28.9 C
Sorocaba
sexta-feira, abril 12, 2024

VITAMINA D

Sinonímia: calciferol, “vitamina do sol”.

17.1 Função

Anti-raquítica, ajuda a calcificação dos ossos da criança, prevenindo o raquitismo, facilitar a fixação do cálcio no organismo evitando dores nas costas e nos quadris. Captação crescente de cálcio pelos rins e estimular a reabsorção óssea quando necessário. Suas concentrações no plasma são essenciais para a coagulação sangüínea, atividade muscular, transporte dos impulsos nervosos ao músculo e a permeabilidade das membranas celulares. Trabalha em conjunto com a vitamina A para fortalecer dentes e ossos. Sistema nervoso e coração dependem dela.

17.2 CLASSIFICAÇÃO

Lipossolúvel.

17.3 METABOLISMO

A absorção do calciferol é realizada em duas etapas: absorção rápida pela mucosa intestinal sendo seguida pelo transporte lento para a linfa onde a vitamina é encontrada sob forma livre e apenas uma menor proporção se apresenta esterificada com ácidos graxos saturados. A rota primária da excreção da vitamina D é a bile e apenas uma quantidade da dose administrada é eliminada pela urina. No homem, a armazenagem de vitamina D ocorre no fígado, nos músculos e no tecido adiposo.

17.4 DEFICIÊNCIA

Sinais da calcificação, raquitismo, problemas nas gengivas e na pele, fraqueza óssea (osteoporose, osteomalácia) e muscular, cáries dentárias, desnutrição dentária grave, pouca resistência e falta de vigor, emagrecimento, insuficiência renal e crônica.

17.5 EXCESSO

A vitamina D é mais tóxica de todas as vitaminas. Assim como todas as vitaminas lipossolúveis, a vitamina D pode ser armazenada no corpo, sendo lentamente metabolizda. Doses elevadas (100.000 UI por semana ou meses) podem causar perda de apetite, náusea, sede. Um aumento na absorção de cálcio e reabsorção óssea resultam em hipercalcemia, a qual pode levar à deposição de cálcio em muitos órgãos, particularmente as artéria e rins. Calcificação óssea excessiva, cálculos renais, calcificação metastática de partes moles (rins e pulmões), hipercalcemia, cefaléia, fraqueza, vômitos, constipação, poliúria, polidipsia.

17.6 FONTES

Óleos de fígado de peixe (bacalhau, atum, cação), fígado de vitela, vaca e porco, gema de ovo, manteiga, leite, salmão, atum, raios de sol, ergocalciferol (vitamina D2), encontrado nos vegetais e colecalciferol (vitamina D3), encontrada em tecidos animais, são fontes de atividade de vitamina D pré-formada.

Outros trabalhos relacionados

VITAMINA F

(Faz parte do complexo B) Sinonímia: ácido linoléico, linolênico. 15.1 Função Usados no tratamento do eczema. 15.2 CLASSIFICAÇÃO Hidrossolúvel. 15.3 DEFICIÊNCIA Distúrbios cutâneos. 15.4 FONTES Óleos vegetais, sementes (linho, girassol, soja).

VITAMINA B12

(Faz parte do complexo B) Sinonímia: cianocobalamina, cobalamina ou “vitamina vermelha” 9.1 FUNÇÃO Fortalecer o sangue e a medula óssea, ajuda a digestão. Metabolismo celular e crescimento....

INOSITOL

(Faz parte do complexo B) Sinonímia: mioinositol 10.1 FUNÇÃO Ajuda na quebra de gorduras e nutre células cerebrais, metaboliza gorduras e colesterol. É importante em alimentar suas...

NUTRIÇÃO X QUALIDADE DE VIDA

A nutrição é uma ciência complexa e de vital importância, sendo o nutricionista o profissional preparado para orienta-la . Assim sendo todas as pessoas...