O MUNDO E A REVOLUÇÃO DOS COMPUTADORES

2912

Existem várias áreas em que o computador foi introduzido e logo causou grandes proliferações e danos.

Além de efeitos na educação e evolução na medicina, a informatização global também afetou a parte psicológica daqueles excessivos usuários.

Tudo depende do indivíduo: se ele quer crescer o seu conhecimento através da máquina, ele adquire o objetivo de sempre coletar informações para estar atualizado. Porém existem aqueles que exageram ao utilizar o computador, escondem até sua própria identidade. Passam a não mais fazer parte do mundo real para vegetar na frente de uma tela.

Com o lado positivo dos impactos, a medicina foi bastante beneficiada em seu trabalho, e a educação melhor atendida.

IMPACTOS PSICOLÓGICOS

O principal pensamento de quem adquire um computador é: Agora vou me conectar com o mundo.

A excessiva conexão e doente compulsão em ficar até quase um dia inteiro freqüentemente no computador levam a um distanciamento do indivíduo com sua própria realidade.

O psicológico de uma pessoa que tem boa consciência da utilidade de um computador é extremamente diferente do daquele indivíduo que usa esse meio de comunicação para esconder algum problema psicológico ou comportamental.

Quando se fala em problemas psicológicos causados pelo uso excessivo de computador, não inclui aqueles usuários interessados nesse meio, e sim aqueles que por algum motivo deixaram de se comportarem normalmente para virarem um nerd.

Não só negativamente, esse impacto psicológico também ajudou a despertar aquelas pessoas que estavam paradas no tempo ou que pensavam nessa era tecnológica como sendo passageira.

O intelecto de uma pessoa está diretamente ligado aos seus objetivos e ao seu modo de comportamento.

Quem encara a informatização como uma grande chance para mudança de sua vida pessoal e profissional, utiliza a máquina para expandir seus conhecimentos e organizar seus pensamentos. Se essa pessoa estiver usando excessivamente o computador com o objetivo de obter informações e estar sempre atualizado, seu psicológico só tende a ficar cada vez mais ativado e motivado a grandes transformações.

Já uma pessoa que não possui uma meta, e que se utiliza a máquina para apenas passar o tempo, conversar ou simplesmente “viajar”. Pode tornar-se prejudicado quando o uso for excessivo.

É essa a situação que está acontecendo com a maioria daqueles que estão na primeira fase da adolescência: ficam cada vez mais presos dentro de casa e trocam qualquer outra atividade para estarem no computador.

Se uma pessoa traça seu limite e seus objetivos, nada tornará prejudicial. A diferença está na maneira com que a tecnologia é utilizada.

O psicológico de um indivíduo está diretamente ligado ao seu tipo de pensamento; basta a consciência daquilo que será ruim para o seu crescimento ou daquilo que quando bem aproveitado colabora demais com o seu desenvolvimento.

IMPACTOS NA EDUCAÇÃO

Uma grande questão das conseqüências da tecnologia está no futuro das crianças de hoje. Essa revolução dos computadores trouxe, dentre outros impactos, uma polêmica entre pais e educadores: o computador será prejudicial no comportamento do aluno?

A informática torna o raciocínio da criança mais rápido e preceptivo, se a criança diferenciar a hora de brincar da hora da de viver e acima de tudo não “viciar”, os computadores são grandes aliados na tarefa educacional.

Juntamente com os pais, os professores devem estabelecer limites. Na hora de usar o computador a criança deve ser bastante orientada, porém ela deve logicamente, também se relacionar com outra criança.

Em meio de jogos e maravilhas em frente ao computador, é dever dos pais e educadores incentivar a sua utilização e expor a sua capacidade de vício. Como estamos tratando de crianças, por mais que essa tecnologia seja nova para nós, mais recente será para elas.

Convivendo num maio com maior opção de vida, as crianças crescerão saudavelmente e normais a qualquer tipo de comportamento desviado pelo uso excessivo da máquina.

Falando agora em adolescentes, fica totalmente definida a importância da tecnologia para o conhecimento.

Dispondo de um recurso de informática em seu colégio, os educadores podem controlar o uso do mesmo para um melhor aprendizado. Cursos de informática e disponibilidade para o aluno ampliar seus conhecimentos são dois dos motivos pelos quais a educação está sendo beneficiada pela informatização.

Permitindo tanto ensino individualizado como o trabalho cooperativo entre alunos, o computador vem se destacando principalmente pelo interesse que causa nos alunos. Entusiasmados para aprenderem a mexer, eles ficam atentos a todo tipo de orientação e novidade relacionada ao computador.

Interessante também é que o professor passa a não mais ser o detentor do saber, e sim um intermediário entre o aluno e os conhecimentos que a máquina pode fornecer.

Como exclusiva conseqüência positiva da revolução dos computadores, temos o tratamento da desenvoltura daqueles alunos que eram mais retraídos.

A informática tem o poder de entreter mesmo aqueles com dificuldades de comunicação; ela abre um vasto caminho entre o mundo e aquele que se sente, ou melhor, sentia-se distante de sua própria realidade.

Educar agora é uma tarefa não só dos colégios em particular, mas também dessa máquina que tanto facilita na evolução de um indivíduo.

IMPACTOS NA MEDICINA

A saúde consegue, através da tecnologia, prever doenças antes mesmo delas ocorrerem e diagnosticá-las de forma mais clara e precisa. Os médicos se comunicam muito mais rápido usando as redes de computadores.

Em várias áreas da saúde, eles estão sendo utilizados; do cadastramento dos pacientes até máquinas que curam e descobrem uma doença. O fato é que com a revolução tecnológica, os computadores deixaram de ser um mero armazenamento de dados e exibição de informações.

Máquinas que tratam as doenças são devidamente computadorizadas para que não haja erro. Tudo tem que ser milimetricamente preciso. A tecnologia é uma forte aliada nesse aspecto de precisão na medicina.

Um grande avanço foi poder contar com essas máquinas de tratamentos computadorizados que colaboram indefinidamente com o bem-estar da população.

Outro aspecto positivo foi à possibilidade dos médicos poderem ‘visitar’ congressos e palestras através do computador. Evitando o deslocamento, a máquina já fornece tudo o que foi o está sendo exposto em tal ocasião.

Evoluindo juntamente com a tecnologia, a medicina é o fator com que a sociedade mais se preocupa para sempre obter maior conhecimento e estar devidamente informada de descobertas que acontecem em todo mundo.

IMPACTOS NO TRABALHO

É sem dúvida o impacto mais sentido pela sociedade. Novos pensamentos, novas formas de trabalho. Era disso que a população estava precisando.

No início a informatização de empresas, as facilidades de sobrevivência, eram bastante elogiadas por qualquer cidadão. Mas, bastou começar, que o desenvolvimento na prática tornou-se ambíguo.

O mercado de trabalho cresceu, sem dúvida ele ampliou as opções de emprego para aqueles capacitados em executá-lo.

Diversas são as áreas que um indivíduo pode assumir possuindo conhecimentos de computação. Desde um mero usuário até atingir um nível mais elevado de conhecimento.

Empresas, hoje em dia, se preocupam em admitir funcionários capazes de lhe dar com tal tipo de máquina. Aumenta as chances de empregos para os indivíduos que possuem algum conhecimento, porém incapacita aqueles que pararam no tempo e não evoluíram junto com a máquina.

No século passado o maior impacto sofrido foi a invenção das fábricas, na qual somou elementos humanos e mecânicos para a produção de bens em quantidades impensáveis ; começando-se a viver a era da linha de montagem.

Mas em que essa fábrica se tornaria no futuro com o desenvolvimento tecnológico daquelas máquinas adquiridas?

Quantos e quais seriam as pessoas que teriam que sair para ceder seus lugares às máquinas quase autônomas?

O que está ocorrendo é que as fábricas estão a procura de mão-de-obra especializada e desempregando aqueles que já estão ultrapassados em seus conhecimentos gerando desemprego.

A substituição do homem pela máquina acarretou sérios problemas de desemprego. Uma produção que antes era feita ,por exemplo, com dez homens trabalhando, hoje pode ser feita pela máquina e apenas dois homens para manuseá-las.

O que falta para a população de hoje em dia é a preocupação de procurar estar sempre atualizado nas novas tecnologias e tendências do mercado de trabalho.

O que as pessoas necessitam perceber é que o mundo de hoje é muito diferente. Antes a profissão de uma pessoa era passada de geração para geração, hoje em dia aquele que não procura diversificar o conhecimento é um profissional que acabará desempregado.

Existem maneiras do Brasil minimizar o desemprego, para isso alguém do governo precisa investir mais na educação, as pessoas também t6em que se educar fazendo com que essa era de tecnologia traga apenas impactos positivos e prósperos à sociedade.

O IMPACTO ESTÁ PARA TODOS?

INTRODUÇÃO

Seria intolerante dizer que todas as camadas da sociedade sofreram impactos com o surgimento da tecnologia.

Aquela parte da população que não tem condição de acompanhar o desenvolvimento por outro meio de comunicação, nada sabe sobre as novas descobertas, principalmente sobre como os computadores influenciaram nas vidas das pessoas.

Para a vida desses nada mudou em relação às facilidades obtidas após o desenvolvimento tecnológico, pelo contrário, foram para essas pessoas que mais atingiram os impactos negativos dessa evolução.

Inútil seria dizer que todas as partes da população possui consciência do que resume tecnologia e nova forma de desempenho.

A informática além de toda prosperidade, trouxe também maiores danos para esses indivíduos sem nenhuma condição econômica. Se antes já não conseguiam emprego, agora só lhes resta a vontade de batalhar para tentarem aumentar suas capacidades intelectuais.

O onisciente desenvolvimento para essas pessoas foi na verdade o maior problema adquirido, mesmo sem saber do que se trata.

PROBLEMAS SOCIAIS

O computador penetrou na vida de pessoas de diferentes classes sociais, porém o acesso a essa tecnologia é extremamente limitado, e a quantidade de usuários que possua a sua própria máquina, é menor ainda.

Essa era de informações, limita a sociedade em dois grupos: aqueles que terão capacidade de estarem sempre atualizados e informados; e aqueles que irão parar no tempo.

Essa marginalização é extremamente negativa para aquelas pessoas que não possuem recursos de ser usuário ou de ter o seu próprio computador.

A vida tornou-se bastante fácil para quem possui essa tecnologia. Tudo pode-se fazer através de um computador devidamente instalado e conectado com o mundo.

A verdade é que por mais que se desenvolva a tecnologia, sempre irão existir aqueles ‘desatualizados’.

A condição de vida para quem tem capacidade, vai expandir demais; seja na área de trabalho ou na sua própria formação.

É bom reforçar que para obter um bom desempenho e estar sempre atualizado não vai depender exclusivamente de se ter ou não um computador.

As pessoas ‘marginalizadas’ a essa tecnologia são capazes de uma forma ou de outra a se desenvolverem independente da informática, basta apenas obter os conhecimentos básicos.

O problema está em pensar que: “Quem tem computador tem tudo e quem não tem, tem nada.” Esse pensamento já está ultrapassado.

Na época da implantação da tecnologia foi assim, mas hoje não precisa ter acesso para saber mais sobre o mundo.

Não tirando a vantagem de quem o possui, mas os problemas sociais só existem devido à própria descriminação daqueles desinformados.

Existe solução para desigualdades sociais; os indivíduos precisam expandir-se, aumentar seus conhecimentos para obterem um melhor futuro.

NOVAS CLASSES SOCIAIS

Ligados à transformação social das pessoas, as novas classes que surgiram após a informatização global da população foi totalmente relacionado a forma de vida que essas pessoas, inclusas, adquiriram.

Adeptos as comunidades virtuais, estão aqueles indivíduos adaptadas ao bate-papo, e mais adiante dessa comunidade, estão os NERDS, que além de adaptados mantêm um relacionamento restrito entra eles.

Outra classe que surgiu foi os ‘HACKERS’. Ainda há muitas discussões sobre eles, alguns furam sistemas de segurança e penetram em ‘lugares’ proibidos; e alguns são contratados por empresas para testar a segurança da mesma.

Algumas dessas novas classes acreditam em pensamentos que fogem totalmente da realidade com idéias extremamente absurdas.

Porém essas novas classes sociais tendem cada vez mais se tornarem adeptos por muitos devido a sua capacidade de não descriminação. Afinal tudo é feito pelo próprio computador.

CONCLUSÃO

Dizia-se que seria o maior salto de produtividade da História: os computadores transformariam o ambiente de trabalho e reservariam ao funcionário humano apenas as tarefas nobres que exigissem raciocínio abstrato ou intuitivo. Segundo os visionários, o resto do tempo seria dedicado ao lazer, já que os humanos certamente trabalhariam menos horas por dia.

Nem durante o mandato dos mainframes, os computadores de grande porte, a coisa funcionou do jeito que se previa. Só se via gente virando noite nos centros de processamento de dados, rodando fechamentos de faturamento, debugando código macarrônico e resolvendo “abends” (“ABnormal ENDs” – aborto de programa, em jargão de mainframe). Para piorar a encrenca, o impacto social da informatização foi desastroso em muitos casos, posto que com a adoção dos computadores, a quantidade de gente que foi para a rua teve um índice muito alto.

Depois chegou a década de 80 e inventaram o PC, vieram os clones do PC e difundiram-se feito gripe, pelas casas e escritórios de todo o mundo ocidental. Em seguida pintou a coqueluche do Windows e vieram a reboque seus joguinhos, juntamente com aqueles que rodavam em DOS: Space Invaders, PacMan, Solitaire, Tetris e por aí vai. Naturalmente, as empresas informatizadas não fugiram à regra. Ainda não se sabe quanto se perdeu de produtividade com os empregados brincando de jogar escondidos nos computadores das empresas. Lembro-me que havia alguns games que até ofereciam uma tecla de fácil acesso, tipo F12, chamada “Boss is around” (o chefe está por perto). Bastava pressioná-la e aparecia uma tela com uma planilha tipo Lotus 1-2-3 bem tipicamente enfadonha e empresarial, para que o jogador pudesse fingir por um instante que estava trabalhando nalguma tabela maçante.

Os chefes já estavam até acostumados e se viravam bem com a queda de produtividade advinda dos micros, quando para sua desgraça surgiu a Internet. No início ainda era novidade, pois um micro precisava ter modem próprio para que o usuário pudesse se plugar à Rede, e poucas máquinas dispunham de tal equipamento. Mas acabaram conectando as companhias à Internet através de suas próprias redes corporativas. Assim, qualquer funcionário autorizado poderia clicar num ícone e começar a navegar pela Web. Só isso já bastava, mas então o pessoal descobriu o encanto do e-mail. Passaram a dispender horas e horas lendo e escrevendo mensagens para os amigos, contando caso, trocando textos, programas, imagens e sons. E os chats do IRC? Esses então viraram alta coqueluche, especialmente os canais de sacanagem. Aliás, os temas picantes são disparados os que mais sucesso fazem nas navegações feitas durante o expediente. Muitos são os macetes para burlar a vigilância, indo desde o posicionamento dos monitores de vídeo de modo que o chefe não pegue o voyeur desprevenido, até a maestria em manipular o botãozinho de intensidade de vídeo, fazendo a tela ficar quase preta enquanto as imagens pornô são baixadas da Web.

O fato é que, logo de cara, ficou evidente que a coisa estava se transformando num problema para as firmas e, para salvaguardar os interesses empresariais, começaram a proibir navegações e trocas de mensagens via correio eletrônico durante o horário de trabalho. Algumas empresas chegaram a apagar os browsers e gerenciadores de e-mail, proibindo terminantemente seu uso nas máquinas da empresa. Mas sempre há um espertinho que dá um jeito de malocar um diretório ou recarregar no disco da sua máquina um ou outro programinha que é apagado diariamente ao fim do expediente, para não deixar bandeira.

Nas organizações governamentais dos EUA a coisa engrossou. Sabe-se muito bem da intensa participação política do povo de lá, tanto que os contribuintes estrilaram feio quando veio a público essa mania graciosa de funcionários gastando tempo de labuta para baixar megas e megas de imagens de donzelas em ação, entre outras acrobacias. Deu o maior arranca-rabo e autalmente o funcionário público que for pego nessa prática, dança no ato. Belo exemplo a ser seguido aqui na terrinha. Imaginem lá no planalto, o que a nossa turma deve aprontar.

BIBLIOGRAFIA

Internet:

http://psicologia-online.org.br/trabpsicoinfo.html

www.inf.ufsm.br/~cacau/elc202/impacto.html

http://www.inf.ufsm.br/~cacau/elc202/impacto.html/futuro.html

http://les.inf.puc-rio.br/socinfo/trab0.htm

www.din.uem.br/~ia/robotica/asociais.htm

A estrada do futuro, Bill Gates ED.Companhia das letras

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA