TRANSTORNO EFETIVO BIPOLAR – TAB

0
DICAS PARA ANALISAR, COMPREENDER, E INTERPRETAR TEXTOS

TRANSTORNO EFETIVO BIPOLAR – TAB

O Transtorno Bipolar, também conhecido como Transtorno Afetivo Bipolar (CID 10), anteriormente denominado Psicose Maníaco Depressiva, é um transtorno caracterizado por episódios de elevação ou rebaixamento do humor com alteração básica, podendo comprometer em diversos níveis, o funcionamento interpessoal, social e ocupacional do indivíduo. Os episódios depressivos são caraterizados por humor depressivo, perda de interesse, prazer e apetite; dificuldade para concentrar-se; energia reduzida; insônia e despertar precoce; sentimentos de culpa e pensamentos sobre morte e suicídio.

Estes sintomas devem estar presentes por pelo menos 2 (duas) semanas. Os episódios maníacos apresentam humor eufórico ou irritável com expansividade, aceleração do pensamento, necessidade de sono diminuída e auto-estima elevada com idéias grandiosas. Estes sintomas devem estar presentes por pelo menos 1 (uma) semana de forma ininterrupta. A prevalência do Transtorno Bipolar na população geral é de 1%, sem diferença entre sexos ou raças. Aparece mais em indivíduos solteiros ou divorciados e em indivíduos com escolaridade incompleta (até 2º grau). A idade média de início do transtorno é de 20 anos, no entanto o primeiro episódio pode ocorrer ao redor dos 5 – 6 anos até os 50 anos. A interação de fatores genéticos, biológicos e psico-sociais constituem a trama etiopatogenética do Transtorno Bipolar. A transmissão hereditária do Transtorno Bipolar se evidência pelo fato de que 50 % dos pacientes com TB tem pelo menos um dos pais com Transtorno do humor, mais freqüentemente, Transtorno Depressivo Maior. O risco de filhos com pai e mãe portadores de TB desenvolverem o transtorno do humor é de 50 a 75 %. Este risco diminui para 25% quando apenas o pai apresenta TB. Com relação aos fatores biológicos as desequilíbrios nos neuro-transmissores: noradrenalina, serotonina, dopamina e acertilcolina são freqüentemente associados à fisiopatología de Depressão.

No que se refere aos fatores psicossociais os acontecimentos vitais estressantes costumam preceder os primeiros episódios de Transtorno Bipolar mais do que episódios subsequentes. A perda dos pais antes dos 11 (onze) anos bem como a perda de um cônjuge são os estressores mais associados à Depressão.
Segundo os critérios do DSM IV o Transtorno Bipolar pode ser classificado em I e II. O Transtorno Bipolar I é uma síndrome com um conjunto complexo de sintomas de mania durante o curso do transtorno e, o Transtorno Bipolar II, se caracteriza por episódios depressivo e hipomaníaco durante ocurso do transtorno. O tipo misto de Transtorno Bipolar é caracterizado por episódios que preenchem critérios para um episódio depressivo maior e para um episódio maníaco ao mesmo tempo. O diagnóstico inclui Transtorno Bipolar induzido por condições médicas gerais, abuso de substâncias e episódios de mania desencadeados por tratamentos com tricíclicos. O diagnóstico diferencial deve ser feito com Transtorno Depressivo Maior, Transtorno Ciclotímico, Transtorno de Personalidade Bordeline e Esquizofrenia.

O curso do Transtorno Bipolar é de longa duração, recorrente, podendo ocorrer episódio único de mania (10 à 20% dos casos) e um segundo episódio após 2 (dois) anos ( 40 à 50%) dos casos. Com o uso de Lítio 40 à 50% dos pacientes tem controle eficaz. Pior prognóstico está associado com o fraco estado ocupacional prémorbido, dependência de álcool, sintomas psicóticos, características depressivas entre os episódios em pacientes do sexo masculino e melhor prognóstico associado a curta duração dos episódios, poucos pensamentos suicidas e associação com intercorrências clínicas. O tratamento se fundamenta em uma completa avaliação diagnostica para planejamento de estratégias de intervenção tanto para o episódio atual como para prevenção de recaídas. Os melhores resultados são obtidos com associação de Psicoterapia e Farmacoterapia. A hospitalização pode ser necessária em pacientes com risco de suicídio, homicídio, incapacidade para os cuidados básicos, ruptura do sistema de suporte e necessidade de procedimentos diagnósticos. As terapias de orientação psicanalítica ou de curto prazo como cognitiva, interpessoal e comportamental, tem sido pesquisados em relação à sua eficácia, oferecendo vantagens e limitações conforme cada tipo de intervenção, sendo necessário avaliar sua indicação para cada paciente. É de absoluta necessidade o conhecimento pelo paciente de seu transtorno para que a intervenção farmacoterapêutica seja devidamente cumprida, tratando-se de um acompanhamento de longa duração e com medicações que muitas vezes apresentam diversos efeitos colaterais. A interrupção do tratamento ou o uso inadequado das medicações comprometem a sua eficácia. a. Em pacientes com episódios depressivo deverá ser associado um anti-depressivo.

Histórico de Enfermagem

Nome do Paciente: Marcos Roberto Vidal Campos
Idade: 25 anos
sexo: masculino
naturalidade: Itabuna – Ba
estado civil: solteiro

Diagnóstico Médico: F 31.2 ( Transtorno Afetivo Bipolar)

Histórico:

Paciente relata estar internado após crise, o mesmo foi encaminhado para internação e tratamento através do Hospital Jabaquara. Relata ainda, 4 internações anteriores sendo uma no Hospital Vera Cruz e as demais no Hospital do Campo Limpo.

Paciente nunca teve emprego fixo, informou que o pai ainda é vivo e mãe já falecida, foi quando o mesmo veio para São Paulo com os demais irmãos. Informou que sente-se rejeitado pelo família e ainda que não podia entrar em casa pois a sua irmã o expulsava. Informou ainda, que utilizou drogas, no caso maconha apenas uma vez por intermédio de um vizinho.

Durante conversa com paciente fui informado que ele adora ouvir músicas, comer bem e não gosta de assistir televisão. Informa que tem muito medo dos apresentadores do Jornal Nacional, pois acredita que eles o observam e irão persegui-lo.

Exame Físico e Psíquico:

Durante entrevista com paciente, notei que o mesmo possuía uma preocupação excessiva se eu estava entendo a estória contando ou se eu gostaria que ele repetisse. Em alguns momentos da conversa o mesmo ajoelhou-se sobre os meus pés e disse que gostava dos meus sapatos dourados (no entanto os sapatos eram brancos). Disse que acreditava ser um anjo e que poderia voar.

Apresentou-se consciente, orientado quanto a tempo e espaço, não demonstrou nenhum tipo de agressividade, contactuando verbalmente. Sua aparência demonstrou estar asseado e não apresenta nenhum tipo de deformidade no seu corpo.

Demonstrou muita ansiedade e tristeza, comportamento inquieto (movimentava as mãos rapidamente e muitas vezes durante a conversa levantava do banco), aparentou idéia de perseguição (relatou que há pessoas que o vigiam, que há homens que ficam esperando ele dormir para enfia-lo dentro de um saco e para leva-lo para muito longe), relata insônia (passa a noite acordado com medo de ser raptado) ambivalência afetiva. Refere-se a sentir-se seguro estando internado, a família o rejeitou no entanto o paciente não demonstrou nenhum tipo de ressentimento ou desconforto com relação a esta situação, não está consciente quanto a doença acredita ser normal.

DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM

PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui