14.4 C
Sorocaba
quarta-feira, agosto 4, 2021

PROCESSOS QUÍMICOS E MECÂNICOS DO SISTEMA DIGESTIVO

PROCESSOS QUÍMICOS E MECÂNICOS DO SISTEMA DIGESTIVO

INTRODUÇÃO

Este trabalho foi pesquisado junto aos livros Corpo Humano ( Gerard J. Tortora) Anatomia Básica ( Spencer) Anatomia Básica (J.G. Dangelo C.A. Fattini).

O trabalho objetiva estudar os processos químicos e mecânicos do sistema digestivo do Corpo Humano (também conhecido como Sistema Digestório), desde da chegada do alimento à boca até o processo de digestão no estomago, intestino delgado, intestino grosso até ser expelido para o meio externo.

PROCESSOS QUÍMICOS E MECÂNICOS DO SISTEMA DIGESTIVO

PROCESSOS MECÂNICOS DO SISTEMA DIGESTÓRIO

O processo mecânico do sistema digestório consiste nos movimentos executados pelos estrutura que compõe o sistema, como a própria mastigação onde é realizado o primeiro processo mecânico, onde o alimento é triturado pelos dentes após o bolo alimentar passar pela faringe e esôfago chega então ao estomago , onde é misturado com as enzimas que o digerem , então as contrações musculares do estomago denominados de movimentos peristálticos que movem o bolo alimentar ao longo do trato gastrintestinal, que acorrem ainda duas formas de movimentos, propulsão e mistura, já no intestino delgado ocorrem a contração e o relaxamento que irão permitir a mistura do conteúdo com os sucos digestivos, estes movimentos continuam até a proximidade do anus.

1 – MASTIGAÇÃO

É o primeiro processo mecânico que ocorre no sistema digestório, é relacionado com a abertura e fechamento da mandíbula, trituração do alimento entre a língua e os dentes e músculos das bochechas.

Assim o alimento é tritura e misturado com a saliva formando o bolo alimentar.

2 – DEGLUTIÇÃO

O bolo alimentar inicia sua movimentação ao longo do trato digestivo pelo deglutição.

“Antes de entrar no esôfago o alimento poderia subir para a nasofaringe ou descer pela traqueia, mas é prevenindo pela elevação palato mole e a úvula contra a parede posterior da faringe. E a entrada na traqueia é protegida pelo fechamento da glote”. (SPENCER)

Se o alimento por um acaso entrar pela cavidade do nariz ou na laringe a resposta usual é a tosse violenta que expele o alimento de volta para a bucofaringe.

Também encontramos a presença de gás no estomago, podendo escapar e então produzimos “arroto”.

Já o conteúdo gástrico acidificado pode irritar o estomago causando a “azia”.

3 – ESTÔMAGO

No estomago onde ocorre os movimento peristálticos a aproximadamente a cada 20 segundo. (TORTORA)

O alimento é misturado com as secreções das glândulas gástrica e se transformam em um liquido fino chamado quimo.

Então o movimento para frente e para traz são responsáveis por quase toda a mistura do estomago.

As atividades mecânicas do estomago incluem:

1 – Armazenar alimentos ;

2- Misturar o alimento (secreções gástricas)

3 – Movimentar o alimento para o duodeno em velocidade compatível para digestão e absorção eficientes.

4 – INTESTINO DELGADO

A absorção dos alimentos ocorre nos intestinos, os eficientes movimentos semelhantes aos movimento do estomago de maneira regular.

No intestino delgado ocorrem dois tipos de movimento:

Seguimentação e peristalse.

O movimento de seguimentação é semelhante a comprimir um tubo de creme dental alternadamente nas extremidades opostas. “Dependendo principalmente de impulsos parassimpáticos para se moverem”.

Os impulsos simpáticos diminuem a motilidade intestinal”. (TORTORA).

A peristalse arremessa o quimo através do trato intestinal, tanto a peristalse quanto a seguimentação são controladas pelo sistema nervoso autônomo.

5 – INTESTINO GROSSO

A passagem do alimento no intestino grosso é regulada pelo esfíncter ileocecal e pelo esfíncter anal, os mesmos movimentos que ocorrem no intestino delgado também acontecem do grosso, porem mais lentos. ” O alimento demora de 18 a 24 horas para chegar ao reto”. (SPENCER)

“Cerca de três a quatro vezes por dia, ondas peristálticas longas e lentas, que configuram o peristaltismo em massa, movimento o conteúdo do colo em direção ao reto”. (SPENCER)

Estes movimentos que movimentam o material fecal que iniciam o reflexo da defecação. Este reflexo são voluntários, começando por uma inspiração profunda seguida por fechamento da glote e contração da parede abdominal. Estas reações aumentam a pressão no abdômen que ajudam a defecação.

PROCESSOS QUÍMICOS DO SISTEMA DIGESTÓRIO

Assim como os processos mecânicos os processos químicos iniciam na cavidade oral, e ocorrem nas várias regiões do trato gastrintestinal.

A digestão química é uma série de reações que degradam as moléculas grandes e complexas de carboidratos , lipídios e proteínas que ingerimos, transformando-as em moléculas simples, pequenas o suficiente para passar através das paredes dos órgãos digestórios e eventualmente para as células do corpo (TORTORA).

1 – DIGESTÃO DA BOCA

Na boca começam a digestão dos carboidratos pela enzima digestiva produzida pelas glândulas salivares chamadas de amilase salivar, que também ocorre no esôfago, na boca os carboidratos são convertidos em amido.

2 – DIGESTÃO NO ESTÔMAGO

A principal atividade química do estomago é iniciar a digestão das proteínas pela enzima chamada de pepsina. Esta enzima é mais efetiva no ambiente intensamente acido do estomago.

“Primeiro a pepsina é secretada em forma inativa, de modo que ela não pode digerir as proteínas nas células principais que a produzem (TORTORA).

Assim as proteínas são convertidas em peptídeos.

3 – DIGESTÃO DO INTESTINO DELGADO

É no intestino delgado que ocorre a maior parte da digestão enzimática e quase toda a absorção.

O conteúdo do intestino delgado que recebe o nome de quimo, estes sofre uma série de transformação ao longo do intestino delgado que alem de produzirem enzimas digestivas presentes em seus vilos também recebem enzimas digestivas do pâncreas e bile do fígado.

No intestino delgado ocorrem a digestão de carboidratos, proteínas e lipídios.

4 – INTESTINO GROSSO

É no intestino grosso que ocorre o último estágio da digestão, que ocorre por meio de ação bacteriana e não enzimática, até 40% da massa fecal é composta por bactérias. (Tortora)

As bactérias fermentam quaisquer carboidratos e libera hidrogênio e dióxido de carbono e gás metano, que contribuem para os gases do colo.

Também é convertida as proteínas restantes em aminoácidos e ainda degradam os aminoácidos em substâncias mais simples, (Indol, Escatol, Sulfeto de hidrogênio e ácidos graxos), alguns destes são conduzidos às fezes, contribuindo para seu odor. O restante é absorvido pelas diferentes áreas de nosso corpo.

CONCLUSÃO

Concluímos com este trabalho que para que a vida seja possível, o organismo deve ser convenientemente nutrido.

Nosso sistema digestório tem esta função, modificar os alimentos para serem aproveitados como energia, bem como para transformar os alimentos digeridos em elementos importantes para o metabolismo.

Os alimentos, na sua maior parte, devem ser previamente “digeridos” (processo químico e mecânico) são transformados em substâncias mais simples que são melhores absorvidas pelo sangue, que depois os transportará a todas as células do corpo.

Outros trabalhos relacionados

CARDIOMIOPATIA HIPERTRÓFICA

RESUMO Trata-se de uma atualização cujo objetivo foi descrever aspectos da fisiopatologia da Cardiomiopatia Hipertrófica (CMH) e suas terapêuticas, relacionando-as com a assistência de enfermagem....

A Importância de um Centro Cirúrgico

SUMÁRIO INTRODUÇÃOJUSTIFICATIVAOBJETIVOSREFERENCIAL TEÓRICOMETODOLOGIAConsideraçõesREFERENCIAS BIBLIOGRÁFICOS INTRODUÇÃO Em 2007 com as mortes sucessivas de cavalos atendidos na clínica Médica Veterinária da PMPA o Major Ignácio Campos Filho, veterinário da...

CANDIDÍASE VAGINAL

Sobre diagnóstico da candidíase vaginal The diagnosis of vaginal candidiasis Professor Doutor de Ginecologia do Departamento de Tocoginecologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual...

CORRIMENTO VAGINAL

Severino Rodrigues de Figueiredo É comum em clinicas privadas ou em serviços públicos a queixa de corrimento vaginal. .esta é a queixa mais freqüente, ocorre...