29.5 C
Sorocaba
terça-feira, maio 21, 2024

Organização de Troca no Mundo

Começou suas atividades em 01/01/95.

Vamos analisar um pouco do aspecto histórico antes de chegarmos a sua criação.

Com o fim da 1ª guerra mundial o mercado estava frio, então os Estados resolveram fazer conferências para reanimá-lo, foram feitas três:

* A primeira foi em 1920 em Bruxelas, foi chamada Conferência Financeira.

* A Segunda foi em 1922 em Londres, foi chamada de Conferência Monetária e Econômica.

* A Terceira foi em 1927 em Genebra, foi chamada de Conferência Econômica.

Essas conferências não surtiram nenhum tratado efetivamente, e logo após teve início a 2º segunda Guerra Mundial que novamente parou o mundo no setor econômico, mas logo após a 2º Guerra Mundial, fizeram novamente três convenções em que surgiram 2 dois tratados, vejamos:

* Em outubro de 1946 – em Londres – dessa conferência participaram (18) dezoito Estados, a URSS não participou porque sua ideologia política era outra, o comunismo, por isso não aderiram o regime do livre comércio.
O objetivo dessa conferência foi à regulamentação do comércio, mas NADA FOI ASSINADO.

* Em agosto de 1947 – em Genebra – os trabalhos se estenderam até outubro de 1947- aqui surgiu o primeiro tratado multilateral sobre comércio, criaram o GATT – GENERAL AGREEMENT ON TARITTS AND TRDE (acordo geral sobre tarifas e comércio) – participaram dessa conferência 23 Estados.

Para se ter uma idéia da grandiosidade desse tratado, ele teve início com 23 Estados e em 1994 já havia 128 signatários.

* Em 21/11/1947 – em Havana – participaram 56 Estados, foi assinado um tratado Carta de Havana, teve com signatários 53 Estados, mas este nunca entrou em vigor, esse previa a criação da OIC (organização internacional do comércio), mas não existia vontade política na época.

ESSES TRATADOS PÓS-SEGUNDA GUERRA MUNDIAL DO QUE PREVIA A CRIAÇÃO DO GATT (1947 EM GENEBRA) FOI O QUE ENTROU EM VIGOR.

As conferências sobre comércio tem o nome técnico de rodada.

Na década de 60 tivemos a rodada Kennedy.

Na década de 70 tivemos a rodada de Tóquio.

*** Na década de 80 tivemos a RODADA DO URUGUAI- teve início em 22/09/1986 e seu fim em 1994, aqui sim nasceu a OMC entre outros tratados sobre agricultura, têxteis, confecções, barreiras técnicas e os comércios, subsídios e medidas compensatórias, acordo sobre direitos anti dumping, sobre comércio e serviços, medidas sanitárias e fito sanitárias.

ESTRUTURA DO GATT– antes de tratarmos sobre o tema, cabe informar que ele era formado em três partes e que em 1965 acrescentou-se a quarta parte chamada de comércio e desenvolvimento.

1º Parte – composto por 2 artigos, ficou conhecida com cláusula da Nação mais favorecida (art.1º e 2º) – significa que a taxa que favorecer a um vai se aplicar aos demais, isso por conta da livre concorrência.

2º Parte –vai do artigo 3º até o 23 – é um código de boa conduta comercial.

3º Parte – art. 24 até 35 – normas sobre a funcionamento do sistema.

4º Parte – Comércio e desenvolvimento.

Princípios do Comercio Internacional

Liberdade de comércio, um Estado permite que os produtos de um Estado circule nos outros.

Não discriminação ou desigualdade de tratamento – esse principio tem três desmembramentos;

1) concessão do tratamento da nação mais favorecida (art.1º)
2) corolário – cláusula do tratamento nacional em matéria de tributação e regulamentação nacional (art.3º),
3) corolário – eliminação das restrições quantitativas (art.11).

4º parte – permite exceções à cláusula da nação mais favorecida.

União Aduaneira do Mercosul, para não ter fronteira fiscal entre os Estados membros, deve ser registrada na OMC.

Recapitulando, o GATT é um tratado firmado em 1947, que trata de tarifas e comércios.

A China ingressou na OMC em 10/01/2001, como membro 143.

O ministro do comércio exterior Shi Guangsheng.

Pode ser da OMC só Estados e Uniões Aduaneiras.

Por exemplo – Haong Kong em 1986.

União Aduaneira – teoricamente todos são, uma vez que tem independência financeira.

ORGÃOS PARA SOLUÇÃO DE CONFITOS

1960 – Conselho de Representantes.

1965 – Diretor Geral e Secretariado.

Mecanismos de Solução de Conflitos

No GATT já existia, começa com a fase das chamadas consultas, que são diálogos diplomáticos.

Depois o painel – que é como se fosse arbitragem – as partes escolhem três especialistas no tema, eles vão apresentar um relatório final, este será entregue ao Conselho Geral que vai decidir.

Hoje na OMC – tem um órgão de solução de conflitos que trabalha com prazos, o Estado tem que avisar a data da consulta.

Se não resolver na época das consultas, passando de 60 dias, será instalado um painel onde os especialistas terão o prazo de 6 meses para redigir um relatório final que será expedido para o Órgão de Solução de Conflitos.

Resumo

Consulta – 60 dias de conversas diplomáticas.

Painel – relatório em 6 meses .

Órgão de Solução de Conflitos – deve decidir.

Órgão de Apelação –(recurso)- não será discutido fatos, pode haver apelação só se existir alguma fundamentação legal, tendo tal órgão poderes para modificar a Decisão do Órgão de Solução de Conflitos.

Ficando apurada a ilegalidade – na decisão já será o pagamento, existe a medida compensatória, por exemplo os próximos produtos que entrarem no país não serão tributados.

* Questão levantada em aula:

A OMC substituiu o GATT ?

R – O GATT é um tratado que previa a criação de alguns órgãos, com a criação da OMC esses órgãos foram sucumbidos por essa organização internacional, porém o GATT nos outros temas abordados prevalece até hoje.

Órgãos da OMC:

  • Conferência ministerial.
  • Conselho Geral.
  • Órgão de solução de Controvérsia.
  • Órgão de Revisão política comercial.
  • Conselho para bens, serviços e propriedade intelectual.
  • Comitê, Secretariados e outros órgãos.

Direito de Integração

É um sob ramo do direito internacional público, estuda os blocos econômicos (por exemplo União Européia, MERCOSUL).

É chamado de sub ramo porque o único modo de construir uma organização internacional é por intermédio de um tratado constitutivo e quem faz o estudo dos tratado é o Direito Internacional Público.

A maioria das organizações nasceram no pós segunda guerra mundial.

Esse instituto do direto internacional público não pode se confundir com o direito comunitário que é uma expressão usada exclusivamente para a União Européia.

Essa integração é caracterizada por etapas que passam a ser analisadas:

Zona de Livre Comércio – por este os Estados declaram que são parceiros comerciais, por meio de tratado os produtos de ambos circulam entre eles, mas são tributados (existe fronteiras fiscais).

Zona da União Aduaneira – a integração é muito maior, uma vez que eles fizeram à união de suas aduaneiras, ou seja, não vai mais existir tributação entre eles e os produtos que não são dos Estados integrados serão tributados normalmente , porém vai aparecer a figura da TAFIRA EXTERNA COMUM (T.E.C) para comercialização extra bloco, por este a tributação será única para os todos os Estados envolvidos na união aduaneira, existe uma lista de exceções, isso porque os Estados não podem zerar a tributação da noite pro dia, então usa-se o termo “a taxa externa tende a zero”.

Zona de Mercado Comum – nesta fase a taxa interna é zero, TEC continua, mas aparece a figura da livre circulação de pessoas e serviços.

Zona de União Político Monetário e Defesa externa Comum – aqui já existem as políticas comunitárias, a moeda já se torna única e a defesa externa é comum. Esse é a atual fase da união Européia , por exemplo. quando ocorre uma discussão sobre pesca essa vale para todos os países da União Européia.

Zona De Confederação – já é uma fase hipotética, porque aqui não mais existiriam Estados, seria um único Governo, aqui é uma criação doutrinária, seria uma legislação.

Essas etapas são gradativas e não obrigatória, isso ocorre porque nos dias atuais a soberania é delegável e divisível.

Qual a diferença entre Organização Intergovernamental e organização Supranacional?

Para fazer tal distinção deve-se analisar os órgãos, sua organização e composição.

Intergovernamental – por exemplo: MERCOSUL, ONU.

COMPOSIÇÃO – é formada por representantes dos governos dos Estados membros.

Por exemplo: Conselho do Mercosul, uma pessoa representa os interesses do Estado que esta representando.

VOTAÇÃO – só ocorre aprovação se houver consenso, ou seja, um acordo entre todos.

ENTRADA EM VIGOR – é necessário haver a incorporação nos moldes dos tratados.

SUPRANACIONAL – por exemplo: União Européia.

COMPOSIÇÃO – luta pelos interesses da coletividade, por integrantes que representam os interesses da organização e não do Estado de origem, isso porque os Estados fizeram delegação de atribuições a esse órgão.

VOTAÇÃO – sempre decidem o que é melhor para organização.

ENTRADA EM VIGOR – aplicabilidade direta de efeito imediato.

Para analisar se a organização é supranacional ou intergovernamental é necessário analisar o tratado constitutivo.

Outros trabalhos relacionados

Mercado Bancário Produtos de Captação

Autoria: Vanessa Noronha As modernas instituições financeiras criaram o conceito de mesa de operações, onde centralizam a maioria das operações de suas áreas de mercado,...

O Empresário Individual

Introdução Este trabalho de pesquisa foi elaborado com o intuito de se ter uma visão da figura do empresário dentro da sociedade. Todavia, entendia-se que...

Marketing 3

Autoria: Jonas Kasper Introdução As Técnicas mercadológicas adquiriram tal abrangência no mundo contemporâneo que são utilizados, em qualquer sistema econômico social, tanto por empresa comerciais como...

Previdência Social

Através deste trabalho pretende-se abordar alguns aspectos da Previdência Social, definindo-a e realizando um breve histórico desde sua criação. Analisar-se-á seus princípios, natureza jurídica do...