria emergente, destacando:

problemas relacionados aos recursos humanos de enfermagem(desqualificação e desatenção)
aos recursos materiais(quantidade e qualidade)
a planta física da UTI(falta de espaço)
próprio paciente

Conclusão

A trajetória do estudo permitiu conhecer as OIs ,mas também a prática diária da UTI, investigando e compreendendo as ocorrências.

A responsabilidade profissional mostra que o enfermeiro busca controle quase absoluto de tudo, exigindo de si mesmo atitudes sobre-humanas .

Conclui-se que mais do que buscar culpados, as representações sociais apontam para o potencial educativo, com vistas ao avanço da qualidade do cuidar, onde estão envolvidos: profissionais, sistema formador e prestador de serviço e sociedade em geral.

Outros trabalhos relacionados

A VIDA DO TRABALHADOR ANTES E APÓS A LER E DORT

A vida do trabalhador antes e após a Lesão por Esforço Repetitivo (LER) e Doença Osteomuscular Relacionada ao Trabalho (DORT) RESUMO O objeto deste estudo qualitativo...

TOMOGRAFIA

TOMOGRAFIA 1 - INTRODUÇÃO Tomografia significa imagens de tomos, ou de planos. Com este método, podemos estudar estruturas localizadas no interior do corpo, situadas em outros...

CANDIDÍASE VULVO VAGINAL RECORRENTE (CVVR)

Dr. Cristiana Fonseca Beaumord Conceito: Quatro ou mais recorrências por ano de vulvo vaginite por cândida Fatores de risco para recorrência: 1 – Diabetes mellitus: pacientes com...

MIOMA UTERINO

Severino R. de Figueiredo O mioma uterino é uma patologia benigna que acomete as mulheres no período reprodutivo.Pode ser um achado num exame ginecológico de...