22.7 C
Sorocaba
sábado, fevereiro 24, 2024

FERTILIZAÇÃO IN VITRO

A fertilização “in vitro” consiste em técnica de procriação assistida mediante a qual se reúnem, extracorporeamente, num tubo de ensaio, o material genético masculino e o material genético feminino, propiciando a fecundação e a formação do ovo, cuja introdução no útero da mulher dar-se-á após iniciada a divisão celular.

O motivo mais freqüente da procura desta técnica é a esterilidade que se segue à cirurgia de laqueadura.

São três as modalidades de utilização da fertilização “in vitro”: doação de óvulo, doação de embrião, empréstimo de útero.

A doação de óvulo é a versão feminina da doação de sêmen. Aqui a mãe uterina não é a mãe biológica e o pai civil é o pai biológico. Somente não são criados bancos de óvulos, iguais aos bancos de sêmen já existentes, porque não existem técnicas de descongelamento capazes de manter o óvulo produtivo.

Já a doação de embrião é uma modalidade de fertilização “in vitro” em que o pai civil e a mãe uterina não são pais biológicos. Isso ocorre porque na fertilização, vários óvulos são fertilizados com o intuito de que pelo menos um sobreviva, mas muitas vezes vários vingam, e aí não se sabe que destino dar aos embriões excedentes. A doação de embriões então, não se trata de uma solução, e sim de um problema.

Outros trabalhos relacionados

MECANISMOS DA ALERGIA

As proteínas, os ácidos nucléicos, alguns polissacarídeos e outras moléculas de grande peso molecular (macromoléculas), oferecem, devido à sua grande complexidade, uma enorme variedade...

QUALIDADE DE VIDA NOS IDOSOS 2/2

Essa é a segunda parte. Para ver a primeira parte clique aqui COMPROMETIMENTO FUNCIONAL Por outro lado, apesar da relevância indiscutível dos programas educacionais, culturais e...

CELULITE

Celulite é o termo com o qual se denominam diversas afecções, todas, porém, localizadas no tecido conjuntivo célulo-adiposo, abundante no tecido celular subcutâneo. Uma variante...

ARTROSE VERTEBRAL

Definição: Estado de progressiva deteriorização da articulação vertebral, caracterizando por erosão da cartilagem articular e neoformação óssea nas bordas articulares (osteófitos). Etiopatogenia: Há muitos anos atrás achava-se...